Glauco Pinto de Moraes

Glauco Pinto de Moraes

Obras de arte disponíveis

No momento não possuimos obras de Glauco Pinto de Moraes em nosso acervo.
Você possui uma obra deste artista e quer vender?
Clique aqui e envie sua obra para avaliação.

Biografia

Glauco Pinto de Moraes (Passo Fundo RS 1928 - São Paulo SP 1990)

Pintor, desenhista, gravador e advogado.

Inicia suas atividades artísticas no fim da década de 1940. Em paralelo, exerce a advocacia entre 1950 e 1968, em Porto Alegre, onde realiza sua primeira individual na Galeria Yázigi, em 1973. É premiado pela Associação Brasileira de Críticos de Arte - ABCA, pela melhor exposição de pintura, em 1977. No ano seguinte, recebe prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro. Moraes integra o Conselho de Arte e Cultura da Bienal Internacional de São Paulo e é fundador e conselheiro da Associação Profissional de Artistas Plásticos - Apap. Atua também como assessor especial de artes plásticas da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Em suas obras, explora o universo das engrenagens e do maquinário ferroviário.

Comentário Crítico

Glauco Pinto de Moraes retira o tema para suas composições do universo das engrenagens e do maquinário ferroviário. Para a realização de suas telas, o artista inicialmente parte da observação dos trens em pátios de manobras. Posteriormente começa a fotografar as máquinas. As imagens resultantes servem de modelo para suas pinturas.

Como nota o historiador da arte Teixeira Leite, durante a década de 1970, quando inicia os trabalhos com essa temática, a locomotiva torna-se gradualmente o assunto central, passando a ocupar todo o suporte da tela. Mais tarde, o artista enfoca com minúcia as diferentes partes dessas máquinas, representando intricados esquemas de válvulas e turbinas.

Em sua poética, Glauco Pinto de Moraes explora questões ligadas à forma, cor e textura, por meio da representação dos diferentes materiais que compõem as máquinas. Procura apresentar com realismo seus variados detalhes, como os parafusos sujos de graxa ou o vapor que o maquinário emite quando em funcionamento.

Críticas

"O hiper-realismo não se constitui em movimento organizado, no Brasil, embora, diferentemente da pop art, encontramos nele muito mais possibilidade de adequação a uma aproximação local de um novo realismo vigente em todos os grandes centros internacionais de criatividade. Quando Glauco Pinto de Moraes pinta uma locomotiva, com a crueza e espantosa poesia de um pôster, está autorizando um símbolo universal e aberto. Contornando a realidade como assunto e como mensagem, este pintor gaúcho alcança uma aproximação muito feliz do hiper-realismo, que poderíamos situar como inovação local do enfoque do real, este novo realismo que vem acontecendo já há algum tempo e que só agora ataca o terreno da fotografia, documentando com tanta frieza o túmulo do progresso e seus monumentos (...). A locomotiva como símbolo está certamente arraigada em sua memória de infância e juventude. Os interiores rio-grandenses foram muito transpassados por este meio de transporte tão banal e tão curtido de uma nostálgica poesia. (...)".
Walmir Ayala
BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 13. , 1975. Catálogo geral. Apresentação de Francisco Matarazzo Sobrinho. São Paulo: Fundação Bienal, 1975.

Exposições Individuais

1968 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Leopoldina
1972 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Studius
1974 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Guignard
1976 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte Ipanema
1976 - São Paulo SP - Individual, no Espaço Cultural da ARPA
1977 - São Paulo SP - Individual, no MAB/Faap - prêmio de melhor exposição de pintura do ano pela APCA e pela ABCA
1978 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Studius
1979 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria RG
1981 - São Paulo SP - Glauco Pinto de Moraes: pinturas recentes, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
1986 - Porto Alegre RS - Glauco Pinto de Moraes: pinturas, na Bolsa de Arte

