Escritoriodearte.com > Artistas > Marco Tulio Resende

Marco Tulio Resende

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Marco Tulio Resende (Belo Horizonte MG 1950)

Pintor, desenhista e professor.

Estuda artes plásticas na Escola Guignard, em Belo Horizonte, entre 1971 e 1974, onde convive com Amilcar de Castro (1920 - 2002), Sara Ávila (1932) e Lotus Lobo (1943). Participa da 12ª Bienal Internacional de São Paulo em 1973. Dois anos depois, faz sua primeira exposição individual na Galeria do Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos, em Belo Horizonte. Entre 1975 e 1979, faz mestrado na School of the Art Institute of Chicago - Artic, Estados Unidos, como bolsista da Fulbright Commission. Ganha o prêmio de desenho no 9° Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, em 1977, e menção honrosa do Fellowship Contest, promovido pelo Artic em 1978. De volta a Belo Horizonte, em 1979, retorna à Escola Guignard como professor. Recebe bolsa do Goethe Institut para estudar na Alemanha em 1990. Em 1998, é convidado a participar como artista visitante da Sheffield Hallam University, Sheffield, Inglaterra.

Comentário Crítico

Marco Tulio Resende tem uma produção diversificada, trabalha com pintura, desenho, gravura, objetos, instalações e livros-objeto. Sua obra é marcada por um caráter intimista que, segundo o próprio artista, provém da tentativa de se ver no mundo, de se espelhar e se reconhecer nele.

O artista cria livros-objeto, construídos por pinturas e desenhos. Para o artista plástico e crítico de arte Márcio Sampaio (1941), nessas obras Resende escreve também sua própria história: seu trabalho requer do espectador uma grande concentração, para seguir cada um dos momentos de sua vida ali apresentados e para prosseguir em sua leitura. Para Sampaio, as formas que realiza, como osso, martelo, torre, mão, cravo ou flor, aludem a sentimentos vivenciados pelo artista, como perdas, medos, desejos e desistências.

Resende cria obras a partir de materiais do cotidiano, como madeira, tecido, terra, cristais e pedaços de ferro. Segundo a historiadora da arte Aracy Amaral, em Carro, 1999, o artista alude ao meio de transporte por meio de uma construção com madeira e barro, recriado-o assim de maneira precária. Já em Ilha, 1999, apresenta um cesto de madeira fechado por cintas de metal, em cujo interior coloca pedras. Em Jardim, 1999, constrói montes de barro de formato similar sobre uma base de madeira. Os trabalhos geram um certo desconcerto no observador. São imagens não usuais, compostas por objetos com os quais o artista se depara em seu dia-a-dia e que podem alcançar significados diversos. Representam também fragmentos de sua memória pessoal, recuperados em seus trabalhos.

Para o historiador da arte Tadeu Chiarelli, em suas obras sobre papel o artista cria um campo exploratório especifico para a formulação de seu próprio imaginário. Nesses trabalhos, formas amputadas do corpo humano transformam-se em elementos modulares, dotados de forte concentração dramática.

Críticas

"Através de pesquisa contínua, Marco Túlio Resende trava, com a natureza, com as coisas e com os seres, um misterioso diálogo, mediante o qual se efetua uma constante permutação e se estabelece o seu vocabulário, seu monólogo interior denso e severo. Lançando mão de objetos banais, Marco Túlio não pretende dotá-los de nova categoria estética nem nada alterar em sua condição. Não. O artista pretende descobrir a magia das coisas, o rito escondido atrás da máscara, e reinventar o gesto e o olhar. É este o sentido de seu trabalho: dar uma visão nova de coisas que nem enxergamos mais ou ainda: recuperar a mágica das formas relegadas e patenteá-las aos nossos olhos. Esta, talvez, a missão por excelência do artista: não a de alterar categorias estéticas existentes, mas, iluminá-las; não a de criar novas categorias, mas, redescobri-las. Seus trabalhos exprimem bem essa postura: através da síntese e não da análise das formas trabalhadas, o artista realiza o seu jogo, sua razão e sua visão. Cumpre-nos acompanhá-lo em suas ordenações que não pretendem modificar a ordem existente, senão percebê-la, apreendê-la e comunicarmos seu sentido mais secreto. Com suas sugestões de relíquias, de estranhos elementos encantatórios e suas alusões totêmicas, estes trabalhos não se impõem aos olhos do espectador. Eles antes convidam-nos a percorrer um itinerário desconhecido, incerto, mas sempre repleto daquilo que é tão caro ao homem: a descoberta do imponderável, do mistério cuja chave às vezes perdemos mas que sempre almejamos reencontrar".
Affonso Renault
DEZ artistas mineiros. São Paulo: MAC/USP, 1984.

