Escritoriodearte.com > Artistas > Luiz Zerbini

Luiz Zerbini

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Luiz Zerbini (São Paulo SP 1959)

Artista multimídia.

Aos quatro anos de idade, Luiz Pierre Zerbini começa a ter aulas de pintura com Van Acker (1931 - 2000). Posteriormente estuda fotografia com Carlos Moreira (1937) e aquarela com Dudi Maia Rosa (1946). Entre 1978 e 1980, frequenta o curso de artes plásticas da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), em São Paulo. No início da década de 1980 muda-se para o Rio de Janeiro, passa a trabalhar como cenógrafo do grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone e faz performances em bares cariocas em parceria com a atriz Regina Casé (1954). Faz sua primeira exposição individual em 1982, na Casa do Brasil, em Madri, na Espanha. Ocupa parte do Salão Nacional de Artes Plásticas no Rio de Janeiro e recebe Referência Especial do Júri, em 1985. Participa da 19ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1987.  Integrante da chamada Geração 80, suas primeiras obras são pinturas, mas depois trabalha com escultura, vídeo, desenho e fotografia. Em 1995, recebe o grande prêmio da crítica na categoria artes visuais da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Nesse mesmo ano, cria, em parceria com o artista Barrão (1959), o editor de vídeo e cinema Sérgio Mekler (1963) e o produtor musical Chico Neves o grupo Chelpa Ferro (expressão arcaica que significa dinheiro), que trabalha com escultura, instalações tecnológicas e música eletrônica.

Comentário Crítico

Na década de 1980, Luiz Zerbini produz telas figurativas em que apresenta cenas de inspiração surrealista, como A Tragédia É um Acúmulo de Mal Entendidos, 1987. O artista utiliza freqüentemente a fotografia em colagens, concebidas como estudos para telas de grandes dimensões. Emprega, ainda, o enquadramento fotográfico em obras como Zoo, 1985, em que mantém também diálogo com a arte pop. Já em Piscina das Crianças, da mesma data, destacam-se o aspecto onírico e as cores extremamente vibrantes e luminosas. Posteriormente, realiza auto-retratos nos quais se apresenta envolto em uma profusão de cores e imagens.

Em 1995, Zerbini reúne-se ao artista Barrão (1959), ao editor de imagens Sergio Mekler (1963) e ao produtor musical Chico Neves e cria o grupo Chelpa Ferro, que associa imagem e som, realizando performances e instalações. O grupo explora sonoridades eletrônicas e industriais, cria novos usos e significados para antigos equipamentos eletrônicos e também utiliza ruídos decorrentes de objetos de uso cotidiano, como aqueles de impressoras, caixas registradoras, bolas de pingue-pongue ou os passos dos visitantes da exposição. Em instalação apresentada pelo grupo na 26ª Bienal Internacional de São Paulo, em 2004, um conjunto de galhos e troncos secos de árvores é movimentado por meio de pedais elétricos, acionados pelo público, e produz um som leve, semelhante à sonoridade do vento percorrendo o interior do edifício.

Em trabalhos expostos em 1999, como a série Pinturas Dentro D'água, Luiz Zerbini utiliza uma técnica chinesa na qual o papel é tingido embaixo d'água, com uma solução de tinta e algas. Com esse procedimento, o artista produz pinturas abstratas de cores luminosas que refletem a fluidez do meio aquoso. Como nota o artista Sérgio Romagnolo (1957), à primeira vista, essas pinturas aparentam ser fáceis e sedutoras, mas trazem consigo questões ligadas à arte popular e conceitual.

Críticas

"O trapézio rasga o ar ao som de um violino cego. É gol. O traço explode na tela, um bate-estaca na terra. É circo. A bola cruza a área, o craque mata no peito e chuta. É arte. Traçando linhas cores curvas, esse escrete subverte qualquer posição de sentido. Só sensações povoam a cabeça desse onze. Operários culturais. Nenhum sentimento excessivo senão a cor e o vigor da tinta. Diletos herdeiros dos shopping centers, hipermercados, video games, fast-foods desse Brasil pós-moderno bacana, muito louco. Nosso escrete levanta vôo rumo ao México. Na esteira, o painel pânico das megalópoles saturadas. A propósito, um gol desse escrete valoriza qualquer pinacoteca".
Chacal
PINTURAS: escrete volador. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1986.

