Escritoriodearte.com > Artistas > Carmela Gross

Carmela Gross

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Carmela Gross (São Paulo SP 1946)

Artista multimídia.

Maria do Carmo Gross Nitsche freqüenta o curso de artes plásticas na Fundação Armando Álvares Penteado - Faap, em São Paulo, entre 1965 e 1969. Em 1967, apresenta a obra Nuvens, com imagens esquemáticas, em madeira, que aludem ao universo das histórias em quadrinhos e ao desenho infantil. Desde os anos 1970, atua em linguagens diversificadas, como desenho e litografia, utilizando novos meios como carimbos, heliografia, xerox e videoarte, e desenvolvendo experiências de transposição entre mídias. A partir de 1972, leciona na Faculdade de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP. O desenho é a base para obras como a série Cartões Familiares (1975) e Carimbos (1977-1978). A partir da década de 1980, sua obra desenvolve-se entre a pintura e o desenho, e entre a pintura e o objeto, passando a explorar também a arquitetura do espaço expositivo. Obtém a Bolsa Vitae de Artes Plásticas, São Paulo, em 1991. Em 1994, com a proposta Buracos, para o evento ArteCidade, em São Paulo, realiza uma intervenção no espaço expositivo. No mesmo ano, recebe bolsa para pesquisar no European Ceramics Work Centre, em s'Hertogenbosch, na Holanda, onde elabora o conjunto de cerâmica intitulado Facas, posteriormente apresentado no Rio de Janeiro e em São Paulo. A partir do fim da década de 1990, realiza os trabalhos Comedor de Luz (1999) e O Fotógrafo (2001), utilizando lâmpadas fluorescentes, fios e estruturas metálicas.

Comentário Crítico

Carmela Gross começa seu trabalho em um período movimentado da arte brasileira, quando estão em pauta discussões sobre as novas formas de produção artística no Brasil, a aproximação da arte com a vida e a apropriação visual de elementos da cultura de massa. Em 1965, ingressa no curso de artes plásticas da Fundação Armando Álvares Penteado - Faap. Nas aulas, assimila os debates sobre a arte pop e as novas vanguardas. Mobilizada por algumas dessas questões, em 1967, realiza a escultura Nuvens. As peças de madeira, pintadas de azul, são diretas e objetivas. Concretizam imagens esquemáticas de nuvem, semelhantes às das histórias em quadrinhos, da animação e do desenho infantil. Como a historiadora Ana Maria Belluzzo enfatiza, a artista torna palpáveis alguns desenhos banais que tratam de motivos oníricos.

Na mesma época, lida com a linguagem pop em outras intervenções. Na obra efêmera Escada (1968), risca degraus num barranco do subúrbio de São Paulo. Ainda realiza esculturas como Presunto (1968), A Pedra (1968) e Espuma (1969), próximas da obra de Claes Oldenburg (1929). Em suas pinturas e guaches do começo dos anos 1970, como Montanha (1970), essa iconografia, entre a abordagem pop e o universo infantil, torna a aparecer. Em 1972, é contratada como professora de artes plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP. O trabalho docente se torna parte importante de sua carreira.

Com Cartões Familiares (1975), seu trabalho aproxima-se das linguagens gráficas. Nesses desenhos, risca com grafite sobre uma máscara, seguindo os princípios da serigrafia. Dois anos mais tarde, o raciocínio gráfico é desenvolvido na série Carimbos. O trabalho demonstra seu interesse pela arte conceitual e pelas novas mídias.

Em 1984, trabalha entre a pintura e o objeto. A princípio, articula módulos de telas justapostas, como em Cachoeira (1985). As pinturas se relacionam com objetos esculpidos e desenhos. A partir de 1987, trabalha exclusivamente com objetos sobrepostos e justapostos no plano, sem nenhuma ação propriamente pictórica, como em Trem (1990) e Recortes Pretos (1995).

Em 1994, a artista utiliza esse raciocínio para atuar no espaço expositivo. Nesse ano, realiza a instalação Buracos, onde faz várias fendas no chão e as relaciona plasticamente. A obra acontece durante o projeto Arte Cidade: Cidade sem Janelas. Cinco anos depois, ocupa com grandes bandagens negras o espaço da Oficina Cultural Oswald de Andrade. Novamente, a ação artística lida com a arquitetura do espaço de exposição. Em 2002, realiza duas instalações simultâneas feitas com lâmpadas fluorescentes. Ambas se relacionam com o edifício das mostras coletivas e com o contexto da exposição. Uma é apresentada no prédio do Sesc Belenzinho, durante o Artecidadezonaleste. Outra aparece na fachada da Fundação Bienal, na 25ª Bienal Internacional de São Paulo. Esses trabalhos dão continuidade a importante faceta da produção de Carmela Gross, as esculturas feitas com luz, iniciadas em 1995.

