Escritoriodearte.com > Artistas > Sergio Telles

Sergio Telles

OBRAS DO ARTISTA

Sergio Telles - Sem Título

Sem Título

óleo sobre tela
41 x 70 cm
ass. inf. esq.


Preço: Sob Consulta

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Sergio Telles (Rio de Janeiro RJ 1936)

Desenhista, pintor e ilustrador.

Sergio Barcellos Telles estudou na Colméia em meados de 1954, no Rio de Janeiro. Realizou sua primeira exposição individual em 1955, no Rio de Janeiro. Em 1957, viaja pela Europa e visita os principais museus da Itália, França, Holanda e Portugal. Nessa mesma época, faz estágio nos serviços de restauração da Pinacoteca do Vaticano. De volta ao Brasil, freqüenta os ateliês de Rodolfo Chambelland, Oswaldo Teixeira e de Marie Nivoulies de Pierrefort, no Rio de Janeiro. Em 1964, ingressa na carreira diplomática. Na década de 70, viaja para Porto Seguro, Bahia, por sugestão do escritor Jorge Amado, e realiza desenhos e óleos, publicados em livro, com a colaboração de Jorge Amado e Jeanine Warnwood. É autor de Nivouliès de Pierrefort, editado em Buenos Aires pelo Museu de Arte Moderna, 1974; e ilustrador de Rio de Janeiro, lançado no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, em 1978.

Críticas

"Sergio Telles pode ser considerado um continuador da tradição fovista: sua sensibilidade para os efeitos cromáticos e sua corajosa justaposição de contrastes revelam um gosto refinado, para o qual contribuem de modo preponderante os tons vibráteis. Sua contribuição pessoal ao Fovismo reside na nota exótica oriunda tanto de sua própria natureza quanto da luminosidade brasileira. Essa nota é onipresente em sua obra, ainda quando busca dar uma versão pessoal dos céus cinzentos ou azulados de Paris. As pinturas de Telles podem ser tanto fluidas e delicadas quanto muitas vezes brutais e realistas. E esse dualismo pode ser observado de modo particular quando se compara seus trabalhos de pequenas dimensões aos maiores. Os pequenos podem ser encarados como esboço, e é neles que o artista atinge maior grau de delicadeza, ternura e espontaneidade. (...) A análise da obra de Telles, baseada em seus trabalhos mais recentes, revela que ele continua a utilizar a intensidade luminosa típica do Fovismo, ao mesmo tempo, porém, que a vem conciliando com o brilho, o vigor e até a brutalidade do Expressionismo. (...)"
Georges Pillement
SÉRGIO Telles. Apresentação de Renato Magalhães Gouvêa. São Paulo: Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte, 1981.

"Sergio Telles é brasileiro. Sua presença e sua contribuição à arte européia fazem-se sentir de modo particularmente marcante num reencontro renovado da pintura com a natureza, o figurativo, a alegria de viver. Vivendo em Paris desde há vários anos, Sergio Telles restitui-nos a paleta luminosa e vibrante do ´plen-air´, o prazer da pintura liberta de fórmulas demasiado intelectuais e da obsessão da novidade. Uma obra simples e direta, através da qual o homem moderno se reconcilia com o prazer da contemplação".
Claude Grand-Claudon
SÉRGIO Telles. Apresentação de Renato Magalhães Gouvêa. São Paulo: Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte, 1981.

Exposições Individuais

1955 - Rio de Janeiro RJ - Primeira individual
1969 - Bruxelas (Bélgica) - Individual, na Galeria L'Angle Aigu
1969 - Paris (França) - Individual, na Galeria Debret
1972 - Buenos Aires (Argentina) - Individual, na Galeria Wildenstein
1973 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MNBA
1973 - São Paulo SP - Individual, na Pinacoteca do Estado
1977 - São Paulo SP - Individual, no MAB-FAAP
1977 - Buenos Aires (Argentina) - Individual, na Galeria Wildenstein
1977 - Paris (França) - Individual, na Galeria La Cave
1978 - Londres (Inglaterra) - Individual, na Galeria Wildenstein
1979 - Paris (França) - Individual, na Galeria La Cave
1979 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Lebreton
1980 - Osaka (Japão) - Individual, na Galeria Fujikawa
1981 - São Paulo SP - Individual, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte
1982 - Paris (França) - Retrospectiva, no Museu Carnavalet
1986 - Genebra (Suíça) - Homenagem aos 50 Anos de Sergio Telles, no Museu Petit Palais
1987 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MNBA
1988 - São Paulo SP - Retrospectiva, no Masp
1989 - Brasília DF - Individual, na Galeria Oscar Seráphico
1992 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Bonino
1994 - São Paulo SP - Individual, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte
1994 - Salvador BA - Individual, no Escritório de Arte da Bahia
1995 - Belo Horizonte MG - Sérgio Telles: Pinturas e Desenhos, no BDMG Cultural

Exposições Coletivas

1954 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - prêmio estímulo
1979 - Hanover (Alemanha) - Coletiva, na Galeria Rosenbach
1979 - Genebra (Suíça) - Coletiva, na Galeria do Perron
1980 - Buenos Aires (Argentina) - Ochenta Años de Arte Brasileño, no Banco Itaú
1981 - Tóquio (Japão) - Júlio Pacello e suas Edições de Arte, na Biblioteca Municipal
1982 - Miê (Japão) - Coletiva, no Museu de Arte Moderna
1982 - Buenos Aires (Argentina) - Coletiva, na Galeria Wildenstein
1987 - Hanover (Alemanha) - Coletiva, na Galeria Rosenbach
1988 - Buenos Aires (Argentina) - Coletiva, na Galeria Wildenstein
1988 - Genebra (Suíça) - Coletiva, na Galeria do Perron
1989 - Washington D.C. (Estados Unidos) - Exposição, no Museu da OEA
1992 - Rio de Janeiro RJ - Natureza: quatro séculos de arte no Brasil, no CCBB
1994 - Poços de Caldas MG - Coleção Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos de Unibanco, na Casa da Cultura
1995 - Rio de Janeiro RJ - Os Ateliers do Viajante, na MAM/RJ
1995 - Rio de Janeiro RJ - Coleção Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos do Unibanco, no MAM/RJ
1995 - São Paulo SP - Projeto Arte Atual Brasil, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte
1996 - São Paulo SP - Pintura, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte
2005 - São Paulo SP - Acervo 2005, no MAB-FAAP

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Danilo Di Prete - Sem Título
Sem Título
Roberto Magalhães - O Caçador
O Caçador
Aldemir Martins - Rendeira
Rendeira
Burle Marx - Sem Título
Sem Título