Escritoriodearte.com > Artistas > Tiziana Bonazzola Barata

Tiziana Bonazzola Barata

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Tiziana Bonazzola Barata (Varese, Itália 1921 - Rio de Janeiro RJ 2011)

Pintora, desenhista, gravadora e professora.

Estuda na Academia de Brera, em Milão, e na Academia de Florença, ambas na Itália, por volta de 1940. Casa-se em 1948 com o crítico de arte Mário Barata. Em 1949 muda-se para o Brasil, fixando residência no Rio de Janeiro. Expõe individualmente pela primeira vez no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1949. Leciona desenho e pintura na Escola Pró-Arte, em Teresópolis, Rio de Janeiro, e na Escolinha de Arte do Brasil, no Rio de Janeiro.

Críticas

"Tiziana vem de uma formação cultural onde a prática de repensar as coisas remonta a muitos séculos. Os trabalhos de sua última fase italiana, datados de 1948, têm a clara preocupação de decompor os objetos através da geometria para descobrir-lhes a natureza interior. Já em suas primeiras pinturas produzidas no Brasil, no início da década de 50, o espaço interior é mais solto, assume a artista uma certa horizontalidade, abrindo geralmente na parte superior dos trabalhos como que janelas por onde entra o ar do mundo exterior. Não foi portanto apenas a temática que mudou, mas a própria maneira de ver as coisas. E a natureza passa a ser uma das principais preocupações, até hoje. Quando Tiziana fala de suas ´coincidências´ de composição, de divisão dos espaços e da estrutura dos quadros, está apenas constatando que, em arte, os caminhos de cada um, individualmente, são percorridos muitas vezes e que a progressão de uma obra se faz pela assimilação a esses caminhos dos diversos acidentes que lhes vão enriquecendo a trajetória. De fato, nas paisagens e marinhas atuais encontramos o esquema básico das telas anteriores, os mesmos processos plásticos de divisão e decomposição do espaço, mas agora enriquecidos de muitos anos de prática silenciosa e de um constante treinamento do olhar. A tendência da artista já era analítica desde o início, mas agora ela atinge o que se poderia chamar de uma maturidade dessa tendência, de um enriquecimento que é resultante da constância, em repensar o mundo".
Francisco Bittencourt
BONAZZOLA, Tiziana. Pintura com seqüência : Tiziana Bonazzola. São Paulo : Galeria Arte Global, 1978. il. p&b. color., fot.

"Tiziana Bonazzola vinha muito preparada, depois de participar do movimento de renovação da pintura que em seu país enfrentava os cânones estéticos do novecentismo. Colocada entre o Expressionismo e o Abstracionismo (...), ao chegar já assumia conteúdos do Realismo Social, ordenados por despojados princípios construtivos. Passada essa fase, Bonazzola retomaria representações da natureza, que haviam sido constantes em seus primeiros contatos no Brasil, inserindo-lhes, na ossatura geométrica, antes estática, um fluxo forte de movimento rítmico".
Walter Zanini
ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. Pesquisa Cacilda Teixeira da Costa, Marília Saboya de Albuquerque; projeto gráfico Silvia Filgueiras Steinberg; produção gráfica Delfim Fujiwara; arte-finalização Guilherme Sarmento, Rui Pitombo; apresentação Walther Moreira Salles. São Paulo : Instituto Walther Moreira Salles : Fundação Djalma Guimarães, 1983. 490 p. il. color.

"As soluções que a artista buscou na década de 70, quando afirmava: 'Procuro/planos de cor/e traços de cor/sublinho/dados que afetam/nossos olhos/sonho/criação e realidade/percorrendo/os caminhos árduos/de soluções vitais', desembocaram em um mar silencioso, o grito líquido transformado em silêncio imperioso, diluído no horizonte e poucos homens inescrutáveis nas mágicas e bem coordenadas pinceladas de suas telas de 1980. e agora brotam as flores. Finas orquídeas, frágeis bromélias, simples gerânios, não importando a forma, não importando a flor, que unidas às crianças nos enchem, de ternura e horror ante tão belo trabalho. A artista traça na suavidade, uma vez mais, a força de seu talento".
Cláudio de La Rocque Leal
BONAZZOLA, Tiziana. Tiziana Bonazzola. Belém : Museu de Arte de Belém, 1995.

