Escritoriodearte.com > Artistas > Lídia Baís

Lídia Baís

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Lídia Baís (Campo Grande MS 1900 - idem 1985)

Pintora e desenhista.

Inicia seus estudos em pintura com Henrique Bernardelli em 1926. Passa o ano seguinte em viagem pela Europa, permanecendo mais tempo em Berlim e Paris, onde tem contato com Ismael Nery. De volta ao Brasil, em 1928, retoma seus estudos sob orientação de Henrique Bernardelli. Em 1950, funda o Museu Baís em Campo Grande, que não chega a ser aberto ao público, e ingressa na Ordem Terceira de São Francisco de Assis, adotando o nome de Irmã Trindade. A partir daí, passa a dedicar-se exclusivamente aos estudos religiosos e filosóficos. Por volta de 1960 publica, sob o nome fictício de Maria Tereza Trindade, o livro História de T. Lídia Baís.

Críticas

"A Lídia Baís é uma interessantíssima artista brasileira e universal que pretende honrar a cidade de São Paulo, fazendo aí uma exposição de quadros. (...) Você verá que muito se poderá esperar de sua criação. Desorientada a princípio, entregue a alguns mestres academicos sem mestria nenhuma, o talento dela se debatia, até que um dia livrou-se e o resultado são (ou é), até agora, uns seis quadros ótimos que você verá. Outros hão de vir. Os assuntos que ela gosta transbordam do simples interesse pictorial, alguns deles inéditos numa mulher".
Murilo Mendes - 'Carta a Mário de Andrade', 1930
FIGUEREDO, Aline. Artes Plásticas no Centro-Oeste. Aline Figueredo. Cuiabá, UFMT, MACP, 1979. Bibliografia.

"Lídia Baís, (...), abandonou de todo a pintura talvez em fins da década de 1940. Seu período mais fecundo de atividade coloca-se possivelmente no curto espaço de tempo que vai de 1926 a 1930, e abrange estranhas composições de aspecto místico ou sobrenatural, retratos e auto-retratos, alegorias e cenas de interior ou de gênero, nas quais, fazendo uso de técnica rudimentar, dá vazas a um surrealismo ingênua, mas inquietante".
José Roberto Teixeira Leite
LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

Exposições Individuais

1929 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Policlínica do Rio de Janeiro

Exposições Coletivas

1950 - Campo Grande MS - Exposição do Grêmio de Amadores de Pintura de Campo Grande

Exposições Póstumas

1990 - Campo Grande MS - Lídia Baís, na Itaugaleria

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Tomie Ohtake - Sem título
Sem título
Alice Brill - Torres
Torres
Carybé - Vaqueiros
Vaqueiros