Escritoriodearte.com > Artistas > José Patrício Bezerra

José Patrício Bezerra

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

José Patrício Bezerra (Recife PE 1960)

Artista plástico.

José Patrício Bezerra Sobrinho frequentou curso livre da Escolinha de Arte de Pernambuco entre 1976 e 1980. Graduou-se em ciências sociais pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, em 1982. No ano seguinte realiza sua primeira exposição individual, na Oficina Guaianases de Gravura, em Olinda, Pernambuco, onde é diretor artístico entre 1986 e 1987. De 1994 a 1995, faz estágio no Atelier de Restauration d'Art Graphique, no Musée Carnavalet, em Paris, com bolsa financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq. Participa da 22ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1994. A partir de 1999 utiliza como elemento principal de suas obras peças de dominó agrupadas, com as quais produz mosaicos.

Comentário Crítico

Na primeira metade da década de 1990, José Patrício começa a produzir composições nas quais utiliza papel artesanal que ele mesmo fabrica. Esses papéis são organizados em módulos quadrados e sobre eles são colocados papéis úmidos que se acomodam e criam formas orgânicas. Assim o artista alia a ordem construtiva a resultados inesperados, obtendo vários resultados formais. Em seguida passa a utilizar objetos prontos, feitos em série, que são conhecidos por seu uso popular e que, deslocados de sua função original, são utilizados por seus aspectos formais. Patrício elabora uma série de trabalhos em que utiliza a cor preta, como as obras com pequenos bebês de plástico, colados em suportes diversos cobertos parcialmente com um preparado de cola e tinta.

Em 1999, começa a usar peças de dominó em suas obras. Assim como no jogo, esses trabalhos obedecem a regras, ao mesmo tempo em que contam com a casualidade. O artista determina essas regras previamente, combinando as peças com base em uma lógica matemática, dada por sua numeração. Essas combinações, de infinitas possibilidades, geram imagens imprevistas, configurando-se ao longo de sua montagem. Nas obras da série 112 Dominós, todas as peças são fixadas sobre madeira e são apresentadas na parede e algumas no chão. Os diversos resultados formais se aproximam das características da pintura. Como desdobramento desses trabalhos, Patrício apresenta, no convento de São Francisco, em João Pessoa, uma instalação incorporando o espaço como parte da obra. Para esse trabalho foram utilizados 180 módulos quadrados de 84 peças cada um, apenas colocados no chão sem fixá-los, num total de 15.120 peças. Essa estrutura é a base de inúmeras montagens da série Ars Combinatória, instalações realizadas entre 2000 e 2005.

Críticas

"Ao contrário do pintor, que recebe seu suporte pronto, para seu ofício, o mesmo acontecendo com sua tintas, o papeleiro José Patrício realiza a sua obra de forma integral, harmonizando seu trabalho desde o suporte artesanal até a imagem, que emerge equilibrada com o processo em curso. José Patrício é a revelação dos artistas pernambucanos atuais. Percebe-se que, embora sua obra seja contemporânea no idioma plástico, continua a tradição pernambucana de honrar o ofício escolhido, dominando o papel-suporte e o papel da imagem nesse contexto, criando uma escritura, própria em uma estrutura construtiva, realizando uma obra unificada e única, sem simulações, sem simulados".
Alberto Beuttenmuller
BEUTTENMULLER, Alberto. José Patrício, artesão, artista e papeleiro. Casa Vogue Brasil. Projeto Pernambuco: estética de resistência, São Paulo: Carta Editorial, 1991. Edição especial.

"Gravador de formação, José Patrício conserva o arsenal deste ofício no fabrico de papel reciclado. Percebe-se o que é prensa na formação dos módulos que compõem seus quadros e o que é gesto na mistura das pastas enquanto a obra está em processo. O gesto se interpenetra ao suporte, o autor produz integralmente o todo. A dimensão matricial está presente na forma azulejada (...). A atualidade artística de José Patrício pertence ao extremo despojamento formal, que articula suas intervenções às da 'arte povera'. A cor acontece como receptáculo de luminosidades perdidas".
Nelson Aguilar
A COR na arte brasileira. Texto de Nelson Aguilar. São Paulo: Paço das Artes, 1991