Críticas

"(...) Carmela radicaliza traços típicos do movimento construtivo sobretudo da arte minimal -, e joga com elementos estruturais da linguagem pictórica reduzidos à condição de módulos manipuláveis. A bidimensionalidade dos quadros, a reversibilidade do espaço pictórico - ressaltada por meio de uma simetria exacerbada e pela divisão das telas em partes intercambiáveis - e a crítica da virtualidade do espaço, por meio da elaboração de formas sobre as quais são feitos os quadros (em lugar de conterem a ilusão das formas), depuram-se de tal modo que se convertem verdadeiramente num léxico manipulável, à maneira da mais convencional das linguagens. Já a presença sensível destes trabalhos - ao contrário da maior parte das obras construtivas, que tendem a reduzi-la ao máximo, de modo a facilitar a apreensão dos procedimentos realizados - corre por conta de uma indiferença absoluta em relação à pertinência de seu aparecimento. Arbitrária, infensa à austeridade significativa da estruturação e às vezes até mesmo grotesca, a aparência das telas é, em sua crueza, tanto mais intensa quanto mais insignificante. E no entanto é a presença sensível de quadros altamente estruturados e significativos".
Rodrigo Naves
GROSS, Carmela. Carmela Gross. Apresentação Rodrigo Naves. São Paulo: Galeria Luisa Strina, 1986. folha dobrada, 4 il. color.

"(...) Carmela provoca lembranças ancestrais. As figurações dos painéis murais presentes nesta 20ª Bienal são densas sedimentações dessa experiência acumulada pela artista, permanências obstinadas da remota vida do homem das cavernas, ecos atravessando o tempo. Os gestos largos e simples estão agigantados numa grandeza cósmica. Cortam a continuidade de uma suave superfície de papel de fibra artesanal pintada de tinta prateada. Os riscos rasgam o espaço luminoso e espelhante com questionamentos, não-objetividades, não-aparições. São desaparições, sombras que ampliam a luminosidade e a espacialidade. As mesmas figuras projetadas ou refletidas numa parede frontal à primeira são então absorvidas, como se, filtradas por uma poeira rósea, adentrassem a porosa superfície da parede, nela se inscrevendo. São ainda visões a distância".
Ana Maria de Moraes Belluzzo
BELLUZO, Ana Maria de Moraes. Pintar e bordar. In: ARTISTAS brasileiros na 20a. Bienal Internacional de São Paulo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1989. p. 59, il. color.

"Em 1988, essa dimensão ´arqueológica´ predomina nas mostras de São Paulo e Porto Alegre, em que pedaços de latão ou botões se distribuem em aparente desordem, caotizando remoinhos de força e expansões. As nuvens não estão ausentes, quer pinturas fragmentadas, quer epicentros acolchoados ou secções de torvelinhos. Depois a fase atual. Os desenhos expandidos-pinturas se fazem objetos, rebentos de forças que engendram desde dentro sua forma e cor. O foco se distancia, e as escalas se confundem entre o microampliado e o macrorreduzido. São extensões, talvez mapas, sílex, mas fakes de alumínio fundido, repropondo séries colecionadas de ´primitivas´ pedras lascadas, de monolitos, erupções geológicas, paisagens, praias. Uma volta ao antes da civilização ou da própria habitação do homem no planeta, mas tudo high tech quanto ao material e feitura".
Carlos Scarinci
SCARINCI, Carlos. Carmela Gross. Galeria: Revista de Arte, São Paulo, n. 29, p. 22-24, maio/jun. 1992.

