Escritoriodearte.com > Artistas > Danúbio Gonçalves

Danúbio Gonçalves

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Danúbio Villamil Gonçalves (Bagé RS 1925)

Gravador, desenhista, pintor e professor.

Freqüenta o ateliê de Candido Portinari (1903 - 1962) com Iberê Camargo (1914 - 1994). Estuda gravura e desenho na Fundação Getúlio Vargas - FGV do Rio de Janeiro, com Carlos Oswald (1882 - 1971) e Axl Leskoschek (1889 - 1975), na década de 1940. Viaja para Paris, e entre 1949 e 1951 freqüenta a Académie Julian. De volta ao Brasil, funda o Clube de Gravura de Bagé, no Rio Grande do Sul, com Glauco Rodrigues (1929 - 2004), Glênio Bianchetti (1928) e Carlos Scliar (1920 - 2001). Com esses artistas, integra o Clube de Gravura de Porto Alegre, entre 1951 e 1955. Desde 1963, orienta os alunos do curso de litogravura do Ateliê Livre da Prefeitura de Porto Alegre, instituição que dirige até 1978. No período entre 1969 e 1971, leciona gravura no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - IA/UFRGS. Publica os livros Do Conteúdo à Pós-Vanguarda, editado pela Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, em 1995, e a obra Processos Básicos da Pintura, pela editora AGE, em 1996. Em 2000, é realizada exposição retrospectiva de sua produção no Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli - Margs, e é publicado o livro Danúbio Gonçalves: Caminhos e Vivências, pela editora Fumproarte, com textos de Paulo Gomes e Stori (1946).

Comentário crítico

Danúbio Gonçalves é conhecido principalmente por sua atuação como gravurista. Co-fundador do Clube de Gravura de Bagé, sua atividade artística e seu engajamento político são indissociáveis.  Com outros artistas, visita países do bloco comunista, rejeita a Bienal de São Paulo e o abstracionismo, e defende uma arte regional, de cunho social, próxima do Realismo Socialista.

Sua produção mais característica são xilogravuras, sobretudo dos anos 1950. Retrata camponeses e trabalhadores, seu cotidiano e suas festas. Algumas obras enfatizam os eventos, instrumentos, danças e roupas típicas, como Festa do Mundo, de 1953. Em outras, há um traço mais expressionista e anguloso, que traduz a violência da atividade dos trabalhadores. As mais conhecidas são as séries Charqueadas e Mineiros de Butiá. A primeira apresenta as etapas da produção do charque, da matança dos bois à secagem da carne. A segunda figura a vida dos mineiros, em evidente referência às obras de Vincent van Gogh (1853 - 1890), sobre o mesmo tema. Em todas, exprime a angústia e a miséria, através de contrastes marcados, e a força e o movimento, através da talha que ressalta os veios da madeira com diversos traços paralelos. Para o escritor Érico Veríssimo, Danúbio consegue ultrapassar o interesse documental e conferir aos temas um sentido universal.1

Aos poucos, Danúbio deixa o regionalismo e o traço expressionista e, durante os anos 1960, faz pinturas mais abstratas, com tons rebaixados e formas que são às vezes reconhecíveis, mas não realistas como plantas, insetos e animais. Não há profundidade ou textura. Os comentadores falam de "...imagem do homem universal, sua deformação e sobressalto..."2  e de "...expressão de um cosmo ambíguo..."2

Nos anos seguintes, passa por uma fase mais pop. Utiliza técnicas variadas, como tinta acrílica, aquarela e gravura. Ultimamente, além dos temas eróticos, pinta cenas de balonismo, em que tira proveito das grandes áreas de cor dos balões, da grama e do céu.

Notas
1 PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969, p. 246.
2 PONTUAL, idem.
3 SCARINCI, Carlos. A gravura no Rio Grande do Sul: 1900 - 1980. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1982, p.147-148.

