Escritoriodearte.com > Artistas > Paulo Sayeg

Paulo Sayeg

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Paulo Sayeg (São Paulo SP 1960)

Desenhista, pintor, programador visual.

Na adolescência, Paulo Eduardo Sayeg aprende litografia com seu tio, o pintor e ilustrador Alberto Garutti. Aos 21 anos, participa da primeira exposição coletiva e realiza a performance Lazarus, gravada em vídeo. Faz sua primeira exposição individual em 1982, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade, em São Paulo. Trabalha com publicidade, ilustração, desenho animado e programação visual. Recebe prêmio de melhor desenhista da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA, em 1987. Em 1995, começa a trabalhar como diretor de arte da Revista E, publicada mensalmente pelo Serviço Social do Comércio de São Paulo - Sesc/SP.

Comentário Crítico

Os trabalhos iniciais de Paulo Sayeg apresentam gestos enérgicos, porém obedientes à definição da figura em relação ao plano de fundo. O gestualismo de seu pincel respeita os limites da forma, e suas obras se mantêm predominantemente figurativas. As pinturas expostas em 1985 apresentam grande simplificação formal, e o artista emprega pinceladas livres e uma paleta de cores contrastantes e misturadas. Sua produção apresenta também forte erotismo.

Em Anjo, uma espécie de grafismo constrói a figura sobre um plano de fundo pintado em tintas diluídas. O mesmo procedimento é empregado em Lili (ambas expostas em 1988), obra que apresenta grande sensualidade. Já em outras pinturas do período, percebe-se a maior indefinição das figuras e uma tendência maior à abstração. Como nota o historiador da arte Tadeu Chiarelli, a partir do fim dos anos 1980 nota-se, em sua produção, a tendência à explosão de qualquer codificação formal. O artista parece abandonar os pontos de contato entre sua produção e a dos fauves, aproximando-se da produção dos action painters norte-americanos. Nesses trabalhos, já não se percebe com tanta nitidez a construção de um código decifrável. O olhar do espectador precisa percorrer manchas, texturas e pinceladas gestuais, para discernir o discurso que motiva cada trabalho. Durante a década de 1990, dedica-se também à gravura, retomando as questões recorrentes em sua produção.

Críticas

"(...) As exposições mais antigas de Sayeg não revelam, nele, a existência de um superdotado, cujos olhos e mãos dão a impressão de trabalharem por si mesmos. Revelam a batalha pelo domínio de uma linguagem expressiva que seja, ao mesmo tempo, eficaz e pessoal. E essa batalha vem ligada a uma necessidade catártica conscientemente assumida pelo próprio artista. Se Grassmann teve paixão pelo desenho, Sayeg tem, sem a menor sombra de dúvida, uma verdadeira obsessão. Daí o caráter compulsivo - sob diversos aspectos - de seu trabalho. Sayeg começou a desenhar e pintar aos oito anos e teve, ainda na adolescência, uma formação completa e artesanal em várias técnicas. ´Cheguei a ser um razoável pintor acadêmico´, ele assegura. Mais tarde trabalhou em todas as áreas onde pudesse exercitar sua vocação: publicidade, ilustração, desenho animado, cartazes, programação visual. Desde os quinze anos, executava também alguns desenhos rápidos, exorcistas, intrincados, relacionados com a informação visual que encontrava a seu redor e que incluía a escrita e os arabescos dos missais ortodoxo-mesquitas da família. Essa ancestralidade árabe se mantém ainda hoje, a meu ver, em alguns gestos e na superabundância que caracteriza a linguagem de Sayeg. (...)"
Olívio Tavares de Araújo
LOUZADA, Júlio. Artes plásticas: seu mercado, seus leilões. São Paulo: J. Louzada, 1984-.

