Escritoriodearte.com > Artistas > Sérgio Ferro

Sérgio Ferro

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Sérgio Ferro Pereira (Curitiba PR 1938)

Pintor, desenhista, arquiteto e professor.

Forma-se arquiteto pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP, em 1962. Três anos depois, faz pós-graduação em museologia e evolução urbana, na mesma faculdade. Em 1965, participa da organização da mostra Opinião 65, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, onde também expõe. Cursa semiologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, em 1966. Na década de 1960, integra com Flávio Império (1935 - 1985) e Rodrigo Lèfevre (1938 - 1984) o Grupo Arquitetura Nova. É professor da Escola de Formação Superior de Desenho, entre 1962 e 1968; do curso de história da arte e de estética da FAU/USP, de 1962 a 1970; e do curso de arquitetura da Universidade de Brasília - UnB, entre 1969 e 1970. Por causa da ditadura militar no Brasil, muda-se para a França, em 1972. De 1972 a 2003, leciona na École Nationale Supérieure d'Architecture de Grenoble [Escola Nacional Superior de Arquitetura de Grenoble], na Suíça, e, na mesma universidade, funda o laboratório Dessin/Chantier [desenho/canteiro] e o dirige de 1982 a 1997. Realiza pinturas figurativas, inspirando-se principalmente em figuras presentes nos desenhos e pinturas de Michelangelo Buonarroti (1475 - 1564). Recebe o prêmio de melhor pintor da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA, em 1987.  Publica, entre outros, os livros O Canteiro e o Desenho, 1979, Michelangelo: Notas por Sérgio Ferro, 1981, e Michel-Angel, Architecte et Sculpteur, 1998. Realiza murais para várias instituições na França e no Brasil, como o Memorial da América Latina, em 1990, e o Memorial de Curitiba, em 1996 e em 2002.

Comentário Crítico

Na década de 1960, Sérgio Ferro participa do Grupo Arquitetura Nova, com Flávio Império (1935 - 1985) e Rodrigo Lefèvre (1938 - 1984) voltado para uma compreensão do exercício da profissão de arquiteto, simultaneamente como ação cultural, política e produtiva. O grupo realiza propostas de políticas públicas urbanas, ligadas a projetos de habitações populares. Os projetos de residências realizados por Sérgio Ferro no período mantêm diálogo com a produção de Vilanova Artigas (1915 - 1985).

Devido à ditadura militar no Brasil, o artista é obrigado a mudar-se para a França em 1972. Passa a dedicar-se à pintura e à carreira docente, lecionando na Escola de Belas Artes e na École Nationale Supérieure d'Architecture de Grenoble [Escola Nacional Superior de Arquitetura de Grenoble], Suíça. Na pintura, realiza obras de caráter figurativo, em que tem como referência grandes pintores da história da arte, retrabalhando principalmente figuras presentes nos desenhos e pinturas de Michelangelo Buonarroti (1475 - 1564). Para o artista, ao mesmo tempo em que as figuras remetem a Michelangelo, elas se inserem numa outra realidade, porque a luz é cinematográfica e a musculatura, pouco fiel à anatomia e à tradição renascentista. Como aponta o crítico Wilson Coutinho, Ferro se apropria de Michelangelo para dotá-lo de uma apreensão contemporânea. Assim, fragmenta a obra do mestre, deixando ausências, colocando no plano da tela um conjunto de procedimentos modernos para trazê-la como memória de uma imagem dispersa.

Nos quadros de Sérgio Ferro, o espaço é construído a partir de elementos gráficos e suas relações na tela. Como nota o crítico Fábio Magalhães, em muitos trabalhos, entretanto, a cor e a colagem intervêm de maneira definitiva, impondo uma nova organização espacial, sobrepondo-se à densidade do grafismo.

Críticas

"(...) Coube a Sérgio Ferro, Flávio Império e Cláudio Tozzi, todos formados em Arquitetura, na segunda metade dos anos 60, a prática de uma pintura de espírito sociopolítico. No caso de Ferro, a figuração cruenta perseveraria nas pinturas durante seu exílio na França".
Walter Zanini
ZANINI, Walter, org. História geral da arte no Brasil. Apresentação de Walther Moreira Salles. São Paulo: Instituto Walther Moreira Salles, Fundação Djalma Guimarães, 1983.

