Escritoriodearte.com > Artistas > Genesco Murta

Genesco Murta

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Genesco Murta (Minas Novas MG 1885 - Belo Horizonte MG 1967)

Pintor, desenhista, caricaturista, professor.

Muda-se para Belo Horizonte em 1910, e destaca-se como pintor e caricaturista. Em 1912, viaja para a Europa com pensão concedida pelo Governo de Minas Gerais. Em Paris, freqüenta a Académie de la Grande Chaumiére e a Académie Colarossi, na qual estuda com Mauricet, com Reynold, com Charles Guérin e com Bernard Naudin. De volta para o Brasil em 1915, cria, em Belo Horizonte, uma escola noturna de desenho, escultura e gravura, junto com o gravador Luís de Soto. Viaja de novo para a Europa em 1922, patrocinado pelo Governo de Minas Gerais. Visita vários países e fixa-se em Munique, Alemanha, onde faz estágio na Academia Hoffman. Retorna para o Brasil em 1924, realiza uma série de viagens por cidades mineiras, produz murais, pinta paisagens e retratos.

Críticas

"Genesco Murta é um homem que a arte tornou solitário. O próprio sentimento das coisas, as cores cinzas que encheram desde cedo os painéis de sua alma e uma rude incapacidade de aceitar o mundo - tudo isso e mais venenos do cotidiano compuseram um marginal, às vezes manso como um ingênuo caipira e comumente áspero como um leão frustrado. Não é literária a interpretação desse pintor tipicamente mineiro, cujo feitio permanece inalterável, apesar de intensamente escovado pelos hábitos parisienses e pelos refinamentos das civilizações européias. É um sertanejo inconverso, contra o qual nada puderam as mais belas sutilezas do pensamento e da cultura. Ele mesmo se diz um xavante, dando ao epíteto toda a riqueza semântica."
José Calasans
PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

"A meu ver para Genesco Murta o modernismo chegou até o impressionismo e a sua significação estava na liberação do claro escuro, ou seja, o arejamento da superfície, na inconstância da cor. Para Genesco a pintura não poderá furtar-se do contato obrigatório com a natureza e mesmo entendendo ele que o artista não deve copiá-la, acredita que ela é condição vital para a sua existência. De qualquer maneira em alguns de seus principais quadros, a cor libertou-se de tal modo: os verdes e amarelos nas paisagens de mar e a pincelada era lançada mais ousadamente sem muita preocupação de fidelidade e menos preconcebidamente; um óleo de Sílvio de Vasconcelos retratando dois barcos; que os resultados foram animadores, e bastam para justificá-lo como um de nossos grandes artistas. "
Frederico Morais
Diário de Minas, 2 de setembro de 1959. In MURTA, Genesco. Genesco Murta. Belo Horizonte : Serviço de Documentação das Artes - UFMG, 1973. p. 20

"No dizer de Marcio Sampaio, 'seu pontilhismo sensível era considerado, nas décadas de 20 e 30 como modernismo, e ele foi um dos artistas que, nessa época, deram uma contribuição mais positiva para a arte mineira, embora não tenha tido seguidores'. Artista de bons recursos expressivos, (...) representou em Minas Gerais um elo de licitação entre a pintura tradicional, com base no século XIX,e as novas tendências em ebulição no cenário artístico nacional no imediato pós-guerra de 1914-18."
José Roberto Teixeira Leite
LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

Exposições Individuais

1917 - Belo Horizonte MG - Individual
1921 - Belo Horizonte MG - Individual, no ateliê fotográfico do pintor Osório Belém
1925 - Belo Horizonte MG - Individual, no Clube Belo Horizonte
1940c. - São Paulo SP - Individual
1941 - Belo Horizonte MG - Individual, na redação do jornal Folha de Minas

Exposições Coletivas

1916 - Rio de Janeiro RJ - 23ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba - menção honrosa
1917 - Rio de Janeiro RJ - 24ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1928 - Rio de Janeiro RJ - 35ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba - medalha de prata
1936 - Belo Horizonte MG - 1ª Exposição de Arte Moderna , no Bar Brasil
1950 - Belo Horizonte MG - Coletiva, no Grande Hotel
1959 - Belo Horizonte MG - Coletiva, no MAP

Exposições Póstumas

1973 - Belo Horizonte MG - Retrospectiva, na UFMG
1986 - Belo Horizonte MG - O Modernismo em Minas: o Salão de 1936, no Espaço Cultural Casa do Baile
1996 - Belo Horizonte MG - Emergência do Modernismo, no Museu Mineiro
2001 - Belo Horizonte MG - Modernismo em Minas: ícones referenciais, no Itaú Cultural
2001 - Penápolis SP - Modernismo em Minas: ícones referenciais, na Galeria Itaú Cultural

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Sou Kit Gom - Composição com Flores
Composição com Flores
Kazuo Wakabayashi - Pião com Flor Azul
Pião com Flor Azul