Escritoriodearte.com > Artistas > Louis Auguste Moreaux

Louis Auguste Moreaux

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Louis Auguste Moreaux (Rocroi, França 1818 - Rio de Janeiro RJ 1877)

Pintor.

Vem para o Brasil no fim da década de 1830, juntamente com seu irmão, também pintor, François René Moreaux (1807 - 1860). Permanecem por algum tempo no nordeste e sul do país e, em 1840, fixam residência no Rio de Janeiro. Louis Auguste pinta diversas telas inspiradas em suas viagens pelo Brasil, apresentadas nas Exposições Gerais de Belas Artes, e é premiado com medalha de ouro em 1841. Em 1843, é homenageado com o título de Primeiro Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa, pela composição Jesus Cristo e o Anjo. Colabora com Louis Buvelot (1814 - 1883), realizando desenhos em que enfoca aspectos do Rio de Janeiro, reunidos no álbum litográfico Rio de Janeiro Pitoresco, publicado em fascículos entre 1842 e 1845. Faz também retratos de importantes personalidades da época, como o de dom Pedro II (1825 - 1891) e de Alfredo d'Escragnolle Taunay, visconde de Taunay (1843 - 1899).

Comentário Crítico

Nascido na França, vem para o Brasil no final da década de 1830, juntamente com seu irmão, também pintor, François René Moreaux (1807 - 1860). Percorrem o Nordeste e o Sul do país e, em 1840, fixam-se no Rio de Janeiro. O artista realiza pinturas em que representa as regiões visitadas, revelando o interesse pela paisagem e pelos costumes do país, como em Negra Lavadeira do Rio (s.d.), Quatro Assuntos da Flora Brasileira (s.d.) e Gaúcho Tomando Mate (s.d.). Como nota o historiador da arte Quirino Campofiorito (1902 - 1993), Moreaux inova o cenário artístico da época por enfocar temas tidos como não usuais para a grande pintura. Para o crítico de arte Gonzaga Duque (1863 - 1911), em Rancho de Mineiros (s.d.) apresenta figurinhas admiráveis pela naturalidade e graça com que se destacam na cena noturna, iluminadas pelo clarão de uma fogueira. Durante a década de 1840, o artista colabora com Louis Buvelot (1814 - 1883), realizando desenhos em que enfoca aspectos do Rio de Janeiro, posteriormente reunidos no álbum litográfico Rio de Janeiro Pitoresco.

Moreaux pinta retratos de importantes personalidades da época, como o de dom Pedro II (1825 - 1891), de Saldanha Marinho (1816 - 1895) e de Alfredo d'Escragnolle Taunay, visconde de Taunay (1843 - 1899). Para Gonzaga Duque, as pinturas que realiza para o imperador, representando os personagens históricos Pedro Álvares Cabral, Afonso de Albuquerque e Vasco da Gama, foram executadas com singular sutileza e habilidade. Já o retrato da atriz Lagrange, para o crítico, ultrapassa todas as suas obras do gênero, tanto do ponto de vista do colorido como do desenho. Nele, "a tonalidade é fresca e terna, a difusão da luz é doce e como que lentamente espargida, as meias tintas e os reflexos foram jogados com um requinte inimitável. O braço esquerdo, nu, estendido no espaço, em linha horizontal, é de uma carnação perfeita, de um modelado escultural. Toda a figura é imponente, majestosa ".1

Notas
1 DUQUE, Gonzaga. A Arte brasileira. Campinas: Mercado de Letras, 1995. 270 p. (Arte: ensaios e documentos). p. 106.

Críticas

"Conquanto os irmãos Moreaux se inscrevam entre aqueles que demonstraram certa curiosidade pelo que a gente e a natureza da terra que os acolhia revelassem de original, não puderam afastar-se, no que produziam, do aspecto generalizante de que nossa arte se ressente, no século XIX, sob o influxo do ensino acadêmico francês transportado com seus elementos mais radicais".
Quirino Campofiorito
CAMPOFIORITO, Quirino. História da pintura brasileira no século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983.

Exposições Coletivas

1841 - Rio de Janeiro RJ - 2ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba - medalha de ouro
1842 - Rio de Janeiro RJ - 3ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1843 - Rio de Janeiro RJ - 4ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba - Cavaleiro da Ordem Imperial do Rosa 
1844 - Rio de Janeiro RJ - 5ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba 
1845 - Rio de Janeiro RJ - 6ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1846 - Rio de Janeiro RJ - 7ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1847 - Rio de Janeiro RJ - 8ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1848 - Rio de Janeiro RJ - 9ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba 
1849 - Rio de Janeiro RJ - 10ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1850 - Rio de Janeiro RJ - 11ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1860 - Rio de Janeiro RJ - 14ª Exposição Geral de Belas Artes, na Aiba
1866 - Rio de Janeiro RJ - 2ª Exposição Nacional, na Casa da Moeda

Exposições Póstumas

1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1990 - Rio de Janeiro RJ - Missão Artística Francesa e Pintores Viajantes: França - Brasil no século XIX, na Fundação Casa França-Brasil
1999 - Rio de Janeiro RJ - O Brasil Redescoberto, no Paço Imperial
2000 - São Paulo SP - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento. Arte do Século XIX, na Fundação Bienal
2000 - Rio de Janeiro RJ - Visões do Rio na Coleção Geyer, no CCBB

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Tomie Ohtake - Sem Título
Sem Título
Burle Marx - Sem Título
Sem Título
Amilcar de Castro - Sem Título
Sem Título