Yayoi Kusama

Yayoi Kusama

Obras disponíveis
Yayoi Kusama - Splendor of Love

Splendor of Love

tecido estofado, tinta e metal
2013
70 x 25 x 55 cm
assinatura na peça
Certificado de autenticidade Yayoi Kusama Studio.

Biografia

Yayoi Kusama (1929)

Artista plástica

Yayoi Kusama (1929) nasceu em Matsumoto, província rural do Japão, no berço de uma família conservadora que não aceitava a sua vocação para o mundo das artes. Seu trabalho é uma mistura de diversas artes, como colagens, pinturas, esculturas, arte performática e instalações ambientais, onde é visível uma característica que se tornou a marca da artista: a obsessão por pontos e bolas.

Desde menina, Kusama sabia que queria seguir a carreira artística. Quando tinha 10 anos começou a pintar as suas características bolinhas infinitas (os famosos polka dots), a princípio em aquarelas, pastéis e óleos.

Suas criações trabalham com influências do minimalismo, da pop art, do surrealismo e do expressionismo abstrato.

Atualmente, Yayoi Kusama é celebrada como uma das mais importantes artistas plásticas vivas e as suas exposições reúnem hordas de fãs ao redor do mundo.

Mudança para a América

Foi em 1957, aos 28 anos, que Yayoi decidiu se mudar para os Estados Unidos. Ela instalou-se em Nova Iorque a convite da pintora americana Georgia O’Keeffe. Em carta à pintora que tanto admirava, Yayoi confessou:

Estou apenas no primeiro passo de uma longa e difícil vida para me tornar uma pintora. Você gentilmente me mostraria o caminho? 

Acolhida pela pintora norte-americana, nos Estados Unidos participou de uma série de cenas da pop art. Expôs peças inovadoras que apresentavam jogos de espelhos e luz elétrica. 

Yayoi viveu a contracultura e participou de uma série de eventos polêmicos que envolviam participantes nus pintados com as suas características bolinhas coloridas.

A japonesa também foi ativista do movimento anti-guerra.

O retorno ao Japão

Em 1973, Yayoi decidiu voltar para o Japão. Nessa ocasião, para além das pinturas, performances e esculturas, começou também a escrever romances e poemas. 
Mesmo estando no Japão, continuou a expor as suas obras pelo mundo em exibições individuais e coletivas, especialmente na América e na Europa.

Obras

Suas obras são em geral baseadas em padrões que se repetem e ficaram marcadas pelos célebres pontinhos (as polka dots).

Sobre o processo de criação, em entrevista a artista afirmou:

Sou uma artista obsessiva. Considero-me uma herege do mundo da arte. Penso apenas em mim quando faço o meu trabalho.

A partir de 1994, Yayoi começou a criar esculturas ao ar livre.
Desde 2011, ela é colaboradora de estampa da Louis Vuitton a convite de Marc Jacobs. 

A doença psiquiátrica

Devido à doença mental que carrega desde a infância, Yayoi vive em um hospital psiquiátrico há mais de quarenta anos.

Em 1975, a artista resolveu viver voluntariamente em um hospital psiquiátrico em Tóquio. Atualmente, ela possui um ateliê perto do hospital onde vai trabalhar diariamente.

A minha arte tem origem em alucinações que só eu consigo ver. Traduzo as alucinações e imagens obsessivas em esculturas e pinturas. No entanto, crio obras mesmo quando não vejo alucinações (...) O meu trabalho é uma expressão da minha vida, particularmente da minha doença mental.

Vida Pessoal

Nunca se soube de qualquer relação amorosa de Yayoi Kusama. Solitária, a artista plástica japonesa parece ter concentrado toda a sua energia nas suas criações.

Videos

Documentário Kusama: Infinity

Em 2018, no festival de cinema independente de Sundance, nos Estados Unidos, foi lançado o documentário Kusama: Infinity, dirigido por Heather Lenz.

Esse é o segundo documentário biográfico sobre a vida de Yayoi, o primeiro deles foi lançado em 2008.

O filme intitulado Yayoi Kusama, I adore myself teve a sua divulgação mais restrita ao Japão.


Veja também
Antonio Bandeira - Paisagem Teresópolis
Paisagem Teresópolis
Fulvio Pennacchi - Os Camponeses
Os Camponeses
Ismael Nery - Figura Feminina
Figura Feminina