Escritoriodearte.com > Artistas > Lotus Lobo

Lotus Lobo

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Lotus Lobo (Belo Horizonte MG 1943)

Gravadora, desenhista e pintora.

Em Belo Horizonte, Lotus Amanda Maria Lobo de Alvarenga cursa belas artes na Escola Guignard, de 1962 a 1965. Em 1963, estuda litografia com João Quaglia (1928) e técnica mural com Inimá de Paula (1918 - 1999) e, entre 1964 e 1966, participa do ateliê experimental Grupo Oficina. Mora no Rio de Janeiro em 1968, e faz estágio na Planus, oficina litográfica especializada em cópias para artistas. No ano seguinte, descobre uma coleção de matrizes litográficas com rótulos de produtos de antigas indústrias mineiras e desenvolve uma série de gravuras nas quais imprime essas marcas em materiais transparentes. Com esses trabalhos, ganha o Prêmio Itamaraty na 10ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1969. Recebe bolsa de estudo do governo francês e vive em Paris de 1971 a 1972, e estuda na École Supérieure des Arts et Industries Graphiques [Escola Superior de Artes e Indústrias Gráficas] e na École d'Arts-Plastiques et Sciences de l'Art [Escola de Artes Plásticas e Ciências da Arte] da Universidade de Paris. Leciona gravura na Escola Guignard de 1966 a 1984, e depois se transfere para Tiradentes, Minas Gerais. Nesta cidade, é responsável pela montagem e direção da oficina litográfica Casa de Gravura Largo do Ó, e pela coordenação do projeto Memória da Litografia no Estado. Volta para Belo Horizonte em 1991, e continua a dar aulas na Escola Guignard. A partir de 1993, dedica-se ao trabalho de ateliê e a projetos sobre a história da litografia industrial em Minas Gerais.

Comentário Crítico

As primeiras gravuras de Lotus Lobo partem de motivos arquitetônicos ligados a cidades mineiras: portas, sacadas ou torres de igrejas, mantendo, porém, diálogo com a abstração. No ateliê da Escola Guignard, descobre pedras litográficas e chapas de zinco, antigas matrizes para a estamparia de mapas, diplomas e rótulos. Interessada pelos aspectos gráficos e memorialísticos daquelas imagens, passa a realizar uma pesquisa direcionada ao resgate dessas marcas litográficas industriais mineiras, realizando intervenções e utilizando os mais diversos suportes. Posteriormente, cria formas abstratas e orgânicas com base nessas matrizes.

A artista destaca-se também por dedicar-se, a partir de 1988, a um amplo projeto de restauração, preservação e divulgação da memória litográfica de Minas Gerais, realizado na Casa de Gravura do Ó, em Tiradentes.

Críticas

"Lótus, sem receio nem apreensão, impelida por muita coragem e fôlego, sabendo perfeitamente o que quer, com base cultural advinda de muito estudo e leitura, entrega-se de corpo e alma ao afã da comunicação e, afinada com nossa era tecnológica, nela busca símbolos e significantes mais representativos e procura através deles uma renovação de sua arte em todas as latitudes, na tentativa insaciável de significar em códigos fabris a presente civilização industrial, cujo 'pathos', morando alhures nas intenções humanas universais, é facilmente apreendível pelo público. (...) E, produto legítimo da 'civilização da imagem', de que fala René Huyghe, nascida sob a égide da sua tirania, é compreensível que a artista se dobrasse às suas instâncias; porém, mineira por estado de graça, integrada num processo de aculturamento que, protegido entre montanhas, lhe entra pelos poros, é também compreensível que se voltasse para as coisas de Minas, selecionando dentre elas as melhores imagens distintivas regionais, delas se apropriando e elevando-as, pela magia da arte, à expressão universal e permanente (...)".
Pierre Santos
FESTIVAL DE INVERNO, 5. , Ouro Preto, 1971. Artistas mineiros 60/70. Texto de Pierre Santos. Ouro Preto: Universidade Federal de Minas Gerais, 1971.

