Escritoriodearte.com > Artistas > Nonê de Andrade

Nonê de Andrade

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Nonê de Andrade (São Paulo SP 1914 - Guarujá SP 1972)

Pintor, escritor, desenhista, cenógrafo, jornalista, músico, professor.

José Oswald Antônio de Andrade, filho do escritor Oswald de Andrade (1890 - 1954), torna-se conhecido como Nonê de Andrade. Durante os anos 1920, realiza várias viagens de estudos à Europa e ao Oriente Médio. Em 1924, visita as cidades históricas mineiras na companhia do pai e de amigos, como a pintora Tarsila do Amaral (1886 - 1973) e os escritores Mário de Andrade (1893 - 1945) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta à Suíça, onde prossegue seus estudos. Retorna definitivamente ao Brasil em 1929. Estuda pintura com Candido Portinari (1903 - 1962), entre 1931 e 1934, e com Anita Malfatti (1889 - 1964) e Lasar Segall (1891 - 1957), entre 1934 e 1936. Nessa época, participa do Clube dos Artistas Modernos - CAM e colabora no Teatro da Experiência, criado por Flávio de Carvalho (1899 - 1973). Na década de 1950, integra o Grupo Guanabara, do qual participam, entre outros, Manabu Mabe (1924 - 1997) e Takashi Fukushima (1950). Atua ainda como redator do jornal A Gazeta, entre outros, e produz literatura infantil, como O Saci que Fi à Lua". É diretor do Museu de Artes e Técnicas Populares e do Theatro Municipal de São Paulo. Os pesquisadores destacam em sua produção a identificação com os primeiros modernistas brasileiros e a aproximação ao surrealismo. Em 1982, ocorre a exposição Nonê de Andrade, dez anos depois, no Spazio Pirandello, São Paulo. É realizada uma retrospectiva de sua produção no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP, em 1990.

Comentário Crítico

Em Retrato de Waldo, Meu Pai, ca.1950, a figura, concebida com grande simplificação formal, se destaca do plano de fundo em cores escuras. O artista utiliza uma pincelada livre e matérica. Como aponta a arte-educadora Ana Mae Barbosa, um aspecto importante em sua obra é a influência do surrealismo, como em O Avarento, 1968, na qual revela um caráter ao mesmo tempo irônico e sentimental. O artista revela interesse pela produção de Walter Lewy (1905 - 1995) e de Tarsila do Amaral (1886 - 1973) . Na opinião do historiador da arte Walter Zanini, Oswald de Andrade Filho mantém o espírito fiel à ideologia nacionalista dos primeiros modernistas.

Críticas 

"Andrade Filho não tem parentescos no Brasil. Por trás de suas telas eu vejo o André Lhote de ´Parlons Peinture´ ou certos poemas sabidos que Luc Durtain escreveu sobre São Paulo. Mas dentro da moldura do retrato de Rossine, desse retrato azul tão puro e tão sensível, pastel ou têmpera, eu sinto certas poesias de Jean Cocteau, como aquela que começa assim: ´Les anges vous saluent, Marie´".
Sérgio Milliet
PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

"Era, antes de mais nada, pintor, praticando a pintura de cavalete e a mural dentro de sua habitual atitude de ´defesa de uma arte brasileira, com raízes no povo, no folclore, como a maior e mais rica fonte de inspiração para o artista´. Sua arte combina ingredientes surrealistas e primitivistas, postando-se sob a funda e marcante influência do antropofagismo paterno. A elaboração é refinada, tanto no que respeita à exteriorização estilística das idéias e emoções quanto no que concerne à execução técnica, de alto nível".
José Roberto Teixeira Leite
LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

Exposições Individuais

1945 - Individual, no IAB
1948 - Individual, no IAB
1948 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Domus
1961 - São Paulo SP - Individual, na Galeria da Aliança Francesa
1965 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte São Luiz
1966 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Atrium
1970 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Biblioteca da PUC/RJ

