Escritoriodearte.com > Artistas > Neuza Petti

Neuza Petti

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Neuza Petti (São Paulo SP 1944)

Desenhista, pintora e arquiteta.

Neuza Nazar Petti  forma-se em arquitetura em 1967, em São Paulo. Faz curso de pintura com Wesley Duke Lee e, em 1969, freqüenta a Escolinha de Arte do Brasil, tendo aulas com Carlos Fajardo, Frederico Nasser, Luiz Paulo Baravelli e José Resende. Entre 1983 e 1984, faz cursos com Carlos Fajardo, Rachel de Almeida Magalhães e Cassio Michalany, sobre desenho de observação e aquarela. Em 1986, freqüenta o curso de Ubirajara Ribeiro sobre técnicas e materiais para pintura. No ano seguinte, faz curso de pintura e aquarela com Alcindo Moreira Fisco e Alberto Teixeira, em 1987.

Críticas

"O trabalho de Neuza Petti já tem a característica que possibilita identificá-lo entre muitos. Neuza trabalha com grandes zonas brancas. Vai preenchendo estas zonas mediante a delimitação do campo, em linhas diagonais. A definição da área possibilita e determina a geração de formas, com injunções figurativas e com traços fortes. Tendo como parâmetro a margem do papel, suas pinceladas são traçadas com densidade, fazendo com que as cores e o desenho nasçam do fundo do suporte para a luz. Com nuances de vermelhos, azuis e amarelos, Neuza Petti consegue líricas transparências".
Elvira Vernaschi
DESENHOS & aquarelas. Apresentação de Elvira Vernaschi. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1987.

"Nas obras de Neuza Petti a cor transforma-se em ilusão, mas também espaço vivo, preenchido com a exaltação das conotações imaginativas, enquanto a mão firme guia o traçado da forma. O campo vital ou seja a imagem, passa a ser de naturalístico, em mental; mas a presença das coisas não é mais, como nos expressionistas abstratos, uma sombra meramente emotivo-psíquica, mas o sinal de uma ordem que de interna se faz externa. Estamos frente a uma pintura nítida, precisa, embora sempre pronta a deslanchar, fremente de luz e envolvida no que chamaríamos de uma atmosfera/cor".
Emanuel von Lauenstein Massarani
PETTI, Neuza. Neuza Petti. São Paulo: Espaço Cultural Chap Chap, 1990. , il. color.

Exposições Individuais

1985 - São Paulo SP - Individual, no Banco Real
1986 - São Paulo SP - Preto Mais Um, no Centro Cultural Garcia Guillem
1989 - São Paulo SP - Individual, na Sadalla Galeria de Arte
1990 - São Paulo SP - Individual, no Espaço Cultural Chap Chap
1991 - Guarujá SP - Individual, no Banco do Brasil
1994 - Santo André SP - Individual, na Prefeitura Municipal
1994 - São Paulo SP - Impressões do Contemporâneo, na Galeria Múltipla de Arte
1999 - Paranapiacaba SP - Instalação na Semana do Ferroviário

Exposições Coletivas

1970 - Embu SP - Salão de Arte do Embu
1970 - s.l. - 2ª Ultra Arte - medalha de ouro
1977 - São Paulo SP - Exposição de Arte do Esporte Clube Sírio
1983 - Salão dos Novos SNAC
1983 - Salão Nacional de Artes Plásticas - Troféu Salão Nacional
1983 - São Paulo SP - Salão de Arte do Esporte Clube Sírio - medalha de bronze
1985 - São Paulo SP - Salão Bunkyo
1986 - Buenos Aires (Argentina) - Bienal Latino-americana de Artes Sobre Papel
1986 - s.l. - Prêmio Aquarela Brasileira de Artes Plásticas - medalha de ouro
1986 - s.l. - Prêmio Brasil Contemporâneo de Artes Plásticas - menção honrosa
1986 - s.l.- 2º Salão Paleta de Ouro - troféu paleta de ouro
1986 - São Paulo SP - Artistas Contemporâneos, no Clube Paineiras
1986 - São Paulo SP - Pinturas e Figuras Up Town
1986 - São Paulo SP - Preto mais Um, no Centro Cultural Garcia Guillen
1986 - São Paulo SP - Quatro Artistas, no Esporte Clube Sírio
1987 - Araras SP - 20º Salão Ararense de Artes Plásticas
1987 - Cravinhos SP - 6º Salão de Artes Plásticas de Cravinhos
1987 - Curitiba PR - 14º Salão Paranaense de Arte Contemporânea, no MAC/PR
1987 - Curitiba PR - 44º Salão Paranaense, no MAC/PR
1987 - Franca SP - 11º Salão de Artes Plásticas de Franca - pequena medalha de ouro
1987 - Limeira SP - 14º Salão Limeirense de Artes Plásticas - pequena medalha de ouro
1987 - Limeira SP - 15º Salão Limeirense de Arte Contemporânea - menção especial
1987 - Matão SP - 16º Salão Oficial de Belas Artes de Matão
1987 - Recife PE - 40º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, na Galeria Metropolitana Aloísio Magalhães
1987 - Ribeirão Preto SP - 12º Salão de Arte de Ribeirão Preto, na Casa da Cultura
1987 - Rio Claro SP - 12º Salão de Artes Plásticas de Rio Claro
1987 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão de Artes da Associação dos Artistas Plásticos - medalha de bronze
1987 - Santo André SP - 15º Salão de Arte Contemporânea
1987 - São Paulo SP - Coletiva, no CCSP
1988 - Curitiba PR - 45º Salão Paranaense de Artes Plásticas de Curitiba
1988 - Milão (Itália) - Quattro Artiste Brasiliane, na Gallerie D'Arte Italo Brasiliana
1988 - São Paulo SP - 1/88, na Galeria Montesanti
1988 - São Paulo SP - 17º Salão Bunkyo - menção honrosa
1988 - São Paulo SP - 1º Salão Nacional de Aquarelas da FASM, na Faculdade Santa Marcelina
1988 - São Paulo SP - Coletiva, na Toki Arte Galeria
1989 - Campinas SP - Transparência e Cor, no MACC
1989 - São Paulo SP - 18º Salão Bunkyo
1989 - São Paulo SP - Arte em papel, no MAC/USP
1989 - São Paulo SP - Coletiva, Centro Escandinavo
1989 - São Paulo SP - Quattro Artiste Brasiliane, na Sadalla Galeria de Arte
1991 - São Paulo SP - Aquarelas, na Fundação Mokiti Okada M.O A
1992 - São Paulo SP - 500 Anos da Descoberta, na Fundação Bienal
1992 - São Paulo SP - Salão 75 Anos Esporte Clube Sírio
1993 - São Paulo SP - 2º Salão Nacional de Aquarela, na FASM
1993 - São Paulo SP - Coletiva, no MAC/USP
1994 - Santo André SP - Coletiva, no Paço Municipal
1996 - São Paulo SP - 25º Salão Bunkyo - Prêmio Acrilex
1997 - São Paulo SP - 26º Salão Bunkyo
1997 - São Paulo SP - Mínimo Múltiplo Comum, na Toki Arte Galeria
1998 - São Paulo SP - Paulistas na Paulista, no Banco Real
2000 - São Paulo SP - Imagem e Violência - O Corpo Invizível, no Sesc Vila Mariana
2000 - São Paulo SP - O Corpo Invisível II, na Unicid
2004 - São Paulo SP - A Gravura Paulista, na Gravura Brasileira

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Yugo Mabe - Koe XI
Koe XI