Escritoriodearte.com > Artistas > Ismênia de Araújo Coaracy

Ismênia de Araújo Coaracy

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Ismênia de Araújo Coaracy (Sertãozinho SP 1918)

Pintora, ilustradora, professora.

Inicia-se na pintura por volta de 1946, como autodidata. Cursa gravura com Lívio Abramo (1903 - 1992) na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, entre 1956 e 1958 e história da arte com Wolfgang Pfeiffer (1912 - 2003) em 1956. Em 1958, integra o Grupo Guanabara e, por volta de 1960, estuda pré-história com Paulo Duarte, e cerâmica e escultura com André Osze. Na mesma época, passa a integrar os júris de salões de arte; faz ilustrações para os jornais Folha de S. Paulo (Suplemento Feminino), O Estado de S. Paulo (Suplemento Literário) e Leitura (Publicação Cultural da Imprensa Oficial de São Paulo); leciona desenho e pintura na clínica psiquiátrica do Hospital das Clínicas de São Paulo; e realiza sua primeira individual na Galeria de Arte das Folhas (1960). Em 1962, estuda pintura mural  na Fundação Armando Álvares Penteado - Faap, com Clóvis Graciano (1907 - 1988). Na década de 1970, promove experiências com filmes Super-8.

Críticas

"À estreante da 7ª Bienal Internacional de São Paulo, com trabalhos abstratos, noturnos e envolventes em sua movimentação espacial, seguiram-se experiências com colagens. Raro a colagem desempenhar papel tão importante como no caso desta artista. Trouxe-lhe de volta a figura, sem a preconceituação do realismo objetivo, depois de ter esgotado o abstrato, mas enriquecida, a figura, no sentido de contraponto, como passou a significar nas obras do tempo da VIII Bienal, representando ao mesmo tempo uma referência do mundo real em suas composições. Ao mesmo tempo, pela própria presença da colagem, seu sentido de ´retirada de um contexto lógico´ fazia com que ela assumisse foros de um mundo de memória. Além de toda sua contribuição como textura nos trabalhos elaborados sem pressa. E de repente, o universo de Ismênia, do subjetivo e introvertido, começa a ampliar-se na proporção das dimensões de suas telas novas. Desde a última Bienal (IX) encontramo-nos diante de uma pintora que fala em voz alta, no mesmo nível do mundo que a rodeia, não mais no refúgio dos sonhos, mas colocando esse mesmo item, o inconsciente, a par com a realidade de cada dia. Chega ela assim a um realismo fantástico, numa trajetória tranquila, e a matéria procurada com empenho antes cede lugar às cores e às formas mais vastas. (...)".
Aracy Amaral
COARACY, Ismenia. Ismênia Coaracy. São Paulo: Galeria Atrium, 1969. 

"Como tantos artistas de sua geração, Ismênia começou sua carreira como pintora figurativista, tocada pelo Expressionismo, e como tal adepta de um desenho deliberadamente deformado e de um cromatismo marcado pela intensidade; passou, na década de 1960, à pintura abstrata de cunho informal; finalmente, num terceiro tempo de sua evolução, retornou gradativamente à figuração, carreando para a mesma elementos expressionistas, surrealistas e fantásticos, e se inserindo entre aqueles que sentiram a influência do chamado ´realismo mágico´".
José Roberto Teixeira Leite
LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

Exposições Individuais

1960 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte das Folhas
1962 - Belo Horizonte MG - Individual, no Museu de Arte de Belo Horizonte
1962 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte das Folhas
1963 - Campinas SP - Individual, na Galeria Aremar
1963 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte São Luiz
1964 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria de Arte do Ibeu
1965 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Atrium
1966 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Giro
1967 - Salvador BA - Individual, no MAM/BA - Solar do Unhão
1968 - São Paulo SP - Individual, na A Galeria
1969 - Roma (Itália) - Individual, na Galeria de Arte da Embaixada Brasileira
1969 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Atrium
1971 - Florianópolis SC - Individual, no Museu de Arte Moderna
1972 - Florianópolis SC - Individual, no Masc
1973 - Santos SP - Individual, na Galeria da União Cultural Brasil-Estados Unidos
1975 - Buenos Aires (Argentina) - Individual, no Museo de Arte Moderno de Buenos Aires
1975 - Washington D. C. (Estados Unidos) - Individual, no Brazilian-American Cultural Institute
1981 - Santos SP - Individual, na Galeria da União Cultural Brasil-Estados Unidos
1981 - São Paulo SP - Individual, no MAC/USP
1986 - Curitiba PR - Ismênia Coaracy: pinturas, na Casa Romário Martins
1986 - São Paulo SP - Individual, no Battery Point Escritório de Arte
1990 - Piracicaba SP - Individual, no Teatro Municipal de Piracicaba
2000 - São Paulo SP - 50 Anos de Pintura de Ismenia Coaracy, no Museu da Casa Brasileira