Exposições Individuais

1983 - Olinda PE - Individual, na Oficina Guaianases de Gravura
1986 - Recife PE - Individual, na Galeria Metropolitana Aloísio Magalhães
1986 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Espaço Alternativo/Funarte
1990 - Recife PE - Individual, na Passárgada Arte Contemporânea
1990 - São Paulo SP - Individual, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
1999 - João Pessoa PB - Jogos de Desarmar - Convento de São Francisco, no Centro Cultural de São Francisco
2000 - Recife PE - O Lugar Instável, no MAMAM
2001 - Rio de Janeiro RJ - Ars Combinatória, no Paço Imperial
2002 - São Paulo SP - José Patrício, no Paço das Artes
2002 - Rio de Janeiro RJ - Arte em Campo, no Centro Cultural da Justiça Federal
2002 - Recife PE - Cento e Doze Dominós, no Amparo60
2003 - Fortaleza CE - José Patrício, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
2003 - São Paulo SP - Cento e Doze Dominós, na Galeria Nara Roesler
2004 - Rio de Janeiro RJ - 112 Dominós, na Galeria Anna Maria Niemeyer
2004 - Rio de Janeiro RJ - José Patrício: pintura e objeto, na Galeria Anna Maria Niemeyer
2006 - Recife PE - Vuco-Vuco, na Galeria Mariana Moura

