Escritoriodearte.com > Artistas > Cristiano Mascaro

Cristiano Mascaro

OBRAS DO ARTISTA

Cristiano Mascaro - Escada

Escada

fotografia
2013
100 x 148 cm
ass. no verso
Exemplar nº 1/5.

Preço: Sob Consulta

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Cristiano Mascaro (Catanduva SP 1944)

Fotógrafo, arquiteto e professor.

Formado em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP, Cristiano Alckmin Mascaro é um dos mais importantes fotógrafos da capital paulista e de sua arquitetura, que documenta sistematicamente há mais de duas décadas. Entre seus trabalhos mais importantes, há registros do interior do Estado de São Paulo e de patrimônios históricos de todo o Brasil. Inicia a carreira fotográfica em 1968, quando é convidado a participar da primeira equipe da revista Veja, em que permanece por quatro anos. É professor de fotojornalismo da Enfoco Escola de Fotografia, entre 1972 e 1975; dirige o Laboratório de Recursos Áudio-Visuais da FAU/USP, entre 1974 e 1988; e leciona comunicação visual na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos, de 1976 a 1986. Titula-se mestre em 1986, com a dissertação O Uso da Fotografia na Intepretação do Espaço Urbano e doutor em 1995, com a tese A Fotografia e a Arquitetura, pela FAU/USP. É autor dos livros A Cidade, 1979; Cristiano Mascaro, As Melhores Fotos, 1989; Luzes da Cidade, 1996, São Paulo, 2000, e O Patrimônio Construído - as 100 mais belas edificações do Brasil, 2003. Recebe o Prêmio Internacional de Fotografia Eugène Atget, em 1984; e a Bolsa Vitae de Fotografia, em 1989.

Comentário crítico

Cristiano Mascaro inicia a carreira acadêmica na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP. Em 1968, ano em que conclui a graduação, é convidado para integrar a primeira equipe da revista Veja, em que permanece como repórter fotográfico até 1972. Seu primeiro livro, A Cidade, 1979, combina a objetividade do fotojornalismo ao olhar de arquiteto, e capta edifícios, praças e monumentos não de maneira a isolá-los de seus habitantes, mas para inseri-los no contexto da profusão de paisagens que constitui uma cidade grande. O mesmo acontece, de forma mais acentuada, em Luzes da Cidade, de 1996. Mascaro usa cenas do cotidiano e personagens de São Paulo para povoar o universo arquitetônico da metrópole. O objetivo parece ser capturar o fugaz, o instantâneo, e contrapô-lo ao que é construído, o que permanece. Há também algo de documentação histórica no trabalho, um registro da transformação das paisagens. Esse interesse por edificações modernas e pelas mudanças nos espaços urbanos o leva a realizar, em 1994, a exposição Brasil: Arquitetura Recente, no Deutsches Architektur Museum [Museu Alemão de Arquitetura], em Frankfurt, Alemanha. Nesse período, conclui mestrado com a dissertação A Fotografia na Interpretação do Espaço Urbano, em 1986, e doutorado, defendendo a tese A Fotografia e a Arquitetura, em 1995.

Formalmente, tanto A Cidade quanto Luzes da Cidade são permeados pelo olhar geometrizante de Mascaro. Ele acentua as linhas e as curvas de seus objetos com jogos de luz e sombra que por um lado trazem à tona o elemento arquitetônico de suas fotografias e, por outro revelam uma espécie de relação cultural dos habitantes com os espaços urbanos em que vivem e que frequentam. Há uma foto da avenida Marginal do Rio Pinheiros, em São Paulo, que mostra, entre dezenas de cabos e torres de força e dentro da estrutura de um outdoor vazio, duas pessoas trabalhando no que parece ser um reparo. Elas estão de costas, e se esticam de uma escada para afixar um cabo na estrutura metálica. Há no retrato uma suspensão temporal, um momento que freia o impulso de modernização a que todo o tom industrial da imagem remete.