Exposições Coletivas

1973 - New Orleans (Estados Unidos) - Pintores Brasileiros, na Galeria Salomé
1974 - Punta Del Este (Uruguai) - Mostra, na Galeria San Raphael
1974 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão de Verão, no MAM/RJ - prêmio aquisição
1974 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Arte Moderna
1974 - São Paulo SP - Bienal Nacional 74, na Fundação Bienal
1975 - Brasília DF - Arte Gaúcha/74, no IAB/RS 
1975 - São Paulo SP - 13ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1976 - Brasil - Arte Brasileira Contemporânea, Coleção Gilberto Chateaubriand - itinerante por várias capitais
1976 - São Paulo SP - 8º Panorama de Arte Atual Brasileira, no no MAM/SP
1976 - São Paulo SP - Exposição Brasil-Japão
1976 - Tóquio (Japão) - Exposição Brasil-Japão
1977 - São Paulo SP - Dois Hiper-realistas: João Calixto e Glauco Pinto de Moraes, no MAB/Faap
1977 - São Paulo SP - 9º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1978 - Bruxelas (Bélgica) - Créativité dans l'Art Bresilien Contemporain, nos Musées Royaux des Beaux-Arts de Belgique
1978 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Mnba - prêmio de viagem ao exterior
1978 - São Paulo SP - 1ª Bienal Latino-Americana
1978 - Washington (Estados Unidos) - 5 Pintores Gaúchos
1979 - São Paulo SP - 11º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1979 - São Paulo SP - 15ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1980 - Belo Horizonte MG - Destaque Hilton de Pintura, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1980 - Brasília DF - Destaque Hilton de Pintura, na Fundação Cultural do Distrito Federal
1980 - Curitiba PR - Destaque Hilton de Pintura, no Teatro Guaíra 
1980 - Porto Alegre RS - Destaque Hilton de Pintura, no Margs
1980 - Rio de Janeiro RJ - Destaque Hilton de Pintura, no MAM/RJ
1980 - São Paulo SP - 12º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1981 - Bogotá (Colômbia) - 10 Artistas Brasileños, no Museo de Arte Moderno de Bogotá
1981 - São Paulo SP - 6ª Arte no Centro Campestre, no Centro Campestre Sesc Brasílio Machado Neto
1982 - Lisboa (Portugal) - Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
1982 - Londres (Inglaterra) - Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Barbican Art Gallery
1983 - Curitiba PR - 5ª Mostra do Desenho Brasileiro, no Teatro Guaíra 
1983 - Porto Alegre RS - Do Passado ao Presente: as artes plásticas no Rio Grande do Sul, no Cambona Centro de Artes
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 - São Paulo SP - 14º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1983 - São Paulo SP - Projeto Releitura, na Pinacoteca do Estado
1984 - Europa - A Cor e Desenho do Brasil - exposição Itinerante
1984 - América Latina - A Cor e Desenho do Brasil - exposição Itinerante
1984 - São Paulo SP - A Cor e o Desenho do Brasil, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 - São Paulo SP - 18ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1985 - São Paulo SP - 7 Pintores da Arte Contemporânea Brasileira, na Galeria de Arte Portal
1985 - São Paulo SP - Destaques de Arte Brasileira, no MAM/SP
1986 - Havana (Cuba) - 2ª Bienal de Havana 
1986 - São Paulo SP - 17º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1987 - São Paulo SP - O Ofício da Arte: pintura, no Sesc
1988 - Novo Hamburgo RS - Carlos Scliar, Glauco Pinto de Moraes e Glauco Rodrigues, na Galeria Contemporânea 
1988 - Pequim (China) - 1ª Exposição Brasil-China, na Galeria de Belas Artes da China
1988 - São Paulo SP - Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Sesc Pompéia
1988 - São Paulo SP - Juréia, na Sadalla Galeria de Arte
1989 - Campos do Jordão SP - Capela de São Pedro: apóstolo, no Palácio da Boa Vista
1989 - Copenhague (Dinamarca) - Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Museu Charlottenborg
1989 - Porto Alegre RS - Arte Sul 89, no Margs
1989 - São Paulo SP - 20º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP

Exposições Póstumas

1992 - São Paulo SP - Anos 60/70 Coleção Gilberto Chateaubriand do MAM/RJ, na Galeria de Arte do Sesi
1994 - São Paulo SP - Exposições pelas Estações de Metrô, Ana Rosa/Brigadeiro/Trianon - Masp/Consolação
1998 - Passo Fundo RS - A Obra e o Artista, no Museu de Artes Visuais Ruth Schneider
1998 - São Paulo SP - O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ, no Masp
2001 - São Paulo SP - Museu de Arte Brasileira: 40 anos, no MAB/Faap

Fonte: Itaú Cultural