Escritoriodearte.com > Artistas > Martinho de Haro

Martinho de Haro

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Martinho de Haro (São Joaquim SC 1907 - Florianópolis SC 1985)

Pintor, desenhista e muralista. Inicia-se na pintura em Lages, Santa Catarina, em 1920, e expõe individualmente pela primeira vez no Conselho Municipal de Florianópolis, em 1926. Como bolsista do governo catarinense, estuda na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), no Rio de Janeiro, de 1927 a 1937, tendo aulas com Henrique Cavalleiro (1892-1975) e Rodolfo Chambelland (1879-1967). Trabalha como auxiliar de João Timóteo na decoração da Igreja de Nossa Senhora da Pompéia, em 1930, e de Eliseu Visconti (1866-1944) na execução do panô do Teatro Municipal, de 1930 a 1935. Em 1931, participa do Salão Nacional de Belas Artes, organizado por Lucio Costa (1902-1998). Em 1938, embarca para a França, onde estuda com Otto Friesz na Académie de la Grande Chaumière de Paris. Devido ao início da guerra, retorna a São Joaquim em 1939, ali permanecendo até 1944, quando se muda para Florianópolis, cidade em que vive até seu falecimento. 

Críticas

"Martinho de Haro é um pintor brasileiro, permanente, e com uma rara história abrangendo os tempos de pioneirismo e desenvolvimento da arte moderna no Brasil. Sem dúvida ao lado do paisagismo de Pancetti e Guignard, das figuras de Di Cavalcanti, impõe-se a pesquisa de Martinho de Haro que, de uma certa forma, destaca-se quase única na propositura hoje do nu e da natureza-morta. (...) De qualquer forma, sem os arroubos teóricos e materiais das jovens descobertas, Martinho de Haro manteve-se tranquilo e saudável, no caminho de uma pintura que supera o simples registro do assunto, e transfigura com uma sensibilidade e uma cor muito próprias, as atmosferas regionais, o universalismo dos objetos provincianos, a poesia do corpo do qual extrai um nível de beleza não convencional e muito mais do espírito do que da linha. (...) Martinho de Haro passou por vários temas: paisagem, natureza-morta, retrato e auto-retrato, motivos religiosos, nus, flores etc. Apesar disso a variante nítida das fases em seu percurso é muito pequena. Se deixarmos de lado a pintura pesada de um expressionismo carregado de matéria e sombra, da década de 20, e as reminiscências regionais das atividades rurais com que na década de 30 se impôs ao primeiro julgamento do ambiente artístico do Rio de Janeiro, todo o resto foi uma segura variação sobre a mesma linguagem".
Walmir Ayala
MARTINHO de Haro. Texto de Walmir Ayala. Rio de Janeiro: L. Christiano, 1986.

"Pouco há o que dizer sobre o surto renovador das artes visuais em Santa Catarina, na fase final do ciclo que implantara o modernismo entre nós. O único personagem que ali então realça e mesmo assim decidido ao retraimento é Martinho de Haro. (...) Sua pintura econômica em efeitos, liricamente disciplinada, mesclando longínquas referências ao art-nouveau com a propensão geometrizante do cubismo, preocupou-se especialmente em fixar a paisagem local através de casarios comportados a céus suaves".
Roberto Pontual
PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Jornal do Brasil, 1987.

Exposições Individuais

1926 - Florianópolis SC - Primeira individual, no Conselho Municipal de Florianópolis
1952 - Florianópolis SC - Individual, no Colégio Dias Velhos
1963 - Florianópolis SC - Individual, no Palácio das Diretorias
1967 - Florianópolis SC - Individual, na Redação do jornal O Estado
1970 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Seta
1972 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Chica da Silva
1972 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Aliança Francesa
1974 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria da Praça
1975 - Florianópolis SC - Individual, na Galeria de Arte do Studio A2
1977 - Rio de Janeiro RJ - Indivdual, na Trevo Galeria de Arte
1978 - Florianópolis SC - Individual, na Galeria Ceisa Center
1982 - Florianópolis SC - Individual, na Galeria Lescaux

Exposições Coletivas

1928 - Rio de Janeiro RJ - 35ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1930 - Rio de Janeiro RJ - 37ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1931 - Rio de Janeiro RJ - Salão Revolucionário, na Enba
1932 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Geral de Belas Artes - medalha de bronze
1933 - Rio de Janeiro RJ - 40ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1934 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - medalha de prata
1935 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - prêmio de viagem ao país
1937 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Belas Artes - prêmio de viagem ao exterior
1949 - Curitiba PR - 6º Salão Paranaense de Belas Artes, na SEC/DC
1952 - Curitiba PR - 9º Salão Paranaense de Belas Artes, na SEC/DC
1954 - Curitiba PR - Salão Paranaense de Belas Artes
1958 - Florianópolis SC - 1º Salão do Grupo de Artes Plásticas - homenagem especial
1958 - Porto Alegre RS - Salão Pan-Americano
1967 - Florianópolis SC - Arte 67, no DEC da UFSC
1970 - Blumenau SC - Coletiva de Artes Plásticas Barriga Verde, na Galeria Agu-Agu - Sociedade Dramática Carlos Gomes
1971 - Blumenau SC - Coletiva de Artistas Catarinenses
1971 - Florianópolis SC - 12 Artistas de Florianópolis, no Masc
1971 - Rio de Janeiro RJ - 50 Anos de Pintura Brasileira, no MAM/RJ
1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 Anos Depois, na Galeria da Collectio
1973 - Rio de Janeiro RJ - Martinho e Rodrigo de Haro, na Galerie de L'Aliance
1974 - Blumenau SC - 5ª Coletiva de Artes Plásticas Barriga Verde, na Galeria Agu-Agu
1974 - Florianópolis SC - Artistas de Florianópolis, na Assembléia Legislativa
1976 - Blumenau SC - 6ª Coletiva de Artes Plásticas Barriga Verde, na Galeria Agu-Agu
1976 - Brasília DF - Exposição de Artistas Catarinenses, no Clube Naval
1977 - Balneário de Camboriú SC - Panorama da Arte Catarinense
1977 - Criciúma SC - Ars - Artis Criciúma, no Criciúma Clube/jornal O Estado
1977 - Curitiba PR - Coletiva Artistas Catarinenses, na Galeria SH 316
1978 - Florianópolis SC - 1ª Mostra de Arte Rodoviária Catarinense, no Masc
1979 - Florianópolis SC - Memorial Eduardo Dias, na Assembléia Legislativa
1980 - Rio de Janeiro RJ - 50 Anos de Pintura, na Galeria Trevo
1981 - Joinville SC - Mestres da Arte Brasileira, no Museu de Arte de Joinville
1981 - Rio de Janeiro RJ - Universo do Carnaval: imagens e reflexões, na Acervo Galeria de Arte
1983 - Florianópolis SC - A Ilha Revisitada, no Masc
1983 - São Paulo SP - 14º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 - Florianópolis SC - Panorama Catarinense de Arte-Pintura/84, no Masc/FCC
1984 - Fortaleza CE - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas
1984 - Rio de Janeiro RJ - Salão de 31, na Funarte
1984 - São Paulo SP - Arte de Santa Catarina, na Faap

Exposições Póstumas

1986 - Florianópolis SC - Individual, no Masc
1986 - Florianópolis SC - Infinitamente... Martinho de Haro, no Masc
1999 - Florianópolis SC - Desenhos e Gravuras: Acervo MVM - 1994 a 1999, no Museu Victor Meirelles

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Aldemir Martins - Mulher Rendeira
Mulher Rendeira