"Carmela Gross, desde os Carimbos dos anos 70 até o ambiente Facas criado em 1995, vem demonstrando a possibilidade de subverter o estereótipo através da repetição do gesto. Dessa insistência, que poderia ser mal entendida como submissão ao modelo, extrai a possibilidade de libertar, pela imprecisão, o diferente. Será, então, pelo desvio voluntário ou imprevisto de um dado inicial que se dará a incessante conversão de um elemento em outro numa constante atualização da diferença: pelas frestas do mesmo ela deixa vazar o novo nele contido. Em trabalhos recentes, a partir de moldes em papel, a artista recorta finas camadas de tecidos que, sobrepostas, constroem relevos. Funcionando como seções de sólidos, cada lâmina é formalmente semelhante à precedente e à seqüente, mas entre a primeira e a última não há necessariamente nenhuma analogia formal: à alteração gradual da forma corresponde o diferencial capaz de distanciar as semelhanças até fazê-las desaparecer. Para aquém de toda razão construtiva, é ver e querer tocar: as peças recordam um território antigo que efetivamente não cessamos de explorar".
Maria Alice Milliet
MILLIET, Maria Alice. Carmela Gross. In: O ÚNICO/o mesmo/o a-fundamento. Curadoria Maria Alice Milliet. São Paulo: Valu Oria Galeria de Arte, 1996. p. 7-8.

Exposições Individuais

1977 - São Paulo SP - Desenhos, no Gabinete de Artes Gráficas
1978 - São Paulo SP - Carimbos, no Gabinete de Artes Gráficas
1980 - Porto Alegre RS - Carimbos, no Espaço NO Galeria Chaves
1980 - São Paulo SP - Carmela Gross, no Itaúgaleria
1983 - Rio de Janeiro RJ - Quasares, no MAM/RJ
1983 - São Paulo SP - Quasares, no CCSP
1984 - Florença (Itália) - Quasares, na Galeria Zona
1984 - São Paulo SP - Carmela Gross: pinturas, montagens, cartazes, na Galeria Luisa Strina
1986 - Paris (França) - Quasares, no Espaço Latino-Americano
1986 - São Paulo SP - Carmela Gross: pinturas, na Galeria Luisa Strina
1986 - Washington DC (Estados Unidos) - Projeto para a Construção de um Céu, no Brazilian American Cultural Institute
1987 - São Paulo SP - Pintura-Desenho, no MAC/USP
1988 - Porto Alegre RS - Pintura-Objeto, no Margs
1988 - São Paulo SP - Pinturas-Objeto, na Galeria de Arte São Paulo
1989 - Brasília DF - Objetos Bestas, na Galeria Espaço Capital Arte Contemporânea
1990 - São Paulo SP - Carmela Gross: pintura e objeto, na Galeria de Arte São Paulo
1992 - São Paulo SP - Carmela Gross: desenhos, no MAM/SP
1992 - São Paulo SP - Carmela Gross: pinturas, no Escritório de Arte São Paulo
1992 - São Paulo SP - Desenhos, no Masp
1992 - São Paulo SP - Instalação, na Capela do Morumbi
1993 - Niterói RJ - Hélices, na Galeria de Arte da UFF
1993 - Rio de Janeiro RJ - Hélices, no MAM/RJ
1994 - Hertogenbosch (Holanda) - Facas, no European Ceramics Work Centre
1994 - Ribeirão Preto SP - Hélices, no Museu de Arte de Ribeirão Preto
1994 - Rio de Janeiro RJ - Facas, no CCBB
1994 - Uberlândia MG - 300 Larvas, na Galeria Ido Finotti/UFU
1995 - São Paulo SP - Facas, no MAM/SP
1995 - São Paulo SP - Individual, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
1997 - São Paulo SP - Carmela Gross, no CCSP
1998 - Porto Alegre RS - 300 Desenhos, no Instituto de Artes/UFRGS
1999 - São Paulo SP - Comedor de Luz, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
1999 - São Paulo SP - Projéteis, no Paço das Artes
2000 - São Paulo SP - Alagados, no Centro Universitário Maria Antonia/USP
2000 - São Paulo SP - Projeto Parede, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Carmela Gross, no CCSP
2003 - Rio de Janeiro RJ - Aurora, no Paço Imperial
2003 - São Paulo SP - Carmela Gross, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
2004 - São Paulo SP - Aurora, na Galeria Olido
2004 - São Paulo SP - Conversa Contemporânea, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud

Exposições Coletivas

1966 - Campinas SP - 2º Salão de Arte Contemporânea de Campinas
1966 - São Paulo SP - 2º Encontro Universitário de Artes Plásticas - 1º prêmio escultura
1967 - São Paulo SP - 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1967 - São Paulo SP - Coletiva, na Rex Gallery e Sons
1968 - Brasília DF - 5º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal
1968 - Campinas SP - 4º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1968 - Rio de Janeiro RJ - Bandeiras na Praça, na Praça General Osório
1968 - Salvador BA - 2ª Bienal Nacional de Artes Plásticas , no MAM/BA - menção honrosa
1969 - São Paulo SP - 10ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1970 - Campinas SP - 6º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MAC/Campinas- prêmio aquisição
1970 - São Paulo SP - 4ª Jovem Arte Contemporânea, no MAC/USP - prêmio aquisição
1975 - Washington (Estados Unidos) - Coletiva, na Art Gallery of the Brazilian American Culture Institute
1976 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Paço das Artes
1977 - São Paulo SP - Vídeo - MAC, no MAC/USP
1978 - São Paulo SP - 1º Encontro Internacional de Vídeo-Arte de São Paulo, no MIS/SP
1978 - São Paulo SP - Exposição de Gravuras, na Cooperativa dos Artistas Plásticos
1978 - São Paulo SP - Livro de Artistas, na Galeria Gesto Gráfico
1978 - São Paulo SP - Objeto na Arte: Brasil anos 60, no MAB/Faap
1978 - São Paulo SP - Poucos e Raros, no Masp
1979 - Caxias do Sul RS - Exposição de Desenhos
1979 - Curitiba PR - 1ª Mostra de Desenho Brasileiro, no Museu de Arte do Paraná - prêmio aquisição
1979 - São Paulo SP - Gerox: exposição de gravuras em xerox, no Espaço Max Pochon
1979 - São Paulo SP - Multimedia Internacional, na ECA/USP
1979 - São Paulo SP - O Desenho como Instrumento, na Pinacoteca do Estado
1979 - São Paulo SP - O Múltiplo na Arte, na Galeria Múltipla
1980 - Porto Alegre RS - Gerox, no Espaço NO Galeria Chaves
1980 - São Paulo SP - Dois Metros e Uma Página, na Cooperativa de Artistas Plásticos
1980 - São Paulo SP - Gerox, na Pinacoteca do Estado
1981 - Cali (Colômbia) - 4ª Bienal de Artes Gráficas
1981 - São Paulo SP - 16ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1981 - São Paulo SP - Arte Pesquisa, no MAC/USP
1981 - São Paulo SP - Artistas Contemporâneos Brasileiros, na Galeria de Arte São Paulo
1981 - São Paulo SP - Mostra de Heliografias, na Pinacoteca do Estado
1982 - Caxias do Sul RS - Artemicro, na Universidade de Caxias do Sul
1982 - Coimbra (Portugal) - Microarte, no Círculo das Artes Plásticas
1982 - Lisboa (Portugal) - Microarte, na Cooperativa Diferença
1982 - Penápolis SP - 5º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1982 - Rio de Janeiro RJ - Artemicro, no MAM/SP
1982 - São Paulo SP - 1º Festival Nacional da Mulher nas Artes, no MAC/USP
1982 - São Paulo SP - 1º Festival Nacional da Mulher nas Artes, no MAC/USP
1982 - São Paulo SP - Arte pelo Telefone, no MIS/SP
1982 - São Paulo SP - Artemicro, no MIS/SP
1983 - Dallas (Estados Unidos) - Artemicro, no Bath House Cultural Center
1983 - São Paulo SP - 17ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1983 - São Paulo SP - Arte na Rua
1983 - Valparaíso (Chile) - 6ª Bienal de Valparaíso
1983 - Dallas (Estados Unidos) - Artemicro, no Bath House Cultural Center
1984 - Rio de Janeiro RJ - O Desenho Brasileiro, na Fundação Cândido Mendes
1984 - São Paulo SP - Poesia Evidência, na PUC/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 - Penápolis SP - 6º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1985 - Rio de Janeiro RJ - Caligrafias e Escrituras, na Galeria Sérgio Milliet/Funarte
1985 - Rio de Janeiro RJ - O Céu do Rio, no Planetário do Rio de Janeiro
1985 - São Paulo SP - Arte Novos Meios/Multimeios: Brasil 70/80, no MAB/Faap
1985 - São Paulo SP - Arte Tecnologia, no MAC/USP
1985 - São Paulo SP - Brasil Desenho, no CCSP
1985 - São Paulo SP - Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP
1985 - São Paulo SP - Tendências do Livro de Artista no Brasil, no CCSP