Exposições Individuais

1975 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria do Ibeu
1979 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria do Ibeu
1982 - Belo Horizonte MG - Individual, na Grande Galeria do Palácio das Artes
1982 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Macunaíma
1984 - Belo Horizonte MG - Individual, no IAB/BH
1986 - Belo Horizonte MG - Individual, na Gesto Gráfico Galeria de Arte
1986 - Belo Horizonte MG - Individual, no Itaugaleria
1987 - Basília DF - Individual, na Galeria Oscar Seraphico
1987 - Vitória ES - Individual, na Itaugaleria
1988 - Belo Horizonte MG - Marco Tulio Resende: pinturas, na Manoel Macedo Galeria de Arte
1988 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no CCCM
1988 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1989 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria Corpo
1991 - Belo Horizonte MG - Individual, no Itaú Cultural
1992 - Vitória ES - Individual, na Galeria de Arte e Pesquisa do Centro de Artes/UFES
1993 - Belo Horizonte MG - Individual, na Kolams Galeria de Arte
1993 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1994 - São Paulo SP - Individual, na Marília Razuk Galeria de Arte
1996 - Brasília DF - Individual, na Fundação Athos Bulcão
1996 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Marília Razuk
2001 - São Paulo SP - Individual, na Marília Razuk Galeria de Arte

