Escritoriodearte.com > Artistas > Guto Lacaz

Guto Lacaz

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Guto Lacaz (São Paulo SP 1948)

Artista multimídia, ilustrador, designer, desenhista e cenógrafo.

Carlos Auguto Martins Lacaz forma-se em eletrônica industrial pelo Liceu Eduardo Prado, em 1970, e em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de São José dos Campos, São Paulo, em 1974. É editor de arte das revistas Around/AZ e Via Cinturato. Entre 1978 e 1984, leciona comunicação visual e desenho de arquitetura na Faculdade de Artes Plásticas da Pontifícia Universidade Católica - PUC, de Campinas. Em São Paulo, leciona no Colégio Iadê, no curso de arquitetura na Faculdade de Belas Artes e no curso livre Artur Cole, entre 1981 e 1984. Realiza performances como Eletro-Performance, 1984; Estranha Descoberta Acidental, 1984; O Executivo Heavy Metal, 1987; Espetáculo Máquinas II, 1999, entre outras. Na década de 1990, ilustra os livros Crescente: 1977-1990, de Duda Machado; Num Zoológico de Letras, de Régis Bonvicino (1955); e o Balé dos Skazka's, de Kátia Canton. Em 2005, publica o livro Desculpe a Letra, que reúne desenhos realizados para a coluna da jornalista Joyce Paschowith, no jornal Folha de S. Paulo.

Comentário Crítico

A produção de Guto Lacaz transita entre o design gráfico, a criação com objetos do cotidiano e a exploração das possibilidades tecnológicas na arte, sempre tratados com humor e ironia, como é possível notar em Crushfixo (1974), um de seus primeiros trabalhos, ou em Fuscão Preto no Acapulco Drive-In (1981), no qual, por meio de uma maquete, associa uma canção popular à música de vanguarda do compositor Arrigo Barnabé (1951).

Vários de seus trabalhos relacionam-se ao universo da mídia e do consumo, como Óleo Maria à Procura da Salada (1982), em que uma lata de óleo se desloca em uma bandeja equipada com radares, ou Ono (1991), obra em homenagem ao arquiteto Walter Ono, criada a partir de um embalagem de sabão em pó. Lacaz realiza também grandes instalações, como Auditório para Questões Delicadas (1989), na qual faz uma intervenção no parque Ibirapuera, em São Paulo. Instala, no meio do lago do parque, seqüências de cadeiras, que, por meio de estruturas ocultas, parecem flutuar na água. Em Cosmos (1991), definida pelo artista como uma livre interpretação da mecânica celeste, dispõe, em uma sala escura, pedestais de diferentes alturas, cujos motores elétricos fazem com que pequenas esferas brancas descrevam orbitais que variam em direção, diâmetro e velocidade. Ao percorrer a instalação, o espectador tem a sensação de estar caminhando por entre os corpos celestes.

Guto Lacaz realiza ainda diversas performances, como Espetáculo Máquinas II (1999) ou Eletro Performance (1984), que tem como participantes a atriz Cristina Mutarelli (1957), o arquiteto Javier Borracha e o irmão do artista Nenê Lacaz, entre outros.

Críticas

"A arte dos anos 80 é tremendamente consciente do seu passado recente. Toda a trajetória do modernismo, de Cézanne ao conceitual, é uma presença constante para todos os lados que olhamos. A impressão (falsa) que temos é a de que tudo já foi feito. As leituras formais e conceituais tornaram-se simultâneas e indivisíveis. Forma e conteúdo são uma coisa só. Tudo tem um ar neotudo. (...) Guto Lacaz é um artista desse tempo. E o seu trabalho pode (e deve), eu acredito, ser lido como um comentário da época. Arguto e sagaz como o próprio. A um mesmo tempo plástico e conceitual. No seu trabalho, essas duas forças da arte se comentam, se ironizam e se completam. (...) Todo o clima de ´low-tech´ que permeia os seus trabalhos, sejam construções, ilustrações ou pintura (fios, pregos, pequenos ´gadctets´ elétricos, truques luminosos, lâmpadas, pilhas, discos, etc. ) tem uma razão fortíssima para existir. Eles comentam plasticamente um dos temas mais importantes do nosso tempo: O mito do progresso (tecnológico, informático, atômico). (...) Existe vanguarda nos anos 80? Ou apenas uma vã-guarda do passado? Existe progresso real, social, na era da informática? Estas e outras questões, sugere Guto Lacaz, devem ser encaradas de frente, de uma nova e vigorosa maneira, como através de um olho mágico".
João Pedrosa
PEDROSA, João. Arguto e sagaz. Guia das Artes, São Paulo: Casa Editorial Paulista, v. 2, n. 7, p. 38-41, 1987.