Exposições Individuais

1982 - São Paulo SP - O Movimento, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade
1982 - Colônia (Alemanha) - Individual
1984 - São Paulo SP - Individual, na Pitanga do Amparo Arquitetura e Arte
1985 - São Paulo SP - Individual, na Pitanga do Amparo Arquitetura e Arte 
1985 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Paulo Prado
1987 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria de Arte Fernando da Paz
1987 - São Paulo SP - Individual, na Yutaka Sanematsu Escritório de Arte
1988 - São Paulo SP - Individual, no Centro Cultural Cásper Líbero
1988 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Paulo Figueiredo
1988 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Paulo Prado
1991 - Amsterdã (Holanda) - Individual, na Tmir Gallery
1993 - Louisville (Estados Unidos) - Individual, na Je Stallion International Gallery
1993 - São Paulo SP - Individual, no Espaço Cultural Aloísio Cravo
1997 - São Paulo SP - Individual, na Ruy Sant'Anna Galeria

Exposições Coletivas

1982 - São Paulo SP - O Animal Gestual, no Carbono 14
1984 - São Paulo SP - Caminho ao Vermelho, no CCSP
1984 - São Paulo SP - Exposição pelas Diretas, no CCSP
1984 - São Paulo SP - Pornografia e Repressão Sexual, na Galeria Art Brut
1985 - São Paulo SP - CHE, na Livraria Belas Artes
1985 - São Paulo SP - Coletiva, no Cine Metrópole
1986 - Brasília DF - Coletiva, na Galeria Oscar Seraphico
1986 - São Paulo SP - 1ª Seleção Helena Rubinstein de Arte Jovem, no Masp
1986 - São Paulo SP - Bandeiras, no Pavilhão da Bienal
1986 - São Paulo SP - Coletiva, na Harmonia Tenis Club
1986 - São Paulo SP - Coletiva, na Paineiras Morumbi Club
1986 - São Paulo SP - Futebol Arte do Brasil, no CCSP
1986 - São Paulo SP - Oswald de Andrade, no Café e Livraria Belas Artes
1987 - São Paulo SP - Angelo Milani, Carlos Brezeguello, Paulo Sayeg: pinturas e desenhos, no Paço das Artes
1987 - São Paulo SP - Pagú, na Livraria Belas Artes
1987 - São Paulo SP - Villa Lobos, no Hotel Maksoud Plaza
1988 - Pequim (China) - 1ª Exposição Brasil-China, na Galeria de Belas Artes da China
1988 - Rio de Janeiro RJ - Villa Lobos, no Festival Internacional de Música
1988 - Santiago do Chile (Chile) - Coletiva, na Galeria Bucci
1988 - São Paulo SP - 13º Macabíadas, na A Hebraica
1988 - São Paulo SP - 21ª Exibição de Arte Contemporânea, na Chapel Art Shown
1988 - São Paulo SP - Desenhos Eróticos, na Galeria Pitanga do Amparo Arquitetura e Arte
1988 - São Paulo SP - Expo Arte 88, no Espaço d'Arte-facto Galeria Pitanga do Amparo Arquitetura e Arte
1989 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria de Arte Mônica Filgueiras de Almeida
1990 - Londres (Inglaterra) - Coletiva, na Kings Wack Gallery
1991 - Brasília DF - Coletiva, na Oscar Seraphico Galeria de Arte
1991 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria Kramer
1991 - São Paulo SP - Homenagem aos 100 anos da Avenida Paulista, na Galeria Sesc Paulista
1991 - São Paulo SP - Registro Gráfico: litografias originais, na Kramer Galeria de Arte
1993 - Campinas SP - Fantasia, Prazer e Eroticidade, no Museu de Arte Contemporânea José Pancetti
1993 - Chicago (Estados Unidos) - Chicago International Art Exposition
1993 - São Paulo SP - 1º Salão Paulista de Aquarela da FASM, na Faculdade Santa Marcelina 
1993 - São Paulo SP - O Futebol, na Pinacoteca do Estado
1993 - São Paulo SP - Tempestade e Paixão, na Pinacoteca do Estado
1995 - Osasco SP - 2ª Mostra de Arte, na Fundação Instituto de Ensino para Osasco
1996 - Roma (Itália) - Coletiva, no Centro de Estudos Brasileiros
1998 - São Paulo SP - Impressões: a arte da gravura brasileira, no Espaço Cultural Banespa-Paulista
1998 - São Paulo SP - Nação, no Espaço Cultural Banespa-Paulista

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Yugo Mabe - Koe XI
Koe XI
Francisco Rebolo - Mulher Costurando
Mulher Costurando