Críticas

"Danúbio Villamil Gonçalves possui uma tendência pela figura. As figuras aos grupos, deparadas e confrontadas em denso clima humano. Uma vida violenta circula entre elas, dando-lhes a condição. Figuras carregadas de vitalidade em ambientes impregnados de força. Não falseia nunca. Sempre fiel ao conteúdo inviolável. Este tratamento direto e carinhoso, embora de um carinho violento, às vezes, não prejudica o fundamental do pintor, não perturba sua plástica. Jamais uma concessão à retórica, ao literário. Sempre o roteiro árduo".
Clovis Assumpção
DANÚBIO Gonçalves: desenho, gravura, pintura 1964-1976. Apresentação de Quirino Campofiorito et al. São Paulo: MAM, 1976.

"Entre os fundadores do Clube da Gravura e seus herdeiros, poucos tiveram a maturação e a longa pesquisa de Danúbio. Certamente existem poucos litogravadores como ele no Brasil. Apesar do caminho rigoroso percorrido por uma pintura, parece-me que a obra gráfica do artista é mais ponderável e de maior fôlego. A sua tendência natural é gráfica. Mesmo as pinturas - quando melhores - têm um forte acento gráfico, com definição de desenho, planos estabelecidos, valores de claro e escuro evidentes. A cor não oferece para esse artista um interesse vital. Seu mundo percorre as linhas do desenho e da obra impressa. É, talvez, um pouco injusto insistirmos na parte gráfica da exposição, quando a pintura percorreu o seu destino durante, pelo menos, 30 anos. Mas a importância desse artista sóbrio e discreto no universo gráfico brasileiro precisa, finalmente, ser lembrada. Seu trabalho registra um tipo de vida e folclore em via de desaparecer; depois, esse trabalho envereda na abstração para retornar, enfim, a uma figuração mágica em que o artista encontra todos os seus desencontros e realiza uma obra madura e serena. Acompanhando esse longo período de trabalho, temos o prazer de encontrar diante de nós um artista sereno, maduro e com pleno conhecimento de suas forças criadoras. Capaz de unir num mesmo momento espacial o seu universo de preocupações sociais e formais e, também, o afloramento do inconsciente com seus símbolos, lirismos e fantasias".
Jacob Klintowitz
KLINTOWITZ, Jacob. Versus: dez anos de crítica de arte. Prefácio Jacob Klintowitz; apresentação Pietro Maria Bardi. São Paulo: André Galeria de Arte, 1978. 143 p. il.

"Entre a pintura acadêmica lambida e 'bem feitas' que fotografa o mundo, e os coloridos labirintos geométricos ou caóticos de certo tipo de arte abstrata, destituída de humanidade, existem - é lógico - mil outros caminhos e descaminhos. Tenho a impressão de que, para usar de uma boa expressão popular, Danúbio 'acertou a mão' e atingiu a plena maturidade artística nesta nova fase em que não foge ao mundo objetivo, à imagem humana nem os desfigura, mas transfigura-os poética e dramaticamente. A visão deste artista não é a da fiel câmara fotográfica nem a do espelho côncavo ou convexo que recria o mundo e a humanidade em grotescos termos de caricatura. Admirável desenhista - é hoje em dia dizer que um pintor sabe desenhar é uma horrenda heresia! -, Danúbio consegue dar a temas regionais (veja-se, por exemplo, Picador e O Guri das Cabeças) um interesse e um sentido universais, desprezando os pormenores de natureza puramente documentária. (...) Outro aspecto muito simpático da personalidade artística de Danúbio Gonçalves é a sua atividade de artesão. Como os pintores renascentistas, ele mesmo prepara suas tintas, suas telas, a madeira em que faz suas gravuras; e é ele próprio quem transpõe para a pedra os seus desenhos e imprime depois suas reproduções. E com que alegria e amorosa paciência ele faz todas essas coisas! Certos críticos de arte preocupam-se muito com saber qual é a MENSAGEM que o artista transmite em seus quadros. Outros chegam ao ponto de exigir que ele sofra muito no ato de pintar (...) Santo Deus! Será que ninguém jamais pensa no puro prazer lúdico que o artista experimenta no ato da criação? Veja-se o exemplo incomparável de Picasso, esse adolescente de mais de oitenta anos. Ele pode ter lavrado protestos dramáticos com o seu inesquecível Guernica, mas sua obra inteira é antes de mais nada um hino à vida e ao prazer dos sentidos, uma lição de esperança, coragem e amor. Com seu jeitão de homem do campo, retraído e meio tímido, Danúbio vive a sua vida no tom em que fala, isto é, em surdina. Guarda-se todo - força, ternura, paixão, lirismo - para a sua arte. Espalha, por assim dizer, em seus quadros, todas as economias que faz na vida cotidiana. E o resultado aí está (...)".
Erico Verissimo
Catálogo de exposição no ICBNA de Porto Alegre, Porto Alegre, outubro de 1971 citado por: GONÇALVES, Danúbio. Danúbio Gonçalves : caminhos e vivências. Texto Paulo Gomes, Norberto Stori; fotografia Fernando Zago. Porto Alegre : FUMPROARTE, 2000. P. 134-135.

