Escritoriodearte.com > Artistas > Nelson Bárbara Bucalão

Nelson Bárbara Bucalão

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Nelson Bárbara Bucalão (Sabáudia PR 1944)

Pintor, ilustrador.

Inicia a carreira artística como pintor autodidata, a partir de 1956. Executa alguns trabalhos e estuda pintura sacra com Alberto Paulowich, em 1960. Na cidade de Toledo, Paraná, em 1983, recebe o título de Personalidade do Ano em Artes Plásticas e, em 1984, a Medalha Willy Barth, pela divulgação da cidade no setor cultural. Ilustra a capa do livro História das Indústrias Comunitárias, em 1985. 

Críticas

"Longe dos grandes centros artísticos o pintor Nelson Bárbara Bucalão está buscando caminhos próprios dentro de sua concepção estética. Em sua arte, ele focaliza as cenas que lhe são comuns, como a tarefa dos lavradores, cenas domésticas e da natureza. Sua pintura é figurativa, mas foge um pouco do impressionismo propriamente dito, através de engrossamento da matéria. Há quadros em que os volumes de tinta começam a dar sinais de que o pintor está prestes a fugir para novos caminhos. Esta característica é que torna sua pintura bem pessoal. Sua arte já passou com louvores perante uma rígida comissão de críticos quando participou do Salão dos Novos, realização da Secretaria de Estado da Cultura. Na ocasição, ganhou menção honrosa. Transparece sempre um desejo de paz nos azuis tranquilos dos céus pintados por Nelson Bucalão, em alguns dos seus quadros. Aí está o otimismo que ele transmite em sua arte".
Aurélio Benitez
NELSON Bucalão. Textos de Aurélio Benitez et al. Toledo: s. ed. , 1985.

"Perfeito retratista da realidade, Bucalão contorna com seus pincéis o retrato impossível de ser revelado pela fotografia. Ele vai além do diafragma tecnológico, além até mesmo do real, para trazer à luz momentos apocalípticos de um êxodo ou momentos brandos do debulhar de uma espiga de milho. Aliás, em duas décadas de produção sistemática, Bucalão registra nos seus quadros todo movimento, toda sensibilidade que permeiam o homem do campo, pincelando sempre com traços firmes e cores fortes as situações do cotidiano do homem da roça. É o pincel que retrata a terra".
Ricardo Rodrigues
BUCALÃO, o pincel que retrata a terra. João Pessoa: Galeria Archidy Picado, 1986.

Exposições Individuais

1983 - Toledo PR - Individual, na Casa de Cultura de Toledo
1983 - Assis Chateaubriand - Individual, na Associação Comercial Assis Chateaubriand
1983 - Cascavel PR - Individual, no Centro Cultural Gilberto Meyer
1984 - Londrina PR - Individual, na Associação Comercial
1984 - Foz do Iguaçu PR - Individual, no Hotel Mirante
1985 - Campo Mourão PR - Individual, na Secretaria da Cultura Esporte e Turismo
1985 - Maringá PR - Individual, na Galeria de Arte da Biblioteca Municipal
1985 - Curitiba PR - Individual, na Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte
1985 - Bauru SP - Individual, no Sesc
1986 - João Pessoa PB - Individual, na Galeria Archidy Picado
1987 - São Paulo SP - Individual, na Itaugaleria

Exposições Coletivas

1983 - Toledo PR - Coletiva, na Casa de Cultura de Toledo 
1983 - Curitiba PR - Coletiva, na Galeria Acaiaca
1983 - Toledo PR - 9º Festin: Festival de Inverno
1984 - Londrina PR - Projeto Gralha Azul, no Cine Teatro Ouro Verde
1984 - Maringá PR - 1º Salão Paranaense da Paisagem
1985 - Maringá PR - 2º Salão Paranaense da Paisagem
1984 - Paraná - Salão dos Novos, no Sece - menção honrosa
1984 - Assis Chateaubriand PR - Coletiva de Artes Plásticas 
1984 - Curitiba PR - Sala Bandeirante, no MAC/PR
1985 - Toledo PR - Coletiva, na Caixa Econômica Federal
1985 - Toledo PR - Coletiva, no Centro Cultural de Toledo
1985 - Curitiba PR - Coletiva, no Teatro Guaíra
1986 - Curitiba PR - Tradição/Contradição, no MAC/PR

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Cildo Meireles - Sem Título
Sem Título
José Pancetti - Composição com Caranguejo, Cajus e Garrafas
Composição com Caranguejo, Cajus e Garrafas
John Graz - Paisagem
Paisagem