Escritoriodearte.com > Artistas > Maria Helena Chartuni

Maria Helena Chartuni

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Maria Helena Chartuni (São Paulo SP 1942)

Escultora, pintora, restauradora, desenhista e ilustradora.

Estuda pintura com Luigi Zanotto (1919 - 1989). Com prêmio obtido em concurso de estamparias visita a Europa em 1967. Anos mais tarde retorna para fazer um curso de restauração de pintura em Londres (Inglaterra). No Brasil, trabalha como restauradora do Masp, São Paulo, onde recupera a imagem de Nossa Senhora Aparecida, destruída durante um atentado em 1978. Cria, em 1979, o troféu Trabalho e Lazer, para o 1º Festival do Cinema Brasileiro no Cinesesc. Na década de 80, ilustra todos os números da revista Mirante das Artes. Como escultora realiza o monumento ao Papa João Paulo II, em Curitiba, e a escultura de Nossa Senhora da Conceição para o espetáculo Bandeira da Divina Graça, de Romero Andrade de Lima.

Críticas

"Seus trabalhos (M. H. Chartuni) nos diversos setores a que se dedica têm mantido uma expressão que alia a pop art, a nova figuração e certo expressionismo, com vistas à crítica de aspectos da contemporaneidade".
Roberto Pontual
PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

"O visitante vai descobrir nas telas investigações metafísicas, ou melhor, ontológicas, indagantes do simbólico das figurações postas em cena, uma realidade rica em interferências, intuições e até o jeito de um surreal, o que andou se definindo 'obra-aberta', acentuando as ambiguidades nas respostas a quantas interrogações possam surgir por parte do arguidor (...). Desde o início da artista, tinha notado a atenção às cores, às formas, às imagens de uma realidade sempre renovada e recomposta, tendendo a uma sintonia entre o representado e o observador. Mais uma vez o se entender, compreender; visitante e artista, a um só tempo participantes e resultado: a fantasia vindo em auxílio para definir o que não sabemos definir. No evolver da forma e das contendas, hoje em desuso o 'Ut pictura poesis', vale um novo conceito, não mais literário: o artista atinge diretamente no dia-a-dia uma nova poética e uma subjetiva representação do que se passa na vida, o pintor definindo o quanto resolve mostrar. (...) fiel à tradição o parentesco entre pintura e poesia, (...) me parece que Maria Helena, conscientemente, espia de uma das tantas janelas do labirinto conotações sociais, embrulhadas platônicas de personagens, encostamentos de animais reconhecíveis e de sua criação que, não sei por que, ocasionalmente me fazem pensar nas tão discutidas ficções de Fernando Pessoa, as que ele denominava 'autopsicografias' (...)".
P. M. Bardi
M. H. CHARTUNI. Apresentação de Pietro Maria Bardi. Introdução de Ricardo Camargo. São Paulo: Studio José Duarte de Aguiar, 1984.

Exposições Individuais

1964 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Selearte
1967 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Mirante das Artes
1984 - São Paulo SP - Individual, no Studio José Duarte de Aguiar
1989 - São Paulo SP - Individual, no Studio José Duarte de Aguiar
1995 - São Paulo SP - Individual, no Renato Magalhães Gouvea Escritório de Arte

Exposições Coletivas

1963 - São Paulo SP - 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1965 - São Paulo SP - 2ª Exposição do Jovem Desenho Nacional, no MAC/USP
1965 - Tóquio (Japão) - 8ª Bienal de Tóquio
1966 - Rio de Janeiro RJ - O Artista e a Máquina, no MAM/RJ
1966 - São Paulo SP - 8 Artistas, no Atrium
1966 - São Paulo SP - O Artista e a Máquina, no Masp
1967 - Rio de Janeiro RJ - Nova Objetividade Brasileira, no MAM/RJ
1967 - Rio de Janeiro RJ - Salão das Caixas, na Petite Galerie - prêmio aquisição
1968 - Rio de Janeiro RJ - O Artista Brasileiro e a Iconografia de Massa, na Esdi
1968 - São Paulo SP - 17º Salão Paulista de Arte Moderna
1969 - São Paulo SP - 1º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Masp
1969 - São Paulo SP - Coletiva, no Paço das Artes
1969 - São Paulo SP - 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1973 - Bruxelas (Bélgica) - Imagem do Brasil, organizada e dirigida por Pietro Maria Bardi
1975 - São Paulo SP - Coletiva, no Centro Campestre do Sesc
1978 - Bruxelas (Bélgica) - Criatividade na Arte Brasileira Contemporânea, no Museu Real de Belas Artes da Bélgica
1978 - São Paulo SP - 1ª Bienal Latino-Americana
1979 - São Paulo SP - Arte Erótica, na Galeria de Arte Aplicada
1979 - São Paulo SP - Cinco Séculos de Arte Brasileira, no Masp
1980 - Santiago (Chile) - 20 Pintores Brasileños, na Academia Chilena de Bellas Artes
1981 - Bogotá (Colômbia) - 10 Artistas Brasileños, no Museu de Arte Moderna de Bogotá
1982 - Japão - Museu de Arte Mie-Ken
1982 - São Paulo SP - Um Século de Escultura no Brasil, no Masp
1986 - Ludwigshafen (Alemanha) - Brasilianishe Kunstler, BASF
1988 - Verona (Itália) - La Memoria dell'Immage, no Palazzo Forti
1989 - São Paulo SP - Escultura no Brasil, no Espaço Cultural Sudameris
1990 - Alessandria (Estados Unidos) - 3 Artistas Latino-Americanos
1995 - São Paulo SP - Projeto Arte Atual Brasil, no Renato Magalhães Escritório de Arte

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Renina Katz - Sem Título
Sem Título
Danilo Di Prete - Pássaro Azul
Pássaro Azul