Escritoriodearte.com > Artistas > Otávio Roth

Otávio Roth

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Otávio Roth (São Paulo, 1952 - idem, 1993)

Gravador, designer gráfico, ilustrador e professor.

Em 1971, com bolsa de estudos, viaja para Israel, onde começa a fotografar. No ano seguinte, em São Paulo, ingressa no curso de publicidade da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Vai para Londres em 1974 e, por influência de Paul Piestch (1911-2012), aprende técnicas de gravura e de fabricação de papel artesanal. Com bolsa do Conselho Britânico, gradua-se em arte e design na Hornsey College of Art, em 1977. Nesse ano, muda-se para Oslo e atua como designer, ilustrador e gravador.

Em 1979, quando retorna a São Paulo, funda a fábrica de papéis artesanais Handmade Oficina de Papel. No mesmo ano, um álbum com 30 linoleogravuras suas é publicado pela editora CJS Graphics, em Nova York. É eleito o melhor gravador do ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e cria xilogravura para a primeira edição do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. Na década de 1980, dá continuidade a sua pesquisa sobre fabricação de papel e ministra workshops e cursos em várias instituições, entre elas a ESPM, a Universidade de São Paulo (USP) e o Center for the Book Arts, em Nova York. Nessa cidade, em 1981, Roth trabalha como assistente do pintor e fotógrafo americano Chuck Close (1940), além de ter suas gravuras sobre direitos humanos expostas na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). Entre suas publicações, destaca-se a adaptação que faz, em parceria com a escritora Ruth Rocha (1931), da Declaração Universal dos Direitos Humanos, destinada ao público infantil.

Comentário Crítico

Durante toda sua carreira, Otávio Roth dedica-se sobretudo ao desenvolvimento, à pesquisa e à divulgação da arte do papel artesanal. Preocupa-se com o uso e a divulgação do papel como material expressivo, sendo pioneiro na difusão do papel artesanal através de cursos, oficinas, publicações e exposições. No início dos anos 1990, trabalha em parceria com a escritora Ruth Rocha e a ilustradora Raquel Coelho numa série de livros infantis publicada pela Editora Melhoramentos. Nessa série, fica evidente a utilização do papel para além de sua mera função de suporte. As figuras e cenas são todas construídas com o procedimento básico do recortar e colar - bastante comum na prática infantil e escolar. São usadas inúmeras variações de papéis - dos artesanais feitos à mão àqueles industrializados encontrados no mercado. Tirando proveito das estampas e texturas criadas ou encontradas, chega-se a uma unidade entre o material e a representação. Dessa maneira, um pedaço de papel branco e fibroso pode ser nuvem numa página, espuma do mar em outra e ainda a plumagem de um pássaro na seguinte.

Paralelamente ao seu trabalho na área editorial, Roth desenvolve um método de pintura que denomina pulp painting, que consiste em pintar não sobre o papel, mas com o próprio papel, utilizando uma pasta de celulose tingida, colocada em bisnagas.

Críticas

"Otávio Roth é um artista múltiplo. Professor, gravador, desenhista, fabricante de papel. Ele transformou o ato de fazer papel na própria palheta e na estrutura de sua obra. Não existe o suporte e a obra, mas um só objeto. É um dos pioneiros brasileiros da invenção do papel de artista e foi um de seus mais destacados divulgadores. As suas imagens estão próximas do humor e ele discursa sobre a estrutura da linguagem e faz, igualmente, um diário dos acontecimentos íntimos e que lhe tocaram a sensibilidade. É uma obra de marcado acento pessoal e de invenção permanente. O papel é objeto fascinante, calendário, jornal, roupa, embalagem, carta, romance, fita de computação, documento, registro, cheque, propriedade, história. E a ação de Otávio Roth centrou-se neste símbolo de época e o transformou, à sua maneira discreta, no diário de bordo de um artista intimista e alegre. Uma vivência paradoxal e bela".
Jacob Klintowitz
KLINTOWITZ, Jacob. O ofício da arte: a pintura. Abram Szajman. São Paulo, SESC, 1987.

Acervos

Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli - Porto Alegre RS
Amnesty Internacional - Oslo (Noruega)
Azabu Museum - Tokyo(Japão)
Civil Liberties Bureau - Tokyo (Japão)
Ford Foundation - New York (Estados Unidos)
Hebreu University - Jerusalem (Israel)
Internacional Red Cross - Genebra (Suíça)
Leopold Hoesch Museum, Düren (Alemanha)
Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado - MAB/Faap - São Paulo SP
Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP - São Paulo SP
Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp - São Paulo SP
Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP - São Paulo SP
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ - Rio de Janeiro RJ
Museum of Modern Art, Rijeka (Croácia)
Nordjyllands Kunstmuseum, Aalborg (Dinamarca)
Palais das Nations - Genebra (Suíça)
Peace Museum - Chicago (Estados Unidos)
UN International Center - Viena (Áustria)
United Nations - New York (Estados Unidos)