1985 - Rio de Janeiro RJ - Brasil Desenho, na Funarte
1986 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Ivan Serpa, na Galeria Sérgio Milliet/Funarte
1986 - São Paulo SP - 12 Anos, na Galeria Luisa Strina
1986 - São Paulo SP - Projeto Vermelho-Proggetto Rosso, no MAB/Faap
1986 - São Paulo SP - XX-XXI: uma virada no século, na Pinacoteca do Estado
1987 - São Paulo SP - A Trama do Gosto: um outro olhar sobre o cotidiano, na Fundação Bienal
1988 - Campinas SP - 13º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1988 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Contemporânea
1988 - São Paulo SP - MAC 25 Anos: aquisições e doações recentes, no MAC/USP
1989 - São Paulo SP - 20ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1989 - São Paulo SP - 20º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1989 - São Paulo SP - Acervo, na Galeria de Arte São Paulo
1989 - São Paulo SP - Nove Mulheres, na Galeria Millan
1990 - Brasília DF - Prêmio Brasília de Artes Plásticas, no MAB/DF - grande prêmio
1990 - Curitiba PR - 9ª Mostra de Gravura da Cidade de Curitiba, no Museu da Gravura
1990 - San Diego (Estados Unidos) - Latin-American Drawings Today, no San Diego Museum of Art
1990 - Santiago (Chile) - Latinoamerica Presente, no Museo de Bellas Artes de Santiago
1990 - São Paulo SP - 21º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1990 - São Paulo SP - A Presença do Desenho, no Paço das Artes
1990 - São Paulo SP - Gente de Fibra, no Sesc/Pompéia
1990 - São Paulo SP - Presença do Desenho, no Paço das Artes
1991 - Fortaleza CE - 2ª Exposição Internacional Esculturas Efêmeras, na Fundação Demócrito Rocha
1991 - Medellín (Colômbia) - FaxArt, no Centro Colombo Americano Medellín
1991 - São Paulo SP - 22º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1991 - São Paulo SP - Artistas Professores, na Galeria de Arte do Sesi
1991 - São Paulo SP - O Que Faz Você Agora Geração 60?: jovem arte contemporânea dos anos 60 revisitada, no MAC/USP
1991 - São Paulo SP - Fax-Arte, no Masp
1992 - Belém PA - 2º Salão Paraense de Arte Contemporânea, na Secretaria de Estado da Cultura
1992 - Campinas SP - Premiados nos Salões de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1992 - Jundiaí SP - Artistas Convidados e Homenageados, no Salão de Arte de Jundiaí
1992 - Rio de Janeiro RJ - Gravura de Arte no Brasil: proposta para um mapeamento, no CCBB
1992 - São Paulo SP - A Linguagem dos Minerais, no Espaço Miriam Mamber Artwear e Design
1992 - São Paulo SP - Arte Brasileira na Coleção: anos 70/90, no MAC/USP
1992 - São Paulo SP - Branco Dominante, na Galeria de Arte São Paulo
1993 - Brasília DF - 20x10, no Espaço Cultural do Distrito Federal
1993 - Brasília DF - Acervo da Capes, no MinC
1993 - Brasília DF - Um Olhar sobre Joseph Beuys, na Fundação Athos Bulcão
1993 - Ribeirão Preto SP - Via Fax, no Museu de Arte de Ribeirão Preto
1993 - São Paulo SP - Brazilian Contemporary Art Projects, no MAC/USP
1993 - São Paulo SP - Coletiva de Pinturas, no Espaço Namour
1993 - São Paulo SP - Coletiva no Espaço Arte Morumbi Shopping
1993 - São Paulo SP - Olho Mágico, na Documenta Galeria de Arte
1993 - São Paulo SP - Outdoors: exposição comemorativa do centenário de Mário de Andrade, no CCSP
1993 - São Paulo SP - Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas, no CCSP
1994 - São Paulo SP - Arte Cidade 1: cidade sem janelas, no Matadouro Municipal da Vila Mariana 
1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1995 - Caracas (Venezuela) - 2ª Bienal de Barro de América, no Museo de Arte Contemporáneo de Caracas Sofía Imber
1995 - Curitiba PR - 11ª Mostra da Gravura da Cidade de Curitiba, na Fundação Cultural
1995 - Santos SP - 5ª Bienal Nacional de Santos
1995 - São Paulo SP - Garner Tullis Workshop, no MAM/SP
1995 - São Paulo SP - O Desenho em São Paulo 1956-1995, na Galeria Nara Roesler
1995 - São Paulo SP - Projeto Contato, na Galeria Sesc Paulista
1996 - São Paulo SP - 4º Studio Unesp Sesc Senai de Tecnologias de Imagens, no Sesc Pompéia