Exposições Coletivas

1954 - Santos SP - Salão de Arte da Prefeitura Municipal - menção honrosa
1954 - São Paulo SP - 19º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1957 - São Paulo SP - 21º Salão Paulista de Belas Artes
1957 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1958 - Rio de Janeiro RJ - 7º Salão Nacional de Arte Moderna,  no MAM/RJ
1958 - Rio de Janeiro RJ - Salão do Mar
1958 - São Paulo SP - 23º Salão Paulista de Belas Artes
1958 - São Paulo SP - 4ª Mostra do Grupo Guanabara
1958 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1959 - São Paulo SP - 5ª Mostra do Grupo Guanabara
1959 - São Paulo SP - 8º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - pequena medalha de prata
1960 - Rio de Janeiro RJ - 9º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ
1960 - São Bernardo do Campo SP - Salão de Arte Moderna - medalha de bronze
1960 - São Paulo SP - 9º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1960 - São Paulo SP - Contribuição da Mulher às Artes Plásticas no País, no MAM/SP 
1960 - São Paulo SP - Nelson Leirner, Ismênia Coaracy, Yara Tupynambá, Fernando Odriozola, na Galeria de Arte das Folhas
1961 - Rio de Janeiro RJ - 10º Salão Nacional de Arte Moderna
1961 - São Bernardo do Campo SP - Salão de Arte Moderna - menção honrosa e medalha de prata
1961 - São Paulo SP - 10º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1961 - São Paulo SP - Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas - 2º prêmio/pintura
1962 - Curitiba PR - Salão do Paraná, na Biblioteca Pública do Paraná
1962 - Rio de Janeiro RJ - 11º Salão Nacional de Arte Moderna
1962 - Santos SP - Mostra no jornal Tribuna de Santos - 1º prêmio
1962 - São Paulo SP - 11º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - grande medalha de prata
1962 - São Paulo SP - Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas - 2º prêmio/pintura
1963 - Belo Horizonte MG - Salão de Arte da Prefeitura Municipal - Prêmio Associação Comercial
1963 - Rio de Janeiro RJ - 12º Salão Nacional de Arte Moderna
1963 - São Paulo SP - 12º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - prêmio aquisição
1963 - São Paulo SP - 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1964 - Córdoba (Argentina) - 2ª Bienal de Córdoba
1964 - São Paulo SP - 13º Salão Paulista de Arte Moderna - medalha de ouro
1965 - Campinas SP - Salão de Arte Moderna - Prêmio Marcondes Filho
1965 - Curitiba PR - 22º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná
1965 - São Paulo SP - 8ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1966 - Salvador BA - 1ª Bienal Nacional de Artes Plásticas
1967 - Campinas SP - 3º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no Museu de Arte Contemporânea José Pancetti
1967 - Santos SP - Salão de Arte da Prefeitura Municipal - 1º prêmio
1967 - São Paulo SP - 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal - prêmio Itamarati de aquisição
1968 - Campinas SP - 4º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no Museu de Arte Contemporânea José Pancetti
1968 - Ouro Preto MG - 2º Salão de Ouro Preto - 1º prêmio
1968 - Rio de Janeiro RJ - 17º Salão Nacional de Arte Moderna,  no MAM/RJ
1968 - São Paulo SP - 17º Salão Paulista de Arte Moderna
1968/1969 - América Latina - Três Aspectos da Pintura Brasileira (itinerante)
1969 - Rio de Janeiro RJ - Salão da Bússola, no MAM/RJ
1969 - São Paulo SP - 10ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1969 - São Paulo SP - 1º Panorama de Arte Atual Brasileira no MAM/SP
1971 - Paris (França) - Salon d'Automne, nos Champs Elysées
1972 - São Paulo SP - Mostra de Arte Sesquicentenário da Independência e Brasil Plástica - 72, na Fundação Bienal
1973 - São Paulo SP - 5º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1973 - São Paulo SP - Expo-Projeção 73, no Espaço Grife
1973 - São Paulo SP - São Francisco de Assis, na Azulão Galeria
1975 - Campinas SP - Exposição de Foto Imagens, no Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas
1978 - Belo Horizonte MG - 10º Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte, no Museu de Arte da Pampulha
1978 - Penápolis SP - 3º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1978 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA 
1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas,  no MAM/RJ
1980 - São Paulo SP - Colagens, no Centro de Arte Shopping News
1982 - São Paulo SP - 2ª Mostra Coletiva de Colagem, no Paço das Artes
1982 - São Paulo SP - Ismenia Coaracy, Odetto Guersoni e Alice Brill, na Galeria Sesc Paulista
1992 - São Paulo SP - Grupo Guanabara: 1950-1959, no Renato Magalhães Gouvêa - Escritório de Arte
1998 - São Paulo SP - Anjos, na União Cultural Brasil-Estados Unidos
1999 - São Paulo SP - Os Caminhos da Colagem, no Espaço Cultura Inglesa Santana
1999 - São Paulo SP - Os Caminhos da Colagem, no Espaço Cultural Maria Antônia
1999 - São Paulo SP - Os Caminhos da Colagem, no Metrô Clínicas
1999 - São Paulo SP - Subterrâneos, na Cultura Inglesa
2000 - São Paulo SP - Os Dez Mandamentos, no Espaço Cultural Banespa-Paulista
2004 - São Paulo SP - Grupo Guanabara, no Masp. Galeria Prestes Maia

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Danilo Di Prete - Natureza
Natureza
Frans Krajcberg - Sem Título
Sem Título
Calasans Neto - Sem Título
Sem Título
Wega Nery - Sinfonia
Sinfonia