Escritoriodearte.com > Artistas > Gastão Manoel Henrique

Gastão Manoel Henrique

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Gastão Manoel Henrique (Amparo SP 1933)

Escultor, professor, pintor, desenhista.

Freqüenta o curso de pintura da Escola Nacional de Belas Artes (Enba), no Rio de Janeiro, entre 1955 e 1958. Viaja para a Europa, onde permanece até 1963. De volta ao Brasil, se fixa no Rio de Janeiro. No fim da década de 1960, produz os Objetos Conversíveis, com base em formas geométricas recortadas em madeira, que podem ser manipuladas pelo espectador. Interessa-se pela cenografia e produz palcos e figuras de madeira de pequenas dimensões. Desde esse período, participa de importantes exposições coletivas. Transfere-se para Brasília, em 1968, e passa a lecionar nos Departamentos de Expressão e Representação e de Artes Visuais do Instituto Central de Artes da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Brasília (UnB), onde permanece até 1972. Entre 1976 e 1984, leciona na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage)  e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ). Recebe a Bolsa Vitae de Artes, na área de artes visuais, com o projeto Escultura, em 1987. É professor do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (IA/Unicamp), de 1987 a 1996. Na década de 1990, participa da Oficina de Pintura e Escultura no Instituto Cultural Ibero-Americano, em Israel. Em 2005, apresenta um perfil de sua produção, reunindo 50 peças, sendo 30 inéditas, no Paço Imperial, no Rio de Janeiro.

Comentário crítico

Gastão Manuel Henrique, no fim da década de 1960, cria os Objetos Conversíveis, partindo de formas geométricas recortadas em madeira, que, manipuladas pelos observadores constituem novas totalidades formais. Essas obras, de grande leveza, podem ser aproximadas aos Bichos, de Lygia Clark (1920-1988).

No início dos anos 1970, apresenta uma produção relacionada à paisagem do Planalto Central, como em Brasília 72 - n.1, em que as marcas e sinuosidades da madeira sugerem uma chuva que interrompe a linha do horizonte. Sua obra, além das referências à paisagem, volta-se também para a cenografia, recriando palcos, cortinas e figuras recortadas em madeira. Mantendo as analogias com a paisagem e a arquitetura, acrescenta um caráter simbólico a suas obras, tratando os elementos humanos e os objetos de forma concisa e com uma gama cromática restrita.

A partir da metade da década de 1980, volta-se novamente à pintura e às montagens em madeira, em obras que revelam um senso apurado de construção formal e o uso rigoroso da geometria.

Além de sua produção artística, Gastão Manuel Henrique tem importante atividade como professor, do fim da década de 1960 até a década de 1990, lecionando sucessivamente na Universidade de Brasília (UnB), na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) e no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (IA/Unicamp).

Acervos

Acervo da Caixa Econômica Federal - São Paulo SP
Acervo do Centro Cultural Candido Mendes - Rio de Janeiro RJ
Acervo Instituto Itaú Cultural - São Paulo SP
Coleção Franco Terranova/Petite Galerie - Rio de Janeiro RJ
Coleção Fundação Nacional de Arte - Rio de Janeiro RJ
Coleção Galeria Ibeu Copacabana - Rio de Janeiro RJ
Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ - Rio de Janeiro RJ
Coleção Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro RJ
Coleção Jean e Geneviève Boghici - Rio de Janeiro RJ
Coleção João Sattamini/MAC-Niterói - Niterói RJ
Coleção Jornal do Brasil - Rio de Janeiro RJ
Coleção Liba e Rubem Knijnik - Porto Alegre RS
Coleção Ministério da Relações Exteriores - Brasília DF
Coleção Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - São Paulo SP
Coleção Museu de Arte Moderna - Salvador BA
Coleção Museu de Arte Moderna de São Paulo - São Paulo SP
Coleção Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro RJ

Exposições Individuais

1986 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Petite Galerie
1986 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Thomas Cohn
2005 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Paço Imperial
2007 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Anna Maria Niemeyer

