Escritoriodearte.com > Artistas > João Magalhães

João Magalhães

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

João Magalhães (Juiz de Fora MG 1945)

Pintor, cenógrafo, professor.

Em 1977, João Francisco Teixeira Vaz de Magalhães estudou pintura com Gastão Manuel Henrique (1933), no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Expõe individualmente pela primeira vez em 1980. Entre 1982 e 1984, executa diversos cenários para shows no Rio de Janeiro, como Água Viva, na Televisão Educativa, e Seis e Meia, no Teatro João Caetano, além de estudar pintura com Luiz Aquila (1943) e Charles Watson (1951), na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage). Faz também o cenário para o Prêmio Shell, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 1984. Nesse mesmo ano, participa da exposição Como Vai Você, Geração 80?, na EAV/Parque Lage. Começa a expor em salões e coletivas em 1978, e integra com Angelo Venosa (1954), Daniel Senise (1955) e Luiz Pizarro (1958) o Atelier da Lapa. Em 1987, torna-se professor de pintura na EAV/Parque Lage.

Críticas

"A pintura de João Magalhães, cuja maturação inicia-se marcada pelos valores e práticas da Geração 80, trilhou, nos últimos anos, caminhos que a levaram a uma espécie de síntese paradoxal: a de buscar por intermédio de elementos pictóricos muito próximos aos que sua geração utilizou, resultados, contudo, cada vez mais pobres, brutos, primários, e, portanto, mais econômicos; essenciais. (...) Em lugar de expressar-se, o artista procura chegar a um outro cerne da pintura, através de procedimentos opostos ao do privilégio à racionalidade. (...) A sensação de estranhamento causada pela ostensiva objetividade dos trabalhos, reside sobretudo na tensão entre a aparição seca de uma realidade arbitrária, mas que não evoca nada além de sua própria presença. Grandes formatos, brutais contrastes cromáticos, são a presença visível de algo que desconhecemos, que nos invade e ao mesmo tempo não perguntamos o que significa, devido a uma persistente familiaridade que se situa próxima à noção de inconsciente pré-psicanalítica, formulada por Leibniz".
Fernando Cocchiaralle
MAGALHÃES, João. João Magalhães. Rio de Janeiro: Galeria Anna Maria Niemeyer, 1993.

"Pintura forte, viril, visualmente impactante. É pintura brutalista, como são brutalistas as formas elementares da arquitetura neolítica, as estruturas totêmicas, as grossas paredes de um mosteiro românico, a pintura de Soulanges ou Kline ou, para citar exemplos mais próximos de nós, a escultura de Amilcar de Castro, Celeida Tostes e Ivens Machado. Não se trata, pois, de uma pintura dócil e amena, permeada por delicadezas de qualquer espécie - texturais, desenhísticas, cromáticas. Ao contrário, é uma pintura direta, contundente, quase agressiva na sua nudez expressiva. O brutalismo enquanto estilo, seja ele arquitetônico, escultórico ou industrial, pede, como nesta pintura, uma severa economia de recursos e transparência de execução, de tal forma que não dê margem a ilusionismos que venham a falsear os materiais e técnicas empregados. (...) O brutalismo de João Magalhães não deve ser visto como cálculo, controle, erudiçaõ plástica e conhecimento de história da arte. É um brutalismo às avessas - um exercício de sofisticação, requinte e inteligência visual".
Frederico Morais
MAGALHÃES, João. João Magalhães. Rio de Janeiro: Paço Imperial, 1995.

Acervos

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ - Rio de Janeiro RJ
Museu Nacional de Belas Artes - MNBA - Rio de Janeiro RJ
Museu do Estado de Pernambuco - Recife PE

Exposições Individuais

1980 - Juiz de Fora MG - Individual, na Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF
1980 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Faculdade Estácio de Sá
1981 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na EAV/Parque Lage
1983 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Sala Cecília Meireles
1983 - Juiz de Fora MG - Individual, no Pró-Música
1984 - Cuiabá MT - Individual, na Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
1987 - São Paulo SP - Individual, na Subdistrito Comercial de Arte
1988 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1990 - Belo Horizonte MG - Individual, na Galeria Gesto Gráfico
1990 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1993 - Niterói RJ - Individual, na Galeria de Arte da Universidade Federal Fluminense - UFF
1993 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer
1993 - São Paulo SP - Individual, na Pinacoteca do Estado
1994 - Colônia (Alemanha) - Individual, na Galeria Olaf Clasen
1994 - Salvador BA - Individual, no MAM/BA
1995 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Paço Imperial
1996 - Paris (França) - Individual, na Cité International des Arts
2008 - Rio de Janeiro RJ - Individual, Museu de Arte Moderna
2010 - Recife PE - Individual, Dumaresq Galeria de Arte 
2010 - Rio de Janeiro RJ - João Magalhães: pinturas, Galeria Anna Maria Niemeyer

