Escritoriodearte.com > Artistas > José Alves Bezerra

José Alves Bezerra

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

José Alves Bezerra (Carolina MA 1939)

Pintor, desenhista e ilustrador.

Começa a pintar em 1964. A partir de 1957 e durante toda a década de 1960, trabalha como desenhista e ilustrador de diversas obras, entre as quais Introdução a Dante, do Padre Salvatore Viglio. Realiza a primeira exposição individual em 1974, em Belo Horizonte. A partir de 1972, começa a executar diversos retratos para personalidades brasileiras e internacionais, como o Rei de Oman, Madre Tereza de Calcutá, Antônio Bento e Roberto Campos. Possui obras em coleções públicas e particulares em diversos países, como Brasil, Estados Unidos e Canadá.

Críticas

"A técnica de J. Bezerra é limpa, de tonalidades suaves, com predominância de cores rebaixadas, o que aumenta a sensação de sonho e o efeito de seu conteúdo simbolista".
Flávio de Aquino
AQUINO, Flávio. [1985] In: BEZERRA, J. J. Bezerra : exposição de obras recentes. Rio de Janeiro : Galeria de Arte Borghese, 1991. il. p. b. color. , fot.

"J. Bezerra procura em sua visualidade um 'naturalismo fantástico'. Mais do que nunca, pelo aperfeiçoamento técnico da língua exigida, sua pintura reproduz intensamente a força do pensamento que a projeta, povoando de seres diáfanos e solenes, o universo do sonho. A realidade é assim uma referência simbólica e inatual, passando a valer por aquilo que Antônio Bento chamou de 'propriedades simbólicas que ele também atribui às cores' ".
Walmir Ayala
AYALA, Walmir. [1988]. In: BEZERRA, J. J. Bezerra : exposição de obras recentes. Rio de Janeiro : Galeria de Arte Borghese, 1991. il. p. b. color. , fot.

"J. Bezerra declara que faz invariavelmente uma narrativa em cada uma de suas obras. Esta narrativa evidentemente não é igual à da arte tradicional. Nem muito menos à da história em quadrinhos. Às vezes é hermética, pois os significados dos símbolos, mesmo os que se expressam através de figuras ou sinais, não são acessíveis a todos. (...) Quando deixou a publicidade, J. Bezerra fez trabalhos hiper-realistas. Não se satisfez com essa solução. Julgou que não lhe bastava a cópia da vida. (...) Voltou-se então para uma expressão mais fantástica e simbólica".
Antônio Bento
BENTO, Antônio. In: BEZERRA, J. J. Bezerra : exposição de obras recentes. Rio de Janeiro : Galeria de Arte Borghese, 1991. il. p. b. color. , fot.

Depoimentos

"Um quadro jamais deve ser visto apenas como uma superfície colorida; ele é sobretudo um caminho que nos conduz por regiões desconhecidas que ultrapassam o próprio quadro ampliando a nossa compreensão da realidade e conduzindo-nos para novas regiões da percepção. Em meu processo atual de trabalho, quando inicio um quadro, o primeiro estágio é totalmente espontâneo, quase inconsciente; por vezes o é totalmente, a partir do segundo estágio, porém, tudo é calculado com rigor. Isso acontece mesmo quando o quadro toma conta de mim, dizendo-me o rumo a seguir - o que se tornou também normal em meu trabalho. Minha pintura atual, antes de ser um trabalho artesanal representa acima de tudo uma grande aventura mental. Nesta aventura, procuro substituir o poder imperativo da lógica e do racional por um sentimento muito mais profundo, que resulta da emoção poética. Esse sentimento se situa num plano oposto ao da razão, mas, é nesse rumo, na obsessão de um avanço das aspirações humanas em que se apóiam as bases da minha arte".
J. Bezerra
BEZERRA, J. J. Bezerra : exposição de obras recentes. Rio de Janeiro : Galeria de Arte Borghese, 1991. il. p. b. color. , fot.

Exposições Individuais

1974 - Belo Horizonte MG - Individual, na Serrana Palace Hotel. Galeria
1977 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Casablanca
1978 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Casablanca
1979 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria Guignard
1979 - Recife PE - Individual, na Galeria Murilo Berardo
1979 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Casablanca
1979 - Salvador BA - Individual, na Kattya Galeria de Arte
1981 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte
1982 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte
1982 - Salvador BA - Individual, na Kattya Galeria de Arte
1985 - Rio de Janerio RJ - Individual, na Galeria Olivia Kann
1988 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria de Arte Borghese
1991 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria de Arte Borghese

Exposições Coletivas

1967 - Rio de Janeiro RJ - 1ª Exposição de Artes Visuais, no MAM/RJ
1977 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Maison de Artes
1977 - São Paulo SP - Exposição de Artes Visuais, no Masp
1979 - Recife PE - Coletiva, na Galeria Arte Maior
1980 - Hannover (Alemanha) - Brasilianische Kunst
1981 - Paris (França) - Peintres Brésiliens
1982 - Montreal (Canadá) - Semaine de L'Art Brésilien
1983 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Realidade
1983 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, no Clube Naval
1984 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Realidade
1991 - São Paulo SP - Chico e os Bichos, na Ranulpho Galeria de Arte

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Mário Gruber - O Homem de Macho Pichu
O Homem de Macho Pichu
Amilcar de Castro - Sem Título
Sem Título