Exposições Individuais

1982 - Madri (Espanha) - Individual, na Casa do Brasil
1985 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Subdistrito
1988 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Subdistrito 
1988 - Rio de Janeiro - Individual, no EAV/Parque Lage
1991 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Subdistrito
1991 - Recife PE - Individual, na Pasárgada Arte Contemporânea
1991 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Itaugaleria 
1991 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Subdistrito
1993 - São Paulo SP - Individual na Galeria Camargo Vilaça
1994 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MAM/RJ
1995 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Camargo Vilaça
1997 - La Paz (Bolívia) - Individual, no Museo Tambo Quirquincho
2002 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Fortes Vilaça
2006 - São Paulo SP - Do Corpo à Paisagem, no Instituto Tomie Ohtake

Exposições Coletivas

1980 - São Paulo SP - Leonilson e Luiz Zerbini, no Teatro Lira Paulistana
1981 - Madri (Espanha) - Leonilson e Luiz Zerbini, na Galeria de Arte da Casa do Brasil
1984 - Fortaleza CE - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas - referência especial do júri
1984 - Rio de Janeiro RJ - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1984 - Rio de Janeiro RJ - Arte na Rua 2
1984 - Rio de Janeiro RJ - Como Vai Você, Geração 80?, na EAV/Parque Lage
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1985 - Rio de Janeiro RJ - Novos Cariocas, na Casa da Cultura
1985 - Rio de Janeiro RJ - Velha Mania: desenho brasileiro, na EAV/Parque Lage
1986 - Guadalajara (México) - Pinturas: escrete volador (1986 : Guadalajara, México) 
1986 - São Paulo SP - A Nova Dimensão do Objeto, no MAC/USP
1987 - São Paulo SP - 19ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1988 - Rio de Janeiro RJ - 88 x 68: um balanço dos anos 
1988 - São Paulo SP - Coleção Particular de Eduardo Brandão, na Galeria Casa Triângulo
1989 - Curitiba PR - Canale, Fonseca, Milhazes, Pizarro, Zerbini, no Museu Municipal de Arte de Curitiba
1989 - Rio de Janeiro RJ - Canale, Fonseca, Milhazes, Pizarro, Zerbini, na Funarte/RJ
1989 - São Paulo SP - Canale, Fonseca, Milhazes, Pizarro, Zerbini, no MAC/USP
1989 - São Paulo SP - Coletiva, no Masp
1989 - São Paulo SP - Fábio Cardoso, Leonilson, Daniel Senise e Luiz Zerbini, no Masp
1990 - Rio de Janeiro RJ - Projetos Arqueos, na Fundição Progresso
1991 - México - Mito e Magia en Los Otchenta, no Museu de Arte Contemporânea
1991 - Rio de Janeiro RJ - BR/80:  pintura Brasil década 80, na Fundação Casa França-Brasil
1992 - Rio de Janeiro RJ - As Artes do Poder, no Paço Imperial
1992 - Rio de Janeiro RJ - Brazilian Contemporary Art, na EAV/Parque Lage
1992 - Rio de Janeiro RJ - Eco Art, no  MAM/RJ
1992 - São Paulo SP - João Satamini/Subdistrito, na Casa das Rosas
1992 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas, no CCSP
1993 - Niterói RJ - 2ª A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no MAC/Niterói
1993 - Rio de Janeiro RJ - O Papel do Rio, no Paço Imperial
1993 - Washington D. C. (Estados Unidos) - Brasil: imagens dos anos 80 e 90, no Art Museum of the Americas
1994 - Rio de Janeiro RJ - 2ª Mostra de Artes Plásticas: espaço, no Espaço Cultural dos Correios
1994 - Rio de Janeiro RJ - Brasil: imagens dos anos 80 e 90, no MAM/RJ
1994 - Rio de Janeiro RJ - Espaço na Visão de: Araken, Barrão, Cláudio Tozzi, Ivald Granato, João Magalhães, Luiz Zerbini e Rubens Gerchman, no Espaço Cultural dos Correios
1994 - Rio de Janeiro RJ - The Exchange Show: doze pintores de San Francisco e do Rio de Janeiro, no MAM/RJ
1994 - San Francisco (Estados Unidos) - The Exchange Show: twelve painters from San Francisco and Rio de Janeiro, no Yerba Buena Center for the Arts
1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1994 - São Paulo SP - Brasil: imagens dos anos 80 e 90, na Casa das Rosas
1994 - São Paulo SP - Marinhas, na Galeria Nara Roesler
1995 - Rio de Janeiro RJ - A Infância Perversa: fábulas sobre a memória e o tempo, no MAM/RJ
1995 - Salvador BA - A Infância Perversa: fábulas sobre a memória e o tempo, no MAM/BA
1995 - São Paulo SP - Anos 80: o palco da diversidade, na Galeria de Arte do Sesi
1996 - Rio de Janeiro RJ - Guignard: a escolha do artista, no Paço Imperial
1998 - Goiânia GO - Os Anos 80, na Galeria de Arte Marina Potrich
1998 - Niterói RJ - Espelho da Bienal, no MAC/Niterói
1998 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Caetano Veloso, no Paço Imperial
1998 - São Paulo SP - O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ, no Masp
