Escritoriodearte.com > Artistas > Fábio Noronha

Fábio Noronha

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Fábio Noronha (Curitiba PR 1970)

Artista plástico, professor.

Entre 1990 e 1994, Fábio Jabur de Noronha estudou na Escola de Música e Belas Artes do Paraná - Embap, formando-se em pintura. Em 1996, começa a lecionar na Embap e desenvolve a série de desenhos Condutores de Limites, feitos com aquarela, grafite e cera. Realiza a série Conservadores de Carnes, 1998, em que utiliza fotografia, desenho e pintura. Torna-se chefe do departamento de pintura da Embap, em 1999, e logo após inicia curso de especialização em história da arte, nessa instituição. Entre 1998 e 2003, produz a série Acidez, e escreve um texto de ficção com o mesmo nome para o catálogo da exposição Panorama da Arte Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP. Desde 2000, trabalha com vídeo e imagens digitais, apropriando-se de imagens já existentes. Em 2005, faz mestrado em artes visuais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Comentário Crítico

As pinturas iniciais de Fábio Noronha têm pinceladas fortes e seguras que buscam integrar massas de cor e grafismos. Em vez da gestualidade gratuita o artista busca refletir sobre o próprio ato de pintar. Passa a utilizar telas agrupadas em módulos, formando um espaço único que deixa evidente sua materialidade com base nas fendas que surgem entre elas. Esses aspectos levam o artista a buscar relações formais internas a cada módulo, mas que provoquem novas relações em seu conjunto.

Ainda em seu período de graduação, entra em contato com a fotografia, inicialmente usada para registrar seus trabalhos, depois passa a utilizá-la em suas obras ao lado da pintura e do desenho. A partir de 1996, elabora obras em séries, lidando com algumas delas simultaneamente de forma não-linear. Em 1996, inicia a série de desenhos Condutores de Limites e, em 1998, a série Conservadores de Carnes.

Na série Acidez, além das massas de cor e grafismos, são utilizados auto-retratos e frases em algumas obras. Essas frases, embora possam ser interpretadas como metáforas, são usadas de forma literal, "provocando o espectador a não substituir aquilo que ele vê", afirma o artista. Em 2000, inicia sua produção em vídeo, interessado nas características dessa técnica. Noronha trabalha com imagens já existentes, como trechos de vídeos pornográficos retirados da internet e algumas imagens anteriormente registradas por ele. Utiliza para isso cortes, duração, contrastes, justaposições e sobreposições e um formato influenciado pela pintura. Sua produção passa a ficar focada no desenvolvimento dessa linguagem e no uso de imagens digitais.

Críticas

"Do ponto de vista conceitual, atualmente Fábio Noronha desenvolve um trabalho já muito distante de suas pinturas anteriores. Nota-se na maioria delas que ele agora parte da cisão real dos suportes agrupados para desenvolver suas pinturas. Cada módulo tende a ser uma pinturas em si mesma, voltada para as especificidades dos jogos formais inerentes a ela. Porém, quando agregada à outra pintura - ou a outras - transcende sua auto-significação, estabelecendo relações de estranhamento e/ou complementação com o(s) módulo(s) ao seu lado, o que denuncia uma pintura que, mesmo transbordando de sensibilidade, reflete sobre o próprio ato de pintar e sobre a crise da pintura moderna, sobre tudo aquela gestual, lírica. Desmascarando o caráter ilusório do gestualismo, Fábio Noronha ajuda a redefinir a própria pertinência desse tipo de pintura nos dias de hoje. Para continuar existindo - a produção de Fábio Noronha comprova - a pintura gestual não pode mais ser ingênua e/ou cabotina a ponto de ignorar sua própria gênese no espaço da representação, não pode deixar de transformar esta questão no 'assunto' principal a ser abordado em cada obra a ser realizada".
Tadeu Chiarelli, abril de 1994
CHIARELLI, Tadeu. Fábio de Noronha: A autocrítica do Gestualismo. In. : NORONHA, Fábio. Fábio Noronha. Paraná: MAC, 1994.

Exposições Individuais

1994 - Curitiba PR - Individual, no MAC/PR
1995 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
1996 - Belo Horizonte MG - Individual, no Itaú Cultural
1996 - Brasília DF - Individual, na Itaugaleria
1996 - Curitiba PR - Individual, no Museu da Gravura Cidade de Curitiba, Sala Gilda Belzac
1997 - Curitiba PR - Ybakatu, no Espaço de Arte
1998 - Curitiba PR - Individual, no Museu Alfred Andersen
1999 - Curitiba, PR - Ybakatu, no Espaço de Arte
1999 - São Paulo SP - Individual, na Adriana Penteado Arte Contemporânea
1999 - São Paulo SP - Individual, no Paço das Artes
2001 - Curitiba PR - Individual, na Galeria Casa da Imagem
2001 - São Paulo SP - Individual, na Adriana Penteado Arte Contemporânea

