Escritoriodearte.com > Artistas > Torquato Bassi

Torquato Bassi

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Torquato Bassi (Ferrara, Itália 1880 - São Paulo SP 1967)

Pintor, escultor e decorador.

Sua família muda-se para o Brasil em 1893. Estuda pintura no Liceu de Artes e Ofícios, na cidade de São Paulo, com o pintor ítalo-brasileiro Aladino Divani (1878-1928). Realiza sua primeira individual em 1907, na Casa Bevilacqua, em São Paulo. No ano seguinte, é premiado com a medalha de ouro na Exposição Geral de Belas Arte (AGBA), no Rio de Janeiro. Organiza a 1ª Exposição Brasileira de Belas-Artes, no Liceu de Artes e Ofícios em 1911, expondo 14 paisagens. Em 1913, muda-se para França, onde estuda na Académie Julian com o pintor francês Jean-Paul Laurens (1838-1921) e frequenta o ateliê de Henri-Joseph Harpignies (1819 - 1916). Sustenta-se pintando cenários. Um ano e meio depois, retorna ao Brasil, viaja pelo Sul e Nordeste do país expondo seus trabalhos e continua suas atividades como incentivador cultural. Cria o Grupo Almeida Junior com o objetivo de dinamizar e unir o meio artístico e promove duas exposições: a primeira no Teatro Municipal, em 1928, e a segunda no Palácio das Arcadas, em 1929, ambas em São Paulo. É um dos fundadores da Associação Paulista de Belas-Artes, em 1942, e do Prêmio Alvares Penteado, em 1960. Nas décadas de 1930 e 1940 expõe várias vezes no Sindicato de Artistas Plásticos, apesar de este congregar preferencialmente os artistas da ala moderna. Em 1956, recebe a medalha de honra oferecida pelos artistas da Associação Paulista de Belas-Artes, e, em 1961, é agraciado com o título de Cidadão Paulistano.

Comentário Crítico

Torquato Bassi trabalha no fim do século XIX e início do século XX, sendo um dos pintores paulistas precursores do modernismo. Dedica-se à pintura de paisagens e de naturezas-mortas. Raras vezes se interessa pela figura humana e quando elas aparecem, estão integradas ao meio natural e têm pequenas dimensões. Há nesse período uma tensão entre a tradição da pintura européia e a busca por uma pintura nacional, com inspiração em paisagens, cores e temas brasileiros. Torquato Bassi situa-se entre a corrente representada por Pedro Américo (1843-1905), de caráter europeu, e o nacionalismo regionalista de Almeida Junior (1850-1899). Segundo a pesquisadora Ruth Sprung Tarasantchi, Torquato Bassi pertence ao grupo de artistas que tem a luz como principal tema. Junto com ele estão os pintores Valle Júnior (1889-1958), Campos Ayres (1881-1944) e Mugnaini (1895-1975), entre outros. Pela harmonia das cores e tons de suas pinturas, Bassi fica conhecido como "o poeta do anoitecer", pois capta o céu avermelhado do poente e o trata com pinceladas grossas e volumosas, raramente utilizando cores puras. Mistura-as com o branco, o que lhes confere um tom "acinzentado, leitoso e consequentemente poético"¹. Torquato é também conhecido pela sua atuação como agitador cultural, participando da organização de exposições, associações e do conhecido Grupo Almeida Junior.

Notas

¹ TARASANTCHI, Ruth Sprung. Pintores paisagistas: São Paulo. 1890 a 1920. São Paulo: Edusp: Imprensa Oficial, 2002, p. 219.

Críticas

"Nas paisagens de Bassi não temos nada contornado. Assim, troncos e árvores, massas verdes, céu, água, tudo se funde. Quando pinta o anoitecer, o céu avermelhado reflete-se tratado com umas pinceladas grossas, com muita massa. A melancolia que emana de seus trabalhos é devida às cores que usa, que raramente são puras. O pintor misturava-as com muitas outras, às vezes usando o branco, o que lhes conferia um tom acinzentado, leitoso e consequentemente poético. Como o artista não costumava colocar verniz em seus quadros, a falta de brilho também contribuía para estes efeitos. Esta é uma característica bem dele que faz com que logo percebamos ser trabalho seu".
Ruth Sprung Tarasantchi
TORQUATO Bassi. Apresentação de Ruth Sprung Tarasantchi. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1988.