Exposições Individuais

1944 - Bagé RS - Individual, no Instituto de Belas Artes
1945 - Bagé RS - Individual, no Instituto Municipal de Música
1955 - Porto Alegre RS - Individual, no Círculo Bageense
1959 - Porto Alegre RS - Individual, no Pavilhão da Avenida Borges de Medeiros
1963 - Porto Alegre RS - Individual, no Margs
1964 - Porto Alegre RS - Individual, no Instituto Cultural Brasileiro Norte-Americano
1965 - Porto Alegre RS - Individual, no Espaço Galeria
1967 - Porto Alegre RS - Individual, no IAB/RS
1968 - Porto Alegre RS - Individual, no Margs
1971 - Salvador BA - Individual, no MAM/BA
1972 - Porto Alegre RS - Individual, na Esphera Galeria de Arte
1976 - Curitiba PR - Individual, no Museu Guido Viaro
1976 - Porto Alegre RS - Retrospectiva 12 Anos de Carreira, no Margs
1976 - São Paulo SP - Retrospectiva, no MAM/SP
1979 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria de Arte Independência
1980 - Bagé RS - Individual, no Museu da Gravura Brasileira
1980 - Novo Hamburgo RS - Individual, na Galeria Casa Velha Convívio de Arte
1980 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria de Arte Clube do Comércio
1981 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Imagem
1981 - Santa Maria RS - Individual, na Sala de Exposições da UFSM
1981 - São Paulo SP - Individual, no MAM/SP
1982 - Camboriú SC - Individual, na Galeria Lascaux
1982 - Casablanca (Marrocos) - Individual, na Galeria Oukade
1982 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria de Arte Clube do Comércio
1982 - Porto Alegre RS - Retrospectiva de Gravura, no Margs
1982 - São Leopoldo RS - Individual, na Galeria Liana Brandão
1986 - São Leopoldo RS - Individual, na Galeria Liana Brandão
1987 - Florianópolis SC - Individual, no Masc
1987 - Porto Alegre RS - Retrospectiva, na Galeria de Arte da CEE
1987 - Santa Maria RS - Individual, na AB Galeria de Arte
1988 - Porto Alegre RS - Individual, no Centro Municipal da Cultura
1989 - São Leopoldo RS - Individual, na Galeria Liana Brandão
1990 - Porto Alegre RS - Hommage a Torres, na Galeria de Arte Mosaico
1991 - Bagé RS - Individual, no Museu da Gravura Brasileira, Fundação Áttila Taborda
1991 - Caxias do Sul RS - Individual, na Galeria de Arte do Sesc
1991 - Porto Alegre RS - Individual, no Atelier Livre da Prefeitura
1991 - Torres RS - Individual, na Sociedade Amigos da Praia de Torres
1992 - Cachoeira do Sul RS - Individual, no Atelier Livre Municipal de Cachoeira do Sul
1992 - Paris (França) - Individual, na Galeria L´Oeil de Boeuf
1992 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria de Arte Mosaico
1992 - Porto Alegre RS - Individual, no Margs
1992 - Porto Alegres RS - Individual, no Salão Municipal de Cultura
1993 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria de Arte Mosaico
1993 - Torres RS - Individual, na Associação dos Artistas Plásticos de Torres
1995 - Bagé RS - Individual, no Museu de Gravura Brasileira
1995 - Pelotas RS - Individual, no Museu Leopoldo Gotuzzo
1995 - Porto Alegre RS - Danúbio e a Imprensa, Mostra de Caricaturas de 1939 a 1941, no Museu de Comunicação Social Hipólito da Costa
1995 - Porto Alegre RS - Homenagem dos 70 Anos, na Galeria Iberê Camargo, Usina do Gasômetro
1995 - Porto Alegre RS - Projeto A Gravura no Rio Grande do Sul, no Margs
1995 - Porto Alegre RS - Retrospectiva 70 Anos, Pinturas de 1948 a 1993, no Margs
1996 - Porto Alegre RS - Homenagem a Anestor José Tavares, na Galeria Marisa Soibelmann
1998 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria de Arte Mosaico
2000 - Bagé RS - Danúbio Gonçalves: retrospectiva, na Casa de Cultura Pedro Wayne
2000 - Caxias do Sul - RS - Danúbio Gonçalves: retrospectiva, no Centro de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho
2000 - Pelotas - RS  - Danúbio Gonçalves: retrospectiva, no Museu de Artes Leopoldo Gotuzzo
2000 - Porto Alegre RS - Danúbio Gonçalves: restrospectiva, no Museu dos Correios
2000 - Brasília DF - Danúbio Gonçalves: retrospectiva, no Espaço Cultural dos Correios
2008 - Porto Alegre RS - Balonismo II, no Centro Cultural CEEE - Érico Veríssimo
2008 - Porto Alegre RS - Balonismo II, no Parque Odilo Webber Rodrigues
2009 - Bagé RS - Aos Grandes: Danúbio Gonçalves, no Palacete Pedro Osório
2009 - Pelotas RS - Aos Grandes Mestres: Danúbio Gonçalves, no MALG
2010 - Porto Alegre RS - Aos Grandes Mestres: Danúbio Gonçalves, no Centro Cultural CEEE - Érico Veríssimo
2010 - Porto Alegre RS - Xarqueadas, no Parque da Harmonia, Centro de Eventos Almir Azeredo Ramos
2010 - Uruguaiana RS - Aos Grandes Mestres: Danúbio Gonçalves, no Sesc Uruguaiana
2012 - Porto Alegre RS - Arte Pública - Murais de Danúbio Gonçalves, no Paço dos Açorianos
2012 - Santa Maria RS - Aos Grandes Mestres: Danúbio Gonçalves, no Museu de Arte de Santa Maria

