Escritoriodearte.com > Artistas > Crisaldo Morais

Crisaldo Morais

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Crisaldo Morais (Recife PE 1932 - idem 1997)

Pintor e ilustrador.

Crisaldo d'Assunção Morais iniciou na pintura como autodidata por volta de 1968, em São Paulo, onde é um dos organizadores do Movimento de Arte da Praça da República. Em 1975, organiza a mostra Festa das Cores no Masp. Ilustra os livros Les Proverbs Vus Par Les Peintres Naifs, de Anatole Jakovsky, e Le Chanson Traditionnelle et Les Peintres Naifs, de Roger Blanchard. Em 1977, a convite do Departamento de Estado norte-americano, realiza palestras sobre arte primitiva brasileira em universidades americanas. De volta a Recife, funda, em 1986, o Gabinete de Arte Brasileira, que promove eventos artísticos.

Críticas

"(...) Crisaldo Morais procura a comunhão entre o céu e a terra. Sua obra transmite uma emoção interior que o artista nos mostra frequentemente através de suas figuras suspensas na imensidão dos céus. A inconfundível marca de sua obra, sempre realizada com tons puros, nos permite penetrar na visão do artista deste longínquo continente onde a cor ocupa seu lugar privilegiado".
Georges Kasper
CRISALDO Morais. Apresentação de Anatole Jakovsky. Recife: Museu do Estado, 1978.

"Quando uma tendência artística surge num país, não é uma regra que surja apenas um artista, mas sim uma grande quantidade de seguidores. De todas as direções eles vêm e se encontram num determinado ponto, como se fora combinado. Assim, por exemplo a Praça da República em São Paulo. Lá, eles se encontram as dúzias entre homens e mulheres, vendendo aos passantes suas obras, colocadas ao chão. No início por quase nada! Dentro deste movimento artístico apenas um se sobrepujou de maneira importante: Crisaldo Morais, que não se perdeu na reprodução do pitoresco nem na exótica vida das plantas - tão belas elas sejam -, mas ele conseguiu novos símbolos, reproduzindo o conteúdo do visível. Ele pode tornar visual a profunda emoção do seu interior e o reflexo do pensamento superior, a fé e as lendas de seu povo. Para isto ele utiliza arquétipos, que, passando por uma tênue camada de cultura européia com o passar dos tempos, alcançam o rico culto indo-ameri cano que retrocede até a época de Colombo. Morais é maior, mais original e profundo entre os seus compatriotas; aquele que realmente é um ´pintor´".
Anatole Jakovsky
CRISALDO Morais. Apresentação de Anatole Jakovsky. Recife: Museu do Estado, 1978.

Exposições Individuais

1968 - São Paulo SP - Individual, na Galeria KLM
1970 - Paris (França) - Individual, na Galerie Antoinette
1973 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Soarte
1973 - Dusseldorf (Alemanha) - Individual, na Zimmergalerie
1974 - Morges (Suíça) - Individual, na Galerie Pro Arte Kasper
1976 - Vence (França) - Individual, na Galerie Odile Harel
1977 - Paris (França) - Individual, na Galerie Antoinette
1977 - Oakland (Estados Unidos) - Individual, na Garland White Residence
1978 - Recife PE - Individual, no Museu do Estado de Pernambuco
1981 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Jacques Ardies
1982 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria de Arte Jean-Jacques
1986 - Oakland (Estados Unidos) - Individual, na Garland White Residence
1990 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria de Arte Jean-Jacques
1990 - Recife PE - Individual, no Museu do Estado de Pernambuco

Exposições Coletivas

1969 - São Paulo SP - Festival de Artes Plásticas - medalha de prata
1969 - São Paulo SP - 1º Salão Anchieta de Arte Jovem - grande medalha de bronze
1969 - Embu SP - 6º Salão de Artes Plásticas do Embu - 2º prêmio
1971 - Washington (Estados Unidos) - Naive Painters of São Paulo
1971 - Basiléia (Suíça) - Basel Art Fair
1971 - Munique (RFA) - Bilder aus Brasilien
1971 - Brasília DF - Primitivos Brasileiros, no Salão Negro do Senado Federal
1972 - Gainsville (Estados Unidos) - Brasilian Primitive Paintings, na Universidade da Flórida
1972 - San Francisco (Estados Unidos) - Brasilian Primitive Paintings, na Universidade da Califórnia
1972 - Bratislava (Tchecoslováquia) - The Third Trienalle of Insite Art
1974 - Paris (França) - 1º Salão Internacional de Arte Contemporânea
1974 - Bruxelas (Bélgica) - Salão Internacional de Arte Atual
1975 - Levallois-Perret (França) - Salon Mondial de la Peinture Naive
1975 - São Paulo SP - Festa de Cores, no Masp
1976 - Basiléia (Suíça) - Basel Art Fair
1976 - Morges (Suíça) - Prix Pro Arte Peinture Naif - Ex-Equo
1978 - Morges (Suíça) - Prix Pro Arte Peinture Naif - Ex-Equo - Distinção Especial (1978)
1978 - São Paulo SP - O Circo e Gente da Terra, no Paço das Artes
1980 - São Paulo SP - O Circo e Gente da Terra, no Paço das Artes
1979 - Londres (Inglaterra) - Festa de Cores, na Galerie Dietrickx
1979 - Bruxelas (Bélgica) - Festa de Cores, na Hamilton Fine Art Gallery
1980 - Paris (França) - Le Génie des Naifs, no Grand Palais
1980 - São Paulo SP - 1º Salão de Artes Plásticas e Visuais - prêmio especial
1982 - Brescia (Itália) - Mito e Magia del Colore
1983 - Campinas SP - Arte Naif Brasileira, no MACC
1984 - Nova York (Estados Unidos) - Brazilian Primitives Paintings, na Brazilian Cultural Foundation
1985 - Provence (França) - Peintures Naives d'Amerique du Sud, du Mexique, d'Haiti et du Ghana
1985 - Alger (Argélia) - Peintures Naives d'Amerique du Sud, du Mexique, d'Haiti et du Ghana
1988 - Rio de Janeiro RJ - O Mundo Fascinante dos Pintores Naïfs, no Paço Imperial
1989 - Moscou (União Soviética - atual Rússia) - Mostra itinerante - Fundação Lucien Finkelstein
1989 - Leningrado, atual São Petersburgo (União Soviética - atual Rússia) - Mostra itinerante - Fundação Lucien Finkelstein 
1994 - Piracicaba SP - 2ª Bienal Brasileira de Arte Naif, no Sesc

Exposições Póstumas

2002 - Piracicaba SP - 6ª Bienal Naifs do Brasil, no Sesc

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Julio Le Parc - Surface/Couleur
Surface/Couleur
Enrico Bianco - Nu Feminino
Nu Feminino