Escritoriodearte.com > Artistas > Raquel Garbelotti

Raquel Garbelotti

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Raquel Garbelotti (Dracena SP 1973)

Artista multimídia, professora.

Raquel de Oliveira Pedro Garbelotti forma-se em artes plásticas, em 1994, pela Faculdade Santa Marcelina - FASM, São Paulo, onde é aluna de Ana Maria Tavares. Conclui mestrado em artes pela Universidade Estadual Paulista - Unesp, em 2001. Professora convidada da FASM desde 2002, permanece na disciplina de escultura até 2004. Nesse ano cria o troféu dos premiados no Videobrasil: Festival Internacional de Arte Eletrônica, torna-se professora assistente no Departamento de Formação Artística do Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo - Ufes e atua como pesquisadora na área de site-specific. Entre 2004 e 2005, em paralelo a sua produção individual, realiza projetos em parceria com os artistas Jorge Menna Barreto e Rubens Mano . Com este, produz o vídeo Versão Composta, exibido em 2004 em sua mostra individual. Participa de diversos eventos no Brasil e no exterior, como a 26ª Bienal de Arte de Pontevedra, Espanha, 2000, e a 25ª Bienal Internacional de São Paulo, em 2002. Entre suas exposições individuais estão Armários Modulares, de 1996, Casas-Caixa, em 1999, e Observações sobre o Espaço e o Tempo, em 2003.

Comentário Crítico

No início de sua carreira, em meados dos anos 1990, Raquel Garbelotti trabalha com escultura em escala diminuta, como Armário Modular, de 1995. Ela constrói módulos miniaturizados de mobília doméstica e os equilibra sobre longas e finas pernas de pau, suspendendo os módulos até o nível dos olhos do espectador. O resultado teria um efeito insólito, segundo o crítico Agnaldo Farias, pois pareceria que o mundo idealizado dos brinquedos sofre uma disfunção e se insurge contra sua principal função, qual seja, a antecipação do mundo dos adultos às crianças.

A temática do ambiente doméstico e sua problematização continuam a percorrer a obra de Raquel, que em 1999 realiza a exposição Casas-Caixa. Nessa série, elementos arquitetônicos de brinquedos para montar são acoplados a cubos vazios, deslocando-os segundo uma lógica perversa - uma escada suspensa sobre um poço, janelas cegas etc. Para a crítica Stella Teixeira Barros, nessa obra de Raquel, assim como em algumas gravuras de Oswaldo Goeldi, o casario tem vida própria, habitado por um vazio pungente que enfatiza a alienação do mundo.

As séries fotográficas Paisagem Sucessiva e Memória Visual - Hiato, ambas de 2003, tratam das relações da paisagem natural com o ambiente construído. Raquel tematiza a constante mutação do espaço urbano que resulta na perda de referência dos lugares habitados pelo homem.

Exposições Individuais

1996 - Belo Horizonte MG - Individual, no Itaú Cultural
1996 - Brasília DF - Individual, na Galeria Itaú Cultural
2001 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
2003 - São Paulo SP - Observações Sobre o Espaço e o Tempo, na Unicsul

Exposições Coletivas

1995 - Curitiba PR - 52º Salão Paranaense, no MAC/PR
1995 - Rio de Janeiro RJ - 15º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA
1995 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas, no CCSP
1996 - Santo André SP - 24º Salão de Arte Contemporânea de Santo André, no Paço Municipal
1996 - São Paulo SP - Antarctica Artes com a Folha, no Pavilhão Manoel da Nóbrega
1996 - São Paulo SP - Territórios, na Casa de Minas
1996 - Uberaba MG - 2º Salão de Artes Plásticas Cidade de Uberaba, na Fundação Cultural de Uberaba
1997 - Belém PA - Corporis Misterium, Projeto Linha Imaginária, no CCBEU
1997 - Florianópolis SC - Sinergias e Particularidades, Projeto Linha Imaginária, no Masc
1997 - Fortaleza CE - Sentimentos Para Comer com os Olhos, Projeto Linha Imaginária, na Fundação Cultural de Fortaleza. Galeria Vila Morena
1997 - Salvador BA - 4º Salão MAM-Bahia, no MAM/BA
1998 - Belém PA - 4º Salão Unama de Pequenos Formatos, na Universidade da Amazônia
1998 - Curitiba PR - Linha Imaginária, no Museu Metropolitano de Curitiba
1998 - Goiânia GO - Linhas Imaginárias, Pensantes, Distância das Pernas, Projeto Linha Imaginária, no MAC/GO
1998 - Niterói RJ - Linha Imaginária, Projeto Linha Imaginária, na Galeria de Artes UFF
1998 - Porto Alegre RS - Linha Imaginária, na Galeria Iberê Camargo
1998 - Rio de Janeiro RJ - 16º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1998 - São Paulo SP - Antarctica Artes com a Folha: trabalhos recentes, na Galeria Casa Triângulo
1998 - São Paulo SP - Vastos, Projeto Linha Imaginária, no Paço das Artes
2000 - Pontevedra (Espanha) - 26ª Bienal de Arte de Pontevedra, no Pazo da Cultura de Pontevedra
2001 - Porto Alegre RS - Coleção Liba e Rubem Knijnik: arte brasileira contemporânea, no Margs
2001 - São Paulo SP - 27º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Primeiro de Abril - April Fool's Day, na Residência/atelie
2002 - Belo Horizonte MG - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. Rumos da Nova Arte Contemporânea Brasileira, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
2002 - Campinas SP - Rumos Itaú Cultural Artes Visuais. Desconforto da Forma, no Itaú Cultural
2002 - Rio de Janeiro RJ - 27º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/RJ
2002 - Salvador BA - 27º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/BA
2002 - São Paulo SP - 25ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
2002 - São Paulo SP - Feira, no Espaço Virgílio
2003 - São João da Boa Vista SP - Casa Onírica, no Espaço Cultural Fernando Arrigucci
2003 - São Paulo SP - Casa Triângulo, na Casa Triângulo
2004 - Rio de Janeiro RJ - Novas Aquisições 2003: Coleção Gilberto Chateubriand, MAM/ RJ
2004 - São Paulo SP - Arte Contemporânea no Acervo Municipal, no CCSP

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Fulvio Pennacchi - Maria e Jesus
Maria e Jesus
Candido Portinari - Lavadeira com Duas Amigas
Lavadeira com Duas Amigas
Eduardo Sued - Sem Título
Sem Título
Claudio Tozzi - Papagália
Papagália