Exposições Coletivas

1935 - São Paulo SP - 2º Salão Paulista de Belas Artes
1935 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Belas Artes
1936 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Belas Artes - medalha de bronze
1937 - São Paulo SP - 1º Salão de Maio, no Esplanada Hotel de São Paulo
1938 - São Paulo SP - 2º Salão de Maio
1939 - São Paulo SP - 3º Salão de Maio
1939 - São Paulo SP - 5º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos
1940 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - menção honrosa
1940 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Belas Artes - medalha de prata
1941 - São Paulo SP - 1º Salão de Arte da Feira Nacional das Indústrias
1942 - São Paulo SP - 7º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos, na Galeria Prestes Maia
1944 - Belo Horizonte MG - Exposição de Arte Moderna, no Edifício Mariana
1944 - São Paulo SP - Exposição de Pintura Moderna Brasileira-Norte-Americana, na Galeria Prestes Maia
1945 - Rio de Janeiro RJ - Artistas Plásticos do Partido Comunista, na Casa do Estudante
1945 - São Paulo SP - Anita Malfati, Virgínia Artigas, Clóvis Graciano, Mick Carnicelli, Oswald de Andrade Filho, José Pancetti, Carlos Prado, Francisco Rebolo, Quirino da Silva, Alfredo Volpi, Mario Zanini, na Galeria Itapetininga
1947 - São Paulo SP - Bonadei, Di Cavalcanti, Noêmia Mourão, Lothar Charoux, Oswald de Andrade Filho, Lúcia Suané, Cesar Lacanna, Mario Zanini e Raphael Galvez, na Galeria Itapetininga
1951 - São Paulo SP - 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon
1952 - Rio de Janeiro RJ - Exposição de Artistas Brasileiros, no MAM/RJ
1952 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ 
1953 - São Paulo SP - 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão dos Estados
1954 - São Paulo SP - Arte Contemporânea: exposição do acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no MAM/SP
1955 - São Paulo SP - 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações
1955 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - medalha de bronze
1955 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão Nacional de Arte Moderna
1957 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - pequena medalha de prata
1958 - São Paulo SP - 4ª Coletiva do Grupo Guanabara
1958c. - São Paulo SP - 47 Artistas do Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas
1959 - São Paulo SP - 5ª Coletiva do Grupo Guanabara
1959 - São Paulo SP - 5ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP
1960 - São Paulo SP - 9º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1961 - São Paulo SP - 10º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1961 - São Paulo SP - 6ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP
1966 - São Paulo SP - Três Premissas, no MAB/Faap
1967 - São Paulo SP - 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1968 - Salvador BA - 2ª Bienal Nacional de Artes Plásticas
1969 - São Paulo SP - 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1970 - São Paulo SP - Pinacoteca do Estado de São Paulo 1970, na Pinacoteca do Estado

Exposições Póstumas

1972 - São Paulo SP - A Semana de 22: antecedentes e conseqüências, no Masp
1976 - São Paulo SP - Os Salões: da Família Artística Paulista, de Maio e do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, no Museu Lasar Segall
1982 - São Paulo SP - Do Modernismo à Bienal, no MAM/SP
1982 - São Paulo SP - Exposição Nonê de Andrade Dez Anos Depois, no Spazio Pirandello
1990 - São Paulo SP - Retrospectiva, no MAC/USP
1991 - São Paulo SP - 21ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1992 - São Paulo SP - Grupo Guanabara: 1950-1959, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte
2002 - São Paulo SP - Modernismo: da Semana de 22 à seção de arte de Sérgio Milliet, no CCSP
2004 - São Paulo SP - Novas Aquisições: 1995 - 2003, MAB/Faap

Fonte: Itaú cultural

VEJA TAMBÉM

Tuneu - Composição
Composição
Frans Krajcberg - Paisagem
Paisagem
Eliseu Visconti - Nú Feminino
Nú Feminino