Escritoriodearte.com > Artistas > Maria Freire

Maria Freire

OBRAS DO ARTISTA

Maria Freire - Vibrante Nº5

Vibrante Nº5

acrílico sobre tela
1976
80 x 115 cm
ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Maria Freire (Montevideo, Uruguay, 1917)

"Só conhecendo a união indissolúvel entre a ética do trabalho plástico e personalidade Maria Freire, pode medir a enorme distância entre a memória ativa do seu trabalho e da era amnésia pós-moderna em relação aos humanistas utópicos gerados premissas da cultura moderna."

Introduzir este artigo sobre este pintor e escultor uruguaio com uma citação do texto assinado por Gabriel Peluffo Linari, intitulado Universo e artístico espaço região Maria Freire, acho que resume muito do trabalho artístico de uma mulher que foi um dos pioneiros de formas abstratas em plástico uruguaio.Pintor, escultor, professor de arte e crítica de arte são marcos profissionais Freire, que seria co-fundador do Grupo Sem arte figurativa, juntamente com o seu parceiro artístico e sentimental, José Pedro Costigliolo.

Depois de estudar nas Belas Artes e do Trabalho da Universidade receberiam uma bolsa de estudos para continuar seus estudos em Amsterdam e Paris, onde você pode ver em primeira mão o trabalho do Neo holandês, Pollock, Calder e outros proeminentes figuras que tinham conhecido primeiro através de revistas francesas de arte que foram recebidos na Faculdade de Arquitectura da Universidade de Montevidéu.

Como todos os artistas contemporâneos Uruguai, manteve contatos com Torres García, que mencionamos em artigos anteriores dedicados a Petrona Viera e Amalia Nieto, que, entre outras coisas, foi defensor olhar para a arte de pessoas qualificadas de "primitivo", o que causou um grande impacto sobre os artistas europeus dos anos 20 e 30, como foi o caso de Picasso.

Freire não pôde resistir à influência dessas pessoas e máscaras africanas ambos os elementos que moldaram o universo visual dos povos pré-colombianos, estavam presentes no início de um pintor artístico (obra escultórica ocupa um período de tempo menor em relação a pintura), que fez uma viagem que a levou a optar por pura abstração, a relação entre as formas sem referências concretas, unidos por ritmos que, por vezes, têm sido descritas como a música, bem como a utilização de um cores exatas com a paleta não é muito grande, ea geometria que impõe a sua presença, mas não de uma forma agressiva, mas, pelo contrário, quase como se ele estivesse pedindo desculpas para nós, suavemente, com boa educação. O que também é transferível para suas esculturas.

Apesar do peso geométrico da bidimensionalidade da pequenez da paleta de cores trabalha não estamos enfrentando frio, distante, impenetrável, mas a sensação que se tem é que a existência de um calor quase de terra no formas que se cruzam ou manter a distância em um constante convite para se relacionar com eles, como se eles querem que a gente ouve essas histórias parásemos que sugerimos, cuja presença sentimos. Daniel Tomasini ( Fidelity para renovar excelência, Maria Freire ) escreveu em relação a seu trabalho que "um sentimento de instabilidade dinâmica seguros que emana de suas obras."

Como resumo final devolver a palavra para Gabriel Peluffo quando ele explica, no mesmo artigo citado acima, que "Maria Freire feito desde 1959 formalmente repertório varia, mas cujos códigos de construção também pode ser reduzido a alguns: corte o avião envolvido na construção sinal poligonal (séries América, 1958-1960), a perfuração do plano espacial levando a uma construção desenvolvimento nodal virtualmente infinito (série Libra e Córdova, 1965-1975) e o plano perturbação volumétrico por sua subdivisão superfície, criando relevos e vibração de acordo com as sequências de modulação cromática (variantes e série vibrante, 1975-1985) ".

A pintora teve contatos com o movimento argentino Madí e expôs na II Bienal de São Paulo, em 1953, enfatizando o caráter despolitizado do construtivismo uruguaio, sem vínculos com a esquerda, ao contrário dos congêneres brasileiro e argentino.

VEJA TAMBÉM

Sandra Cinto - Sem Título
Sem Título
Burle Marx - Cidade
Cidade