Exposições Coletivas

1977 - Recife PE - 30º Salão Oficial de Arte, no Museu do Estado de Pernambuco
1979 - Rio de Janeiro RJ - 1ª Bienal Brasileira de Arte Infanto-Juvenil, na Galeria Sérgio Milliet/Funarte
1981 - Recife PE - 34º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco
1983 - João Pessoa PB - Mostra Norte-Nordeste do 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funesc
1984 - Olinda PE - 5 Artistas de Pernambuco, no MAC/PE
1984 - Recife PE - Impressões, na Galeria Massangana da Fundação Joaquim Nabuco
1984 - São Paulo SP - Artistas de Pernambuco, no MAB/Faap
1985 - Olinda PE - 38º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Centro de Convenções de Pernambuco
1985 - Recife PE - 38º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco - prêmios aquisição e pernambucano mais promissor
1985 - Recife PE - Coletiva, na Galeria Arte Ofício
1985 - Recife PE - Gravadores Pernambucanos, no Museu do Estado de Pernambuco
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1985 - São Paulo SP - Artistas de Pernambuco, no MAB/Faap
1986 - Olinda PE - 9º Salão Nacional de Artes Plásticas-Nordeste, no Centro de Convenções de Pernambuco
1986 - Porto Alegre RS - Papel, Corpo e Matéria, na Galeria Delphus
1986 - Rio de Janeiro RJ - Papel, Corpo e Matéria, na EAV/Parque Lage
1987 - Olinda PE - 1º Carasparanambuco, no MAC/PE
1987 - Recife PE - 40º Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco, na Galeria Metropolitana Aloísio Magalhães - prêmio arte mural
1988 - Curitiba PR - 8º Grupo Guaianases, no Museu Municipal de Arte
1988 - Olinda PE - 41º Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco, no Centro de Convenções de Pernambuco
1988 - Olinda PE - Anos 70/Artes e Artistas, no MAC/PE
1988 - Recife PE - 2º Carasparanambuco, no Gabinete de Arte Brasileira
1988 - Recife PE - Escolinha de Arte do Recife - 35 Anos, no Museu do Estado de Pernambuco
1988 - Rio de Janeiro RJ - Exibição Especial Arte de Hoje, no MNBA
1989 - Recife PE - 3º Carasparanambuco, no Centro Cultural Adalgisa Falção
1989 - Rio de Janeiro RJ - 11º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte - prêmio aquisição
1989 - São Paulo SP - 1º Encontro de Papel Artesanal da América Latina, na Pinacoteca do Estado
1990 - Belo Horizonte MG - 2º Encontro de Papel Artesanal da América Latina, no Centro Cultural da UFMG
1990 - Geórgia (Estados Unidos) - Brasil Phase II, no Kennedy Fine Arts Center
1990 - Recife PE - Mancha - Fundação Joaquim Nabuco, na Galeria Vicente do Rego Monteiro
1990 - São Paulo SP - A Cor na Arte Brasileira, no Paço das Artes
1991 - Brasília DF - Prêmio Brasília de Artes Plásticas 1991/XII Salão Nacional de Artes Plásticas, no de Brasília
1991 - Recife PE - Pernambuco Estética de Resistência, na Galeria Artespaço
1992 - Marselha (França) - Rencontre des Deux Mondes, no Fort Saint Jean
1992 - Recife PE - 43º Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco - prêmio aquisição
1992 - Rio de Janeiro RJ - Prêmio Brasília de Artes Plásticas 1991/XII Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte. Centro de Artes
1992 - Rio de Janeiro RJ - Reciclo de Artes, na Funarte
1992 - São Paulo SP - Pernambuco Estética de Resistência, na Galeria Montesanti Roesler
1993 - Marselha (França) - Cinco Artistas da Associação Le Hors-là, na Les Arcenaux
1993 - Porto (Portugal) - Recife Porto na Arte: Cinco Artistas Pernambucanos, no Centro Unesco do Porto
1994 - Amarante (Portugal) - Projeto CumpliCIDADES, no Museu Amadeu Souza Cardoso
1994 - Cagnes-sur-Mer (França) - 26º Festival Internacional de la Peinture, no Chateau Musée de Cagnes-sur-Mer
1994 - São Paulo SP - 22ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1995 - Marselha (França) - José Patrício e Roró Sá, na Galerie Le Hors-là
1995 - Salvador BA - 2º MAM-Bahia de Artes Plásticas, no MAM/BA
1997 - Berlim (Alemanha) - Ausstellung der Dozenten, Quartier 206 - Friendrichstadtpassagen
1997 - Recife PE - Pernambuco Ver e Verso, no MAMAM
1998 - Berlim (Alemanha) - Sommerrakademie 1998 - Konigstadtterrassen
1998 - Fortaleza CE - Ceará e Pernambuco: dragões e leões, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
1998 - Recife PE - Ceará e Pernambuco: Dragões e Leões, na Fundação Joaquim Nabuco
1999 - Belo Horizonte MG - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. O Plano Ampliado, no Itaú Cultural
1999 - Fortaleza CE - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. Vertentes Contemporâneas, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
1999 - Recife PE - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. Vertentes Contemporâneas, na Galeria Vicente do Rego Monteiro
1999 - Salvador BA - 6º Salão da Bahia, no MAM/BA - prêmio aquisição
1999 - São Paulo SP - Nordestes, no Sesc Pompéia
1999 - São Paulo SP - Pacaembu: uma réplica planetária para a cidade/mundo de São Paulo, na Oficina Cultural Oswaldo de Andrade
2000 - Brasília DF - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. O Plano Ampliado, na Galeria Itaú Cultural
2000 - Curitiba PR - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. Vertentes Contemporâneas, no MAC/PR
2000 - Penápolis SP - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. O Plano Ampliado, nas Galeria Itaú Cultural
2000 - Salvador BA - 7º Salão da Bahia, no MAM/BA
2000 - São Paulo SP - Investigações: Rumos Visuais, no Itaú Cultural
2001 - Belém PA - Salão Arte Pará, no Museu do Estado do Pará
2001 - Porto Alegre RS - 3ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul
2001 - Recife PE - Políticas de la Diferencia: arte iberoamericano fin de siglo, no Centro de Convenções de Pernambuco
2001 - Rio de Janeiro RJ - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. Vertentes Contemporâneas, no MAM/RJ
2001 - Curitiba PR - 5ª Mostra de Escultura João Turin, na Casa João Turin
2001 - São Paulo SP - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2002 - Rio de Janeiro RJ - Arte em Campo, no Centro Cultural da Justiça Federal
2002 - São Paulo SP - Portão 2, na Galeria Nara Roesler
2003 - Curitiba PR - Heterodoxia: edição Curitiba, no Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
2003 - Goiânia GO - Heterodoxia: edição Goiânia, na UFGO/Faculdade de Artes Visuais
2003 - Havana (Cuba) - 8ª Bienal de Havana, no Centro de Arte Contemporáneo Wifredo Lam
2003 - João Pessoa PB - Heterodoxia: edição João Pessoa, na Galeria de Arte Archidy Picado
2003 - Madri (Espanha) - Arco/2003, no Parque Ferial Juan Carlos I
2003 - Recife PE - Salão da Bahia 1994 - 2002, na Fundação Joaquim Nabuco
2003 - Recife PE - Ver de Novo/Ver o Novo, no MAMAM
2003 - São Paulo SP - 28º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/SP
2003 - São Paulo SP - Arco 2003, na Galeria Nara Roesler
2003 - São Paulo SP - Heterodoxia: edição São Paulo, no Memorial da América Latina
2003 - São Paulo SP - José Patrício e Boi, na Galeria Nara Roesler
2004 - Høvikodden (Noruega) - Postcards from Cuba, na Henie Onstad kunstsenter
2004 - Rio de Janeiro RJ - 28º Panorama de Arte Brasileira, no Paço Imperial
2004 - Recife PE - Coleção Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães: doações 2001 - 2004, no MAMAM
2004 - Rio de Janeiro RJ - Tudo é Brasil, no Paço Imperial
2004 - São Paulo SP - Tudo é Brasil, no Itaú Cultural
2004 - Vitória ES - Heterodoxia: edição Vitória, na Casa Porto das Artes Plásticas
2005 - Paris (França) - Diversidade na Arte Contemporânea Brasileira, no Carreau du Temple 
2005 - Paris (França) - Territoires Transitoires, no Musée de la Porte Dorée 
2005 - São Paulo SP - Homo Ludens: do faz-de-conta à vertigem, no Itaú Cultural 
2005 - São Paulo SP - 29º Panorama da Arte Brasileira, no MAM/SP

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Samson Flexor - nº 6 Paysage
nº 6 Paysage
Di Cavalcanti - Carnaval
Carnaval
Alex Vallauri - Frango Assado sobre Coluna Grega
Frango Assado sobre Coluna Grega