Exposições Individuais

1963 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Teatro de Arena
1963 - São Paulo SP - Individual, na Galeria São Luís
1965 - Porto Alegre RS - Individual, no Margs
1965 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Mobilínea
1967 - São Paulo SP - Mostra, na Faap
1973 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Fernando Milan
1974 - Salônica (Grécia) - Individual, na Galeria ZHTA-MI
1975 - Grenoble (França) - Individual, no Museé de Grenoble
1976 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Fernando Milan
1977 - Chambéry (França) - Individual, na Maison des Jeunes et de la Culture
1977 - Grenoble (França) - Individual, na Galerie La Tete de L'Art 
1978 - Grenoble (França) - Individual, na Galerie La Tete de L'Art  
1979 - Vence (França) - Individual, na Galeria Murs Ouverts
1980 - Paris (França) - Individual, na Galerie Saint-Guillaume 
1981 - São Paulo SP - Individual, no Masp
1982 - Grenoble (França) - Individual, no Atelier J.Y. Noblet  
1982 - Corenc (França) - Individual, no Castelo de la Condamine
1984 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Petite Galerie
1984 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Rio Design Center 
1985 - Le Touquet-Paris-Plage (França) - Individual, na Galerie Centre d'Art Plastique Contemporaine
1985 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte São Paulo
1986 - Grenoble (França) - Individual, na Galerie J.Y. Noblet
1987 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte São Paulo
1988 - Le Touquet (França) - Individual, na Galeria D'Art Contemporain
1988 - Barbizon (França) - Individual, na Galeria L'Entrée des Artistes. 
1989 - Bruxelas (Bélgica) - Individual, na Galerie Contrast
1989 - São Paulo SP - Individual, no Masp
1989 - Bruxelas (Bélgica) - Individual, na Galerie Contrast
1990 - Le Touquet-Paris-Plage (França) - Individual, na Galeria J.P. Carlier 
1990 - Barbizon (França) - Individual, na Galeria L'Entrée des Artistes 
1990 - Taiyan (China) - Individual, no Museu D'Art
1991 - Bruxelas (Bélgica) - Individual, na Galerie Contrast
1991 - Lille (França) - Individual, na Galerie Contrast 
1991 - Metz (França) - Individual, na Galerie Contrast
1991 - Paris (França) - Individual, na Galerie Mann  
1991 - Rouen (França) - Individual, na Galeria du Carme
1991 - São Paulo SP - Individual, no Escritório de Arte São Paulo
1992 - Ille-sur-Têt (França) - Individual, na Igreja de Saint Etienne 
1992 - Barbizon (França) - Individual, na Galerie L'Entrée des Artistes 
1992 - San Francisco (Estados Unidos) - Individual, na Gallery Eleonore Austerlevz
1992 - Le Tduquet (França) - na Galeria J.P. Carlier
1993 - Hong Kong (China) - Individual, na Galeria M & W  
1993 - Ille-sur-Têt (França) - Individual, no Hospici d'Ille 
1993 - Paris (França) - Individual, na Galerie Le Monde de l'Art
1993 - São Paulo SP - Individual, no Escritório de Arte São Paulo
1994 - Rouen (França) - Individual, no Espace d'Art Contemporain
1995 - Florianópolis SC - Sérgio Ferro: desenhos e gravuras, no Museu Victor Meirelles
1995 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Votre Galeria de Arte
1996 - Curitiba PR - Individual, na Simões de Assis Galeria de Arte
1997 - Barbizon (França) -Individual, na Galeria L'Entrée des Artistes
1997 - Paris (França) - Individual, no Espace d'Art Contemporain 
1998 - Paris (França) - Individual, na Galeria Le Monde de L´Arte
1998 - São Paulo SP - Individual, no Escritório de Arte São Paulo
1998 - São Paulo SP - Sérgio Ferro, na Galeria de Arte São Paulo
1999 - Curitiba PR - Individual, na Simões de Assis Galeria de Arte

