Escritoriodearte.com > Artistas > Archimedes Dutra

Archimedes Dutra

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Archimedes Dutra (Piracicaba SP 1908 - idem 1983)

Pintor, escultor e professor.

É filho de Joaquim Miguel Dutra (1864 - 1930), irmão de João Dutra (1893 - 1983), Alípio Dutra (1892 - 1964) e Antônio de Pádua (1905 - 1939) e bisneto de Miguelzinho Dutra (1812 - 1875). Forma-se professor normalista em 1927. É premiado no Salão Nacional de Belas Artes em 1927, 1928, 1929, 1942 e 1943, no Rio de Janeiro. Em 1932, desenha com Antônio de Pádua a capa do Manual de Campanha do Voluntário Constitucionalista. Entre 1935 e 1944, leciona na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq). De 1934 a 1983, apresenta trabalhos no Salão Paulista de Belas Artes, sendo premiado em várias edições de 1935 a 1979. Viaja, em 1947, para Roma, onde ingressa no último ano da Academia de Belas Artes. Retorna ao Brasil em 1948 e no ano seguinte recebe, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, uma homenagem pelos trabalhos prestados às artes brasileiras na Europa. Em 1955, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP) convida-o a organizar um programa de ensino de desenho para a instituição. Em 1953, funda a escola de música de Piracicaba. Vinte anos depois, doutora-se com a tese A Contribuição de Piracicaba na Arte Nacional, defendida na Esalq. Em 1962, apresenta a palestra Arte na Imperial Província de São Paulo. Projeção Real da Arte Paulista no Ambiente Nacional, como parte do curso de extensão universitária sobre arte antiga no Brasil, na Faculdade de Direito da USP.

Comentário Crítico

Archimedes Dutra faz parte de uma grande família de artistas plásticos e músicos do interior paulista, sendo Miguel Archanjo Benício de Assumpção Dutra, o "Miguelzinho", um dos antepassados mais célebres, tanto pela produção de registros iconográficos de aspectos do estado de São Paulo como pelos trabalhos de arte sacra, durante o século XIX. Archimedes é responsável pela restauração do Paço do Senhor do Horto, erguido por Miguelzinho em 1873, na cidade de Piracicaba.

Durante sua trajetória, Archimedes engaja-se na instauração de instituições artísticas no interior do estado de São Paulo, particularmente em Piracicaba, sua cidade natal, onde é reconhecido por suas iniciativas culturais. Lá idealiza o Salão de Belas Artes, em 1953; bem como a Pinacoteca Municipal Miguel Dutra, onde ocorre o referido salão, além de participar da fundação da Escola de Música, no mesmo ano. Participa da idealização da Escola Superior de Artes Plásticas de Piracicaba, em 1974. Preocupa-se, ainda, em registrar a história da cidade, escrevendo sobre ela e projetando monumentos, bandeiras e brasões, entre outros. Do mesmo modo, defende tese acerca da contribuição piracicabana para a arte brasileira na Esalq, em 1973, onde leciona desenho.

Como pintor, é primordialmente um paisagista, obtendo grande êxito nos salões oficiais do país. Busca fixar o entorno interiorano paulista, num clima nostálgico, na maioria das vezes, por meio de um diálogo tardio com o impressionismo, atentando para a luminosidade do ambiente, fazendo uso de pinceladas descontínuas, justaposição de tons e ausência de contorno. Utiliza o empasto em pinceladas curtas, como em Casa do Capitão Povoador Antonio Corrêa Barbosa (s.d.) e Rua de Piracicaba (s.d.) ou combina áreas empastadas a superfícies mais lisas, como em São Luis do Paraitinga (s.d.).

A tela Terras do Brasil, presente na coleção do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), foi comentada pela historiadora Regina Liberalli Laemmert, que nela observou um diálogo com o impressionismo e certa melancolia da composição conferida pela luz crepuscular produzida pelo pintor.