"Guto Lacaz é, antes de tudo, um mágico. Mágico ou mago? Lida com as formas e, ao mesmo tempo, as formas lidam com ele. Sei que é criador de sonhos. Tem a inocência terrível dos gênios e dos anjos rebelados contra a rotina. Na Idade Média causaria perplexidade aos doutores da Sorbonne e conseguiria atravessar no bojo de seus inventos as fogueiras da inquisição. No romantismo seria homem das barricadas ou habitantes de domínios sobrenaturais. Há nele curiosa simbiose do misticismo com a ciência. Lida com os elementos com a religiosidade de um alquimista e o espírito indagador da mecânica quântica. Às vezes é o trovador do castelo perdido; outras, o menino que inventa no fundo do quintal o alçapão para caçar nuvens. Ludicamente leva a vida a sério. Sabe que somos peças num jogo de xadrez e oferece um anel à mão que joga com nossos destinos. Esse é o meu Guto Lacaz".
Paulo Bomfim
ARTE e artistas plásticos no Brasil 2000. Projeto editorial Ronaldo Graça Couto; posfácio Luiz Armando Bagolin; projeto gráfico Guto Lacaz. São Paulo: Meta, 2000, p. 102.

Exposições Individuais

1982 - São Paulo SP - Idéias Modernas, na Galeria de Arte São Paulo
1986 - Fortaleza CE - Individual, na Arte Galeria
1987 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Subdistrito
1991 - São Paulo SP - Cosmos, no Masp (instalação)
1991 - São Paulo SP - Papéis e Seus Nomes, na Galeria Documenta
1991 - São Paulo SP - Videoselos, no Itaú Cultural (instalação)
1993 - Poços de Caldas MG - Idéias Modernas, na Casa de Cultura de Poços de Caldas
1993 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Luisa Strina
1994 - Londrina PR - Cosmos: um passeio no infinito, na UEL
2003 - Belo Horizonte MG - Pequenas Grandes Ações, na Galeria Circo Bonfim