Exposições Coletivas

1962 - Utah (Estados Unidos) - Spotlight on Brazil, na Universidade de Utah Salt Lake City
1963 - Paris (França) - 3ª Bienal de Paris
1963 - Paris (França) - 3ª Bienal dos Jovens, no Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris
1963 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Arte Moderna
1963 - São Paulo SP - 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal - prêmio aquisição
1964 - Londres (Inglaterra) - Brazilian Art Today, no Royal College of Art
1964 - Rio de Janeiro RJ - 2º O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
1965 - Rio de Janeiro RJ - Opinião 65, no MAM/RJ
1965 - Rio de Janeiro RJ - Resumo de Arte JB, no MAM/RJ - 1º pêmio em objeto relevo
1966 - Rio de Janeiro RJ - Opinião 66, no MAM/RJ
1967 - Brasília DF - 4º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal, no Teatro Nacional Cláudio Santoro - 1° prêmio em escultura
1967 - Paris (França) - 5ª Bienal de Paris
1967 - Rio de Janeiro RJ - Nova Objetividade Brasileira, no MAM/RJ
1967 - Rio de Janeiro RJ - Salão das Caixas, na Petite Galerie - 1° prêmio
1967 - São Paulo SP - 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1968 - Salvador BA - 2º Bienal de Artes Plásticas - 1º prêmio em escultura
1970 - São Paulo SP - Pré-Bienal de São Paulo, na Fundação Bienal
1972 - São Paulo SP - 4º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio
1978 - São Paulo SP - Objeto de Arte: Brasil anos 60, no MAB/Faap
1981 - Rio de Janeiro RJ - Do Moderno ao Contemporâneo: Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
1984 - Rio de Janeiro RJ - Doações Recentes 82-84, no MNBA
1984 - Rio de Janeiro RJ - Madeira, Matéria de Arte, no MAM/RJ
1984 - São Paulo SP - Coleção Gilberto Chateaubriand: retrato e auto-retrato da arte brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 - Niterói RJ - Uma Questão de Ordem, na Galeria de Arte da UFF
1985 - Rio de Janeiro RJ - Opinião 65, na Galeria de Arte Banerj
1986 - Porto Alegre RS - Coleção Rubem Knijnik: arte brasileira anos 60/70/80, no Margs
1986 - São Paulo SP - A Nova Dimensão do Objeto, no MAC/USP
1986 - Veneza (Itália) - 42ª Bienal de Veneza
1987 - Rio de Janeiro RJ - Ao Colecionador: homenagem a Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
1988 - Rio de Janeiro RJ - Abstração Geométrica: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria Edifício Gilberto Chateaubriand
1988 - São Paulo SP - 63/66 Figura e Objeto, na Galeria Millan
1991 - Rio de Janeiro RJ - Processo nº 738.765-2, na EAV/Parque Lage
1992 - São Paulo SP - Anos 60/70: Coleção Gilberto Chateubriand/Museu de Arte Moderna-RJ, na Galeria de Arte do Sesi
1995 - Brasília DF - Coleções de Brasília, no Ministério das Relações Exteriores. Palácio do Itamaraty
1995 - Rio de Janeiro RJ - A Nova Figuração - Anos 60, na Galeria Jean Boghici
1995 - Rio de Janeiro RJ - Opinião 65: 30 anos, no CCBB
1996 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Petite Galerie
1996 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, no Paço Imperial
1997 - Porto Alegre RS - Exposição do Acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
1997 - Porto Alegre RS - Exposição Paralela, no  Museu da Caixa Econômica Federal
1997 - São Paulo SP - Exposição do Acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
1997 - São Paulo SP - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, no Itaú Cultural
1998 - Belo Horizonte MG - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, no Itaú Cultural
1998 - Brasília DF - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, na Galeria Itaú Cultural
1998 - Curitiba PR - Exposição do Acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
1998 -  Niterói RJ - Espelho da Bienal, no MAC/Niterói
1998 - Penápolis SP - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, na Galeria Itaú Cultural
1998 - Rio de Janeiro RJ - Exposição do Acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
1999 - Salvador BA - 60 Anos de Arte Brasileira, no Espaço Cultural da Caixa Econômica Federal
2000 - Niterói RJ - Coleção Sattamini: dos materiais às diferenças internas, no MAC/Niterói
2001 - Porto Alegre RS - Coleção Liba e Rubem Knijnik: arte brasileira contemporânea, no Margs
2002 - Rio de Janeiro RJ - Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 - São Paulo SP - Mapa do Agora: arte brasileira recente na Coleção João Sattamini do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, no Instituto Tomie Ohtake
2003 - Rio de Janeiro RJ - Tesouros da Caixa: arte moderna brasileira no acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
2003 - Rio de Janeiro RJ - Vinte e Cinco Anos: Galeria de Arte Cândido Mendes, na Galeria Candido Mendes
2005 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Inaugural, na Galeria Anna Maria Niemeyer
2006 - Rio de Janeiro RJ - Vinte e Cinco Artistas, na Galeria Anna Maria Niemeyer

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Otto Stupakoff - la trougue, frança
la trougue, frança
Antonio Gomide - Mulher Na Praia
Mulher Na Praia
Sandra Cinto - Sem Título - Série A Travessia Difícil
Sem Título - Série A Travessia Difícil