Monthly Archive:: 28 de novembro de 2014

Exposição na Caixa Cultural – Farnese de Andrade

A CAIXA Cultural Brasília inaugura dia 25/11 terça-feira, às 19h, a exposição “Farnese de Andrade – Arqueologia Existencial”. Com curadoria de Marcus de Lontra Costa, a mostra apresenta um conjunto de obras pertencentes a coleções particulares e dos herdeiros do artista, mapeando sua produção ao longo dos anos 1970, 1980 e 1990. A exposição apresenta a linguagem

Salvador Dalí no Instituto Tomie Ohtake

Após cinco anos de negociação, finalmente está em São Paulo a exposição do surrealista Salvador Dalí (1904-1989). Exposta no Instituto Tomie Ohtakie, em Pinheiros, a mostra reúne trabalhos já apresentados no Rio de Janeiro, além de exclusividades trazidas da Fundação Gala-Salvador Dalí e do Museu Nacional Centro de Arte de Sofia, em Madrid, na Espanha,

Bicentenário da Morte de Aleijadinho

Nesta terça-feira, dia 18 de novembro de 2014, completaram-se 200 anos da morte do escultor Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, um dos mais importantes nomes da arte barroca brasileira. Enterrado em 1814 na Matriz Nossa Senhora da Conceição em Antônio Dias, bairro de Ouro Preto, o artista barroco marcou a história da arte no Brasil

Barroco

O movimento Barroco teve seu início na Itália, ao final do século XVI e início do século XVIII. O Barroco chegou ao continente americano, juntamente com os colonizadores europeus. Muitas das construções dos países da América são da arte barroca. A palavra ‘barroco’, de origem portuguesa, significa uma pedra preciosa imperfeita, com os seus formatos

Exposição Tomie Ohtake

Se aproximando de seus 101 anos, a artista Tomie Ohtake não para de produzir e de reinventar. Uma de suas últimas séries, batizada de ”pinturas cegas” pelo crítico Paulo Herkenhoff, será apresentada na Galeria Nara Roesler, no Rio de Janeiro. Uma nova forma de explorar a monocromia é o que se vê nas pinturas ainda

Modernismo

O modernismo foi um movimento artístico do século XX, voltado aos sentimentos do homem. Além da luz e da cor, era importante a leitura do sentimento, a leitura da emoção. O conhecimento das correntes de vanguarda e o desejo de concretizar uma arte moderna brasileira, valorizando o nacional e eliminando as imitações europeias, possibilitaram o