Escritoriodearte.com > Artistas > Gil Vicente

Gil Vicente

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Gil Vicente (Recife PE 1958)

Pintor, desenhista, gravador, fotógrafo e escultor. Inicia seus estudos na Escolinha de Artes do Recife em 1972 e, a partir de 1974, também frequenta os ateliês da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Em 1975, recebe o primeiro prêmio do Salão dos Novos do Museu de Arte Contemporânea de Olinda, Pernambuco. Em 1978, faz sua primeira individual: Pinturas, Desenhos e Gravuras, na Galeria Abelardo Rodrigues, Recife. Nesse ano, participa da fundação da Oficina Guaianases de Gravura. Terminado o segundo grau, se dedica exclusivamente às artes plásticas. Ganha uma bolsa do governo francês e estuda em Paris, de 1980 a 1981. Em 1984, expõe no 15º Panorama da Arte Atual Brasileira, do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP. Em 1989, em Recife, participa do Ateliê Coletivo, onde faz xilogravuras sob orientação de Gilvan Samico (1928). O documentário Gil Vicente - Ofício e Silêncio é lançado concomitantemente à exposição Figuras/Pinturas, em 1996, na Galeria Futuro 25, Recife. A partir de então, suas individuais circulam por várias cidades do Brasil. Em 2001, participa da 3ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul, em Porto Alegre e no ano seguinte da 25ª Bienal Internacional de São Paulo.

Comentário Crítico

A obra de Gil Vicente atém-se a materiais como papel, lápis, carvão, nanquim, guache, óleo, tela e a técnicas tradicionais como gravura, foto ou escultura. O artista não busca inovar ou misturar materiais e suportes, apesar de reconhecer que na arte contemporânea é possível trabalhar com qualquer coisa.  À simplicidade de meios corresponde uma tentativa de diminuir ao máximo o estilo pessoal que associa a maneirismo. 

Na exposição Sessenta Cabeças e Outros Desenhos, de 1997, utiliza-se apenas nanquim e carvão sobre papel branco o que permite um jogo de contrastes. Nos desenhos, o fundo preto instaura uma profunda solidão que envolve as figuras. Nas cabeças, ressalta traços angustiados, que desfiguram os rostos, aos quais sempre falta alguma coisa.

Na mostra Guaches Recentes, de 2002, trabalha a cor e a consistência da tinta, aproveitando sobreposições, pinceladas largas e rápidas explorando amplas áreas de cor, embora os tons adotados sejam contidos. A temática permanece próxima: corpos e objetos que remetem à solitária vida humana.

Na Suite Safada, 2005, o artista cobre de nanquim páginas de livros, deixando descobertos apenas parte dos espaços entre as palavras, revelando assim cenas pornográficas ocultas nesses veios.

Esse respeito às características do material é uma faceta de seu rigor. Melancólico, segundo diz, Gil Vicente não deixa de expressar politicamente suas opiniões. Um exemplo eloquente é a série Inimigos, de 2007, em que ele se retrata, matando violentamente, líderes políticos atuais, de Lula e Bush a Bento XVI e a rainha Elizabeth II.

Críticas

"Esta qualidade, que podemos chamar de comunicabilidade, é a característica primordial da produção pictórica desse pernambucano irrequieto, que não se prende ao intelecto, a um estilo ou a uma técnica determinada. Em suas pinturas, o desenho é perfeito, a matéria é trabalhada com capricho, em camadas finas e texturas lisas, que conferem às suas composições um requinte estético que nada tem a ver com o exotismo ou com as formas rebuscadas que povoam a pintura moderna. (...) Frutas, legumes e cenários tropicais são uma constante temática do artista, mas são os retratos e os nus que têm ocupado as suas telas mais recentes. (...) A princípio, sóbrio e contido, Gil agora parece ter amadurecido em seu jeito de viver o cotidiano, soltando-se, rompendo com uma introspecção que sombreava as suas composições".
Luiz Fernando Freire
GIL Vicente. Ventura, Rio de Janeiro: Spala, n.4, p.100-110, jun./ago.1988.

Exposições Individuais

1978 - Recife PE - Gil Vicente: pinturas, desenhos e gravuras, na Abelardo Rodrigues Galeria de Artes
1980 - Olinda PE - Gil Vicente: pinturas e desenhos, no MAC/PE
1982 - Recife PE - Gil Vicente: pinturas, na Galeria Futuro 25
1983 - Belém PA - Gil Vicente: guaches, na Elf Galeria de Arte
1984 - Recife PE - Gil Vicente: pinturas, na Galeria Futuro 25
1986 - Recife PE - Gil Vicente: paisagens, na Galeria Futuro 25
1987 - Fortaleza CE - Individual, na Duailibe Galeria
1988 - Recife PE - Gil Vicente: guaches recentes, na Officina Galeria
1990 - Recife PE - Gil Vicente: pinturas, na Galeria Vicente do Rego Monteiro
1993 - Recife PE - Gil Vicente: naturezas mortas, na Galeria Futuro 25
1996 - Recife PE - Gil Vicente: pinturas, na Galeria Futuro 25
1997 - Salvador BA - Pinturas Com Modelo, na Paulo Darzé Galeria de Arte
1997 - São Paulo SP - Sessenta Cabeças, na Galeria Nara Roesler
1998 - João Pessoa PB - Sessenta Cabeças e Outros Desenhos, no Núcleo de Arte Contemporânea
1998 - Salvador BA - Sessenta Cabeças e Outros Desenhos, no MAM/BA 
1999 - Recife PE - Gil Vicente: desenhos, no MAMAM 
1999 - Rio de Janeiro RJ - Gil Vicente: desenhos, no MAM/RJ 
2000 - Porto Alegre RS - Gil Vicente: desenhos, no MAC/RS 
2003 - Curitiba PR - Individual, no Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
2004 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Nara Roesler

