Escritoriodearte.com > Artistas > Alfredo Andersen

Alfredo Andersen


OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Alfredo Emílio Andersen (Christiansand, Noruega 1860 - Curitiba PR 1935)

Pintor, escultor, decorador, cenógrafo, desenhista, professor.

Inicia sua formação artística em Oslo, onde estuda com Wilhelm Krogh, conhecido cenógrafo, pintor e decorador, entre 1874 e 1878. No começo da década de 1880, freqüenta a Academia Real de Belas Artes de Copenhague, onde recebe orientação do retratista Carl A. Andersen. Leciona desenho, entre 1881 e 1883, na Escola para Rapazes em Vesterbron Asyl. Em 1891, o artista empreende viagem pela América do Sul, e passa pela costa brasileira. Retorna à Noruega, e, em 1893, realiza uma segunda viagem ao Brasil. Reside por cerca de dez anos em Paranaguá, Paraná. Transfere-se em 1902 para Curitiba, onde cria uma escola particular de desenho e pintura. Leciona também desenho na Escola Alemã e no Colégio Paranaense. Em 1909, assume a direção das aulas noturnas da Escola de Belas Artes e Industriais, em Curitiba. Após seu falecimento, a escola de arte, que funcionara em sua casa, é transformada em museu, abrigando grande parte da sua produção. Andersen destaca-se no cenário artístico paranaense por sua obra, que inclui retratos, paisagens e cenas de gênero, e, sobretudo, por sua relevante atividade didática, que lhe valeu a designação de "pai da pintura paranaense".

Comentário Crítico

Ao chegar ao Brasil em 1893, Alfredo Andersen fixa-se inicialmente em Paranaguá, Paraná, onde permanece por cerca de dez anos. Realiza telas e desenhos que têm como tema as paisagens do porto e da estrada de ferro, além da representação de tipos populares.

Passa a residir em Curitiba, por volta de 1902, onde ministra aulas de desenho e pintura em seu ateliê e leciona em algumas instituições locais. Como aponta a estudiosa Adalice Araújo, sua obra é caracterizada por três temáticas principais: o retrato, a paisagem e as cenas de gênero. No retrato, explora em geral os efeitos de claro-escuro. Já nas paisagens, sua paleta torna-se gradualmente mais leve e próxima do impressionismo, apresentando uma maior liberdade formal.

Nas paisagens que faz nas décadas de 1920 e 1930, representa os campos e, principalmente, as araucárias, características da vegetação local, integrando o espaço por meio de uma luminosidade dourada.  Em Sete Quedas (1904) apresenta, em um quadro de grandes dimensões, uma visão lírica da natureza, em que se destacam o movimento luminoso da água e a amplidão do espaço, povoado por grandes rochas.

Alfred Andersen é responsável pela formação de novas gerações de artistas no Paraná, a exemplo de Lange, de Morretes (1892 - 1954), Gustavo Kopp (1891 - 1933) e Theodoro de Bona (1904 - 1990).

Críticas 

"Além de sua importância didática, que lhe valeu o título de ´Pai da Pintura Paranaense´, grande foi o valor de Alfredo Andersen como artista plástico. Três grandes linhas temáticas caracterizam a obra de Alfredo Andersen como pintor: o retrato, a paisagem e as cenas de gênero. No retrato, Alfredo Andersen explora, em geral, os efeitos do claro-escuro, característica, aliás, comum entre os pintores nórdicos. (...) Nas paisagens e cenas de gênero, as composições iniciais, que tendiam aos pastéis e cinzas, são substituídas - em contato com a luz dos trópicos - por uma paleta mais leve, mais próxima do impressionismo. Proximidade esta que se caracteriza, porém, mais pela fatura e pela sensação visual de captação do fugitivo perante a natureza do que pelas cores e toques soltos propriamente ditos. A luz, delimitando a forma sem destruí-la, aproxima-o dos realistas, parcialmente ligados ao impressionismo, como Manet ou Degas. Mais importante, porém, que a tentativa de encaixar Alfredo Andersen nesta ou naquela corrente é procurar compreendê-lo como um dos mais emotivos intérpretes da gente e da paisagem paranaense em inícios do nosso século. É nas cenas de gênero que vamos encontrar as mais espontâneas criações de Alfredo Andersen. Sem qualquer preocupação de agradar o possível consumidor, as emoções puras que brotam dos gestos e cenas do cotidiano constituem para o artista perene fonte de inspiração. Nas paisagens, observa-se um processo idêntico ao das cenas de gênero. A liberdade da mensagem aumenta à medida que Andersen integra-se ao novo meio".
Adalice Araújo
ANDERSEN. Rio de Janeiro: MNBA, 1984.