Exposições Coletivas

1992 - Curitiba PR - 49º Salão Paranaense
1993 - Curitiba PR - 50º Salão Paranaense - prêmio Governo do Estado do Paraná
1993 - Curitiba PR - Curitiba Arte 9 - prêmio Cidade do México
1993 - Goiânia GO - 3ª Bienal de Artes de Goiás, no MAC/GO - prêmio Xapuri
1993 - Itajaí SC - 2º Salão de Artes Cidade de Itajaí, na Casa de Cultura Dide Brandão
1993 - Rio de Janeiro RJ - 13º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Palácio Gustavo Capanema - 2º prêmio de viagem ao país
1993 - Santos SP - 4ª Bienal Nacional de Santos, no Centro Cultural Patrícia Galvão
1994 - Belém PA - 3º Salão Paraense de Arte Contemporânea - 3º prêmio
1994 - Brasília DF - 2º VentoSul: mostra de artes visuais integração do Cone Sul, no Ministério das Relações Exteriores
1994 - Cascavel PR - 2º VentoSul: mostra de artes visuais integração do Cone Sul, no Centro Cultural Gilberto Mayer
1994 - Cascavel PR - 2º VentoSul: mostra de artes visuais integração do Cone Sul, no Paço das Artes
1994 - Curitiba PR - Suite Vollard, Picasso - Uma interpretação Paranaense, no MAP/PR
1994 - Curitiba PR - 10ª Mostra do Desenho Brasileiro, no MAC/PR
1994 - Curitiba PR - 10ª Mostra do Desenho Brasileiro, no MAC/PR
1994 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Macaunaíma, na Funarte
1994 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Macunaíma, na Galeria Espaço Alternativo
1994 - Rio de Janeiro RJ - 2º VentoSul: mostra de artes visuais integração do Cone Sul
1994 - Salvador BA - 1º Salão do MAM-Bahia de Artes Plásticas - menção especial
1994 - Salvador BA - 1º Salão MAM-Bahia, no MAM/BA
1995 - Assunção (Paraguai) - 2ª Mostra de Artes Visuais Integração do Cone Sul
1995 - Brasília DF - 2ª Mostra de Artes Visuais Integração do Cone Sul
1995 - Curitiba PR - 2ª Mostra de Artes Visuais Integração do Cone Sul
1995 - Madrid (Espanha) - 2ª Mostra de Artes Visuais Integração do Cone Sul
1995 - Rio de Janeiro RJ - 2ª Mostra de Artes Visuais Integração do Cone Sul
1995 - Rio de Janeiro RJ - Metrópole e Periferia, no MAM/RJ
1995 - São Paulo SP - 2ª Mostra de Artes Visuais Integração do Cone Sul
1995 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas, no CCSP
1996 - Campinas SP - O Modo e a Maneira, no Itaú Cultural
1996 - Campinas SP - O Modo e a Maneira, no Itaú Cultural
1996 - Curitiba PR - 53º Salão Paranaense, no MAC/PR
1997 - Otawa (Canadá) - Rebel Icons, na Carleton Gallery
1997 - Salvador BA - 4º Salão MAM-Bahia, no MAM/BA
1998 - Florianópolis SC - 6º Salão Nacional Victor Meirelles, no Masc
1998 - Salvador BA - 5º Salão MAM-Bahia, no MAM/BA
1999 - Curitiba PR - Olhos Blindados. Ybakatu, no Espaço de Arte
1999 - São Paulo SP - 26º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/SP
1999 - São Paulo SP - Dezenove Cabeças, na Adriana Penteado Arte Contemporânea
1999 - São Paulo, SP - Figuras, Quase Figuras, no MAM/SP
2000 - Belo Horizonte MG - Investigações. A Gravura Brasileira. São ou Não São Gravuras?, no Itaú Cultural
2000 - Brasília DF - Investigações. A Gravura Brasileira. São ou Não São Gravuras?, no Itaú Cultural
2000 - Curitiba PR - XII Mostra de Gravura da Cidade de Curitiba; Paralelo 25º27'00", na Galeria Casa da Imagem
2000 - Curitiba PR - 12º Mostra da Gravura de Curitiba. Marcas do Corpo, Dobras da Alma
2000 - Curitiba PR - Paralelo 25º28'00 Meridiano 49º17'00, na Galeria Casa da Imagem
2000 - Fortaleza CE - 26º Panorama de Arte Brasileira, no Dragão do Mar
2000 - Niterói RJ - 26º Panorama de Arte Brasileira, no MAC/Niterói
2000 - Recife PE - 26º Panorama de Arte Brasileira, no MAMAM
2000 - São Paulo, SP - Um lago em sua barriga. Projeto Linha Imaginária, na Funarte
2001 - Campinas SP - Deslocamentos do Eu: o auto-retrato digital e pré-digital na arte brasileira 1976 - 2001, no Itaú Cultural
2002 - Curitiba PR - Obras do Faxinal das Artes, no Museu de Arte Contemporânea
2002 - São Paulo SP - E(x)tra Bienal, no Extra Arte Contemporânea
2003 - Ribeirão Preto SP - Imagem Eletrônica, na Casa da Cultura de Ribeirão Preto
2004 - Curitiba PR - Nome, na Casa Andrade Muricy

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Burle Marx - Itambira II
Itambira II
Burle Marx - Perséfare
Perséfare