Escritoriodearte.com > Artistas > Ana Maria Dubraz

Ana Maria Dubraz

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Ana Maria Dubraz da Costa André (Lisboa, Portugal 1959)

Desenhista, gravadora, artista intermídia, professora.

Em 1975, muda-se para o Brasil e fixa residência em São Paulo. Gradua-se em arquitetura em 1983, pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP. Nesse mesmo ano é aluna de Evandro Carlos Jardim no curso de gravura em metal na Escola de Comunicação e Artes - ECA/USP. Entre 1983 e 1985, tem aulas com José Spaniol, na Pinacoteca do Estado de São Paulo - Pesp. Freqüenta o ateliê livre no Museu Lasar Segall em 1985, e no ano seguinte participa de Encontro de Gravura com Renina Katz e Maria Bonomi. Estuda com Feres Lourenço Khoury em 1987 e no ano seguinte ganha a Bolsa Ateliê das Oficinas Culturais Oswald Andrade. Trabalha como assistente de Luiz Paulo Baravelli entre 1988 e 1989. Ainda em 1989 participa do Circuito Ateliê Aberto, evento realizado por ocasião da 20ª Bienal Internacional de São Paulo. A partir de 1992, dedica-se à produção de mosaicos em seu ateliê, Artemosaico, em São Paulo. Colabora com Maria Bonomi na elaboração do painel Epopéia Paulista, instalado na Estação da Luz do metrô paulistano em 2004.

Comentário crítico

Artista portuguesa residente no Brasil desde 1975, Ana André trabalha com diversas técnicas no decorrer da década de 1980, fazendo desenho, gravura, pintura e colagem. São desse período as obras em encáustica sobre aglomerado de madeira, como Ser Duplo, 1989, e Gênesis, 1989.

Em sua produção, no entanto, ganha força a opção pela assemblage, influenciada pelo cubismo e dadaísmo. Como observa o crítico Paulo Laurentiz, a possibilidade expressiva da assemblage tem como princípio o aproveitamento do resíduo industrial e do resto dos objetos de consumo, considerados inexpressivos pela sociedade. Nesse sentido, sobras de carvão, madeira e vidro são utilizadas em Caminho, 1988, e plástico e madeira, em Sinfonia, 1988. Ao optar pela pesquisa desse tipo de material, prossegue Laurentiz, Ana André busca seus significados perdidos, encontrando nas relações entre objetos de uso cotidiano não identificados entre si, ou mesmo no deslocamento de funções de outros materiais, a síntese representativa de sua poética.

A delicadeza da composição e o uso da cor e de desenhos de própria autoria ganham destaque em assemblages mais recentes, como Outono, Reflexus e Tempo, todas de 2005. Laurentiz comenta que, embora a assemblage tenha como imagem um caráter bruto, Ana André logra realçar o lado poético dessa materialidade desprezada culturalmente, explorando em suas composições uma beleza não percebida.

Exposições Individuais

1983 - São Paulo SP - Individual, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade
1985 - Lisboa (Portugal) - Individual, na Galeria Paulino Ferreira
1985 - São Paulo SP - Individual, no CCSP
1988 - Ourinhos SP - Individual, na Itaugaleria
1988 - Penápolis SP - Individual, na Itaugaleria
1988 - São Paulo SP - Assemblage, no MIS/SP
1989 - São Paulo SP - Ana André: viagem no tempo, pintura e escultura, na Galeria Sesc Paulista
1990 - Ourinhos SP - Individual, na Itaugaleria
1990 - Ribeirão Preto SP - Ana André: pinturas, objetos, na Itaugaleria
1991 - São Paulo SP - Individual, na Itaúgaleria
1999 - São Paulo SP - Individual, no Sesc Santo Amaro
2005 - São Paulo SP - Encontros Poéticos, na Casa das Rosas
2006 - Itu SP - Metáfora do Olhar: poesia e assemblage, no  Museu da Energia - Núcleo de Itu
2006 - Salto SP - Metáfora do Olhar: poesia e assemblage, na Galeria Municipal de Exposições
2006 - São Paulo SP - Metáfora do Olhar: poesia e assemblage, no Sesc Santo Amaro
2008 - São Paulo SP - Estados Poéticos, na Galeria das Artes
2009 - São Paulo SP - Universos Íntimos, no Instituto Hans Staden

Exposições Coletivas

1984 - Rio de Janeiro RJ - Arte na Rua 2
1985 - São Paulo SP - 3ª Mostra Coletiva, no Espaço Cultural DHL
1985 - Piracicaba SP - 18º Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba, na Casa das Artes Plásticas
1985 - Santos SP - 12º Salão de Arte Jovem
1986 - Americana SP - 2º Salão de Arte Contemporânea de Americana, no MAC/Americana
1986 - Lisboa (Portugal) - Encontro Cultural Peregrinação, no Monumento das Descobertas
1986 - Lisboa (Portugal) - Expo Lisboa, na Galeria Paulino Ferreira
1987 - Montijo (Portugal) - 2º Prêmio de Artes Visuais da Cidade de Montijo, no Paço do Conselho
1987 - Almada (Portugal) - Exposição de Artes Plásticas, na Oficina Cultural
1988 - São Paulo SP - Coletiva, na Kramer Galeria de Arte
1988 - São Paulo SP - 4ª Coletiva de Novos Valores, na Galeria de Arte do Sesi
1988 - Estoril (Portugal) - Salão Jovem, na Galeria de Arte do Cassino Estoril
1988 - São Paulo SP - Fernando Pessoa, Poeta Universal - Arte Postal, no Sesc Pompéia
1988 - San Diego (Estados Unidos) - Exposição Internacional Poesia Visual Experimental, na Art Gallery of San Diego State University
1988 - Penápolis SP - Grupo 4ª Feira, na Itaugaleria
1989 - São Paulo SP - Projeto Circuito Atelier Aberto, no IAB/SP
1989 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Contemporânea - prêmio aquisição
1989 - São Paulo SP - 20ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1990 - Santo André SP - 18º Salão de Arte Contemporânea de Santo André, no Paço Municipal
1990 - São Paulo SP - 8º Salão Paulista de Arte Contemporânea - prêmio aquisição
1990 - São Paulo SP - Ana André, Edu Glória e Eliana Zaroni, no Itaú Cultural
1993 - São Paulo SP - Exposição Luso-Nipo-Brasileira, no MAB/Faap
2006 - Atibaia SP - 15º Salão de Artes de Atibaia
2006 - São Paulo SP - Coleção Sesc de Arte Brasileira - Obras Selecionadas, no Sesc Interlagos 
2006 - Jundiaí SP - Encontros Culturais, no Museu de Energia de Jundiaí
2007 - São Paulo SP - Pequenas Grandes Obras, no Sesc Santana

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Burle Marx - Grumari
Grumari
Aldemir Martins - Rendeira
Rendeira
Aldo Bonadei - Vaso de Flores
Vaso de Flores