Críticas

"(...) paisagista e apaixonado pelas montanhas. Suas telas são impregnadas de certa melancolia, acusando preferentemente a luz crepuscular (...). As meias-tintas predominam, a ausência de contrastes de claro-escuro é quase absoluta (...). A pincelada é curta, aos toques, grandemente auxiliada pela espátula, numa técnica um pouco impressionista na sua justaposição de tons".
Regina Liberalli Laemmert
PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

Exposições Individuais

1930 - São Paulo SP - Individual

Exposições Coletivas

1927 - Rio de Janeiro RJ - 34ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba - menção honrosa
1928 - Rio de Janeiro RJ - 35aExposição Geral de Belas Artes, na Enba - menção honrosa
1929 - Rio de Janeiro RJ - 36ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba - medalha de bronze
1930 - Rio de Janeiro RJ - 37ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1931 - Rio de Janeiro RJ - Salão Revolucionário, na Enba
1933 - Rio de Janeiro RJ - 40ª Exposição Geral de Belas Artes, na Enba
1934 - São Paulo SP - 1º Salão Paulista de Belas Artes, na Rua 11 de Agosto
1935 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Belas Artes - menção honrosa
1935 - São Paulo SP - João Dutra, Alípio Dutra, Archimedes Dutra e Antônio de Pádua Dutra, no Palácio das Arcadas.
1937 - São Paulo SP - Archimedes Dutra, Alípio Dutra, João Dutra, Antônio de Pádua Dutra, Miguelzinho Dutra e Joaquim Miguel Dutra, no Palácio das Arcadas
1937 - São Paulo SP - Grupo Almeida Júnior, no Palácio das Arcadas
1937 - São Paulo SP - 5º Salão Paulista de Belas Artes
1939 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Belas Artes - grande medalha de prata
1940 - Lisboa (Portugal) - Exposição do Mundo Português
1940 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Belas Artes, no Salão de Arte Almeida Júnior da Prefeitura Municipal de São Paulo
1942 - Rio de Janeiro RJ - 48º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA - medalha de prata
1942 - São Paulo SP - 8º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1943 - Rio de Janeiro RJ - 49º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA - grande medalha de ouro
1943 - São Paulo SP - 9º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1944 - Rio de Janeiro RJ - 50º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA
1944 - São Paulo SP - 10º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1945 - São Paulo SP - João Dutra, Archimedes Dutra, Alípio Dutra e Antônio de Pádua Dutra, na Galeria Itapetininga
1945 - São Paulo SP - 11º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1948 - São Paulo SP - 14º Salão Paulista de Belas Artes - medalha de bronze
1949 - São Paulo SP - 15º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia
1950 - Rio de Janeiro RJ - Um Século da Pintura Brasileira: 1850-1950, no MNBA
1951 - São Paulo SP - 16º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia - 2º Prêmio Governador do Estado
1954 - São Paulo SP - 19º Salão Paulista de Belas Artes, na Galeria Prestes Maia - Prêmio Prefeitura de São Paulo
1957 - São Paulo SP - 21º Salão Paulista de Belas Artes - pequena medalha de ouro
1958 - Nova York (Estados Unidos) - Mostra da Fundação Guggenheim
1963 - São Paulo SP - 28º Salão Paulista de Belas Artes - Prêmio Caixa Econômica Federal de São Paulo
1976 - São Paulo SP - O Retrato na Coleção da Pinacoteca, na Pinacoteca do Estado
1979 - Piracicaba SP - 27º Salão de Belas Artes de Piracicaba, na Pinacoteca Municipal
1979 - São Paulo SP - Salão Paulista de Belas Artes - grande medalha de ouro
1981 - Piracicaba SP - 29º Salão de Belas Artes de Piracicaba, na Casa das Artes Plásticas Miguel Dutra
1983 - São Paulo SP - 43º Salão de Paulista de Belas Artes

Exposições Póstumas

1984 - Rio de Janeiro RJ - Salão de 31, na Funarte
1984 - Fortaleza CE - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Ubirajara Ribeiro - 45 Mais Isto
45 Mais Isto
Jeanete Musatti - Obscuro Poder
Obscuro Poder
Mauro Costa - Harley Davidson
Harley Davidson
Sylvio Pinto - França
França