Escritoriodearte.com > Artistas > Arlindo Daibert

Arlindo Daibert

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Arlindo Daibert (Juiz de Fora MG 1952 - idem 1993)

Desenhista, gravador, pintor e professor.

Forma-se em letras pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF, em 1973. Na época, contribui com poemas e ilustrações no suplemento Arte e Literatura do Diário Mercantil, entre outros. Recebe prêmio do governo da França, e freqüenta curso de técnicas de gravura no Atelier Calevaet-Brun, em Paris, entre 1975 e 1976. Retornando ao Brasil, realiza individuais nas quais expõe desenhos organizados em séries temáticas: Alice no País das Maravilhas, Gran Circo Alegria de Viver e Fantástica, entre outras. As referências à literatura são uma constante em sua produção, como na série Macunaíma de Andrade, 1982. Participa da criação da Oficina de Gravura Largo do Ó, em Tiradentes, Minas Gerais, em 1984. Nesse mesmo ano, ingressa no Departamento de Artes da UFJF, onde dirige projeto de estudo e organização do acervo de artes plásticas do poeta Murilo Mendes (1901 - 1975). Coordena diversas mostras sobre o poeta e é curador de várias exposições de artistas brasileiros. Em 1995, é publicado Caderno de Escritos, pela Editora Sette Letras, com seus ensaios sobre arte, e, em 1998, o livro Imagens do Grande Sertão - Arlindo Daibert, com os trabalhos da série Grande Sertão: Veredas, pelas editoras da UFJF e da Universidade Federal de Minas Gerais. Em 2000, é publicado o livro Arlindo Daibert: Depoimento, organizado por Fernando Pedro da Silva e Marília Andrés Ribeiro, pela editora C/Arte.

Comentário Crítico

Arlindo Daibert inicia sua trajetória artística em 1970, produzindo desenhos de caráter fantástico, nos quais emprega uma técnica que se destaca pela clareza dos detalhes e pelo refinamento das composições. O artista realiza desenhos notáveis pela minúcia e pela precisão, onde se incorporam escritos. Em sua obra predomina o caráter erótico e também uma intrincada simbologia. Explora ainda o diálogo entre a literatura e as artes visuais. Como nota o crítico Roberto Pontual, após a estada em Paris, entre 1975 e 1976, Daibert gradualmente substitui o caráter apocalíptico de seus desenhos iniciais pela ironia.

Na série Alice no País das Maravilhas (1978), emprega o desenho refinado e cores suaves associadas a um forte componente erótico. Em outras séries, parte de fragmentos anatômicos, desenhados com uma precisão quase fotográfica, revelando sentimentos de estranheza e angústia contida.

São freqüentes ainda, em sua produção, as referências à literatura, como nas séries Macunaíma de Andrade e Grande Sertão: Veredas (ambas da década de 1980). Falece prematuramente, deixando inacabado o projeto O Retrato do Artista, no qual parte da figura do artista no quadro O Ateliê do Artista, de Jan Vermeer (1632-1675), que é repetida freqüentemente, sendo utilizada para a criação de novas construções plásticas. São constantes, em sua produção, a citação de obras consagradas da História da Arte, como as de Ingres (1780-1867) e Manet (1832-1883), com as quais dialoga.

Críticas

"Ele não se inclui na fórmula, embora participe de soluções já trabalhadas por outros artistas, em particular na linha de Roberto Magalhães. De qualquer forma, nele impressiona a precisão de cada mínimo detalhe, desde as figuras medievais armadas de simbologia fálica - damas, unicórnios, íncubos, súcubos, exorcismo - até o arsenal de muitos outros símbolos e os textos microscópicos, de ontem e de hoje, líricos e apocalípticos, mais para serem vistos do que lidos, numa linguagem ou visão labiríntica a apreender quem a percorra".
Roberto Pontual
BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 15. , 1979. Catálogo geral. Apresentação de Luiz Fernando Rodrigues Alves. São Paulo: Fundação Bienal, 1979.

"O trabalho de Arlindo Daibert se insere na linha da produção mais sensível da arte brasileira. Trata-se de uma obra de sutilezas extremas, de delicadezas raras no que diz respeito à textura, ao grafismo caprichoso e competente, às cores terrosas que extrai do solo mineiro".
Enock Sacramento
TERRA brasilis. Apresentação de Enock Sacramento. São Paulo: Sadalla Galeria de Arte, 1989.

Exposições Individuais

1974 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Studio 186
1977 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MAM/RJ
1978 - São Paulo SP - Desenhos, na Galeria Entreartes
1981 - Roma (Itália) - Individual, na Casa del Brasile
1982 - São Paulo SP - Individual, no Masp
1985 - Londres (Inglaterra) - Individual, no Brazilian Centre Gallery
1987 - Barcelona (Espanha) - Individual, na Galeria Vicent Bernat
1989 - São Paulo SP - Individual, no MAM/SP
1989 - Belo Horizonte MG - Individual, na Pace Galeria de Arte