Exposições Coletivas

1945 - Rio de Janeiro RJ - Exposição de Arte Moderna, na ABI/RJ
1948 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Auditório do Correio do Povo
1948 - Rio de Janeiro RJ - 53º Salão Nacional de Belas Artes - menção honrosa e medalha de prata
1951 - Bagé RS - Coletiva, na Galeria de Arte
1951 - Porto Alegre RS - 5º Salão de Artes Plásticas da Associação Francisco Lisboa - medalha de prata
1952 - Berlim (Alemanha) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Bucareste (Romênia) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Curitiba PR - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Florianópolis SC - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Goiânia GO - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Montevidéu (Uruguai) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Moscou (União Soviética, atual Rússia) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Nova York (Estados Unidos) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Pequim (China) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Porto Alegre RS - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Praga (República Tcheca) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão Nacional de Arte Moderna
1952 - Rio de Janeiro RJ - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Santiago (Chile) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - São Paulo SP - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Varsóvia (Polônia) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Viena (Áustria) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1952 - Viña del Mar (Chile) - Clube de Gravura de Porto Alegre
1953 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Arte Moderna - prêmio viagem ao país
1954 - Goiânia GO - Exposição do Congresso Nacional de Intelectuais
1954 - Rio de Janeiro RJ - Salão Preto e Branco, no Palácio da Cultura
1954 - Salvador BA - 4º Salão Baiano de Belas Artes
1955 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão Nacional de Arte Moderna
1956 - São Paulo SP - Contribuição ao Realismo, no MAM/SP
1959 - Porto Alegre RS - 2ª Feira da Gravura de Porto Alegre
1961 - Denver (Estados Unidos) - Gravadores Gaúchos
1961 - Porto Alegre RS - Salão de Arte Rio-Grandense - medalha de ouro
1962 - Curitiba PR - Artistas do Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre, no Salão da Biblioteca de Curitiba
1962 - Porto Alegre RS - 4º Salão de Artes Plásticas de Porto Alegre - medalha de prata
1962 - Porto Alegre RS - 9º Salão de Artes Plásticas do Instituto de Belas Artes
1962 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Faculdade de Arquitetura
1962 - Washington D. C. (Estados Unidos) - Coletiva, na Graphic Arts Gallery
1963 - Belo Horizonte MG - 18º Salão Municipal de Belas Artes de Belo Horizonte - 3º prêmio
1963 - Curitiba PR - 14 Artistas Gaúchos, na Galeria Macunaíma, Departamento de Cultura do Estado do Paraná
1963 - Porto Alegre RS - 1º Salão da Cidade de Porto Alegre - 1º prêmio de gravura
1963 - Porto Alegre RS - Gravuras, no Margs
1964 - Porto Alegre RS - Artistas do Rio Grande do Sul, na Galeria Portinari
1964 - Porto Alegre RS - Feira do Artista Gaúcho - primeiro prêmio
1965 - Belo Horizonte MG - Premiados do 30º Salão de Belas Artes, na Galeria do ICBEU
1965 - Curitiba PR - Gravura Brasileira Contemporânea
1965 - Porto Alegre RS - 2º Salão da Cidade de Porto Alegre, no Margs - 1º prêmio de desenho
1965 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Leopoldina Galeria de Arte
1966 - Belo Horizonte MG - Coletiva, na Galeria Guignard