1996 - São Paulo SP - Arte Brasileira: 50 anos de história no acervo MAC/USP: 1920-1970, no MAC/USP
1996 - São Paulo SP - Mulheres Artistas no Acervo do MAC, no MAC/USP
1996 - São Paulo SP - O Único, o Mesmo, o A-Fundamento, na Valu Oria Galeria de Arte
1996 - São Paulo SP - United Artists 2: Utopia, na Casa das Rosas
1997 -  Little Rock (Estados Unidos) - Re-Aligning Visions: alternative currents in South American drawing, no Arkansas Art Center
1997 - Madri (Espanha) - Latinoamerica en Arco, no Parque Ferial Juan Carlos I
1997 - Nova York (Estados Unidos) - Re-Aligning Visions: alternative currents in South American drawing, no El Museo del Barrio
1997 - São Paulo SP - Arte Cidade 2: Intervenções Urbanas, no Sesc Pompéia
1997 - São Paulo SP - Diversidade da Escultura Contemporânea Brasileira, na Avenida Paulista - Ministério da Cultura/Itaú Cultural
1997 - São Paulo SP - Intervalos, no Paço das Artes
1997 - São Paulo SP - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, no Itaú Cultural
1997 - São Paulo SP - United Artists 3: Luz, na Casa das Rosas
1998 - Austin (Estados Unidos) - Re-Aligning Visions: alternative currents in South American drawing, na Archer M. Huntington Art Gallery
1998 - Belo Horizonte MG - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, no Itaú Cultural
1998 - Brasília DF - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, na Itaugaleria
1998 - Caracas (Venezuela) - Re-Aligning Visions: alternative currents in South American drawing, no Museo de Bellas Artes
1998 - Monterrey (Mexico) - Re-Aligning Visions: alternative currents in South American drawing, no Museo de Arte Contemporáneo
1998 - Penápolis SP - Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, na Itaugaleria
1998 - Rio de Janeiro RJ - Pensar Gráfico: a gravura da linguagem, no Paço Imperial
1998 - São Paulo SP - 24ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1998 - São Paulo SP - 30ª Anual de Arte, na Faap - artista homenageada
1998 - São Paulo SP - Formas Transitivas: arte brasileira, construção e invenção 1970/1998, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
1998 - São Paulo SP - Fronteiras, no Itaú Cultural
1998 - São Paulo SP - Heranças Contemporâneas II, no MAC/USP
1998 - São Paulo SP - Os Colecionadores - Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, na Galeria de Arte do Sesi
1998 - São Paulo SP - Pensar Gráfico: A Gravura da Linguagem, na Pinacoteca do Estado
1999 - Belém PA - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Belo Horizonte MG - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Bogotá (Colômbia) - De Brasil: alquimias y processos, na Biblioteca Luis Ángel Arango
1999 - Campinas SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Campo Grande MS - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Cuiabá MT - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Jundiaí SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Manaus AM - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Miami (Estados Unidos) - Re-Aligning Visions: alternative currents in South American drawing, no Miami Art Museum
1999 - Osasco SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Porto Alegre RS - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Recife PE - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Ribeirão Preto SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Rio de Janeiro RJ - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. São Paulo: gravura hoje, no Palácio Gustavo Capanema
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. São Paulo: gravura hoje, no Palácio Gustavo Capanema
1999 - Salvador BA - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Santo André SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - Santos SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - São Paulo SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
1999 - São Paulo SP - Espaço Aberto, na Oficina Cultural Oswald de Andrade
1999 - São Paulo SP - O Brasil no Século da Arte, na Galeria de Arte do Sesi