Exposições Coletivas

1975 - Olinda PE - Salão dos Novos, no MAC/PE - primeiro prêmio
1976 - Recife PE - 29º Salão Oficial de Arte, no Museu do Estado de Pernambuco
1977 - Olinda PE - Gil Vicente, Aprígio e Frederico, na Galeria Corredor
1977 - Recife PE - 30º Salão Oficial de Arte, no Museu do Estado de Pernambuco - primeiro prêmio pintura
1977 - Recife PE - Novos Artistas Pernambucanos, no Museu do Estado de Pernambuco
1977 - Recife PE - O Desenho e a Gravura, na Abelardo Rodrigues Galeria de Artes
1978 - Curitiba PR - 1ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, no Centro de Criatividade
1978 - Recife PE - 31º Salão Oficial de Arte, no Museu do Estado de Pernambuco
1979 - Belo Horizonte MG - Litografia Brasileira, na Fundação Palácio das Artes
1979 - Curitiba PR - 2ª Mostra Anual de Gravura Cidade de Curitiba, no Centro de Criatividade
1979 - Recife PE - 7 Artistas em Foco, na Galeria de Arte
1979 - Rio de Janeiro RJ - Oficina Guaianases, na Galeria Gravura Brasileira
1980 - Curitiba PR - 37º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra 
1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão Nacional de Artes Plásticas
1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA 
1980 - Rio de Janeiro RJ - Gil Vicente, Maria Tomaselli e Luciano Pinheiro, no Centro Cultural Candido Mendes
1981 - Piracicaba SP - 14º Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba, na Casa das Artes Plásticas
1981 - Recife PE - 34º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, no Museu do Estado de Pernambuco - prêmio Funarte
1981 - Recife PE - Panorama da Arte Atual em Pernambuco, na Galeria Lula Cardoso Ayres
1982 - Rio de Janeiro RJ - 5º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1984 - São Paulo SP - 15º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1985 - Rio de Janeiro RJ - Pintura ao Ar Livre, no Centro Cultural Candido Mendes. Grande Galeria
1986 - Belém PA - 5º Salão Arte Pará, na Fundação Romulo Maiorana
1986 - Brasília DF - Pernambucanos em Brasília, na ECT Galeria de Arte
1986 - Rio de Janeiro RJ - Cinco Pernambucanos, na Galeria Ibeu Copacabana
1987 - Recife PE - Imaginário e Sexualidade, na Galeria Massangana
1987 - Recife PE - José Cláudio e Gil Vicente, no Museu do Estado de Pernambuco
1988 - Curitiba PR - 8ª Grupo Guaianases, no Museu Municipal de Arte
1988 - Recife PE - Gil Vicente, Gilvan Samico e José Barbosa, na Estudio A Galeria de Arte
1988 - Rio de Janeiro RJ - Cinco Pernambucanos, na Galeria de Arte Ibeu Copacabana
1988 - Rio de Janeiro RJ - O Mundo Fascinante dos Pintores Naifes, no Paço Imperial
1989 - Olinda PE - Viva Olinda Viva, no Atelier Coletivo
1989 - Recife PE - Natureza da Pintura, no Centro Cultural Adalgisa Falcão
1989 - São Paulo SP - Cor de Pernambuco, na Ranulpho Galeria de Arte
1990 - Olinda PE - Permanência da Pintura, no Atelier Coletivo
1992 - Rio de Janeiro RJ - Ateliê Coletivo, no Centro Cultural Candido Mendes
1993 - Hamburgo (Alemanha) - Atelier Coletivo, no Km Wolff
1994 - Recife PE - Batalha dos Guararapes: um olhar contemporâneo, no Museu do Estado de Pernambuco
1996 - Recife PE - Arte e Religião, na Galeria Futuro 25
1997 - Recife PE - O Papel da Arte, no Espaço Cultural Bandepe
1997 - Recife PE - Ver o Verso, no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães
1997 - São Paulo SP - O Rosto do Outro, na Galeria Nara Roesler
1998 - Fortaleza CE - Ceará e Pernambuco: dragões e leões, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
1998 - Nova York (Estados Unidos) - Art International New Cork, na Neuhoff Gallery
1998 - Rio de Janeiro RJ - Vista Assim do Alto Mais Parece um Céu no Chão, no MAM/RJ
1999 - São Paulo SP - Nordestes, no Sesc Pompéia 
2000 - Recife PE - Ateliê Pernambuco: homenagem a Bajado e acervo do Mamam, no MAMAM
2001 - Porto Alegre RS - 3ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul
2002 - Curitiba PR - Obras do Faxinal das Artes, no MAC/PR 
2002 - Recife PE - Em Sete Tempos, na Amparo Sessenta Galeria de Arte
2002 - São Paulo SP - 25ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
2002 - São Paulo SP - Seis Artistas na 25ª Bienal de São Paulo, na Galeria Nara Roesler
2003 - Madri (Espanha) - Arco/2003, no Parque Ferial Juan Carlos I
2003 - Recife PE - Ver de Novo/Ver o Novo, no MAMAM
2003 - São Paulo SP - Arco 2003, na Galeria Nara Roesler

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Ferreira Gullar - Sem Título
Sem Título
Candido Portinari - Catequese dos Índios
Catequese dos Índios
Sonya Grassmann - Figura Feminina
Figura Feminina