1966 - Curitiba PR - 23º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná
1966 - Porto Alegre RS - Arte Hoje no Rio Grande do Sul, no Margs
1966 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Instituto Cultural Brasileiro Norte-Americano
1966 - Porto Alegre RS - Tendências 66, na Galeria do IAB
1966 - Salvador BA - 1ª Bienal Nacional de Artes Plásticas da Bahia
1967 - São Paulo SP - 4 artistas do Rio Grande do Sul, na Galeria 4 Planetas
1967 - Tóquio, Sakata, Katsuragitar, Mikko, Kanasawa e Suzu (Japão) - Gravadores Gaúchos no Japão, na Embaixada do Brasil, na International Society of Plastic an Audio Visual Art Homma
1968 - Campinas SP - 4º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1968 - Curitiba PR - 25º Salão Paranaense, na Biblioteca Pública do Paraná
1968 - Florianópolis SC - 1ª Exposição Nacional de Artes Plásticas, no Masc
1968 - Londrina PR - 4º Salão de Arte Religiosa Brasileira
1968 - Porto Alegre RS - 4º Salão Cidade de Porto Alegre
1968 - Porto Alegre RS - Estande Artes Plásticas da Expositur
1968 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Artistas Gaúchos: a imagem do Rio Grande, promovida pela Revista Cultural Contemporânea
1968 - Salvador BA - 2ª Bienal Nacional de Artes Plásticas da Bahia
1968 - São Paulo SP - Núcleo de Gravadores de Porto Alegre
1969 - Curitiba PR - Salão Paranaense, na Federação das Indústrias do Estado do Paraná
1970 - San Juan (Porto Rico) - 1ª Bienal de San Juan del Grabado latino-americano y del Caribe
1970 - São Paulo SP - Pré-Bienal de São Paulo, na Fundação Bienal
1971 - Curitiba PR - 28º Salão Paranaense, na Biblioteca Pública do Paraná
1971 - Porto Alegre RS - 1º Salão de Artes Visuais da UFRGS
1971 - São Paulo SP - 11ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1971 - São Paulo SP - 3º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1972 - Nova York (Estados Unidos) - Selecionados na 2ª Bienal de Grabado latino-americano do Porto Rico, na Galeria do Pratt Graphics Center
1972 - São Paulo SP - 2ª Exposição Internacional de Gravura, no MAM/SP
1972 - São Paulo SP - Mostra de Arte Sesquicentenário da Independência e Brasil Plástica ? 72, na Fundação Bienal
1973 - Bagé RS - Quatro de Bagé, na Fundação Áttila Taborda
1973 - Curitiba PR - 30º  Salão Paranaense, no Teatro Guaíra 
1973 - Curitiba PR - 30º Salão Paranaense, no MAC/PR - prêmio aquisição de pintura
1973 - Porto Alegre RS - 2º Salão de Artes Visuais da UFRGS
1973 - Porto Alegre RS - Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre: professor e alunos
1973 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Galeria Ponto de Arte
1973 - Porto Alegre RS - Lançamento de Álbuns de Gravuras de Artistas Gaúchos, na Galeria Gerdau
1973 - San Francisco (Estados Unidos) - World Prints Entrants, no Museu de San Francisco
1973 - São Paulo SP - 12ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1974 - San Juan (Porto Rico) - 3ª Bienal de San Juan del Grabado latino-americano y del Caribe
1974 - São Paulo SP - 6º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP - prêmio gravura
1974 - São Paulo SP - Bienal Nacional 74 - Sala Didática da Gravura Brasileira, na Fundação Bienal 
1975 - Brasília DF - Arte Gaúcha 74 
1975 - Porto Alegre RS - Panorama da Arte Gaúcha, na Galeria EucatExpo
1976 - Bagé e Porto Alegre RS - Grupo de Bagé, no Projeto Cultur - Secretaria de Turismo e Educação
1976 - Bagé RS - 1º Encontro Nacional de Artistas Plásticos, no Museu Dom Diogo de Souza
1976 - Bagé RS - 2º Encontro de Artistas Plásticos, no Museu Dom Diogo de Souza
