Os Rumos da Escultura

6 de março de 2014

Lote 254
Deusas das Quatro Estações
133 x 36 x 27 cm (cada sem base) 144 x 50 x 50 cm (cada com base)
escultura em mármore
Lote composto por quatro esculturas.

A escultura é um ramo de expressão das artes plásticas onde, o artista ou escultor, cria representações da realidade humana em 3 dimensões: comprimento, largura e altura. Através de diferentes matérias que exigem diferentes técnicas de produção. A escolha do material pode variar entre os mais duráveis: mármore, granito, bronze, prata e o outro, ou os materiais de origem orgânica como ébano, jacarandá, materiais como marfim ou âmbar.

Na clássica representação do corpo humano, artistas como Michelangelo retratavam divindades, como o deus David, da forma mais natural possível, onde a escultura é constituída pela distribuição harmônica e natural do peso da figura representada em pé, com uma perna flexionada e a outra sendo a principal sustentação desse peso.

Antecedendo a “confusa” era moderna, Auguste Rodin quebrou com as regras Classicistas com uma escultura que mostrava a figura humana expressando tensão e emoções passageiras. Algumas vezes também usava superfícies com textura, o que aumentava o sentimento de vida e de movimento. Essa com certeza foi a grande influência de grandes artistas como Ernesto de Fiori que expressa tensas emoções em corpos femininos.

Lote 103
Ernesto de Fiori
Mulher em Pé
120 cm (alt.)
escultura em bronze
ass. na peça
1937

Com o início do século XX e a criação das vanguardas Européias, diversos artistas procuravam diferentes maneiras de dar forma ,através da escultura, aos problemas e sentimentos humanos. Sob essa influencia modernista o escultor Victor Brecheret criava formas mais rechonchudas para representar de forma sintática a corpo humano e suas diversas emoções.

Lote 225
Victor Brecheret
O Beijo
33 cm (alt. sem base)
escultura em bronze patinado
ass. na peça
déc. 20

A nova objetividade artística passou a ser a representação pura dos sentimentos, as formas pareciam incompletas e irreconhecíveis. Era o ser e o nada disputando sua existência no espaço. Stockinger foi o artista mais representativo desse movimentos.

Lote 106
Stockinger
Guerreiro com Lança e Escudo
30 cm (alt. sem lança) 38 cm (alt. com lança)
escultura em bronze
ass. na peça

Por vezes a escultura passou a representar a sua própria forma, que não tentava representar realisticamente nada do mundo visível. E assim nasceram obras de artista pós-modernos e contemporâneos como: Tomie Ohtake, Angelo Venosa, Amilcar de Castro, Sergio Camargo, Frans Krajcberg, Florian Raiss, Marcos Coelho Benjamim, Emanoel Araújo, Mario Agostinelli,  Yutaka Toyota e Paulo Aquarone. 

Lote 202
Marcos Coelho Benjamim
Sem Título
160 x 160 x 8,5 cm
Escultura em metal
ass. no verso
1999

 

Lote 47
Sergio Camargo
Sem Título
17,5 x 36 x 36 cm
escultura em mármore carrara
ass. na peça
1978/80

Lote 45
Angelo Venosa
Sem Título
183 x 125 x 24 cm
técnica mista
1986

Lote 46
Amilcar de Castro
Sem Título
240 x 5 cm (diâm. x esp.)
escultura de corte e dobra redonda em aço corten
ass. na peça
déc. 80

Lote 201
Mario Agostinelli
Sem Título
37 x 101 cm (sem a base) 46 x 101 cm (com a base)
escultura em bronze

Lote 105
Florian Raiss
Cabeça de Homem
70 cm (alt.)
escultura em bronze
ass. inferior
2002

Lote 44
Tomie Ohtake
Sem Título
300 x 100 cm
escultura em aço tubular monocromada com pintura automotiva
ass. na peça
1999

Lote 80
Frans Krajcberg
Sem Título
110 cm (alt. sem a base) 123 cm (alt. com a base)
escultura em madeira policromada
ass. na peça

Lote 250
Paulo Aquarone
ATO
57 x 200 x 20 cm (montagem ATO) 156 x 200 x 20 cm (montagem de boneco)
escultura em madeira e laminado decorativo de alta resistência
ass. na peça

Lote 154
Emanoel Araújo
Sem Título
165 x 110 x 19 cm
escultura em madeira
ass. no verso

Lote 249
Yutaka Toyota
Espaço – Harmonia
90 x 195 x 20 cm
aço inoxidável
ass. no verso
1971

 

 

 

Postado por: Blog Escritório de Arte