Exposições Individuais

1978 - Individual de gravuras comemorando o 30º Aniversário da Declaração dos Direitos Humanos
1978 - Paris (França) - Individual, no Palais de Chaillot
1978 - Oslo (Noruega) - Individual, Informasjonsenteret
1981 - Viena (Áustria) - Individual, na International Center
1981 - Nova York (Estados Unidos) - Individual, na ONU e na Automation House
1981 - Genebra (Suiça) - Individual, no Palais des Nations
1982 - São Paulo SP - Individual, no Masp
1982 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MAM/RJ
1983 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Arco Arte Contemporânea
1983 - Vitória ES - Individual, na Galeria da UFES
1984 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria César Aché
1984 - Salvador BA - Individual, no Museu de Arte da Bahia
1984 - Belo Horizonte MG - Individual, no Palácio das Artes
1984 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
1985 - California (Estados Unidos) - Individual, na University Art Gallery
1985 - São Paulo SP - Individual, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte - Prêmio de Pesquisa da APCA
1986 - Idaho (Estados Unidos) - Individual, na Prichard Gallery, University of Idaho

Exposições Coletivas

1972 - São Paulo SP - O Fotógrafo Desconhecido, no MAC/USP
1974 - Santo André SP - 7º Salão de Arte Contemporânea de Santo André, no Paço Municipal
1979 - São Paulo SP - Coletiva Eros, na Galeria de Arte Aplicada
1980 - São Paulo SP - 12º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1982 - Londres (Inglaterra) - Coletiva A Hundred Years of Art Education, na New Gallery
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1984 - Fortaleza CE - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas
1984 - Havana (Cuba) - 1ª Bienal Latinoamericana
1984 - Niterói RJ - Coletiva Entre o Meio e o Fim, na Galeria da UFF
1984 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva Papel como Linguagem, na Galeria Sergio Milliet
1984 - Rio de Janeiro RJ - Os Papéis do Papel, na Funarte. Centro de Artes
1984 - Rio de Janeiro RJ - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1984 - São Paulo SP - Coletiva Papel Imagem e Construção, na Galeria Arco Arte Contemporânea
1984 - São Paulo SP - 15º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura, na Fundação Bienal
1985 - Bradford (Inglaterra) - 7th British Print Biennal
1985 - Estados Unidos - Itinerante Brazil 10, junto com Bob Nugent
1985 - São Paulo SP - Destaques da Arte Brasileira Contemporânea, no MAM/SP
1985 - São Paulo SP - Tendências do Livro de Artista no Brasil, no CCSP
1986 - México - 5ª Bienal Iberoamericana de Arte
1986 - Porto Alegre RS - Barker, Nugent, Roth - Expressões em Papel, no Margs
1986 - Rikeja (Iugoslávia) - 10th International Exhibition of Original Drawing, Museum of Modern Art
1986 - São Paulo SP - 1º Seleção Helena Rubinstein de Arte Jovem, no Masp
1987 - Illinois (Estados Unidos) - 21st Bradley National Print and Drawing Exhibition
1987 - Los Angeles (Estados Unidos) - International Contemporary Art Fair
1987 - Nova York (Estados Unidos) - Brazil Design, na Art Directors Club
1987 - San Luis Obispo (Estados Unidos) - Coletiva, na University Art Gallery
1987 - São Paulo SP - 100 Selected Drawings, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
1987 - São Paulo SP - Highlights of Contemporary Brazilian Art, no MAM/SP
1987 - São Paulo SP - O Ofício da Arte: pintura, no Sesc
1987 - São Paulo SP - 18º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1988 - Aalborg (Dinamarca) - Mostra, na Nordjyllands Kunstmuseum
1988 - Duren (Alemanha) - 2ª International Paper Biennieal, na Leopoldo Hoesch Museum
1988 - Nova York (Estados Unidos) - Mostra, na United Nations HedQuarters
1988 - Rijeka (Iugoslávia) - 8ª Exhibition of Original Drawings, no Museum of Modern Art
1989 - Kyoto (Japão) - The Garden, na Kyoto Museum
1990 - São Paulo SP - Gente de Fibra, no Sesc/Pompéia
1990 - São Paulo SP - 21º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1992 - Rio de Janeiro RJ - Reciclo, na Funarte. Centro de Artes
1993 - São Paulo SP - 3º Studio Internacional de Tecnologias de Imagens, no Instituto de Artes da Unesp

Exposições Póstumas

1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
2001 - São Paulo SP - Museu de Arte Brasileira: 40 anos, no MAB/Faap
2006 - Porto Alegre RS - O Papel de Otavio - A Presença de Otavio Roth no Rio Grande do Sul, no Margs

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Carlos Araújo - Siena Semeadora
Siena Semeadora
Amilcar de Castro - Sem Titulo (p45)
Sem Titulo (p45)
Candido Portinari - São Sebastião
São Sebastião
Klaus Mitteldorf - BlackWhite
BlackWhite