Exposições Coletivas

1972 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão de Verão, no MAM/RJ
1973 - Belo Horizonte MG - 1º Salão Global de Inverno, na Fundação Palácio das Artes - prêmio aquisição
1973 - Rio de Janeiro RJ - 22º Salão Nacional de Arte Moderna
1973 - Rio de Janeiro RJ - 5º Salão de Verão, no MAM/RJ
1974 - Belo Horizonte MG - 2º Salão Global de Inverno - Prêmio Embaixada da França
1974 - Campinas SP - 9º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1974 - São Paulo SP - 6º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1975 - Belo Horizonte MG - 3º Salão Global de Inverno
1975 - Rio de Janeiro RJ - 7º Salão de Verão, no MAM/RJ
1976 - Paris (França) - Coletiva, na Galeria de L'Aérogare Orly-Sud
1976 - Rio de Janeiro RJ - Brasil Arte Agora, no MAM/RJ
1976 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Paço das Artes
1977 - São Paulo SP - 9º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1978 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA - prêmio de viagem ao país
1978 - Rio de Janeiro RJ - Artistas de Minas Gerais, na Galeria Rodrigo M. F. de Andrade
1978 - Vitória ES - Desenhos e Gravuras de José Alberto, Manfredo, Arlindo, na UFES. Galeria de Arte e Pesquisa
1979 - Belo Horizonte MG - 6º Salão Global de Inverno, na Fundação Clóvis Salgado. Companhia de Dança de Minas Gerais
1979 - Curitiba PR - 1ª Mostra do Desenho Brasileiro - prêmio aquisição
1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1979 - São Paulo SP - 15ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1979 - São Paulo SP - Salão de Arte Contemporânea
1980 - Belo Horizonte MG - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1980 - Brasília DF - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Galeria Oswaldo Goeldi
1980 - Cali (Colômbia) - Bienal de Cali
1980 - Cidade do México (México) - Bienal Ibero-Americana - grande prêmio
1980 - Curitiba PR - 37º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra - grande prêmio
1980 - Curitiba PR - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas
1980 - Porto Alegre RS - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Margs
1980 - Recife PE - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Galeria Massangana
1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA - prêmio de viagem ao exterior
1980 - Salvador BA - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Solar do Unhão
1980 - São Paulo SP - 12º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1980 - São Paulo SP - Artistas Premiados do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Masp
1981 - Belo Horizonte MG - 8º Salão Global de Inverno, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1981 - Lisboa (Portugal) - Do Moderno ao Contemporâneo, na Fundação Calouste Gulbenkian
1981 - Maldonado (Uruguai) - Bienal de Artes Gráficas - prêmio aquisição
1981 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Global de Inverno, no MAM/RJ
1981 - Rio de Janeiro RJ - Do Moderno ao Contemporâneo, no MAM/RJ
1981 - São Paulo SP - 8º Salão Global de Inverno, no Masp
1982 - Rio de Janeiro RJ - Que Casa é essa da Arte Brasileira
1983 - Barcelona (Espanha) - Prêmio Internacional de Desenho Joan Miró
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 - São Paulo SP - Arte na Rua
1984 - São Paulo SP - 15º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Coleção Gilberto Chateaubriand: retrato e auto-retrato da arte brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 - Rio de Janeiro RJ - Velha Mania, na EAV/Parque Lage
1985 - São Paulo SP - Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP
1986 - Cidade do México (México) - Bienal Ibero-Americana
1986 - Curitiba PR - 7ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na Casa da Gravura Solar do Barão
1986 - Curitiba PR - 7ª Mostra do Desenho Brasileiro, no MAC/PR
1986 - Curitiba PR - 7ª Mostra do Desenho Brasileiro, no Teatro Guaíra
1986 - Curitiba PR - Salão Paranaense - prêmio em desenho
1986 - Niterói RJ - Na Ponta do Lápis, na UFF. Galeria de Arte
1986 - São Paulo SP - 17º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP - menção do júri em pintura
1986 - São Paulo SP - 1ª Seleção Helena Rubinstein de Arte Jovem, no Masp
1986 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Fundação Bienal - prêmio aquisição
1987 - Rio de Janeiro RJ - Ao Colecionador: homenagem a Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
1987 - São Paulo SP - 18º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1988 - São Paulo SP - Coletiva, na Sadalla Galeria de Arte
1989 - Belo Horizonte MG - Caminhos da Liberdade: Bicentenário da Inconfidência Mineira e Centenário da República
1989 - São Paulo SP - 20º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1990 - Atami (Japão) - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
1990 - Brasília DF - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
1990 - Rio de Janeiro RJ - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
1990 - São Paulo SP - 21º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1990 - São Paulo SP - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea, na Fundação Brasil-Japão
1990 - Sapporo (Japão) - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
1990 - Tóquio (Japão) - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
1990 - Vitória ES - Afonso Rodrigues, Arlindo Daibert, Ricardo Cristófaro, Turinha Borém, na UFES. Galeria de Arte e Pesquisa
1991 - Brasília DF - Prêmio Brasília de Artes Plásticas 1991/12º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Museu de Arte de Brasília
1991 - Cuenca (Equador) - 3ª Bienal Internacional de Pintura
1992 - Belo Horizonte MG - Ícones da Utopia, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1992 - Rio de Janeiro RJ - Prêmio Brasília de Artes Plásticas 1991/12º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte. Centro de Artes
1993 - Rio de Janeiro RJ - Arte Erótica, no MAM/RJ 
1993 - São Paulo SP - O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria de Arte do Sesi

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Bernard Bouts - Estudo de Azul e Ouro
Estudo de Azul e Ouro
Olimpio Travitzky Jr - Brinquedo Pictórico
Brinquedo Pictórico
Inimá de Paula - Paisagem com Casas e Árvores
Paisagem com Casas e Árvores