Escritoriodearte.com > Artistas > Vicente Rosa Abreu

Vicente Rosa Abreu

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Vicente Rosa Abreu (Belo Horizonte MG 1926 - idem 1987)

Pintor, aquarelista, desenhista, ilustrador e cenógrafo.

Estuda pintura entre 1948 e 1956, com Alberto da Veiga Guignard, Franz Weissmann, Sansão Castelo Branco e Misael Pedrosa, no Instituto de Belas Artes de Belo Horizonte (atual Escola Guignard). Estuda em São Paulo, em 1952, com Renina Katz, no ateliê de litografia do Masp. Interessa-se pelo barroco mineiro, estagiando em Ouro Preto, Sabará, Congonhas e São João del Rey. A seguir inicia pesquisa sobre o abstracionismo, sendo um dos primeiros a introduzir o movimento no Estado de Minas Gerais. Viaja à Bahia, a Pernambuco e ao Maranhão, por cidades que o inspiram a pintar paisagens do Nordeste, mas a figura humana é o tema de que mais se ocupa. Entre 1955 e 1957, viaja ao Rio de Janeiro e cria cenários para o balé de Klauss Vianna e para a coreógrafa soviética Nina Wershnina. Leciona desenho, expressão gráfica e composição na Escola Guignard, entre 1957 e 1959. Realiza em 1962 uma ilustração para o livreto de Aldo Sagaz sobre a reforma agrária, fato que provoca sua prisão e a de Aldo. Faz ilustrações para o Diário de Minas, O Diário, Correio do Dia, além de ilustrações para poesia de Carlos Drummond de Andrade (1902 - 1987) e Augusto Frederico Schmith no Estado de Minas. Por volta de 1966, devido a perseguições políticas, vai morar no Chile, onde se torna diretor de arte da Editora Quimantú. Lá projeta graficamente a revista Hechos Mundiales com circulação em vários países da América Latina, México e Espanha. Viaja ao Peru, permanece durante sete anos, retornando ao Brasil em 1978. Troca os óleos pela aquarela, e é reconhecido pela crítica como um aquarelista criativo e inovador.

Críticas 

"As aquarelas de Vicente Abreu representam uma verdadeira renovação em matéria de pintura de aquarela. Como todo artista de talento, Vicente não expressa formas já feitas, mas inventa novas formas, graças à sua vigorosa capacidade criativa. Essa é a razão pela qual chamamos seus trabalhos de neo-aquarelismo. Seus quadros desfazem a opinião que consideram, erroneamente, a aquarela a 'irmã anêmica' da pintura, que seria desprovida de infusão imaginativa. Ao contrário disso, Vicente emprega uma intensa expressão cromática sem afetar a transparência e a leveza que caracterizam a aquarela, impregnando-a de tons emocionais e inebriantes... O tema predominante em seus quadros é a figura humana em suas diversas atuações vivenciais".
Isaías Golgher
GOLGHER, Isaías. "Uma renovação na arte da aquarela". In: Estado de Minas, Belo Horizonte, 4 dez. 1985.

Depoimentos 

"Há bastante tempo me dedico à aquarela e atualmente de forma mais integral, o que provavelmente terá uma duração até o limite em que a etapa atual se esgote. Até o momento, nela tenho encontrado um precioso veículo para a realização de meu trabalho, qual seja uma técnica que por sua infinita expressividade conduza as manifestações de minha mente, atendendo a opção por uma linguagem rápida e imediata, objetiva e simples como a sonoridade de um pequeno conjunto instrumental. Os volumes, manchas e cores se expandem como metáforas de um poema visual, fundindo as cores com suavidade ou em ritmo cortado, nas passagens dos tons quando se trabalha sobre papel seco. A força explosiva que essa técnica pode também oferecer resulta de sua elaboração quase silenciosa pela natureza de seus materiais e suporte, que não exigem grandes espaços, não pretendendo conduzir o espectador a impactos imediatos. A aquarela exige para a sua boa qualidade decisões definitivas na sua elaboração, jamais permitindo correções ou inibições. As características e qualidade do papel são da maior importância em relação a maior ou menor poder de absorção da água ou umidade, questão fundamental para atingir um bom resultado final".
Vicente Abreu
ABREU, Vicente. In: Estado de Minas, Belo Horizonte, 4 dez. 1985.

Exposições Individuais

1959 - Belo Horizonte MG - Individual, no ICBEU
1960 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Ibeu Copacabana
1960 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Jena Gillon
1961 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Jena Gillon
1969 - Santiago (Chile) - Individual, na Galeria Casa de La Luna
1985 - Belo Horizonte MG - Individual, na Itaugaleria
1986 - Belo Horizonte MG - Individual, na Itaugaleria
1987 - Belo Horizonte MG - Vicente Abreu: retrospectiva, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes

Exposições Coletivas

1952 - Belo Horizonte MG - Salão de Artes Plásticas da Organização dos Estudantes de Artes - medalha de ouro
1954 - Belo Horizonte MG - 9º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte - 1º prêmio/desenho
1954 - Belo Horizonte MG - Salão Universitário - medalha de ouro e medalha de prata
1954 - São Paulo SP - 2º Salão Nacional Paulista
1954 - Varsóvia (Polônia) - Mostra de Arte Brasileira
1955 - Belo Horizonte MG - 10º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte, no MAP - prêmio em pintura
1956 - Belo Horizonte MG - 11º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte - 1º prêmio em escultura
1960 - Belo Horizonte MG - 15º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte, no MAP - 1º prêmio em pintura
1960 - Belo Horizonte MG - Coletiva, no MAM/MG - 1º prêmio em pintura
1962 - Curitiba PR - Salão do Paraná, na Biblioteca Pública do Paraná
1963 - Rio de Janeiro RJ - Artistas Mineiros, na Secretaria de Turismo
1963 - Rio de Janeiro RJ - Mineiros Contemporâneos, no Hotel Copacabana Palace
1964 - São Paulo SP - Mineiros Contemporâneos, na Galeria Atrium
1966 - Viña del Mar (Chile) - Artistas Latino-Americanos, na Galeria Inês Solimano
1968 - Viña del Mar (Chile) - Artistas Latino-Americanos, na Galeria Inês Solimano
1970 - Viña del Mar (Chile) - Artistas Latino-Americanos, na Galeria Inês Solimano
1977 - Belo Horizonte MG - 9º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP
1979 - Belo Horizonte MG - Desenho Mineiro, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1981 - Belo Horizonte MG - Alunos de Guignard, na Iatugaleria
1982 - Belo Horizonte MG - 2º Salão do Futebol, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes - prêmio em pintura
1986 - Belo Horizonte MG - Aquarelistas Brasileiros, no Cemig Espaço Cultural Galeria de Arte

Exposições Póstumas

1987 - Belo Horizonte MG - Retrospectiva Vicente Abreu, no Palácio das Artes
1989 - Belo Horizonte MG - Individual, no BDMG Cultural
1991 - Ouro Preto MG - Vicente Abreu: desenhos e pinturas, no Museu da Inconfidência
1994 - Belo Horizonte MG - Guignard: 50 anos de uma escola de arte, na Vidyã Galeria de Arte
1996 - Belo Horizonte MG - Consolidação da Modernidade em Belo Horizonte, no MAP

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Aldo Bonadei - Natureza Morta
Natureza Morta
Alfredo Volpi - Bandeirinhas e Mastros
Bandeirinhas e Mastros
Sonya Grassmann - Figura Feminina
Figura Feminina