Com o lançamento de São Paulo, em 2002, essa faceta de registro do dia a dia torna-se ainda mais evidente. São pequenos acontecimentos, cenas corriqueiras em festas de aniversário e parques de diversão, capturados tanto na capital como em cidades do interior e do litoral do Estado de São Paulo. As formas geométricas ainda estão presentes, ainda que algumas vezes de forma mais sugerida do que nos trabalhos anteriores. Já as paisagens reforçam o caráter de livro de viagem. O que transparece, no entanto, é a capacidade de imersão do fotógrafo no cotidiano de um sem-número de cidades. Seja pelo uso expressivo de recursos de luz e sombra, seja pelo aprimoramento contínuo em frisar momentos e gestos singulares, Mascaro cria cenas que, em sua falta de imponência, exprimem relações entre pessoas, e a ligação delas com suas cidades.

Em 2003, participa como fotógrafo do livro O Patrimônio Construído - As 100 Mais Belas Edificações do Brasil, em que registra monumentos tombados pelo patrimônio histórico em todo o país. Voltam as linhas acentuadas, e também a determinação das imagens pelas linhas e curvas arquitetônicas das construções fotografadas. Edifícios que datam do século XVI combinam com construções relativamente recentes, como o Theatro Municipal de São Paulo, fato que, para além do importante documento histórico que o livro representa, mostra a capacidade de Mascaro em harmonizar elementos díspares por sua relações geométricas. Na 6ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, em 2005, apresenta a mostra Brasil XYZ. Em um cubo branco, imagens de cidades brasileiras sob a luz de seus estilos arquitetônicos confirmam a vocação de Mascaro tanto como fotógrafo das formas quanto como das pessoas que as habitam.

Críticas

"(...) Mascaro tem com São Paulo uma relação quase de submissão: ele se deixa penetrar pela massa de concreto, pelas faixas de cimento, pelas fatias de céu. Com as pessoas, a relação muda: o fotógrafo se torna diretor de uma peça. E os habitantes da cidade se desligam, por um momento, de seu ambiente do dia-a-dia, fitando a câmara com um olhar para dentro. Aquele olhar que independe do instante e que gera arquétipos, como os de Sander. 
São Paulo de Cristiano não é metrópole de multidões nem de ritmo desenfreado. Ela se deixa impregnar pelas ´pegadas´ do mundo apressado e o fotógrafo as capta, rastros borrados que atravessam a imagem e tentam arrastar o habitante para dentro da vida palpitante, urbana".
Stefania Bril
BRIL, Stefania. As imagens de três amores urbanos. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 06 set. 1984. p. 19.

"(...) O trabalho de Cristiano Mascaro é marcado por um romantismo e por uma atmosfera absolutamente genial. O fotógrafo não quer uma cidade pitoresca, e sim registrar as suas diversidades, que se multiplicam em plena luz do dia. Uma profusão de imagens como um grande espetáculo da vida urbana, uma massa de atividades individuais que generalizam a vida e a energia da cidade e que fazem o real parecer mágico e estranho, em qualquer cidade do país. É assim que ele vê as cidades através de sua Hasselblad, para imaginar o seu mundo. As cidades são uma desordem permanente, onde tudo - pessoas, automóveis, arquitetura, nuvens, sol - está num terrível descompasso, onde cada elemento pertence a mecanismos diferentes, sobre os quais não temos nenhum controle. De repente, num momento de magia e de prazer, as coisas se harmonizam e o que ninguém viu transforma-se numa imagem de Cristiano Mascaro. Ele consegue, numa fração de segundos, construir uma forma de veracidade".
Rubens Fernandes Junior
FERNANDES JUNIOR, Rubens. O ocaso e o imponderável. In: MASCARO, Cristiano. Luzes da cidade. São Paulo: DBA, 1996.

