Escritoriodearte.com > Artistas > Monica Barki

Monica Barki

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Monica Barki (Rio de Janeiro RJ 1956)

Pintora, gravadora, fotógrafa, designer, professora.

Estuda artes com Ivan Serpa (1923 - 1973) e Bruno Tausz (1939) entre 1968 e 1976. Gradua-se em comunicação visual e em artes plásticas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC/RJ em 1980. Entre 1980 e 1982 cursa litografia com Antônio Grosso (1935) e em 1986 cerâmica com Celeida Tostes (1929 - 1995) e pintura com Luiz Aquila (1943) na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage. Realiza a performance Vestido-Gravura no lançamento da Mostra Rio Gravura, em 1999, no Rio de Janeiro.

Críticas

"O processo criador de Monica Barki desenvolve-se em três etapas seqüenciais. Primeiro ela recorta imagens-coisas, imagens 'abstratas', que vai guardando dentro de um envelope, mas que caberiam todas na palma da mão. Espécie de arquivo portátil, de bolso. É seu pequeno-grande mundo. Com este material, elabora, a seguir, pequenos estudos, a colagem propriamente dita, geralmente do tamanho de uma folha de papel ofício. A terceira e última etapa é a tela, que nela é de médio ou grande porte. (...) Este jogo de virtualidades e simulações dá a dimensão lúdica de sua criação plástica. Monica brinca. Brinca com as formas, simula a colagem, incorpora o fundo da tela, o branco, o vazio, inventa paisagens, interiores. Brinca também com as idéias e conceitos. Brinca com a própria história da arte. (...) A pintura de Monica Barki parece ingênua. Mas não é. Como pessoa é delicada, discreta, quase tímida no seu modo de ser. Sua pintura incorpora a garatuja infantil, o rabisco, a mancha, o traço, insinua o inacabado dos croquis. Mas nesse modo de agir há cálculo, premeditação, conhecimento de causa, domínio técnico. (...) Para Monica, a colagem, ou melhor, a sua pintura-que-imita-a-colagem não é um veículo de exteriorizações psicanalíticas, a busca primária de ignições poéticas surrealizantes. É antes de tudo a reafirmação dos valores plásticos da pintura. Ou melhor, é seu modo de, através da colagem, reinventar a pintura".
Frederico Morais
BARKI, Mônica. Mônica Barki: pinturas recentes. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1994. p. [4]

"Monica vem desenvolvendo, ao longo dos últimos anos, uma das linguagens mais pessoais da arte contemporânea carioca. Linguagem construída por um vasto repertório que inclui dados biográficos, a condição feminina, a cultura judaica, a educação burguesa, objetos de seu cotidiano, ironia, cultura ?pop? e referências ao abstracionismo geométrico. Elementos, cores e formas novas aparecem nas diversas fases de seu trabalho, montando vocabulários diversos dentro de uma linguagem que se repete se modificando. A pintura é, para Monica, algo sem fim e sem limite, o meio através do qual se relaciona com o mundo e nele deixa a sua marca. Sem fim e sem saída como a própria existência: ao mesmo tempo uma tarefa e uma libertação. A sua pintura, cheia de fragmentos, funciona como um quebra-cabeça de imagens e fatos da vida que devem ser contados. A arte está em volta: no detalhe do tapete do quarto, nos desenhos dos filhos, nos tecidos da casa, na cartilha, em sua memória das paisagens externas e internas. Monica Barki não pretende fazer grandes declarações sobre o mundo, mas as suas declarações sobre o seu mundo: uma pintura das pequenas causas que possui forte ligação com a arte das questões específicas dos anos 90. (...) Na fase atual a preocupação da pintora se sobrepõe à preocupação biográfica. Nota-se em seus trabalhos uma exacerbação da cor, forma, espaço, texturas e matéria. As paisagens e memórias são mais internas servindo a um interesse essencialmente pictórico. As caixas-objetos surgiram em 1995 por conta de sua vontade de experimentar a tridimensionalidade. Nelas os objetos são achados, reapropriados e depois abandonados: as referências biográficas deixam de ser o ponto de chegada, se constituindo em partida para uma abordagem plástica. Neste sentido, os seus trabalhos não são 'literários'. A procura não é de entendimento narrativo, mas da própria arte. Monica não mais está interessada em aquilo que representa, mas no efeito e estrutura da representação. O modo de contar a história é o que importa, mesmo que o espectador não reconheça certos elementos ou decifre todas as pistas".
Lauro Cavalcanti
BARKI, Mônica. Monica Barki. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Villa Maurina, 1997.