Exposições Individuais

1884 - Oslo (Noruega) - Primeira individual
1887 - Copenhagen (Dinamarca) - Invididual
1889 - Oslo (Noruega) - Individual
1891 - Oslo (Noruega) - Individual
1902 - Curitiba PR - Individual, na Associação Curitibana dos Empregados do Comércio
1908 - Rio de Janeiro RJ - Individual
1918 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Jorge
1920 - Curitiba PR - Individual, na Associação Comercial
1921 - São Paulo SP - Individual, na Casa Editora O Livro
1923 - Curitiba PR - Individual, na Associação Comercial do Paraná
1926 - Curitiba PR - Individual, no Selecto Club
1927 - Curitiba PR - Individual, no Palácio Garcez
1928 - Christiansand (Noruega) - Individual
1930 - Curitiba PR - Individual, no Palácio Garcez

Exposições Coletivas

1889 - Oslo (Noruega) - Coletiva
1891 - Oslo (Noruega) - Coletiva
1903 - Curitiba PR - Exposição do Cinquentenário do Estado
1905 - Curitiba PR - Exposição com seus alunos, no Museu Paranaense 
1907 - Curitiba PR - Expõe com seus alunos
1912 - São Paulo SP - Segunda Exposição Brasileira de Belas Artes, no Liceu de Artes e Ofícios
1914 - Curitiba PR - Expõe com seus alunos na Escola de Belas Artes e Indústria
1916 - Rio de Janeiro RJ - 23ª Exposição Geral de Belas Artes - menção honrosa de 1º grau
1917 - Curitiba PR - Exposição com alunos, na Associação Comercial do Paraná
1919 - Curitiba PR - 1ª Exposição Estadual Andersen e Discípulos
1932 - Curitiba PR -  1º Salão Paranaense da Sociedade de Artistas do Paraná
1933 - Rio de Janeiro RJ - 40ª Exposição Geral de Belas Artes
1934 - Curitiba PR - 3º Salão Paranaense 
1935 - Rio de Janeiro RJ - 4º Salão do Núcleo Bernardelli, na sede do grupo no porão da Enba

Exposições Póstumas

1935 - Curitiba PR - Retrospectiva
1941 - Curitiba PR - Exposição da Sociedade de Amigos de Alfredo Andersen, no Edifício Garcez
1944 - Rio de Janeiro RJ - 1ª Exposição Coletiva de Artistas Paranaenses, na Associação dos Empregados do Comércio
1951 - Curitiba PR - 4º Salão de Belas Artes do Club Concórdia
1960 - Curitiba PR - 17º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná
1975 - Curitiba PR - Panorama das Artes no Paraná - Dos Precursores à Escola de Andersen
1980 - Curitiba PR - Alfredo Andersen Exposição Retrospectiva - 120 Anos de Nascimento do Mestre 1860-1980, no Museu Alfredo Andersen
1980 - São Paulo - Exposição, no Masp
1980 - São Paulo SP - A Paisagem Brasileira: 1650-1976, no Paço das Artes
1981 - São Paulo SP - Retrospectiva, na Pinacoteca do Estado
1982 - Curitiba PR - Alfredo Andersen e sua época, no Museu Alfredo Andersen
1982 - Rio de Janeiro RJ - 150 Anos de Pintura de Marinha na História da Arte Brasileira, no MNBA
1983 - Curitiba PR - Semana em Homenagem à Andersen, no Museu Alfredo Andersen
1984 - Curitiba PR -  Semana em Homenagem à Andersen, no Museu Alfredo Andersen
1984 - Rio de Janeiro RJ - Retrospectiva, no MNBA
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 - Curitiba PR - Semana em Homenagem à Andersen, no Museu Alfredo Andersen
1985 - São Paulo SP - 100 Obras Itaú, no Masp
1986 - Curitiba PR - Tradição/Contradição, no MAC/PR
1986 - São Paulo SP - Dezenovevinte: uma virada no século, na Pinacoteca do Estado
1987 -  Curitiba PR - Semana em Homenagem à Andersen, no Museu Alfredo Andersen
1989 - Curitiba PR - O Auto-Retrato na Pintura Paranaense, no Museu de Arte do Paraná
1989 - Curitiba PR - Semana em Homenagem à Andersen, no Museu Alfredo Andersen
1989 - São Paulo SP - Pintura Brasil Século XIX: obras do acervo Banco Itaú, na Itaugaleria
1991 - Curitiba PR - Museu Municipal de Arte: acervo, no Museu Municipal de Arte 
1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1995 - Campinas SP - Da Marinha à Natureza Morta 
2000 - Lisboa (Portugal) - Século 20: arte do Brasil, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
2004 - Curitiba PR - A Paisagem Paranaense e seus Pintores, na Casa Andrade Muricy  
2004 - São Paulo SP - Retrato de Mulher, no Museu Alfredo Andersen

Fonte: Itaú Cultural

VEJA TAMBÉM

Rubens Gerchman - Cabeças com Araucárias

Rubens Gerchman

Cabeças com Araucárias

Hércules Barsotti - Sem Título

Hércules Barsotti

Sem Título