Acervos

Acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo/Brasil - São Paulo SP
Biblioteca Nacional de Paris - Paris (França)
Casa da Cultura Equatoriana - Quito (Equador)
Centre D'Art et de Culture Georges Pompidou - Paris (França)
Coleção Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP - São Paulo SP
Coleção Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ - Rio de Janeiro RJ
Coleção Pirelli/Masp de Fotografias - São Paulo SP
International Museum of Photography at Georges Eastman - Rochester (Estados Unidos)
Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp - São Paulo SP

Exposições Individuais

1974 - São Paulo SP - Paisagem Urbana, na Galeria Enfoco
1976 - São Paulo SP - Bom Retiro e Luz: um roteiro, na Pinacoteca do Estado
1976 - São Paulo SP - Vila Penteado, Uma Viagem ao Art Noveau, na FAU/USP
1977 - Washington (Estados Unidos) - Paisagem Urbana, na Galeria da Organização dos Estados Unidos
1980 - Cuiabá MT - Paisagem Urbana, na UFMT
1980 - Cuiabá MT - Ninguém Ensina o que Não Sabe, na UFMT
1981 - São Paulo SP - Ninguém Ensina o que Não Sabe, na Pinacoteca do Estado
1981 - Brasília DF - Ninguém Ensina o que Não Sabe, no Centro de Convenções Brasília
1983 - Rochester (Estados Unidos) - Brazil, na 28 Arlington Gallery
1983 - São Paulo SP - Paisagem Paulistana, na FAU/USP
1986 - São Paulo SP - A Avenida São João, na Galeria Fotoptica
1986 - São Paulo SP - A Avenida São João, na FAU/USP
1986 - São Paulo SP - Retratos Paulistanos, no Metrô São Bento
1986 - Salvador BA - Salvador, na Galeria Anarte
1988 - São Paulo SP - O Pano Sobe, a respeito da reforma e restauro do Teatro Municipal
1989 - São Paulo SP - As Melhores Fotos de Cristiano Mascaro, no MIS/SP
1990 - Manaus AM - O Restauro do Teatro Amazonas, no Teatro Amazonas
1990 - Fortaleza CE - O Restauro do Teatro José de Alencar, no Teatro José de Alencar
1991 - Rio de Janeiro RJ - As Cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, na Galeria Cândido Mendes
1991 - Curitiba PR - Paisagens Urbanas, na Casa Romário Martins
1993 - Curitiba PR - Semana de Fotografia de Curitiba: sala individual, na Fundação Cultural de Curitiba
1994 - Frankfurt (Alemanha) - Brasil: Arquitetura Recente, no Deutsches Architektur Museum
1994 - Curitiba PR - Casas Brasileiras, na Fundação Cultural de Curitiba
1995 - São Paulo SP - Rua Florêncio de Abreu, no Museu Banespa
1996 - São Paulo SP - Luzes da Cidade, no Masp
1997 - Rio de Janeiro RJ - Registros Urbanos, no Paço Imperial
1999 - São Paulo SP - Retrospectiva, na Faculdade de Fotografia do Senac Lapa
2002 - Ribeirão Preto SP - São Paulo, na Universidade de Ribeirão Preto
2004 - São Paulo SP - São Paulo Contemporânea, no Instituto Moreira Salles