Acervos

Casa de Cultura Laura Alvim - Rio de Janeiro RJ
Centro Cultural Cândido Mendes - CCCM - Rio de Janeiro RJ
Museu de Arte Contemporânea - MAC/PR - Curitiba PR
Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói - Niterói RJ
Museu de Arte da Pampulha - MAP - Belo Horizonte MG
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ - Rio de Janeiro RJ
Museu Nacional de Belas Artes - MNBA - Rio de Janeiro RJ

Exposições Individuais

1976 - Rio de Janeiro RJ - Auto-Retrato, na Galeria do Centro de Pesquisa de Arte
1978 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Domus
1982 - Rio de Janeiro RJ - Álbum de Família, na Galeria César Aché
1990 - Rio de Janeiro RJ - Conexões, na Galeria do CCCM
1991 - Vitória ES - Monica Barki: pinturas, na Itaúgaleria
1992 - Belo Horizonte MG - Desenrolar, no Centro Cultural UFMG
1992 - Brasília DF - Monica Barki: pinturas, na Itaúgaleria
1992 - Rio de Janeiro RJ - Monica Barki: pinturas & estudos recentes, no CCBB
1994 - Rio de Janeiro RJ - Monica Barki: pinturas recentes, no Paço Imperial
1994 - São Paulo SP - Monica Barki: pinturas recentes, na Galeria Nara Roesler
1996 - Curitiba PR - Monica Barki: obras recentes, na Sala Miguel Bakun
1996 - Salvador BA - Monica Barki: pinturas & caixas-objetos, no MAM/BA
1997 - Petrópolis RJ - Monica Barki: pintura & caixa-objeto, no Museu Imperial
1997 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1997 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Instituto Cultural Villa Maurina
1998 - Belo Horizonte MG - Monica Barki: pintura & caixa-objeto, no Centro Cultural UFMG
1999 - Belo Horizonte MG - Monica Barki: obras recentes, na AM Galeria de Arte
1999 - Curitiba PR - Monica Barki: pintura & caixa-objeto, no MAC/PR
1999 - Tiradentes MG - Monica Barki em Tiradentes, no Centro Cultural Yves Alves
2000 -  São Paulo SP  - Colarobjeto, na Galeria Nara Roesler
2000 - Buenos Aires (Argentina) - Colarobjeto, no Centro Cultural Recoleta
2000 - Rio de Janeiro RJ - Colarobjeto, na Galeria Anna Maria Niemeyer
2000 - Rio de Janeiro RJ - Colarobjeto, no Paço Imperial
2003 - Petrópolis RJ - Individual, na Galeria Sesc Petrópolis
2003 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Ibeu Copacabana
2003 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Museu da Chácara do Céu
2004 - Brasília DF - Ana C., no Conjunto Cultural da Caixa
2006 - Rio de Janeiro RJ - ANA C. e outras estórias, na Galeria Anna Maria Niemeyer