1976 - Porto Alegre RS - 9 Artistas Gaúchos, no Posto de Informações Turísticas Açorianos (Epatur). A exposição inaugura o Posto de Informações. 
1976 - Porto Alegre RS - Álbum 5 Serigrafias, na Galeria IAB
1976 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Epatur
1976 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Galeria EucatExpo
1976 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Pinacoteca Aplub de Arte Riograndense
1976 - Porto Alegre RS - O Museu Vai à Indústria, na Aços Finos Piratini
1976 - Porto Alegre RS - Por uma Arte Brasileira: Grupo de Bagé, na UFRGSul. Instituto de Artes
1976 - Porto Alegre RS - Tradições Gaúchas, no Instituto de Artes da UFRGS
1976 - San Juan (Porto Rico) - 4ª Bienal de San Juan del Grabado latino-americano y del Caribe
1977 - São Paulo SP - 9º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP 
1978 - Curitiba PR - 1ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, no Centro de Criatividade de Curitiba
1979 - Curitiba PR - 2ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, no Centro de Criatividade de Curitiba
1979 - Curitiba PR - 36º Salão Paranaense
1979 - Porto Alegre RS - O Museu vai à Indústria, no Grupo Olvebra
1980 - Santa Maria RS - Coletiva, na Sala de Exposições da UFSM
1980 - São Paulo SP - 12º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1981 - Beirute e Jounieh (Líbano) - Pintores Brasileiros
1981 - Curitiba PR - 4ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, na Casa da Gravura Solar do Barão
1981 - Gramado RS - Aquarelistas Gaúchos, na Fearte
1981 - San Juan (Porto Rico) - 5ª Bienal de San Juan del Grabado latino-americano y del Caribe
1982 - Penápolis SP - 5º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1983 - Porto Alegre RS - Arte Livro Gaúcho: 1950/1983, no Margs
1983 - Porto Alegre RS - Do Passado ao Presente: as artes plásticas no Rio Grande do Sul, no Cambona Centro de Arte
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1984 - Caracas (Venezuela) - 2ª Bienal del Grabado de America
1984 - Curitiba PR - 6ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba  
1984 - Curitiba PR - 6ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na Fundação Cultural de Curitiba
1984 - Curitiba PR - 6º A Xilogravura na História da Arte Brasileira, na Casa Romário Martins
1984 - Porto Alegre RS - Gravuras: uma trajetória no tempo, na Cambona Centro de Artes
1984 - Porto Alegre RS - Lixo de Atelier, no Espaço Cultural Yázigi
1984 - Ribeirão Preto SP - Gravadores Brasileiros Anos 50/60, na Galeria Campus USP ? Banespa
1984 - Rio de Janeiro RJ - A Xilogravura na História da Arte Brasileira
1984 - Rio de Janeiro RJ - A Xilogravura na História da Arte Brasileira, na Funarte. Galeria Sérgio Milliet
1984 - Rio de Janeiro RJ - Doações Recentes 82-84, no MNBA
1985 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Galeria de Arte Masson
1985 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Galeria Tina Presser
1985 - Porto Alegre RS - Gravura no Rio Grande do Sul: atualidade, no Margs 
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1985 - São Paulo SP - 18ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1985 - São Paulo SP - Gravura no Rio Grande do Sul: atualidade, no MAC/USP
1986 - Curitiba PR - 7ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na Casa da Gravura Solar do Barão
1986 - Porto Alegre RS - O Automóvel Faz Cem Anos, na Galeria Bolsa de Arte
1986 - Porto Alegre RS - Projeto Pinta Brasil, exposição mural
1986 - Rio de Janeiro RJ - Gravura no Rio Grande do Sul: atualidade, no Solar Grandjean de Montigny