Exposições Coletivas

1965 - Porto Alegre RS - Pintores de Vanguarda, no Margs
1965 - Rio de Janeiro RJ - Opinião 65, no MAM/RJ
1965 - São Paulo SP - Propostas 65, no MAB/Faap
1966 - São Paulo SP - 3 Premissas, no MAB/Faap
1966 - São Paulo SP - 7 Pintores, na Galeria Aliança Francesa
1967 - Rio de Janeiro RJ - Nova Objetividade Brasileira, no MAM/RJ
1967 - São Paulo SP - Mostra, na Faap
1967 - São Paulo SP - 6 Pintores da Nova Objetividade, no IAB/SP
1975 - Grenoble (França) - La Ville, na UAP Grenoble 
1976 - Grenoble (França) - Vingt Acquisitions, no Museé de Grenoble  
1976 - Paris (França) - Feira Internacional de Arte Contemporânea, no Grand Palais 
1978 - Villeparisis (França) - Travaux sur Papier
1979 - Grenoble (França) - Expo 79, no Museé de Grenoble
1979 - Annecy (França) - 1º Art Actuel, no Maison des Jeunes et de la Culture d'Annecy-le-Vieux
1979 - São Paulo SP - Volta à Figura, no Museu Lasar Segall
1980 - França - 30 Createurs d´Aujourd'hui - itinerante
1980 - Grenoble (França)  - Fête du Travailleur Alpin
1980 - Rueil Malmaison (França) - Communication Poesie 
1980 - Roussillon (França) - Les Travailleurs et les Arts, no Chateau de Roussilion 
1982 - Estocolmo (Suécia) - Stockholm International Art Expo
1982 - Paris (França) - Octogone
1983 - Grenoble (França) - 10 Années D'Achisitions, no Museé de Grenoble 
1983 - Grenoble (França) - Architeture Et Arts Plastiques  
1983 - Grenoble (França) - Les Larmes D'Eros, na Galerie JC David 
1984 - Paris (França) - Figure, Figures, no Espace Gare de L'Est
1984 - Paris (França) - Figuration Critique, no Grand Palais  
1984 - Rio de Janeiro RJ - Pintura Brasileira Atuante, no Espaço Petrobras
1985 - Brasília DF - Brasilidade e Independência, no Teatro Nacional Cláudio Santoro  
1985 - Valence (França) - 1960-1980: Autour de La Figuration Narrative, no Musée de Valence
1985 - Bourgoin-Jallieu (França) - Exposition d'Art Contemporain
1985 - Paris (França) - Coletiva MAC 2000
1985 - Valence (França) - 1960-1985: Autour de la Figuration Narrative, no Musée de Valence
1986 - Dunkerque (França) - Les Figurations, no Musée d'Art Contemporain de Dunkerque
1987 - Gent (Bélgica) - Linearte: Foire D'Art International  
1987 - Paris (França) - Figurations d'Aujourd'hui, no MJC les Hautes de Belleville 
1988 - Paris (França) - Figuration Critique, no Grand Palais Bordeaux
1988 - São Paulo SP - 63/66 Figura e Objeto, na Galeria Millan
1988 - São Paulo SP - Eros e Thanatos, na Pinacoteca do Estado
1989 - Paris (França) - Mostra, no Hotel de Ville. Musée de la Passion de Dunkerque
1990 - Nova York (Estados Unidos) - Artexpo
1991 - Paris (França) - Memoires de La Liberté, no Centre Georges Pompidou
1991 - Tóquio (Japão) - Memoires de La Liberté
1991 - Varsóvia (Polônia) - no Museu Zacheta
1992 - São Paulo SP - A Sedução dos Volumes: os tridimensionais do MAC, no MAC/USP
1993 - Roma (Itália) - Bienal de Arte Sacra
1994 - São Paulo SP - Memória da Liberdade, na Pinacoteca do Estado
1995 - São Paulo SP - Colóquio Arte Dor, no MAC/USP
1997 - Bélgica - La Passion de Dunkerque, na Vlaamse Kerkdagen
1997 - Cutitiba PR - Casa Cor Sul, na Simões de Assis Galeria de Arte
1998 - Brasília DF - Futebol Arte, no Ministério das Relações Exteriores
1998 - São Paulo SP - Futebol Arte, s.l.
1998 - São Paulo SP - 5º Salão de Arte e Antiguidade, no Clube Paineiras do Morumby
1998 - São Paulo SP - Acervo Galeira de Arte São Paulo, na Galeria de Arte São Paulo
1999 - Cutitiba PR - Destaques da Pintura Brasileira, na Simões de Assis Galeria de Arte
1999 - Florianópolis SC - Desenhos e Gravuras: acervo MVM - 1994 a 1999, no Museu Victor Meirelles
2001 - São Paulo SP - 4 Décadas, na Nova André Galeria
2001 - São Paulo SP - 8º Salão de Arte e Antiguidade, na A Hebraica
2003 - Rio de Janeiro - Projeto Brazilianart, no Almacén Galeria de Arte
2003 - São Paulo SP - Israel e Palestina: dois estados para dois povos, no Sesc Pompéia
2004 - São Paulo SP - 450 X 45, na Nova André Galeria
2005 - São Paulo SP - Caminhos Vários, na Nova André Galeria
2005 - Curitiba PR - 10 Pintores Brasileiros, na Simões de Assis Galeria de Arte
2007 - São Paulo SP - Parede da Fama, na Nova André Galeria
2010 - São Paulo SP - Um Dia Terá Que Ter Terminado: 1969/74, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Pierre Verger - África
África
Ivan Serpa - Figura Feminina
Figura Feminina
Aldo Bonadei - Frutas
Frutas