Exposições Coletivas

1972 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão de Verão, no MAM/RJ
1977 - Belo Horizonte MG - 9º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP - prêmio aquisição
1977 - Goiânia GO - 3º Concurso Nacional de Artes Plásticas da Caixa Econômica do Estado de Goiás
1978 - Cidade do México (México) - 1ª Bienal Ibero-Americana de Pintura, no Instituto Cultural Domecq
1979 - Florianópolis SC - 4º Salão Nacional Universitário de Artes Plásticas - prêmio especial
1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1980 - Curitiba PR - 3ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na  Casa da Gravura Solar do Barão
1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA
1980 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão Carioca de Arte, na Galeria Augusto Malta do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro
1981 - Curitiba PR - 38º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra - prêmio aquisição
1981 - Curitiba PR - 4ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, na Casa da Gravura Solar do Barão - prêmio aquisição
1981 - Recife PE - 34º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco
1981 - Rio de Janeiro RJ - 5º Salão Carioca de Arte, no Mezanino da Estação Carioca do Metrô
1981 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1982 - Belo Horizonte MG - 14º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no Museu de Arte da Pampulha
1982 - Rio de Janeiro RJ - 5º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1982 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Carioca de Arte, no Mezanino da Estação Carioca do Metrô
1989 - Brasília DF - Novos Valores da Arte Latino-Americana/Brasil, no Museu de Arte de Brasília
1989 - Rio de Janeiro RJ - O Mestre à Mostra, na EAV/Parque Lage
1990 - Brasília DF - Jeannette Priolli, João Magalhães, Monica Barki: pinturas recentes, na Performance Galeria de Arte
1990 - Petrópolis RJ - Ciclo Pintura/Escultura, no Atelier Livre de Petrópolis
1990 - Rio de Janeiro RJ - Jeannette Priolli, João Magalhães, Monica Barki: pinturas recentes, na Casa de Cultura Laura Alvim
1991 - Rio de Janeiro RJ - 10 Anos de Acervo - Coleção Centro Cultural Candido Mendes, no MAM/RJ
1991 - Rio de Janeiro RJ - Processo nº 738. 765-2, na EAV/Parque Lage
1991 - São Paulo SP - 21ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1991 - São Paulo SP - Artistas da 21ª Bienal Internacional de São Paulo, na Galeria Montesanti Roesler
1992 - Rio de Janeiro RJ - Avenida Central, no MNBA
1993 - Rio de Janeiro RJ - 13º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Palácio Gustavo Capanema
1993 - Rio de Janeiro RJ - Artistas do 13º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1993 - Rio de Janeiro RJ - O Papel do Rio, no Paço Imperial
1993 - Rio de Janeiro RJ - Paixão do Olhar, no MAM/RJ
1993 - Rio de Janeiro RJ e Campinas SP - De Todas as Cores, no Solar Grandjean de Montigny da PUC/RJ e no MACC
1993 - Rio de Janeiro RJ e Salvador BA - A Estrela Chorou Rosa: pinturas, no MAM/RJ e no MAM/BA
1994 - Rio de Janeiro RJ - 100 Anos de Futebol, no MNBA
1994 - Rio de Janeiro RJ - Imagens Indomáveis, na EAV/Parque Lage
1994 - Rio de Janeiro RJ - Sob o Signo de Gêmeos, na Galeria Saramenha
1994 - Rio de Janeiro RJ - Um Olhar sobre o Outro, no Instituto Cultural Villa Maurina
1995 - Curitiba PR - Imagens em Questão, no Museu Guido Viaro
1995 - Pequim (China) - Papel do Brasil: arte contemporânea, no Palácio dos Trabalhadores
1995 - Rio de Janeiro - Da Cor do Rio, no Centro Cultural Correios
1995 - Rio de Janeiro RJ - 100 Anos de Cinema, no MAM/RJ
1995 - Rio de Janeiro RJ - A Infância Perversa: fábulas sobre a memória e o tempo, no MAM/RJ 
1995 - Rio de Janeiro RJ - Romance Figurado, no MNBA
1995 - Rio de Janeiro RJ - Salão em Preto e Branco, no MNBA
1995 - Salvador BA - A Infância Perversa: fábulas sobre a memória e o tempo, no MAM/BA 
1996 - Brasília DF - Um Olhar sobre o Outro, na Referência Galeria de Arte
1996 - Rio de Janeiro RJ - Amigos do Calouste, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian
1996 - Rio de Janeiro RJ - Fachadas Imaginárias, nos Arcos da Lapa
1996 - Rio de Janeiro RJ - Petite Galerie: uma visão da arte brasileira, no Paço Imperial
1997 - Rio de Janeiro RJ - Poemas Visitados, no Centro Cultural dos Correios
1998 - Cidade do México (México) - 11ª Bienal Ibero-Americana de Arte, no Instituto Cultural Domecq
1998 - Rio de Janeiro RJ - Coleções do Governo do Estado, no Espaço Cultural dos Correios
1999 - Belo Horizonte MG - 10 Anos de Centro Cultural UFMG, no Centro Cultural UFMG
2000 - Curitiba PR - Imagens em Questão, na Galeria da Caixa Econômica Federal
2000 - Curitiba PR - Olhar Contemporâneo: artistas latino-americanos, na Galeria de Arte Fraletti e Rubbo
2000 - Petrópolis RJ - O Século das Mulheres - Algumas Artistas, na Casa de Petrópolis/Instituto de Cultura
2000 - Rio de Janeiro RJ - Novas Aquisições do MAM e da Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
2001 - Belém PA - 20º Salão Arte Pará, no Museu do Estado do Pará
2001 - Rio de Janeiro RJ - José Franco, Manfredo de Souzanetto, Monica Barki e Walton Hoffmann, no Centro Cultural Cândido Mendes
2001 - Rio de Janeiro RJ - Mulheres de Laura, na Casa de Cultura Laura Alvim
2001 - Rio de Janeiro RJ - Nova Orlândia - ocupação de uma casa por 49 artistas em Botafogo
2002 - Niterói RJ - A Recente Coleção do MAC, no MAC-Niterói 
2002 - Rio de Janeiro - Panorâmica 2001, no Centro Cultural Candido Mendes
2003 - Petrópolis RJ - Conexão Petrópolis, no Museu Imperial
2003 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Brazilianart, na Almacén Galeria de Arte
2005 - Belo Horizonte MG - Coletiva de Acervo 2005, na Galeria Murilo Castro
2005 - Curitiba PR - Arte em Metrópolis, no Museu Oscar Niemeyer 
2005 - São Paulo SP - Arte em Metrópolis, no Instituto Tomie Ohtake

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Aldo Bonadei - Frutas
Frutas
Glauco Rodrigues - São Sebastião
São Sebastião
León Ferrari - Sem Título
Sem Título
Alice Brill - Torres
Torres