Escritoriodearte.com > Artistas > Euclides Francisco Amâncio

Euclides Francisco Amâncio

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Euclides Francisco Amâncio (1912 - 1996)

Bajado

1912 - Maraial PE - 9 de dezembro / 1996 - Olinda PE - 15 de novembro

Euclides Francisco Amâncio, mais conhecido como Bajado, foi um artista plástico pernambucano nascido no dia 9 de dezembro de 1912 no município de Maraial, zona da mata pernambucana. Desde muito pequeno, que o menino Bajado mostrou talento para o desenho. A inspiração para suas criações vinha do cinema, uma de suas grandes paixões. Na época Bajado não tinha dinheiro para comprar a entrada para o cinema e a solução era vender pão doce e bolinhos de goma feitos pela mãe e pela avó. Quando deixava a sala de projeção, o menino pegava papel e desenhava em formato gibi a história que acabara de ver. Ainda jovem Bajado deixou Maraial e se mudou para a cidade de Catende-PE, onde permaneceu até 1930 trabalhando como ajudante e pintor de cartazes de filmes. Quatro anos mais tarde fixa residência em Olinda, onde continuou pintando cartazes para cinema e trabalhando como operador de máquina do Cine Olinda, função que exerceu até 1950. O apelido Bajado surgiu na infância por causa de uma brincadeira durante um jogo de bicho, um dos passatempos preferido do artista.

Em 1956 iniciou de forma profissional uma carreira de artista plástico, realizando a pintura de painéis e murais em centros comerciais e na decoração do Carnaval de Olinda. Bajado retratou os grandes clubes carnavalescos da velha cidade Patrimônio; Pitombeira dos Quatro Cantos, Elefante, O Homem da Meia-Noite, Vassourinhas, assim como o frevo rasgado na Ribeira, Largo do Amparo, Varadouro e na Praça do Carmo. Em 1964, junto com alguns amigos de profissão, inaugurou o Movimento de Arte da Ribeira, em Olinda, onde passou a expor seus trabalhos. Durante sua vida artística, Bajado reproduzir ainda inúmeras telas sobre a vida cotidiana, o sofrimento, as emoções e a cultura do povo pernambucano. O artista possuía um temperamento calmo e brincalhão. Fluiu na arte, com a simplicidade de um homem humilde. Era considerado um artista primitivo, inserido no estilo da arte contemporânea. Sua tendência artística era a liberdade de estética, comum na arte moderna.

O artista realizou inúmeras exposições individuais e participou de mais de 100 coletivas. No Brasil expôs em cidades como, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e Vitória. No exterior, Bajado participou de exposições na França, Itália, Espanha, Holanda e República Tcheca. Em 1994, Bajado foi homenageado com uma mostra internacional na sede da Unesco, em Paris, com a participação de diversos artistas internacionais. Hoje seus trabalhos figuram em pinacotecas públicas e particulares do Brasil e do Exterior.

Bajado morreu em 1996, aos 84 anos de idade, em sua residência localizada na Rua do Amparo, nº 186, Olinda-PE.

Cronologia

Cartazista, pintor.

s.d. - Pinta alegorias para carnavais
1924 - Autodidata, pinta letreiros de cinema para sala de projeção de Álvaro Valença, em Maraial, Pernambuco
1928 - Muda-se para Recife
1964 - Inaugura o Movimento de Arte da Ribeira, junto a um grupo de artistas olindenses
1983 - É composta a marcha carnavalesca Bajado - Um Parceiro de Deus para o bloco de Ozires Diniz e Nelson Luís
1983 - O artista sofre de catarata nos dois olhos, para ajudá-lo a Prefeitura Municipal de Olinda patrocina a elaboração de painéis decorativos para a decoração do carnaval - realizados por vários artistas como: Luciana Pinheiro, Gil Vicente, Tiago Amorim, George Barbosa -, que posteriormente são leiloados e o dinheiro arrecadado é doado ao artista 
1984/1985 - É produzido o filme Bajado - Um Artista de Olinda

Críticas

"Não sendo um primitivo, ficou afastado do campo de atração da chamada arte de galeria, salvando-se assim seu sentimento franco e sua ótica em relação ao seu povo e à cidade. Bajado é um artista popular no sentido literal da palavra. Seu tema é a fisionomia e o evento popular, assim como sua técnica realista é o artesanato tosco mas verdadeiro, único capaz de fotografar em detalhe as conturbadas explosões e implosões da massa pulando o carnaval, escorregando sua procissão pelas ladeiras de Olinda, acumulando-se e queimando seu colorido no sol e nas areias das praias".
João Câmara
LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

Exposições Individuais

1977 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Luís Buarque de Holanda e Paulo Bittencourt
1990 - Olinda PE - Bajado: acervos e coleções, no MAC/Olinda
1990 - Olinda PE - Individual, na Galeria Baobá
1992 - Olinda PE - Bajado: 80 anos, no Museu Regional de Olinda

Exposições Coletivas

1980 - São Paulo SP - Coletiva Gente da Terra e Coletiva Imagens de Dança, no Paço das Artes
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal 
1988 - Rio de Janeiro RJ - O Mundo Fascinante dos Pintores Naïfs, no Paço Imperial 
1991 - Olinda PE - Coletiva, no Mercado Eufásio Barbosa
1994 - Paris (França) - Exposição em Homenagem a Bajado, na Sede da Unesco

Fonte: ArtePopularBrasil, Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Danilo Di Prete - Sem Título
Sem Título
Amilcar de Castro - Sem Titulo (p88)
Sem Titulo (p88)
Gilvan Nunes - Florada
Florada