Exposições Individuais

1949 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MAM/RJ
1950 - Salvador BA - Individual, no Bar Anjo Azul
1951 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Enba
1953 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MEC
1953 - São Paulo SP - Tiziana Bonazzola: pinturas, no MAM/SP
1956 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Petite Galerie
1957 - Recife PE - Individual, no Teatro Santa Isabel
1963 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Ibeu Copacabana
1964 - Lima (Peru) - Individual, no Centro Cultural Peru-Brasil
1964 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Piccola Galleria
1972 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Centro Cultural Lume
1974 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Atelier
1976 - Roma (Itália) - Individual, na Galleria d'Arte della Casa do Brasil
1977 - Rio de Janeiro RJ - Pintura e Escultura, no MIS/RJ
1978 - São Paulo SP - Pintura com Sequência, na Galeria Arte Global
1979 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1979 - Varese (Itália) - Individual, na Varese Incontri Galeria
1981 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria de Arte Banerj
1985 - Rio de Janeiro RJ - Tiziana Bonazzola: pinturas, na Galeria de Artes Cimeira
1990 - Rio de Janeiro RJ - Tiziana Bonazzola: retrospectiva, no MNBA
1995 - Belém PA - Tiziana Bonazzola: aquarelas, no Museu de Arte de Belém
1997 - Rio de Janeiro RJ - Tiziana Bonazzola: aquarelas, na Galeria de Arte Sesc Tijuca
2001 - Rio de Janeiro RJ - Tiziana Banazzola: aquarelas, no MNBA

Exposições Coletivas

1945 - Varese (Itália) - Mostra Pro Solidarietá Nazionale
1946 - Rio de Janeiro RJ - Os Pintores vão à Escola do Povo, na Enba
1950 - Paris (França) - Salão de Maio
1950 - Rio de Janeiro RJ - 56° Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA - medalha de bronze
1951 - São Paulo SP - 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon
1952 - Rio de Janeiro RJ - 1° Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ
1952 - Rio de Janeiro RJ - Exposição de Artistas Brasileiros, no MAM/RJ
1952 - Rio de Janeiro RJ - Salão SAPS
1953 - Rio de Janeiro RJ - 2° Salão Nacional de Arte Moderna, no MNBA
1953 - São Paulo - 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão dos Estados
1954 - Goiânia GO - Exposição do Congresso Nacional de Intelectuais
1954 - Rio de Janeiro RJ - Salão Preto e Branco, no Palácio da Cultura
1955 - Rio de Janeiro RJ - 4° Salão Nacional de Arte Moderna
1955 - São Paulo SP - 4° Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - pequena medalha de prata
1956 - Rio de Janeiro RJ - 1° Salão Ferroviário, no MEC
1956 - Rio de Janeiro RJ - 5° Salão Nacional de Arte Moderna
1956 - São Paulo SP - 50 Anos de Paisagem Brasileira, no MAM/SP
1957 - Rio de Janeiro RJ - 6° Salão Nacional de Arte Moderna
1957 - São Paulo SP - 4ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1957 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1962 - Rio de Janeiro RJ - 11° Salão Nacional de Arte Moderna
1964 - Curitiba PR - 21° Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná
1964 - Rio de Janeiro RJ - 13° Salão Nacional de Arte Moderna
1964 - Rio de Janeiro RJ - 2ª O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
1965 - Rio de Janeiro RJ - Omaggio a Dante, no Instituto Italiano de Cultura. Piccolla Galeria
1967 - Rio de Janeiro RJ - Ciclo de Estudos de Arte Brasileira: abstratos, na Funarte. Galeria Macunaíma
1971 - Rio de Janeiro RJ - Trabalho e Arte, no MNBA
1974 - Rio de Janeiro RJ - O Mar, na Galeria Ibeu Copacabana
1974 - São Paulo SP - 6° Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1977 - Rio de Janeiro RJ - Pintura e Escultura, no MIS/RJ
1977 - Rio de Janeiro RJ - 1º Encontro Latino-Americano de Educação Através da Arte
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1986 - Rio de Janeiro RJ - Sete Décadas da Presença Italiana na Arte Brasileira, no Paço Imperial
1986 - Rio de Janeiro RJ - Tempos de Guerra: Hotel Internacional, na Galeria de Arte Banerj
1986 - Rio de Janeiro RJ - Tempos de Guerra: Pensão Mauá, na Galeria de Arte Banerj
1992 - Rio de Janeiro RJ - Eco 92, no Banco Central do Brasil
1993 - Rio de Janeiro RJ - Arte e Trabalho, no Paço Imperial
1994 - Rio de Janeiro RJ - 3ª Rio Mostra, no MAM/RJ
1995 - Rio de Janeiro RJ - Homenagem à Mulher nas Artes: três gerações de artistas mulheres, no Museu República

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Fulvio Pennacchi - Natureza Morta
Natureza Morta
Taisa Nasser - Hiranya Garbha 1
Hiranya Garbha 1
Nuno Ramos - Balada
Balada
Claudio Tozzi - Papagália
Papagália