1998 - São Paulo SP - Futebol Arte, na Empresa das Artes
1999 - Porto Alegre RS - 2ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul
1999 - Porto Alegre RS - Ciberarte: zonas de interação, na Usina do Gasômetro
1999 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Chico Buarque, no Paço Imperial
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Impressões Contemporâneas, no Paço Imperial
2000 - Havana (Cuba) - 7ª Bienal de Havana, no Centro de Arte Contemporáneo Wifredo Lam
2000 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Gilberto Gil, no Paço Imperial
2000 - Rio de Janeiro RJ - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento. Carta de Pero Vaz de Caminha, no Museu Histórico Nacional
2000 - São Paulo SP - 2º Território Expandido, no Sesc Pompéia 
2000 - São Paulo SP - A Figura Humana na Coleção Itaú, no Itaú Cultural
2000 - São Paulo SP - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento. Carta de Pero Vaz de Caminha, na Fundação Bienal
2001 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Antônio Carlos Jobim, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - Aquarela Brasileira, no Centro Cultural Light
2001 - Rio de Janeiro RJ - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - O Espírito de Nossa Época, no MAM/RJ
2001 - São Paulo SP - 27º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Arco das Rosas: marchand como curador, na Casa das Rosas
2001 - São Paulo SP - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - O Espírito de Nossa Época, no MAM/SP
2002 - Barra Mansa RJ - Sidaids, na Galeria de Arte Sesc Barra Mansa
2002 - Liverpool (Inglaterra) - Pot
2002 - Niterói RJ - A Recente Coleção do MAC, no MAC/Niterói
2002 - Rio de Janeiro RJ - 27º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/RJ
2002 - Rio de Janeiro RJ - A Cultura em Tempos de Aids, no MNBA
2002 - Rio de Janeiro RJ - Artefoto, no CCBB
2002 - Rio de Janeiro RJ - Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 - Rio de Janeiro RJ - Identidades: o retrato brasileiro na Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
2002 - Rio de Janeiro RJ - Sidaids, na Galeria de Arte Sesc Barra Mansa
2002 - Salvador BA - 27º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/BA
2002 - São Gonçalo RJ - Sidaids, no Sesc São Gonçalo
2002 - São Paulo SP - Paralela, em Galpão localizado na Avenida Matarazzo, 530, São Paulo. Exposição idealizada e organizada em conjunto pelas galerias Fortes Vilaça, Luisa Strina, Casa Triângulo e Brito Cimino
2002 - São Paulo SP - Pot, na Galeria Fortes Vilaça
2002 - São Paulo SP - Rotativa Fase 2, na Galeria Fortes Vilaça
2003 - Brasília DF - Artefoto, no CCBB
2003 - Niterói RJ - Sidaids, na Galeria de Arte Sesc
2003 - Rio de Janeiro RJ - Chelpa Ferro, no MAM/RJ
2003 - São Paulo SP - 2080, no MAM/SP
2003 - São Paulo SP - A Nova Geometria, na Galeria Fortes Vilaça
2004 - Rio de Janeiro RJ - Arte Contemporânea Brasileira nas Coleções do Rio, no MAM/RJ
2004 - Rio de Janeiro RJ - Onde Está Você, Geração 80?, no CCBB
2004 - São Paulo SP - Still Life / Natureza Morta, na Galeria de Arte do Sesi
2004 - São Paulo SP - Vol., na Galeria Vermelho
2004 - São Paulo SP - Bazar de Verão, na Galeria Fortes Vilaça
2004 - São Paulo SP - Bazar de Verão, na Galeria Fortes Vilaça
2004 - São Paulo SP - Still Life / Natureza Morta, na Galeria de Arte do Sesi
2004 - São Paulo SP - Vol., na Galeria Vermelho
2005 - São Paulo SP - Erotica: os sentidos na arte, no CCBB 
2006 - Rio de Janeiro RJ - Erotica: os sentidos na arte, no CCBB 
2006 - Rio de Janeiro RJ - Só Pintura, na Mercedes Viegas Arte Contemporânea
2006 - Rio de Janeiro RJ - Um Século de Arte Brasileira - Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
2006 - São Paulo SP - Fortes Vilaça na Choque Cultural, na Galeria Choque Cultural
2006 - São Paulo SP - Paralela 2006, no Pavilhão dos Estados
2006 - São Paulo SP - Um Século de Arte Brasileira - Coleção Gilberto Chateaubriand, na Pinacoteca do Estado
2007 - Curitiba PR - Um Século de Arte Brasileira - Coleção Gilberto Chateaubriand, no Museu Oscar Niemeyer
2007 - Salvador BA - Um Século de Arte Brasileira - Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/BA
2007 - São Paulo SP - Itaú Contemporâneo: arte no Brasil 1981-2006, no Itaú Cultural
2008 - Madri (Espanha) - 27ª Arco, no Instituto Feria de Madrid

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Marcos Garrot - Sem Título - Série Formas Circulare
Sem Título - Série Formas Circulare
Aldemir Martins - Rendeira
Rendeira
Anna Maria Maiolino - Sem Título - Série Leonardo Engenho
Sem Título - Série Leonardo Engenho
Mariana Serri - Série Talude (Tomate Caqui)
Série Talude (Tomate Caqui)