Escritoriodearte.com > Artistas > Eduardo Frota

Eduardo Frota

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Eduardo Frota (Fortaleza CE 1959)

Escultor e professor.

Eduardo Eloísio Frota chega ao Rio de Janeiro em 1978. Nos dois anos seguintes, assiste ao Curso Intensivo de Arte/Educação (Ciae), na Escolinha de Arte do Brasil (EAB) , no Rio de Janeiro. Em 1986, licencia-se em educação artística pelas Faculdades Integradas Bennet, na mesma cidade. Mostra trabalhos no Salão Carioca de Arte em 1982 e 1986.

Em 1983, participa da Oficina do Corpo da Escola de Artes Visuais (EAV/Parque Lage) , Rio de Janeiro. Em 1984 e 1985, estuda no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) com Gastão Manuel Henrique (1933) , faz o curso Volume/Espaço; com Eduardo Sued (1925) , participa do curso Diálogo; e, com Ronaldo Brito (1949), lê O Olho e o Espírito, do filósofo francês Maurice Merleau-Ponty (1908 - 1961). Sua primeira individual acontece na Fundação Nacional de Arte (Funarte), em 1988. Em 1996, recebe a bolsa do Projeto Uniarte 96, da Faperj/UFRJ. Um ano depois, ganha o grande prêmio do salão Arte Pará.

Em 2001, é curador adjunto do Programa Rumos Artes Visuais do Itaú Cultural 2001 - 2003, para o qual realiza um mapeamento das artes nas regiões Norte e Nordeste e uma curadoria da exposição com jovens artistas. Nessa época, é coordenador do Núcleo de Artes Plásticas do Alpendre, em Fortaleza. A partir dos anos 2000, começa a mostrar grandes instalações com peças em madeira, como faz na 25ª Bienal de São Paulo (2002). Desde o início de sua trajetória, trabalha com arte-educação.

Comentário crítico

Eduardo Frota faz esculturas em madeira nas quais problematiza questões da escultura e do espaço modernos. Em 1988, no 11º Salão Nacional de Artes Plásticas, Frota expõe uma fina tripa de madeira pintada com cores escuras, formando uma circunferência. Ela está no limite entre a escultura, o desenho e a pintura, pois é uma forma geométrica com relevo, mas é quase uma linha, é pintada e está na parede.

Aos poucos, seu trabalho ganha volume. Ele recebe o prêmio do Arte Pará 1997 por uma espécie de nó anguloso feito de cilindros retos de madeira unidos em ângulos bastante fechados e preso à parede. O crítico Cláudio de la Rocque Leal faz uma relação com a arte neoconcreta, pelo rompimento com o plano e a discussão do espaço, destacando a influência de Amílcar de Castro (1920 - 2002)1.

Na verdade, quando chega ao Rio, Frota impressiona-se com a obra de Willys de Castro (1926 - 1988) . Depois, é Lygia Clark (1920 - 1988) e sua ideia de arte participativa que lhe interessam mais2. Isso está ligado à sua leitura de Maurice Merleau-Ponty (1908 - 1961), e faz a expansão da sua obra para o espaço expositivo parecer natural. A partir de 2000, Frota realiza Intervenções Extensivas: são grandes carretéis, cones ou tubos sinuosos, formados com placas de compensado de madeira cortadas e coladas. Com elas, Frota recorta e desfaz o espaço, propondo ao espectador outra relação com ele, seja pela possibilidade de entrar no trabalho, pelo eco, pela obstrução da vista, ou pela dificuldade de locomoção.

Notas

1LEAL, Cláudio de la Roque. In: Arte Pará 1997, Fronteiras. Belém: Museu do Estado/Fundação Rômulo Maiorana, 1997, p. 12.
2HERKENHOFF, Paulo. In: FROTA, Eduardo. Eduardo Frota. Vila Velha: Museu Vale do Rio Doce, 2005, p. 13.

