Escritoriodearte.com > Artistas > Nicolina Vaz de Assis

Nicolina Vaz de Assis

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Nicolina Vaz de Assis Pinto do Couto (Campinas SP 1874 - Rio de Janeiro RJ 1941)

Escultora.

Inicia-se na escultura em sua cidade natal, sendo conhecida por ter realizado o busto de Campos Salles. Recebe bolsa do Pensionato Artístico do Estado de São Paulo , em 1897, para custear seus estudos na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), no Rio de Janeiro, onde é aluna de Rodolfo Bernardelli. Executa bustos de presidentes de estados, de políticos e personagens ilustres para o Museu da República. Além disso, também constrói esculturas funerárias, como, por exemplo, O Selvagem, de 1898, para o túmulo de José Vieira Couto de Magalhães (1837 - 1898), último presidente da província de São Paulo localizada no Cemitério da Consolação, considerada o primeiro exemplar de escultura art nouveau da cidade. Em 1904, novamente com bolsa do Pensionato, Nicolina vai para Paris, estuda na Académie Julian com os escultores Jean Alexandre Joseph Falguière (1831 - 1900) e Denys Puech (1854 - 1942), ganhadores do Prix de Rome, do Institut de France, e lá permanece até 1907. Casa-se, em 1911, com o escultor português Rodolfo Pinto do Couto (1888 - 1945). Realiza obras públicas em jardins, parques e praças, como O Canto das Sereias, s.d., na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, e Fonte Monumental, 1913 a 1923, em São Paulo, encomendada pela prefeitura. Postumamente, suas obras são expostas no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro, em 1950.

Comentário Crítico

O universo artístico do início do século XX no Brasil, no qual existem poucas chances de inserção da mulher, Nicolina Vaz de Assis está entre as poucas que obtêm reconhecimento profissional e não simplesmente como amadora das artes. Desconhece-se seu percurso de formação anterior ao recebimento das duas pensões concedidas pelo Estado de São Paulo, em 1897 e 1904, porém, consolida sua reputação no período em que estuda no Rio de Janeiro. Seu retrato feito por Eliseu Visconti (1866 - 1944), em 1905, e a recepção da tela, elogiada pelo crítico Gonzaga Duque (1863 - 1911), demonstram o reconhecimento atingido, bem como a menção de seus diversos trabalhos em revistas como Fon-Fon! e Kosmos.

Seguindo os passos de seus professores, Nicolina é capaz de articular importantes encomendas de obras públicas e privadas, executadas nos programas escultóricos assimilados da tradição europeia, mas também reveladores das demandas exigidas da arte na virada do século XIX. Prova dessa capacidade é a Fonte Monumental, encomendada em 1913, dentro do projeto de urbanização da cidade de São Paulo, o chamado "Centro Cívico", iniciado por Antônio Prado, prefeito entre 1899 e 1911. A fonte, implantada em 1923 na praça Vitória, hoje praça Júlio de Mesquita, conjunção da avenida São João, rua Barão de Limeira e rua Vitória, marca a ligação entre o centro e o bairro dos Campos Elíseos, residência da elite paulistana. A obra consiste de duas bacias circulares sobrepostas, coroadas por um conjunto escultórico representando um jovem pescador que lança sua rede em meio à sedução das sereias, que tentam desviá-lo de sua tarefa. A composição de formas espiraladas define a hierarquia do conjunto, chamando a atenção para a cena principal. Buscando a difícil integração da função de receptáculo da água e sustentáculo do conjunto de esculturas, as bacias são adornadas por relevos de flores e conchas de mármore, além de máscaras de figuras clássicas e lagostas de bronze. A temática é a tentadora simbiose entre cultura e natureza, cara ao art nouveau, estilo preferido pelas elites locais para demonstrar seu compasso com as novidades europeias e a vontade de modernização.

Críticas

"Nicolina tem, no seu cartaz, uma grande glória: fez o busto de oito presidentes da República. É elevado o número de obras que realizou. O Busto do Barão do Rio Branco, que executou e é tido como a sua obra-prima, foi adquirido pelo Ministério da Guerra. Outro trabalho seu de grandes proporções é o Busto de Rockefeller, que esteve exposto, durante três anos, na Universidade de São Paulo. A sua contribuição para o embelezamento dos jardins e parques cariocas é bem preciosa. Aquela espetacular serpente que se vê na Quinta da Boa Vista é da sua autoria, assim como aquele majestoso velho - primorosa arquitetura - que se admira no Passeio Público. Seu nome passou as nossas fronteiras e projetou-se no estrangeiro. Não somente em Paris mas também em toda a América do Sul".
Barros Vidal
Vidal, Barros. A primeira escultora. In: ---. Precursoras brasileiras. p. 201-205.

Acervos

Museu Mariano Procópio - Juiz de Fora MG
Museu Nacional de Belas Artes - MNBA - Rio de Janeiro RJ

Exposições Coletivas

s.d. - São Paulo SP - Nicolina Vaz de Assis e Rodolfo Pinto Couto, no Esplanada Hotel
1899 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1900 - Rio de Janeiro RJ - 7ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1901 - Rio de Janeiro RJ - 8ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba - menção honrosa
1902 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Geral de Belas Artes - menção honrosa
1904 - Paris (França) - Salão de Paris
1905 - Paris (França) - Salão de Paris
1906 - Paris (França) - Salão de Paris
1906 - Rio de Janeiro RJ - 13ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1907 - Paris (França) - Salão de Paris 
1907 - Rio de Janeiro RJ - 14ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba - medalha de prata
1908 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Geral de Belas Artes - medalha de ouro
1912 - Rio de Janeiro RJ - 19ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1913 - Rio de Janeiro RJ - 20ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1915 - Rio de Janeiro RJ - 22ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1916 - Rio de Janeiro RJ - 23ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1918 - Rio de Janeiro RJ - 25ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1919 - Rio de Janeiro RJ - 26ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1922 - Rio de Janeiro RJ - 29ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1925 - Rio de Janeiro RJ - 32ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1933 - Rio de Janeiro RJ - 40ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1935 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes
1936 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Belas Artes

Exposições Póstumas

1950 - Rio de Janeiro RJ - Exposição de escultura, no MNBA
1986 - São Paulo SP - Dezenovevinte: uma virada no século, na Pinacoteca do Estado
1998 - Rio de Janeiro RJ - Imagens Negociadas: retratos da elite brasileira, no CCBB
2000 - São Paulo SP - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Claudio Tozzi - Papagália
Papagália
Arcangelo Ianelli - Sem Título
Sem Título
Yutaka Toyota - Memória
Memória
Olney Krüse - A Ultima Refeição
A Ultima Refeição