Exposições Coletivas

1978 - São Paulo SP - 1ª Mostra do Móvel e do Objeto Inusitado, organizada pela Arte Aplicada, no Paço das Artes - prêmio
1979 - Nova York (Estados Unidos) - Contemporary Brazilian Works on Paper, na Nobbe Gallery
1979 - São Paulo SP - Escultura Lúdica, organizada pela Arte Aplicada, no Masp
1979 - São Paulo SP - O Desenho como Instrumento, na Pinacoteca do Estado
1983 - São Paulo SP - Arte na Rua, organizado pelo MAC/USP e apresentado através de outdoors espalhados pela cidade
1985 - São Paulo SP - 18ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1985 - São Paulo SP - Arte e Tecnologia, no MAC/USP
1986 - Buenos Aires (Argentina) - La Deuda Eterna, no Centro de Cultura San Martin
1986 - Fortaleza CE - 1ª Exposição Internacional de Esculturas Efêmeras, na Fundação Demócrito Rocha
1986 - Fortaleza CE - Imagine: o planeta saúda o cometa, na Arte Galeria
1986 - São Paulo SP - A Nova Dimensão do Objeto, no MAC/USP
1986 - São Paulo SP - Projeto Arte Brasileira
1986 - São Paulo SP - Virada do Século, na Pinacoteca do Estado
1987 - Paris (França) - Modernidade: arte brasileira do século XX, no Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris
1987 - São Paulo SP - A Trama do Gosto: um outro olhar sobre o cotidiano, na Fundação Bienal
1988 - Campinas SP - 13º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
1988 - Long Island (Estados Unidos) - Brazil Projects, no The Institute for Art and Urban Resources, Inc.
1988 - Nova York (Estados Unidos) - Brazil Designs, no Art Director's Club of New York
1988 - Rio de Janeiro RJ - Le Déjeuner sur l'Art: Manet no Brasil, na EAV/Parque Lage
1988 - São Paulo SP - 19º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1988 - São Paulo SP - Juréia, na Sadalla Galeria de Arte
1988 - São Paulo SP - Modernidade: arte brasileira do século XX, no MAM/SP
1988 - Toronto (Canadá) - The Water Works Project, Visual Arts Ontario/R. C. Harris Water Filtration Plant
1989 - São Paulo SP - Itaca, na Kramer Galeria de Arte
1991 - Caracas (Venezuela) - Brasil: la nueva generación, na Fundación Museo de Bellas Artes
1991 - São Paulo SP - 22º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1992 - Rio de Janeiro RJ - Brazilian Contemporary Art, na EAV/Parque Lage
1993 - Brasília DF - Um Olhar sobre Joseph Beuys, na Fundação Athos Bulcão
1993 - São Paulo SP - Aviação e Arte, no Espaço Cultural do Aeroporto de Congonhas
1994 - São Paulo SP - 2ª Arte Cidade: A Cidade e Seus Fluxos, no Vale do Anhangabau (Edifício Guanabara, Banco do Brasil, Edifício da Eletropaulo)
1994 - São Paulo SP - Marinhas, na Galeria Nara Roesler
1994 - São Paulo SP - Páginas Preciosas: templo - mídia, na Galeria Luisa Strina
1995 - São Paulo SP - 1ª United Artists, na Casa das Rosas
1996 - São Paulo SP - 1ª Off Bienal, no MuBE
1997 - Rio de Janeiro RJ - Ar: exposição de artes plásticas, brinquedos, objetos e maquetes, no Paço Imperial
1997 - São Paulo SP - Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas
1998 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Caetano Veloso, no Paço Imperial
1999 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Chico Buarque, no Paço Imperial
1999 - São Paulo SP - Cotidiano/Arte.  A Técnica, no Itaú Cultural
1999 - São Paulo SP - United Artists: Viagens de Identidades, na Casa das Rosas
2000 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Gilberto Gil, no Paço Imperial
2000 - São Paulo SP - Desfile de Vacas 
2001 - Campinas SP - (quase) Efêmera Arte, no Itaú Cultural
2001 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Antônio Carlos Jobim, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - O Espírito de Nossa Época, no MAM/RJ
2001 - São Paulo SP - Arte Hoje, na Arvani Arte
2001 - São Paulo SP - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - O Espírito de Nossa Época, no  MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2002 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som do Rock Pop Brasil, no Paço Imperial
2002 - Rio de Janeiro RJ - Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 - São Paulo SP - Feira, na Galeria Virgílio
2002 - São Paulo SP - México Imaginário: o olhar do artista brasileiro, na Casa das Rosas
2002 - São Paulo SP - Ópera Aberta: celebração, na Casa das Rosas
2002 - São Paulo SP - Pot, na Galeria Fortes Vilaça
2003 - Rio de Janeiro RJ - Arte em Movimento, no Espaço BNDES
2003 - São Paulo SP - Israel e Palestina: dois estados para dois povos, no Sesc Pompéia
2004 - São Paulo SP - 450 X 45 - Nova André Galeria
2004 - São Paulo SP - Still Life / Natureza Morta, na Galeria de Arte do Sesi
2004 - São Paulo SP - Vol., na Galeria Vermelho
2005 - São Paulo SP - O Corpo na Arte Contemporânea Brasileira, no Itaú Cultural
2005 - São Paulo SP - Pequenas Grandes Obras, no Cultural Blue Life

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Sérvulo Esmeraldo - Sem Título
Sem Título
Ana Sario - Ballet
Ballet