Exposições Individuais

2002 - Recife PE - Espaço e Sentido, Fundação Joaquim Nabuco
2003 - São Paulo SP - Paisagens no Espaço, Centro Cultural Banco do Brasil
2003 - Natal RN - Individual, Casa da Ribeira
2003 - Rio de Janeiro RJ - Espaço e Sentido: intervenções extensivas VII, Espaço Cultural Sérgio Porto
2005 - Vila Velha ES - Intervenções Extensivas x Vila Velha ES, Museu Vale
2006 - Belo Horizonte MG - Intervenções em Trânsito II, Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
2006 - Recife PE - Eduardo Frota, Mamam no Pátio
2006 - Rio de Janeiro RJ - A Intervenção em Trânsito, Museu de Arte Moderna
2007 - São Paulo SP - Extensões da Fenda, Galeria Virgílio

Exposições Coletivas

1988 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Contemporânea, Fundação Bienal
1988 - Rio de Janeiro RJ - Novos Novos 88, Galeria do Centro Empresarial Rio
1988 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Macunaíma, Fundação Nacional de Artes. Centro de Artes
1989 - Rio de Janeiro RJ - Rio Hoje, Museu de Arte Moderna
1989 - Rio de Janeiro RJ - 11º Salão Nacional de Artes Plásticas, Funarte
1991 - São Paulo SP - Programa de Exposições de Artes Plásticas, Centro Cultural São Paulo
1992 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas 91, Fundação Bienal
1994 - Belém PA - 13º Salão Arte Pará, Fundação Romulo Maiorana
1996 - Rio de Janeiro RJ - 3 Dimensões : Ascânio MMM, Eduardo Frota e Walter Guerra, Funarte
1997 - Belém PA - Arte Pará: fronteiras, Museu de Arte de Belém
1997 - Curitiba PR - A Arte Contemporânea da Gravura, Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
1997 - Salvador BA - 4º Salão MAM-Bahia, Museu de Arte Moderna
1998 - Fortaleza CE - Ceará e Pernambuco: dragões e leões, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
1999 - São Paulo SP - Nordestes, Serviço Social do Comércio
1999 - Fortaleza CE - Arte Construtiva no Ceará, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
2001 - Porto Alegre RS - 3ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli
2002 - São Paulo SP - 25ª Bienal Internacional de São Paulo, Fundação Bienal
2002 - São Paulo SP - Seis Artistas na 25ª Bienal de São Paulo, Galeria Nara Roesler
2002 - Curitiba PR - Obras do Faxinal das Artes, Museu de Arte Contemporânea
2003 - São Paulo SP - Heterodoxia: edição São Paulo, Memorial da América Latina
2003 - Brasília DF - Centro [ex] cêntrico, Centro Cultural Banco do Brasil
2003 - Curitiba PR - Heterodoxia: edição Curitiba, Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
2003 - Goiânia GO - Heterodoxia: edição Goiânia, Galeria da Faculdade de Artes Visuais
2003 - João Pessoa PB - Heterodoxia: edição João Pessoa, Galeria de Arte Archidy Picado
2003 - Rio de Janeiro RJ - Vinte e Cinco Anos Centro Cultural Candido Mendes Galeria de Ipanema, Galeria Candido Mendes
2004 - Recife PE - Coleção Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães: doações 2001 - 2004, Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães
2006 - São Paulo SP - Paisagem Bruta, Galeria Virgílio
2006 - Belém PA - Traços e Transições da Arte Contemporânea Brasileira, Espaço Cultural Casa das Onze Janelas
2006 - Natal RN - 5x5, Centro Cultural Casa da Ribeira
2007 - São Paulo SP - 80/90: modernos, pós-modernos, etc, Instituto Tomie Ohtake
2008 - São Paulo SP - Coletiva br 2008, Galeria Virgílio
2008 - Madri (Espanha) - 27ª Arco, Instituto Feria de Madrid
2009 - Rio de Janeiro RJ - Ano 01, Galeria Anita Schwartz
2010 - São Paulo SP - 20 Anos do Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo, Centro Cultural São Paulo
2010 - São Paulo SP - 6ª sp-arte, Fundação Bienal
2011 - São Paulo SP - 7ª SP-Arte, Pavilhão da Bienal

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Cícero Dias - Mulheres
Mulheres
Walter Lewy - Sem Título
Sem Título
Iberê Camargo - Carretéis
Carretéis
Aldemir Martins - Cacimba Seca
Cacimba Seca