Exposições Coletivas

1971 - São Paulo SP - 9 Fotógrafos de São Paulo, no MAC/USP
1971 - São Paulo SP - Cinco Arquitetos Fotógrafos, no IAB/SP
1972 - São Paulo SP - 6 Fotógrafos, na Galeria Eucatexpo; 22 Semana 72, em comemoração do cinqüentenário da Semana de Arte Moderna, na FGV
1974 - São Paulo SP - Cinco Arquitetos Fotógrafos, no IAB/SP
1979 - São Paulo SP - Brás: Uma Documentação Fotográfica, exposição conjunta com Pedro Martinelli, no MIS/SP
1979 - São Paulo SP - Coletiva Fotografia na FAU, na FAU/USP
1981 - São Paulo SP - Exposição dos Quatro - Retratos de Madalena Schwarte, Cristiano Mascaro, Mario Cravo Neto e João Sócrates, na Galeria Fotoptica
1981 - Zurique (Suíça) - Fotografie Lateinamerika, von 1860 Bis Heute
1983 - Londres (Inglaterra) - Brazilian Photography, na The Photographer's Gallery
1983 - Paris (França) - Brésil des Brésiliens, no Centre Georges Pompidou
1984 - Rio de Janeiro RJ - Visões Urbanas, no Instituto de Fotografia da Funarte
1984 - Rio de Janeiro RJ - Visões Urbanas, no MNBA
1984 - São Paulo SP - Visões Urbanas, no Salão Fuji
1984 - São Paulo SP - Auto-Retrato do Brasileiro: cidade e campo, na Bienal Tradição e Ruptura
1985 - Paris (França) - Exposição de fotógrafos internacionais ganhadores do prêmio Eugène Atget, no Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris
1985 - São Paulo SP - A Obra do Arquiteto Vilanova Artigas, no CCSP
1986 - Havana (Cuba) - 2ª Bienal de Havana
1986 - Quito (Equador) - Brasil, na Casa da Cultura Equatoriana
1988 - Milão (Itália) - 17ª Trienal de Milão: Imagens de São Paulo
1988 - Nova York (Estados Unidos) - Brazil Projects, no Institute for Art and Urban Resources, PS-1
1990 - São Paulo SP - 10 Anos de Comemoração, na Galeria Fotoptica
1990 - São Paulo SP - Imagens de São Paulo, no Citibank
1990 - São Paulo SP - Memória Paulistana: Homenagem a Benedito Calixto, na Pinacoteca do Estado
1991 - São Paulo SP - 1ª Coleção Pirelli/Masp de Fotografias, no Masp
1992 - Curitiba PR - 10ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba/Mostra América, no Museu da Gravura
1992 - Zurique (Suíça) - Brasilien: entdeckung und selbstentdeckung, no Kunsthaus Zürich
1993 - Curitiba PR - Coleção Joaquim Paiva, no Museu de Artes de Curitiba
1994 - Curitiba PR - 4ª Semana de Fotografia, na Fundação Cultural de Curitiba
1995 - São Paulo SP - 2º Mês Internacional da Fotografia: Retratos Contemporâneos, na Faap
1995 - São Paulo SP - Coletiva Brasileira de Retratos Anos 80 e 90, no Espaço Cultural Faap
1996 - Bogotá (Colômbia) - Imagenes de Brasil. Coleção Pirelli/Masp de Fotografias, na Casa do Brasil
1996 - Buenos Aires (Argentina) - Imagenes de Brasil. Coleção Pirelli/Masp de Fotografias, no Museo Nacional de Bellas Artes
1996 - Caracas (Venezuela) - Imagenes de Brasil. Coleção Pirelli/Masp de Fotografias, no Museo de Arte Contemporáneo de Caracas Sofía Imber
1997 - São Paulo SP - Arte Cidade: a cidade e suas histórias 
1998 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Caetano Veloso, no Paço Imperial
1999 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Chico Buarque, no Paço Imperial
1999 - Wolfsburg (Alemanha) - Brasilianische Fotografie 1946 bis 1998, no Kunstmuseum Wolfsburg
2001 - São Paulo SP - Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2002 - São Paulo SP - Fotografias no Acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no MAM/SP
2002 - São Paulo SP - Visões e Alumbramentos: fotografia contemporânea brasileira da coleção Joaquim Paiva, na Oca
2003 - São Paulo SP - Clube de Colecionadores de Fotografia do MAM, no MAM/SP
2003 - São Paulo SP - Compressores e Condensadores, no Espaço MAM/SP
2003 - São Paulo SP - MAC USP 40 Anos: interfaces contemporâneas, no MAC/USP
2003 - São Paulo SP - Olhares Cruzados, na Pinacoteca do Estado
2004 - São Paulo SP - (Des)construindo São Paulo, no MIS/SP
2004 - São Paulo SP - Cubanaimã, na Ímã Foto Galeria
2004 - São Paulo SP - Fotografia e Escultura no Acervo do MAM - 1995 a 2004, no MAM/SP
2004 - São Paulo SP - Inspiração, na Galeria Luisa Strina
2004 - São Paulo SP - São Paulo 450 Anos: a imagem e a memória da cidade no acervo do Instituto Moreira Salles, no Centro Cultural Fiesp

Fonte: Itaú Cultural

Vídeo

VEJA TAMBÉM

Oscar Satio Oiwa - Estudo de Pedras III
Estudo de Pedras III