"Para Lotus Lobo, o rótulo que interessa é o produzido por gráficas desativadas, em zinco ou pedra, em que está impressa uma memória, com a qual trabalha. Nas matrizes descartadas, Lotus procura soluções para que as imagens não saiam invertidas; para isso, usa papel vegetal ou acrílico. Suas litografias impressas em papel transparente produzem-se como sobreposições de rótulos. Nos trabalhos em acrílico, propõe jogo para o espectador: Lotus imprime rótulos em duas placas de acrílico que, montadas em trilhos paralelos, ficam sobrepostos, podendo o observador manipulá-las e formar as mais diversas sobreposições. Nesses trabalhos, Lotus não interfere nas matrizes, o que faz em outras litografias. Embora sempre imprima os rótulos, pode neles intervir, e o faz muita vez, mantendo o código cromático do produto; o rótulo da lata de manteiga segue o código do vermelho e do amarelo".
Leon Kossovitch e Mayra Laudanna
KOSSOVITCH, Leon e LAUDANNA, Mayra. A Cidade: encontros. In: GRAVURA: arte brasileira do século XX. Apresentação Ricardo Ribenboim; texto Leon Kossovitch, Mayra Laudanna, Ricardo Resende; design Rodney Schunck, Ricardo Ribenboim; fotografia da capa Romulo Fialdini. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000, p. 29.

Exposições Individuais

1970 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria Guignard
1979 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Gravura Brasileira
1994 - Belo Horizonte MG - Individual, no Fernando Pedro Escritório de Arte
2001 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria da Escola Guignard

