Escritoriodearte.com > Artistas > Laura Vinci

Laura Vinci

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Laura Vinci (São Paulo SP 1962)

Escultora, artista intermídia, pintora, desenhista e gravadora.

Maria Laura Vinci de Moraes forma-se em artes plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado - Faap, em São Paulo, em 1987. No início, dedica-se à pintura, em seguida desenvolve obras tridimensionais de metal e pedra. Começa a criar instalações, como o trabalho apresentado no evento Arte Cidade: A Cidade e Suas Histórias, em 1997. Realiza a cenografia da peça Cacilda!, dirigida por José Celso Martinez Corrêa (1937), no Teatro Oficina, em São Paulo, em 1998. Desde 2000, ministra cursos livres de pintura e escultura e participa de workshops em várias instituições culturais de São Paulo, como o Instituto Tomie Ohtake. Conclui, em 2000, o mestrado em artes plásticas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP. Participa do Projeto Residência Externa-Sertões/Teatro Oficina, com direção de José Celso Martinez Corrêa, coordenando as oficinas de cenário, figurino e direção de arte, entre 2000 e 2001. Em 2003, é publicado o livro Laura Vinci, pela Edusp. Com o The South Project, faz residência na Escola de Belas Artes da Universidade RMIT, em Melbourne, Austrália, em 2005.

Comentário Crítico

Laura Vinci dedica-se inicialmente à pintura. Em 1987, faz pinturas espessas, sem molduras ou chassis. Nessas telas cria sulcos irregulares, verticais e um pouco inclinados em relação às bordas. Como aponta o crítico Alberto Tassinari, com base nesses trabalhos Laura Vinci desenvolve as esculturas. O primeiro conjunto delas é formado por hastes de ferro e de outros materiais. Crispadas e ásperas, com formato irregular, cortam o espaço verticalmente e aproximam-se da visualidade presente em suas pinturas. Já nas esculturas pretas, realizadas em 1994, o chão torna-se o espaço principal para as obras. As peças são lisas, com ondulação suave. O conjunto tende a um aspecto gráfico e as esculturas aproximam-se de riscos ou traços no solo.

Em 1997, Laura Vinci produz uma instalação no evento Arte/Cidade 3, na qual dispõe, em um edifício abandonado em São Paulo, um monte de areia finíssima. Por meio de um orifício na laje, a areia escorre para o pavimento inferior. Trata-se de um trabalho que alude à passagem do tempo, à idéia de ampulheta e à erosão das coisas, associada também à percepção de um fluxo regido pelas condições naturais, como a umidade e o vento, e leva a refletir sobre o tempo regido pelos ciclos da natureza.

Como aponta o historiador da arte Rodrigo Naves, em instalação feita pela artista, em 2000, no Centro Universitário Maria Antonia - Ceuma, a proximidade entre os elementos parece estreitar-se ainda mais. Em meio a colunas de uma grande sala, ela coloca uma espessa camada de pó de mármore e deposita peças também de mármore, esculpidas em formas orgânicas. Cria-se entre os volumes e o pó uma aproximação pela cor e pelo material. A obra apresenta um jogo entre o sólido e o arenoso, entre o formalizado e o informe, que remete às obras de Constanti Brancusi (1876 - 1957) e de Michelangelo Buonarroti (1475 - 1564).

Em Estados, 2003, apresentada no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB, em São Paulo, Laura Vinci ocupa os pavimentos do edifício com instalações. No subsolo, serpentinas de refrigeração formam palavras congeladas, que compõem um poema escrito pela artista. No vão central do prédio, são colocadas bacias de vidro transparente, algumas vazias e outras contendo água. Resistências elétricas envoltas por tubos de cobres ligam entre si as bacias com água e ascendem por todo o espaço do edifício. Ao mesmo tempo, a água aquecida pelas resistências evapora e refaz o trajeto dos tubos de cobre. Para Rodrigo Naves, as passagens, mudanças de estado, metamorfoses dos elementos e transições tornaram-se a marca distintiva dos últimos trabalhos da artista.

Depoimentos

"Não trato aqui de uma pintura voltada para os interesse próprios à figuração, que projeta o espaço imaginariamente "para o dentro". Em vez disso trabalho com motivos de repetição, baseados na cor constituida por uma trama de cores. Uma pintura que tenciona o seu espaço interno e externo concebidos num só espaço, cujos limites são construídos como recortes, e cujo espaço de dentro contém falsas ou quase colagens. Uma pintura onde os elementos pictórios suportam o desejo de realizar o quase-tridimensional, o quase-objeto. Mas uma pintura que não deseja ser a representação (o real do objeto aqui representado não é o objeto nem deseja sê-lo). Talvez uma pintura intencionada de um real não representável".
Laura Vinci
SEIS agosto. Sao Paulo: MAC/USP, 1987.