1987 - Paris (França) - La Jeune Gravure Contemporaine et Ses Invités du Brésil
1987 - Porto Alegre RS - Coletiva, na CEE
1988 - Montevidéu (Uruguai) - Trinta Dias de Cultura
1988 - Novo Hamburgo RS - Coletiva, na Semec
1988 - Porto Alegre e Gramado RS - Coletiva, no Museu do Trabalho
1988 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Galeria Galpão Crioulo
1988 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1989 - Alegrete RS - Coletiva, no Museu de Arte Dr. José Pinto Bicca de Medeiros
1989 - Paris (França) - Coletiva Centenário de Van Gogh
1989 - Porto Alegre RS - 2ª Mostra Gaúcha de Gravura , no Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues
1989 - Porto Alegre RS - Arte Sul 89, no Margs
1989 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1990 - Curitiba PR - 9ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, no Museu da Gravura
1990 - Curitiba PR - 9º Artistas Convidados: litografias, na Casa Romário Martins
1990 - Porto Alegre RS - 2º Encontro Gaúcho de Gravura
1990 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Galeria Mosaico
1990 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Centro Gráfico do Museu do Trabalho
1990 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1991 - Porto Alegre RS - Atelier Livre 30 Anos
1991 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1991 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Instituto Cultural Brasileiro Norte-Americano
1991 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Margs
1991 - São Jerônimo RS - Coletiva, no Museu do Carvão
1992 - Porto Alegre RS - Coletiva, na Casa de Cultura Mario Quintana
1992 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Atelier Livre da Prefeitura
1992 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Centro Gráfico do Museu do Trabalho
1992 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Edel Trade Center
1992 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1993 - Canela RS - Pontos de Encontro, na Fundação Cultural de Canela
1993 - João Pessoa PB - Xilogravura: do cordel à galeria, na Funesc
1993 - Porto Alegre RS - Arte Sul, no Margs
1993 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1993 - Porto Alegre RS - Gravura, no Margs
1993 - Porto Alegre RS - Retrospectiva 20 Anos do Desenho Gaúcho, no Centro Cultural Brasil-Espanha
1994 - Porto Alegre e Pelotas RS - Litografia Hoje, no Margs e na Sala Frederico Trebbi, Prefeitura de Pelotas
1994 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Atelier Livre da Prefeitura
1994 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Grêmio Náutico União
1994 - São Paulo SP - Os Clubes de Gravura do Brasil, na Pinacoteca do Estado
1994 - São Paulo SP - Poética da Resistência: aspectos da gravura brasileira, na Galeria de Arte do Sesi
1994 - São Paulo SP - Xilogravura: do cordel à galeria, no Metrô
1995 - Pelotas RS - Coletiva, na Fundação Municipal de Integração, Museu do Charque
1995 - Porto Alegre RS - 6º Salão Cidade de Porto Alegre - artista homenageado
1995 - Porto Alegre RS - A Arte Vê a Moda, promoção do jornal Zero Hora, na Casa de Cultura Mario Quintana
1995 - Porto Alegre RS - Coletiva, no Centro Gráfico do Museu do Trabalho
1995 - Porto Alegre RS - Gravuras: Mestres e Alunos, no Instituto Goethe
1995 - Porto Alegre RS e Haifa (Israel) - Printing Today
1996 - Bagé RS - Grupo de Bagé: retrospectiva de gravura, no Museu da Gravura Brasileira
1996 - Novo Hamburgo, Pelotas, Bagé, Santa Maria e Passo Fundo RS - A Arte Vê a Moda, itinerante promovida pelo jornal Zero Hora