Exposições Coletivas

1973 - São Paulo SP - 12ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1975 - São Paulo SP - Coletiva Novas Tendências, no Paço das Artes
1977 - Belo Horizonte MG - 9º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP - prêmio em desenho
1978 - Chicago (Estados Unidos) - Fellowship Contest da School of the Art Institute of Chicago - menção honrosa
1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ 
1980 - Belo Horizonte MG - 12º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP - prêmio em desenho 
1980 - Curitiba PR - 37º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra 
1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA 
1981 - Belo Horizonte MG - 8º Salão Global de Inverno, na Fundação Palácio das Artes
1981 - Curitiba PR - 3ª  Mostra do Desenho Brasileiro - premiado
1981 - Recife PE - 34º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco
1981 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ 
1981 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Global de Inverno, no MAM/RJ 
1981 - São Paulo SP - 8º Salão Global de Inverno, no Masp
1982 - Belo Horizonte MG - 14º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP
1982 - Penápolis SP - 5º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1982 - Rio de Janeiro RJ - 5º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ 
1983 - Brasília DF - 4 Artistas Mineiros, Itaugaleria
1983 - Campo Grande MS - 4 Artistas Mineiros, na Itaugaleria
1983 - Londres (Inglaterra) - 6 Artists from Brazil, na Dixon Gallery of the Institute of Education at the University of London
1983 - São Paulo SP - 4 Artistas Mineiros, na Itaugaleria
1984 - Belo Horizonte MG - 1º Salão de Artes Visuais da Fundação Clóvis Salgado, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1984 - Curitiba PR - 6ª Mostra do Desenho Brasileiro
1984 - São Paulo SP - 10 Artistas Mineiros, no MAC/USP
1985 - Belo Horizonte MG - 17º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP - prêmio aquisição 
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ 
1985 - Rio de Janeiro RJ - Velha Mania: desenho brasileiro, na EAV/Parque Lage
1986 - Belo Horizonte MG - 9º Salão Nacional de Artes Plásticas: sudeste, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1986 - Curitiba PR - 7ª Mostra do Desenho Brasileiro, no MAC/PR 
1986 - São Paulo SP - 17º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1986 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Fundação Bienal
1987 - Belo Horizonte MG - 19º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP
1987 - São Paulo SP - 5º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Pinacoteca do Estado
1988 - Belo Horizonte MG - Um Espelho no Escuro, no Palácio das Artes
1988 - Juiz de Fora MG - Um Espelho no Escuro, no Espaço Mascarenhas
1988 - Rio de Janeiro RJ - 10º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte
1988 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Artes Plásticas - prêmio de viagem pelo país
1989 - Bonn (Alemanha) - 6 Artistas Brasileiros, na Galeria Rave
1989 - França - Mostra itinerante Estandartes da Liberdade - Bicentenário da Revolução Francesa
1989 - Recife PE - Minas em Traços Gerais, no Museu de Arte do Recife
1990 - Belo Horizonte MG - Da Forma à Forma - Notícias da Terra 10 Anos Depois, no Palácio das Artes
1990 - Freiburg (Alemanha) - Aspectos da Arte Latino-Americana, na Ruta Correa Galerie
1990 - São Paulo SP - 21º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP 
1991 - Belo Horizonte MG - BR/80: pintura Brasil década 80, no Núcleo de Informática e Cultura Belo Horizonte
1992 - Belo Horizonte MG - Utopias Contemporâneas, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1994 - Belo Horizonte MG - Cor e Luz, na Cemig Galeria de Arte
1994 - Belo Horizonte MG - Guignard: 50 anos de uma escola de arte, na Galeria Vidyã
1995 - São Paulo SP - Minerações, no LR Escritório de Arte
1996 - Freiburg (Alemanha) - Coletiva, na Ruta Correa Galerie
1998 - Belo Horizonte MG - Terra e Mar a Vista, no Itaú Cultural
1998 - Brasília DF - Cien Recuerdos para Garcia Lorca, no Espaço Cultural 508 Sul
1998 - Brasília DF - Terra e Mar a Vista, na Galeria Itaú Cultural
1998 - Penápolis SP - Terra e Mar a Vista, na Galeria Itaú Cultural
1998 - São Paulo SP - Viagens, no Itaú Cultural
1999 - São Paulo SP - Arte Brasileira sobre Papel na Coleção do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no MAM/SP 
1999 - São Paulo SP - Marcos Benjamim, Fernando Lucchesi, Marco Tulio Resende, na Marília Razuk Galeria de Arte
2000 - Belo Horizonte MG - Belo Horizonte-Leiria: um encontro de culturas, na Fundação Clóvis Salgado. Companhia de Dança de Minas Gerais
2000 - Belo Horizonte MG - Presente de Reis, na Kolams Galeria de Arte
2000 - Leiria (Portugal) - Belo Horizonte-Leiria: um encontro de culturas, na Galeria57 - arte contemporânea
2002 - Curitiba PR - Obras do Faxinal das Artes, no MAC/PR 
2002 - Niterói RJ - Diálogo, Antagonismo e Replicação na Coleção Sattamini, no MAC/Niterói 
2002 - São Paulo SP - 10 Anos Marília Razuk, na Marília Razuk Galeria de Arte
2003 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Brazilianart, na Almacén Galeria de Arte
2003 - São Paulo SP - Coletiva Marília Razuk Galeria de Arte, na Marília Razuk Galeria de Arte

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Luiz Sacilotto - Figura Feminina
Figura Feminina
Aldo Bonadei - Frutas
Frutas
Julio Le Parc - Doubles Miroies
Doubles Miroies