Escritoriodearte.com > Artistas > Osirarte

Osirarte

OBRAS DO ARTISTA

Osirarte - Judas


Judas

Técnica: pintura em baixo esmalte sobre azulejo
Data:
Medida: 15 x 15 cm
Comentários: ass. inf. dir.
Artista: Alfredo Volpi

Preço: Sob Consulta

BIOGRAFIA

Osirarte (1940)

A Osirarte é uma empresa de azulejaria criada em 1940 pelo artista ítalo-brasileiro Rossi Osir (1890 - 1959) com a finalidade de realizar os azulejos desenhados por Candido Portinari (1903 - 1962) para o revestimento do Ministério da Educação e Saúde no Rio de Janeiro, atual Palácio Gustavo Capanema. Mesmo antes do término do trabalho para o ministério em 1945, a empresa já executa outras encomendas, para arquitetos e outros artistas, além de manter uma produção de azulejos avulsos para decoração de residências particulares. Essas encomendas e a boa aceitação dos azulejos decorativos criados nas oficinas da Osirarte prolongam a existência da empresa até o final dos anos 1950. Rossi Osir desempenha o papel de diretor-geral, ao mesmo tempo em que trabalha no ateliê com desenho de padrões de azulejos.

A técnica utilizada é a do baixo esmalte ou "biscoito": a pintura é feita sobre o azulejo não esmaltado. Após o desenho sobre a superfície porosa, que absorve a tinta com extrema rapidez e exige uma elevada exatidão do traço, os azulejos de 15 x 15 cm são armazenados e levados para o trabalho de esmaltagem e queima (no início, esse trabalho é realizado pelas Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo). Para dar conta das encomendas e ampliar o mercado, Rossi Osir conta com a colaboração de artistas também experientes no trabalho artesanal. Mario Zanini (1907 - 1971) é o primeiro a integrar a equipe do ateliê-oficina da Osirarte e logo é seguido pelo amigo Alfredo Volpi (1896 - 1988), que rapidamente se transforma numa espécie de "chefe" de ateliê, solucionando problemas plásticos e técnicos à medida que vão surgindo. Com eles trabalham ainda em diferentes momentos: Hilde Weber (1913 - 1994) de 1941 a 1950,Gerda Brentani (1908 - 1999) e Giuliana Giordi (ambas até 1943), Virginia Artigas (1915 - 1990) de 1940 a 1942, Cesar Lacanna (1901 - 1983) em 1945 e Frans Krajcberg (1921) em 1948. Eventualmente Ernesto de Fiori (1884 - 1945) e Ottone Zorlini (1891 - 1967) executam trabalhos para Osirarte.

Além dos painéis do Ministério, Osirarte executa dois outros importantes trabalhos para Portinari: o revestimento em azulejos para a Igreja de São Francisco de Assis, na Pampulha, em Belo Horizonte, em 1944, e o painel na fachada principal da Escola Municipal do Conjunto Habitacional do Pedregulho, no Rio de Janeiro, em 1951. Paralelamente, desenvolve pequenas composições decorativas ou padrões avulsos destinados a revestir fontes, lareiras, mesas, piscinas ou apenas decorar a casa de particulares, revivendo a importância que o azulejo tem na decoração da arquitetura lusitana. Para difundir as criações de sua oficina e aumentar sua clientela, são organizadas exposições com azulejos da Osirarte durante toda a década de 1940. Até 1942, as criações do ateliê-oficina são assinadas em conjunto. Por uma exigência do mercado norte-americano, no qual Rossi Osir decidira investir, a partir dessa data os azulejos passam a ser assinados por seis executores.

A linha temática seguida por Osirarte é predominante de cunho nacional-popular, em que se observa o gosto pelo primitivo e pelas origens do povo brasileiro. Os azulejos trazem todo tipo de representações de manifestações populares, como festas do Divino, quermesses, congadas, procissões, rodas de viola, batizados, casamentos ou apenas simples cenas cotidianas das cidades interioranas como refeições ao ar livre, feiras, pipoqueiros, fotógrafo ambulante, pescadores, cenas de namoro, colheitas, vendedores ambulantes, crianças jogando na praça ou ainda a figura de santos. Ao que tudo indica, a escolha da temática deve-se a Rossi Osir e responde a uma questão também de mercado, principalmente internacional. Contudo, nota-se que vários desses artistas, em suas produções pictóricas particulares, também sentiam afinidades com esses temas e mantinha contato com pintores não eruditos como Heitor dos Prazeres (1898 - 1966),Emídio de Souza (1868 - ca.1949) e José Antônio da Silva (1909 - 1996). Por uma questão técnica, as cores utilizadas são restritas ao azul, verde-esmeralda, amarelo, todas as gamas de terras-de-siena, ocres, roxos, rosas e pretos, trabalhando-se muitas vezes com pigmentos.

Na década de 1950, a empresa assume um caráter mais empresarial, passando a produzir inteiramente seus azulejos mediante aquisição de técnica e fornos especializados. A produção concentra-se na execução de encomendas, realizando azulejos para painéis idealizados por Burle Marx (1909 - 1994) - Instituto Oswaldo Cruz, em 1953 e Clube de Regatas Vasco da Gama, 1950 -, Poty (1924 - 1998) - Praça 19 de dezembro em Curitiba, 1953 -, entre outros. Com o afastamento de Rossi Osir e Volpi por volta de 1950, o ateliê continua funcionado com Zanini até 1958, fechando suas portas definitivamente em 1959 com a morte de seu fundador.

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Ivan Serpa - Figura Feminina
Figura Feminina
Danilo Di Prete - Sem Título
Sem Título