Escritoriodearte.com > Artistas > Tadao Nakabayashi

Tadao Nakabayashi

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Tadao Nakabayashi (Shimane Japão 1947)

Pintor.

Inicia seus estudos de pintura em 1965 com Minoru Ando, em sua cidade natal. Aprende cerâmica, técnicas de ikebana, a arte do arranjo floral e a cerimônia do chá. Toma contato com a filosofia zen-budista e inicia-se na arte caligráfica . Viaja à India, Nepal e China, para estudar as filosofias e religiões. Por volta de 1971, parte para a Europa a fim de estudar e pesquisar sobre arte em museus e galerias. Chega ao Brasil em 1979, e fixa residência em São Paulo. Na primeira exposição realizada no Brasil, montada na Câmara Municipal, apresenta pinturas de budas coloridos. Usa formas geométricas, como quadrados e  triângulos, além de formas ovóides e elípticas, que são a base da composição das figuras. Utiliza-se de símbolos e arabescos, herança da filosofia budista. As pinturas são acrílicos sobre tela. Realiza painéis, formando trípticos em grande formato, lembrando os biombos japoneses. Os críticos são unânimes em afirmar que a filosofia zen-budista, e conseqüentemente o misticismo, são temáticas marcantes em sua obra. Nos anos 1980 e 1990 realiza diversas exposições individuais no Japão, mas principalmente em São Paulo, onde reside atualmente.

Críticas

"A pintura do japonês Tadao Nakabayashi, 42, há dez anos no Brasil, não é contemplativa nem ativista. São as duas coisas ao mesmo tempo. E isto porque é criada dentro da ótica zen-budista, uma visão difícil de ser entendida pelos ocidentais, acostumados à lógica tradicional. Aparentemente, o zen-budismo não explica nada, embora possa levar à compreensão de muitas coisas. Em sua pintura, que tem raízes nipônicas, chinesas, indianas, ele procura a harmonia, o equilíbrio. Harmonia de formas, cores, ritmos, texturas. Equilíbrio que resulte do uso da variedade, do encontro e da convivência dos opostos. Nela, simplicidade coexiste com sabedoria. Com quadrados, retângulos, circunferências, ovóides, arabescos, ele compõe suas figuras, sintéticas e simbólicas. Não se trata de uma pintura expressionista, transbordante de arrebatamentos. Tadao trabalha com o símbolo e com o vazio. Certamente ele quer nos dizer que o bom uso do vazio é que assegura a inexauribilidade do espaço; que, quando tudo tende à programação, à automação, o mundo interior, com seu vazio inesgotável, poderá ser a grande saída, o grande espaço da vida."
Enock Sacramento
SACRAMENTO, Enock. A arte zen-budista de Tadao. In : TADAO. Pinturas 1988/89. Coordenação Regina Botelho de Abreu Sampaio e Rui Peri, fotografia Yoshiharo Umemura; texto Flávio de Aquino; texto crítico José Zmatto, Enock Sacramento, Jacob Klintowitz. São Paulo: Denis Perri Galeria de Arte, 1989. [20 p.], il. color.

"Além dos signos orientais reestruturados em gestual perturbador e do fervor intrínseco da figuração religiosa - Buda está sempre presente na composição baseada na oval e na elípse - Nakabayashi incorporou à sua geometria lírica o forte colorido dos trópicos. Fiel a si mesmo, Tadao é adepto da mutação. A profissão-de-fé espelha o caráter da obra personalíssima. Tadao faz brotar da tela uma síntese da experiência humana, com extremos de simplicidade. Nossa espécie é reduzida à insignificância mais pura e arquetípica, às vezes a um simbólico triângulo(mulher) ou esfera(homem). Um concentrado de escrita indecifrável, enigmática, que leva o espectador a recuar em sua ancestralidade até o mistério supremo da criação"
Hélio Carneiro
CARNEIRO, Hélio. Nas telas de Tadao, o mistério da vida. In : TADAO. Pinturas. Fotografia C. M. Ventura; projeto gráfico Glenn Hamilton; texto crítico Hélio Carneiro. São Paulo: Artevital, 1991. [16p.]: il. color.

Exposições Individuais

1976 - Japão - Individual, na Galeria Kawasami
1978 - Japão - Individual, no Hotel Ohito
1981 - São Paulo SP - Individual, na Câmara Municipal
1983 - São Paulo SP - Individual, na Associação Palas Athenas
1985 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Copacabana Palace
1985 - São Paulo SP - Individual, na Chelsea Galeria
1987 - Osaka (Japão) - Individual, na Galeria Yamaki
1988 - São Paulo SP - Individual, no Escritório de Arte Regina Botelho de Abreu Sampaio
1989 - São Paulo SP - Individual, na Denis Perri Galeria de Artes
1990 - São Paulo SP - Individual, na Beth Barreto Escritório de Arte
1990 - Lisboa (Portugal) - Individual, na Galeria Moira
1991 - Osaka (Japão) - Individual, na Taffu Gallery
1991 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Arte Vital

Exposições Coletivas

1985 - São Paulo SP - Coletiva, na Fundação Mokiti Okada - MOA
1986 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria Monópolio
1987 - São Paulo SP - Primavera, na Liberdade Garô Galeria de Arte
1988 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria Garô
1991 - Osaka (Japão) - Coletiva, na Galeria Yamaki

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

João Atanasio - Sem Título
Sem Título
Tran Tho - Duas Mulheres
Duas Mulheres
Rubens Gerchman - Sem Título
Sem Título
Candido Portinari - Dois Homens
Dois Homens