Exposições Coletivas

1978 - Rio de Janeiro RJ - Ritos de Passagem, na EAV/Parque Lage
1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1980 - Curitiba PR - 37º Salão Paranaense
1983 - Curitiba PR - 40º Salão Paranaense
1983 - Rio de Janeiro RJ - Pintura, Pintura, na Fundação Casa de Rui Barbosa
1984 - Fortaleza CE - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas
1984 - Kyoto (Japão) - 5º Salão Brasileiro de Arte
1984 - Rio de Janeiro RJ - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ - prêmio aquisição
1984 - Rio de Janeiro RJ - Como Vai Você, Geração 80?,  na EAV/Parque Lage
1984 - Rio de Janeiro RJ - Geração 80: núcleo jovem MP2 arte, na MP2 Arte
1984 - Rio de Janeiro RJ - O Rosto e a Obra, no Ibeu
1984 - São Paulo SP - 5º Salão Brasileiro de Arte, no MAM/SP
1984 - Tóquio (Japão) - 5º Salão Brasileiro de Arte
1985 - Atami (Japão) - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1985 - Campinas SP - 12º Salão de Arte Contemporânea de Campinas - prêmio aquisição
1985 - Curitiba PR - 42º Salão Paranaense - prêmio da Secretaria de Educação e Cultura
1985 - Kyoto (Japão) - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1985 - Pernambuco - 38º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco - prêmio aquisição e prêmio conjunto de obras
1985 - Rio de Janeiro RJ - 5º Salão Brasileiro de Arte, no MAM/RJ
1985 - Rio de Janeiro RJ - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1985 - Rio de Janeiro RJ - Ao Mestre, com Pinturas, na EAV/Parque Lage
1985 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Fundação Bienal - prêmio aquisição
1985 - São Paulo SP - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, na Fundação Brasil-Japão
1985 - São Paulo SP - Pinacoteca Anos 80, na Pinacoteca do Estado
1985 - Tóquio (Japão) - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1986 - Belo Horizonte MG - 9º Salão Nacional de Artes Plásticas: sudeste, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1986 - Curitiba PR - 43º Salão Paranaense
1986 - Rio de Janeiro RJ - 9º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ - prêmio aquisição
1986 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Fundação Bienal - prêmio aquisição
1987 - Curitiba PR - Salão Curitiba Arte Três - prêmio viagem
1987 - Rio de Janeiro RJ - Lapada Show, no Espaço Brumado
1988 - Belo Horizonte MG - Subindo a Serra, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1988 - Rio de Janeiro RJ - Infinito, Eterno Efêmero, na Petite Galerie
1989 - Paris (França) - Coletiva, na Galerie de L'Espace Latino-Américain
1990 - Brasília DF - Jeannette Priolli, João Magalhães, Monica Barki: pinturas recentes, na Performance Galeria de Arte
1990 - Rio de Janeiro RJ - Jeannette Priolli, João Magalhães, Monica Barki: pinturas recentes, na Casa de Cultura Laura Alvim
1991 - Petrópolis RJ - MAM Ama Petrópolis
1991 - Rio de Janeiro RJ - Processo nº 738.765-2, na EAV/Parque Lage
1992 - Rio de Janeiro RJ - Avenida Central, no MNBA
1992 - Rio de Janeiro RJ - Brazilian Contemporary Art, na EAV/Parque Lage
1993 - Rio de Janeiro RJ - O Papel do Rio, no Paço Imperial
1993 - São Paulo SP - Brazilian Contemporary Art, no MAC/SP
1993 - São Paulo SP - Centenário de Mário de Andrade, no CCSP
1994 - Rio de Janeiro RJ - 2ª Mostra de Artes Plásticas: espaço, no Centro Cultural dos Correios
1994 - Rio de Janeiro RJ - Sob o Signo de Gêmeos, na Galeria Saramenha
1995 - Lausanne (Suíça) - Rio: mistérios e fronteiras, no Musée de Pully
1995 - Rio de Janeiro RJ - Da Cor do Rio, no Centro Cultural dos Correios
1995 - Rio de Janeiro RJ - Rio: Mistérios e Fronteiras, no MAM/RJ
1996 - Belo Horizonte MG - Impressões Itinerantes, no Palácio das Artes
1998 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva de Artistas Ganhadores do Prêmio Icatu de Artes, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - Orlândia, a ocupação temporária de uma casa em obras reunindo 44 artistas de várias gerações, na Rua Jornalista Orlando Dantas nº 53, Botafogo, Rio de Janeiro
2002 - Niterói RJ - A Recente Coleção do MAC, no  MAC-Niterói
2003 - Rio de Janeiro RJ - Alberto Kaplan, Araken Hipólito, Cláudio Kuperman, João Magalhães, John Nicholson e Lia do Rio, na Universidade Estácio de Sá. Galeria Mira Schendel
2003 - Rio de Janeiro RJ - Banheiros de Portas Abertas, no Espaço Dama de Ferro
2003 - Rio de Janeiro RJ - Núcleo de Arte Contemporânea, na Universidade Estácio de Sá. Galeria Mira Schendel
2004 - Rio de Janeiro RJ - Onde Está Você, Geração 80?, no CCBB
2010 - São Paulo SP - 6ª sp-arte, Fundação Bienal
2010 - Rio de Janeiro RJ - Acervo, na Galeria Anna Maria Niemeyer

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Ivan Serpa - Figura
Figura
Antonio Gomide - Projeto para Mural
Projeto para Mural