Exposições Individuais

1987 - São Paulo SP - Individual, no Ateliê Ana Tatit, Laura Vinci, José Spaniol e Theo Werneck
1989 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
1990 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Funarte. Galeria Macunaíma
1991 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
1994 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Camargo Vilaça
1995 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no CCBB
1997 - Curitiba PR - Individual, na Casa da Imagem
1999 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Camargo Vilaça
2000 - São Paulo SP - Individual, no Centro Universitário Maria Antonia
2001 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
2002 - São Paulo SP - Címbalos, na Galeria 10,20 x 3,60
2002 - São Paulo SP - Coração de Vidro, na Galeria 10,20 x 3,60
2002 - São Paulo SP - Estados, no CCBB
2003 - Miami (Estados Unidos) - Art Basel, na Miami Beach, Art Statement
2003 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Nara Roesler
2004 - Siena (Itália) - Máquina do Mundo, na Pallazzo delle Pappesse

Exposições Coletivas

1983 - São Paulo SP - Exposição Anual na Faap - prêmio aquisição e bolsa de estudos
1984 - São Paulo SP - Exposição Anual na Faap
1985 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Fundação Bienal
1985 - São Paulo SP - Coletiva Exposição e Eventos, na Faap
1987 - São Paulo SP - 5º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Pinacoteca do Estado
1987 - São Paulo SP - Circuito Atelier Aberto
1987 - São Paulo SP - Seis Agosto, no MAC/USP
1988 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Macunaíma, na Funarte. Centro de Artes
1988 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Contemporânea
1988 - São Paulo SP - Tendências Recentes, no CCSP
1989 - Rio de Janeiro RJ - 11º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte
1989 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Macunaíma, na Funarte
1989 - São Paulo SP - 10 Artistas, no ateliê da rua Fortunato
1990 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte
1991 - Brasília DF - Prêmio Brasília de Artes Plásticas 1991/12º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAB/DF
1991 - São Paulo SP - Programa de Exposições de Artes Plásticas, no CCSP
1992 - Rio de Janeiro RJ - 13 Artistas, no MAM/RJ
1992 - Rio de Janeiro RJ - Prêmio Brasília de Artes Plásticas 1991/12º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte. Centro de Artes
1992 - São Paulo SP - A Sedução dos Volumes: os tridimensionais do MAC, no MAC/USP
1992 - São Paulo SP - Galeria Camargo Vilaça: mostra inaugural, na Galeria Fortes Vilaça
1992 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas 91, na Fundação Bienal
1995 - São Paulo SP - Entre o Desenho e a Escultura, no MAM/SP
1996 - Curitiba PR - Exposição Inaugural, na Galeria Casa da Imagem
1996 - São Paulo SP - Avesso do Avesso, no Paço das Artes
1996 - São Paulo SP - Coletiva, na Camargo Vilaça Bis
1996 - São Paulo SP - Escultura ao Ar Livre, no CCSP
1996 - São Paulo SP - Metal e Suas Ligações, no Sesc Pompéia
1997 - Curitiba PR - A Arte Contemporânea da Gravura, no Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
1997 - Curitiba PR - Coletiva, na Galeria da Casa da Imagem
1997 - São Paulo SP - Arte Cidade: a cidade e suas histórias
1997 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria Camargo Vilaça
1997 - São Paulo SP - Projeto Arte/Cidade 3
1998 - Caracas (Venezuela) - Bienal Barro de América, no Museu Alejandro Otero
1998 - Maracaibo (Venezuela) - 3ª Bienal Barro de América, no Centro de Arte de Maracaibo Lia Bermúdez
1998 - Melborne (Austrália) - Construction In Process
1998 - São Paulo SP - Bienal Barro da América, no MuBE
1998 - São Paulo SP - Coletiva, na Camargo Vilaça Bis
1998 - São Paulo SP - Escultura no Jardim, no Sesc Ipiranga
1999 - Porto Alegre RS - 2ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul, no Armazém do Cais do Porto (antigo DEPREC), no Margs e no Espaço Usina Gasômetro
1999 - Ribeirão Preto SP - Célia Euvaldo, Fabio Miguez, Laura Vinci, Renata Tassinari, no Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi
1999 - São Paulo SP - Espaço Aberto, na Oficina Cultural Oswald de Andrade
2000 - Lisboa (Portugal) - Século 20: arte do Brasil, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
2000 - São Paulo SP - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal
2000 - São Paulo SP - Obra Nova, no MAC/USP
2001 - Nova York (Estados Unidos) - The Thread Unraveled: contemporary brazilian art, no El Museo del Barrio
2001 - Rio de Janeiro RJ - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - O Espírito de Nossa Época, no MAM/RJ
2001 - São Paulo SP - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - O Espírito de Nossa Época, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas, no CCSP
2002 - Brasília DF - Fragmentos a Seu Ímã, no Espaço Cultural Contemporâneo Venâncio
2002 - Buenos Aires (Argentina) - The Thread Unraveled: contemporary brazilian art, no Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires
2002 - São Paulo SP - Extensão, na Galeria 10,20 x 3,60
2002 - São Paulo SP - Genius Loci: o espírito do lugar, nas ruas do bairro de Vila Buarque
2002 - São Paulo SP - Portão 2, na Galeria Nara Roesler
2003 - Madri (Espanha) - Arco/2003, no Parque Ferial Juan Carlos I
2003 - São Paulo SP - Aquisições Recentes, no MAM/SP
2003 - São Paulo SP - Arco 2003, na Galeria Nara Roesler
2004 - Madri (Espanha) - Arco/2004, no Parque Ferial Juan Carlos I
2004 - São Paulo SP - 26ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
2004 - São Paulo SP - Arte Contemporânea no Acervo Municipal, no CCSP
2004 - São Paulo SP - Fotografia e Escultura no Acervo do MAM - 1995 a 2004, no MAM/SP
2004 - São Paulo SP - Still Life / Natureza Morta, na Galeria de Arte do Sesi

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Anna Maria Maiolino - Série Cartilhas
Série Cartilhas