1996 - Passo Fundo RS - Museu de Artes Visuais Ruth Schneider: exposição inaugural, no Museu de Artes Visuais Ruth Schneider  
1996 - Porto Alegre RS - Grupo de Bagé no Acervo do Margs, no Margs
1996 - Porto Alegre RS - Grupo de Bagé no Clube de Gravura, na Galeria da Caixa Econômica Federal
1996 - Porto Alegre RS - Grupo de Bagé: gravura e atualidade, no Centro Municipal de Cultura
1996 - Porto Alegre RS - Grupo de Bagé: pintura e atualidade, na Galeria de Arte Mosaico
1997 - Brasília DF - Grupo de Bagé no Clube de Gravura: década de 50, na Galeria da Caixa Econômica Federal
1997 - Curitiba PR - Grupo de Bagé no Clube de Gravura: década de 50, na Galeria da Caixa Econômica Federal
1997 - Rio de Janeiro RJ - Grupo de Bagé no Clube de Gravura: década de 50, na Galeria da Caixa Econômica Federal
1997 - São Paulo SP - Grupo de Bagé no Clube de Gravura: década de 50, na Galeria da Caixa Econômica Federal
1998 - Buenos Aires (Argentina) - Arte en la Calle
1998 - Porto Alegre RS - Arte Erótica, no Margs
1998 - Rio de Janeiro RJ - Litografia 200 Anos, na Galeria Sesc
1998 - Santo Ângelo RS - Exposição URI - Desenhos e Gravuras
1998 - São Paulo SP - Os Colecionadores. Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, na Galeria de Arte do Sesi
1999 - Porto Alegre RS - Garagem de Arte: mostra inaugural, na Garagem de Arte 
1999 - Porto Alegre RS - Gravura Gaúcha, no Centro Municipal de Cultura
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Gravura Moderna Brasileira: acervo do Museu Nacional de Belas Artes, no MNBA
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Porto Alegre Gravura, no IAB
2000 - Bento Gonçalves RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul
2000 - Canela RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul
2000 - Caxias do Sul RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul
2000 - Caxias do Sul RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul . Centro de Convivência
2000 - Farroupilha RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul  
2000 - Guaporé RS - Coletiva de Gravura
2000 - Nova Prata RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul
2000 - Porto Alegre RS - Brasil 500 Anos - Navegadores de Imagens, no Centro Cultural Usina do Gasômetro
2000 - São Paulo SP - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural 
2000 - Vacaria RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul  
2000 - Veranópolis RS - Coletiva de Gravura, na Universidade de Caxias do Sul
2001 - Brasília DF - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaugaleria  
2001 - Penápolis SP - Investigações. A Gravura Brasileira, na Galeria Itaú Cultural
2001 - Rio de Janeiro RJ - Trilhando a Gravura, no Museu da Chácara do Céu
2002 - Passo Fundo RS - Gravuras: Coleção Paulo Dalacorte, no Museu de Artes Visuais Ruth Schneider
2002 - Porto Alegre RS - Desenhos, Gravuras, Esculturas e Aquarelas, na Garagem de Arte 
2002 - Porto Alegre RS - Gravuras: Coleção Paulo Dalacorte, no Museu do Trabalho
2003 - Porto Alegre RS - Vida, Povo, Fome, Trabalho e Religião, na Garagem de Arte 
2003 - São Paulo SP - Arte e Sociedade: uma relação polêmica, no Itaú Cultural
2008 - São paulo SP - Panorama dos Panoramas, no Museu de Arte Moderna
2011 - Porto Alegre RS - Do Atelier ao Cubo Branco, no MARGS
2011 - Porto Alegre RS - Labirintos da Iconografia, no MARGS

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Amilcar de Castro - Sem Título
Sem Título
José Benigno - Lumen ad Viam
Lumen ad Viam
Gregório Gruber - Palácio do Governo
Palácio do Governo
Carlos Araújo - Siena Semeadora
Siena Semeadora