1999 - São Paulo SP - Por que Duchamp?, no Paço das Artes/Itaú Cultural
1999 - São Paulo SP - Território Expandido, no Sesc Pompéia - Prêmio Multicultural Estadão
1999 - São Paulo SP, Rio de Janeiro RJ, Belo Horizonte MG, Cuiabá MT, Belém PA, Manaus AM, Porto Alegre RS, Recife PE, Salvador BA, Campo Grande MS, Campinas, Jundiaí, Osasco, Ribeirão Preto, Santos, São Vicente e Santo André SP - Philips Eletromidia da Arte - 3ª Exposição Virtual
1999 - São Vicente SP - 3ª Eletromidia de Arte: exposição virtual
2000 - Rio de Janeiro RJ - Situações: arte brasileira anos 70, na Fundação Casa França-Brasil
2000 - São Paulo SP - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento. Arte Contemporânea, na Fundação Bienal
2000 - São Paulo SP - Cá Entre Nós, no Paço das Artes
2000 - São Paulo SP - Investigações. O Trabalho do Artista, no Itaú Cultural
2000 - São Paulo SP - Leituras Construtivas, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
2000 - São Paulo SP - Obra Nova, no MAC/USP
2000 - São Paulo SP - Obra Nova, no MAC/USP
2001 - Oxford (Reino Unido) - Experiment Experiência: art in Brazil 1958-2000, no Museum of Modern Art
2001 - Recife PE - Políticas de la Diferencia: arte iberoamericano fin de siglo, no Centro de Convenções de Pernambuco
2001 - Rio de Janeiro RJ - O Espírito de Nossa Época, no MAM/RJ
2001 - São Paulo SP - Anos 70: Trajetórias, no Itaú Cultural
2001 - São Paulo SP - Caminhos da Forma, na Galeria de Arte do Sesi
2001 - São Paulo SP - O Espírito de Nossa Época, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2001 - São Paulo SP - Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2002 - Brasília DF - Fragmentos a Seu Ímã, no Espaço Cultural Contemporâneo Venâncio
2002 - Fortaleza CE - Ceará Redescobre o Brasil, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
2002 - Madri (Espanha) - Arco/2002, no Parque Ferial Juan Carlos I
2002 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som do Rock Pop Brasil, no Paço Imperial
2002 - Rio de Janeiro RJ - Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 - Rio de Janeiro RJ - Genealogia do Espaço, na Galeria do Parque das Ruínas 
2002 - São Paulo SP - 12 Esculturas, no Galpão de Design
2002 - São Paulo SP - 20 Artistas / 20 Anos, no CCSP
2002 - São Paulo SP - 25ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
2002 - São Paulo SP - 4º Artecidadezonaleste, no Sesc/Belenzinho
2002 - São Paulo SP - Coleção Metrópolis de Arte Contemporânea, na Pinacoteca do Estado
2002 - São Paulo SP - Genius Loci: o espírito do lugar
2002 - São Paulo SP - Nefelibatas, no MAM/SP
2002 - São Paulo SP - Territórios, no Instituto Tomie Ohtake
2003 - Madri (Espanha) - Arco/2003, no Parque Ferial Juan Carlos I
2003 - Rio de Janeiro RJ - Tesouros da Caixa: arte moderna brasileira no acervo da Caixa, no Conjunto Cultural da Caixa
2003 - São Paulo SP - A Gravura Vai Bem, Obrigado: a gravura histórica e contemporânea brasileira, no Espaço Virgílio
2003 - São Paulo SP - A Subversão dos Meios, no Itaú Cultural
2003 - São Paulo SP - Arco 2003, no Gabiente de Arte Raquel Arnaud
2003 - São Paulo SP - Arte e Sociedade: uma relação polêmica, no Itaú Cultural
2003 - São Paulo SP - Arteconhecimento: 70 anos USP, no MAC/USP
2003 - São Paulo SP - Compressores e Condensadores, no Espaço MAM - Villa-Lobos
2003 - São Paulo SP - MAC USP 40 Anos: interfaces contemporâneas, no MAC/USP
2003 - São Paulo SP - Meus Amigos, no Espaço MAM - Villa-Lobos
2004 - Campinas SP - Coleção Metrópolis de Arte Contemporânea, no Espaço Cultural CPFL
2004 - São Paulo SP - Arte Contemporânea no Acervo Municipal, no CCSP
2004 - São Paulo SP - Arte Contemporânea no Ateliê de Iberê Camargo, no Centro Universitário Maria Antonia
2004 - São Paulo SP - Arte Contemporânea: uma história em aberto, na Gabinete de Arte Raquel Arnaud

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Flavio de Carvalho - Duas Mulheres
Duas Mulheres
Ivan Serpa - Fase Mulher e Bicho
Fase Mulher e Bicho
Tatiana Blass - Sem Título (Díptico)
Sem Título (Díptico)