Exposições Coletivas

1963 - Belo Horizonte MG - 13º Salão Municipal de Belas Artes
1963 - Juiz de Fora MG - 13º Salão de Belas Artes de Juiz de Fora - menção honrosa
1963 - Belo Horizonte MG - 12º Festival Universitário de Arte, na UEE - premiada
1964 - Belo Horizonte MG - 13º Salão Universitário de Artes, na UEE - 1º prêmio
1964 - Belo Horizonte MG - Artistas Mineiros, na AMAP
1964 - Belo Horizonte MG - Coletiva Grupo Oficina
1964 - Belo Horizonte MG - Coletiva, na Galeria Grupiara
1964 - Belo Horizonte MG - Quatorze Artistas Mineiros, na Galeria Guignard
1964 - Brasília DF - 1º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal
1964 - Curitiba PR - 21º Salão Paranaense de Belas Artes
1965 - Belo Horizonte MG - Coletiva, no Teatro Marília
1965 - Brasília DF - 2º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal
1965 - Porto Alegre RS - Seis Artistas de Minas
1965 - Rio de Janeiro RJ - Jovens Gravadores, na Galeria do ICBEU
1966 - Belo Horizonte MG - 21º Salão Municipal de Belas Artes
1966 - Belo Horizonte MG - Desenhistas e Gravadores de Minas Gerais, na Reitoria da UFMG
1967 - Belo Horizonte MG - 1ª Exposição do Museu de Gravura de Belo Horizonte, no Palácio das Artes
1967 - Belo Horizonte MG - 22º Salão Municipal de Belas Artes
1968 - Brasília DF - Gravura Contemporânea Internacional, na Galeria do Encontro
1968 - Brasília DF - Tres Aspectos Del Grabado Contemporâneo Brasileño, itinerante pela América do Sul e Central, organizada pelo Itamaraty
1968 - Rio de Janeiro RJ - A Gravura Nacional, MNBA
1969 - Belo Horizonte MG - 1º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, no MAP 
1969 - Ouro Preto MG - Artistas Mineiros, no 3º Festival de Inverno da UFMG
1969 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Seleção Final da 6ª Bienal de Paris, no MAM/RJ
1969 - Rio de Janeiro RJ - Pré-Bienal de Paris, no MAM/RJ
1969 - São Paulo SP - 10º Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal - prêmio aquisição Itamaraty
1970 - Belo Horizonte MG - 4º Salão da Cultura Francesa 
1970 - Belo Horizonte MG - 4º Salão Nacional da Aliança Francesa - grande prêmio (bolsa de estudos em Paris)
1970 - Belo Horizonte MG - Do Corpo à Terra, no Parque Municipal de Belo Horizonte
1970 - Belo Horizonte MG - O Processo Evolutivo da Arte em Minas de 1900 a 1970, no Palácio das Artes
1970 - Belo Horizonte MG - Semana de Vanguarda. Do Corpo à Terra, no Parque Municipal
1970 - Campinas SP - 6º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1971 - Ouro Preto MG - Artistas Mineiros 60/70, no 5º Festival de Inverno - UFMG
1971 - Ouro Preto MG - Artistas Mineiros, no 5º Festival de Inverno da UFMG
1971 - São Paulo SP - 3º Panorama da Arte Atual, no MAM/SP
1971 - Tóquio (Japão) - Bienal de Tóquio
1972 - Belo Horizonte MG - Geração Guignard, no Palácio das Artes
1972 - Rio de Janeiro RJ - Arte/Brasil/Hoje - 50 Anos depois, no MAM/RJ
1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio  
1972 - Tóquio (Japão) - The 8th International Biennial Exhibition of Prints in Tokyo
1973 - Juiz de Fora MG - Artistas Mineiros, na Galeria de Arte Celina
1976 - Rio de Janeiro RJ - Arte Agora I, no MAM/RJ
1977 - Belo Horizonte MG - Um Ponto Qualquer Entre Alfa e Ômega, no Palácio das Artes
1977 - Juiz de Fora MG - Litografias, na Galeria Pró-Música
1978 - Belo Horizonte MG - A Paisagem Mineira, no Palácio das Artes
1978 - Belo Horizonte MG - Coletiva, na Casa Litográfica
1978 - Caracas (Venezuela) - Grabados Brasileños de Minas Gerais, no Salon de Arte de C.A.N.T.V.
1978 - Vitória ES - Gravadores Mineiros, na Galeria Homero Massena
1979 - Belém PA - Lótus Lobo e Antônio Grosso, na Galeria Angelus, Teatro da Paz
1979 - Belo Horizonte MG - 4º Salão Nello Nuno, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1979 - Belo Horizonte MG - Litografia Brasileira, no Palácio das Artes
1979 - Belo Horizonte MG - Salão Global de Inverno, na Fundação Clóvis Salgado
1979 - Curitiba PR - 2ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, no Centro de Criatividade
1979 - São Paulo SP - 6º Salão Global de Inverno, no Masp - sala especial
1979 - Belo Horizonte MG - 4º Salão Nello Nuno, no Palácio das Artes
1980 - Cidade do México (México) - 2ª Bienal Ibero-americana de Arte, Desenho e Gravura, no Instituto Cultural Domecq