Exposições Individuais

1907 - São Paulo SP - Individual, na Casa Bevilácqua
1913 - Campinas SP - Individual, no Salão Nobre do Centro de Ciências
1922 - Recife PE - Individual
1941 - Curitiba PR - Individual

Exposições Coletivas

1906 - Rio de Janeiro RJ - 13ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1908 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - medalha de ouro
1911 - São Paulo SP - Primeira Exposição Brasileira de Belas Artes, no Liceu de Artes e Ofícios
1912 - São Paulo SP - Segunda Exposição Brasileira de Belas Artes, no Liceu de Artes e Ofícios
1916 - Rio de Janeiro RJ - 23ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1918 - São Paulo SP - Expõe com Oscar Pereira da Silva, no São Paulo Club
1919 - Pelotas RS - Coletiva
1919 - Porto Alegre RS - Coletiva
1920 - São Paulo SP - Mostra, na Sede do Circolo Italiano
1928 - São Paulo SP - Coletiva Muse Italiche, no Palácio das Indústrias
1928 - São Paulo SP - Grupo Almeida Júnior, no Palácio das Arcadas
1929 - São Paulo SP - Grupo Almeida Júnior, no Teatro Municipal
1934 - Santos SP - 1ª Feira de Amostras - medalha de ouro
1934 - São Paulo SP - 1º Salão Paulista de Belas Artes, na Rua 11 de Agosto
1935 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - grande medalha de ouro
1935 - São Paulo SP - 2º Salão Paulista de Belas Artes
1935 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Belas Artes
1936 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Belas Artes
1937 - São Paulo SP - Grupo Almeida Júnior, no Palácio das Arcadas
1937 - São Paulo SP - 5º Salão Paulista de Belas Artes
1938 - São Paulo SP - Salão Paulista de Belas Artes - pequena medalha de prata
1939 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - medalha de prata
1939 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Belas Artes - Prêmio Prefeitura de São Paulo
1940 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Belas Artes, no Salão de Arte Almeida Júnior da Prefeitura Municipal
1941 - São Paulo SP - Salão Paulista de Belas Artes - grande medalha de prata
1942 - São Paulo SP - 7º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos, na Galeria Prestes Maia
1942 - São Paulo SP - 8º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1943 - São Paulo SP - 9º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1944 - São Paulo SP - 9º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos, na Galeria Prestes Maia
1945 - São Paulo SP - 11º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1946 - São Paulo SP - 12º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1947 - São Paulo SP - 13º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1948 - São Paulo SP - 14º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1949 - São Paulo SP - 15º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia

Exposições Póstumas

1982 - São Paulo SP - Marinhas e Ribeirinhas, no Museu Lasar Segall
1982 - São Paulo SP - Pintores Italianos no Brasil, no MAM/SP
1986 - São Paulo SP - Dezenovevinte: uma virada no século, na Pinacoteca do Estado
1988 - São Paulo SP - Brasiliana: o homem e a terra, na Pinacoteca do Estado
1988 - São Paulo SP - Retrospectiva, no Centro Cultural São Paulo
1993 - São Paulo SP - O Olhar Italiano sobre São Paulo, na Pinacoteca do Estado
1996 - Osasco SP - 4ª Mostra de Arte, na Fundação Instituto de Ensino para Osasco, FIEO
1998 - Rio de Janeiro RJ - Marinhas em Grandes Coleções Paulistas, no Museu Naval e Oceanográfico
1998 - São Paulo SP - Iconografia Paulistana em Coleções Particulares, no Museu da Casa Brasileira
1998 - São Paulo SP - Marinhas em Grandes Coleções Paulistas, na Sociarte

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Candido Portinari - Purgatório
Purgatório