1981 - Belo Horizonte MG - 4º Salão de Artes Plásticas do Conselho Estadual de Cultura de Minas Gerais
1981 - Belo Horizonte MG - 8º Salão Global de Inverno, na Fundação Palácio das Artes
1981 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Global de Inverno, no MAM/RJ
1981 - San Juan (Porto Rico) - 5ª Bienal Latino-Americana de Gravura - grande prêmio
1981 - São Paulo SP - 8º Salão Global de Inverno, no Masp
1982 - Penápolis SP - 1º Encontro de Gravadores Nacionais
1982 - Penápolis SP - 5º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1983 - Curitiba PR - 4ª Mostra de Gravura Cidade de Curitiba, no Museu da Gravura
1983 - Londres (Inglaterra) - Brazilian Festival of Arts, 6 Artists From Minas Gerais, Dixon Gallery
1984 - Belo Horizonte MG - A Gravura Brasileira, na Reitoria da UFMG
1984 - Curitiba PR - 6ª Mostra Pan-Americana de Gravura da Cidade de Curitiba
1984 - Curitiba PR - Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na Fundação Cultural de Curitiba
1986 - Albuquerque (Estados Unidos) - Gravadores Brasileiros, na Universidade de Novo México
1986 - Belo Horizonte MG - Casa de Gravura Largo do Ó e Oficina Guaianases, dois Núcleos da Litografia Brasileira, no Espaço Cultural da Cemig
1986 - Juiz de Fora e Belo Horizonte MG - 25 Anos de Litografia de Arte em Minas, no Espaço Mascarenhas e no Palácio das Artes
1986 - Londres (Inglaterra) - 9ª Bienal Internacional de Gravura da Inglaterra
1986 - Santa Fé (Estados Unidos) - Brazilian Contemporary Prints, na Gallery of The Saint John's College
1987 - Athens (Estados Unidos) - Brazilian Contemporary Prints, na Gallery Tate Student Center University of Georgia
1987 - Brasília DF - Casa de Gravura Largo do Ó: desenhos e gravuras, na Embaixada da França
1987 - Rio de Janeiro RJ - Aspectos da Litografia, na Sala Carlos Oswald do MNBA
1988 - Belo Horizonte MG - Memória Litográfica em Minas, no Museu Mineiro
1988 - Juiz de Fora MG - Pessoa, Pessoas, na UFJF
1989 - Juiz de Fora MG - Cada Cabeça uma Sentença, na UFJF
1992 - Belo Horizonte MG - Ícones da Utopia, no Palácio das Artes
1993 - Belo Horizonte MG - Núcleo de Litografia da Escola Guignard, Centro Cultural UFMG
1994 - Belo Horizonte MG - Guignard: 50 anos de uma escola de arte, na Galeria Vidyã
1994 - Belo Horizonte MG - O Efêmero na Arte Brasileira: anos 60/70
1994 - Belo Horizonte MG - Retrospectiva: 5 anos do Fernando Pedro Escritório de Arte, no Museu Mineiro
1994 - Belo Horizonte MG - Tinta Litográfica: Produção e Aplicação, Centro Cultural UFMG
1994 - Mariana MG - Os Bracher, Sala Afonso Ávila
1994 - Ouro Preto MG - Identidade Virtual, no Museu da Inconfidência  
1994 - Penápolis SP  - O Efêmero na Arte Brasileira: anos 60/70, na Galeria Itaú Cultural
1994 - Porto Alegre RS - Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre
1994 - Florianópolis SC - Atelier Livre, no Hall da Reitoria da UFSC
1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1994 - São Paulo SP - O Efêmero na Arte Brasileira: anos 60/70, no Itaú Cultural
1995 - Belo Horizonte MG - Imagem Derivada: um olhar acerca do desdobramento da gravura hoje, no MAP
1995 - Belo Horizonte MG - Segunda Anual, no Acervo Fernando Pedro Escritório de Arte
1996 - Brasília DF - O Efêmero na Arte Brasileira: anos 60/70, no Itaugaleria
1997 - Belo Horizonte MG - Formação da Arte Contemporânea em Belo Horizonte, no MAP
1998 - Rio de Janeiro RJ - Pensar Gráfico: A Gravura da Linguagem, no Paço Imperial
1999 - Belo Horizonte MG - Centro Cultural UFMG - 10 Anos, no Centro Cultural UFMG
2000 - Belo Horizonte MG - Ars Brasilis, na Galeria de Arte do Minas Tênis Clube
2000 - São Paulo SP - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
2001 - Belo Horizonte MG - Do Corpo à Terra: um marco radical na arte brasileira, no Itaú Cultural
2001 - Penápolis SP - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
2001 - Brasília DF - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
2004 - Belo Horizonte MG - Pampulha, Obra Colecionada: 1943-2003, no MAP
2005 - Belo Horizonte MG - 40/80: uma mostra de arte brasileira, no Léo Bahia Arte Contemporânea

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Roberto Magalhães - Sentimento Íntimo
Sentimento Íntimo
Wesley Duke Lee - Consultoria Mental "Ping Pong"
Consultoria Mental "Ping Pong"
José Benigno - Lumen ad Viam
Lumen ad Viam