Escritoriodearte.com > Artistas > Aldir Mendes de Souza

Aldir Mendes de Souza


aldir-mendes-de-souza

OBRAS DO ARTISTA

Este artista não possui obras em nosso acervo.

Você possui uma obra deste artista e quer vender?

Após logar no site, clique em 'Avaliações' e envie sua obra.

BIOGRAFIA

Aldir Mendes de Souza (São Paulo, SP, 1941 - idem, 2007)

Pintor, desenhista, escultor e gravador.

Forma-se pela Escola Paulista de Medicina (EPM) em 1964, especializando-se em cirurgia plástica. Autodidata em pintura, começa a expor no início da década de 1960, desenvolvendo paralelamente as carreiras de médico e de artista. Defende sua tese de doutorado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), em 1966. A partir de 1969, o cafeeiro e o cafezal tornam-se assuntos constantes em sua produção. Nos anos 1970, realiza pinturas que fazem referências à cidade se expandindo em direção ao campo. Nessa mesma década, atua como roteirista e diretor de cinema, realizando curtas, médias e longa-metragens.

Em 1992, Souza comemora 30 anos de pintura com exposição no Paço das Artes, em São Paulo. No mesmo ano, na Itália, publica Geometrie Parlanti [Geometrias Falantes], livro sobre sua obra que conta com textos de críticos italianos e com um poema de Haroldo de Campos (1929-2003), escrito com base na obra de Souza especialmente para essa publicação. Desde o início da década de 1980 são lançados vários livros que analisam sua trajetória artística, como Aldir - Obsessão pela Cor, da autoria dos críticos Frederico Morais e Olívio Tavares de Araújo.

Comentário Crítico

Aldir Mendes de Souza inicia sua carreira artística nos anos 1960. Realiza performances e obras em técnica mista próximas do universo da ficção científica, como Tragédia Espacial (1966). Na década de 1970, faz trabalhos com chapas e filmes para raio-X e em termografia, como Mulher em Termografia (1973), nos quais se nota a influência de sua atuação como médico. Ao mesmo tempo, os temas do cafezal e da relação entre campo e cidade aparecem em sua produção. Essas pinturas apresentam, num primeiro momento, uma vocação descritiva, como na tela Cafezal (1962). Aos poucos, porém, o tema do cafezal passa a ser tratado de um modo cada vez mais abstrato, como em Cidade Campo (1982).

Ao comentar a obra de Aldir Mendes de Souza, o crítico Frederico Morais nota que, a partir dos anos 1970, a geometria toma o lugar do tema. E também pondera que, apesar da diferença de tratamento formal, a pintura de Souza sugere aproximações com as obras de Arcangelo Ianelli (1922-2009) e Alfredo Volpi (1896-1988) no que tange à preocupação com a cor num contexto geométrico. Como nota o historiador da arte Renato Brolezzi, a produção do artista ao longo do tempo procura a resposta para uma questão básica - a de como compreender e traduzir plasticamente o espaço. A geometria, principalmente com o uso de retângulos em perspectiva, torna-se predominante em sua obra. A partir do fim da década de 1980, Souza produz trabalhos de pintura em concreto e propõe telas exibidas na horizontal, dispostas no chão, que possibilitam um diferente ângulo de visão ao espectador.

Críticas

"No caso específico dos cafezais (...), vem procurando o artista extrair desse tema todas as virtualidades, dando novas disposições aos mesmos elementos, variando e afinando a cor, perseguindo certo escopo de exação e limpeza, cuidando na segurança e no ritmo da pincelada, num processo de depuração. Atualmente, Aldir procura introduzir, no mesmo tema, os aspectos prosseguintes da industrialização e comércio do café, comparecendo então, com suas chaminés, de demais características de sua arquitetura usual, as usinas de moagem e torrefação ou os armazéns de ensacamento e estocagem. Quero crer que, nesta fase, chegou a resultados mais convincentes, a uma pintura mais organizada, em que repontam as marcas de um construtivismo geométrico, perfeitamente compatibilizados na estrutura geral da composição e com o objeto representado".
Paulo Mendes de Almeida
ALMEIDA, Paulo Mendes de. "Industrialização do Café". In: GALERIA SETA. Aldir Mendes de Souza: apreciações críticas 1966-1976. São Paulo, 1976.

"Na década de 70, Aldir desenvolve obra extensa, referenciada no campo e na cidade. No início, surgem casas de lavradores em meio aos cafezais. Depois aparecem estradas, fábricas, edifícios. É a cidade invadindo o campo, competindo com ele. Os edifícios ocupam grandes áreas da tela, em sua verticalidade dominadora, e os viadutos e estradas a atravessam obliquamente. (...) No fim dos anos 70, Aldir sente-se atraído pela abstração. Declara textualmente: ´Depois da grande lição cromática dos pintores abstratos, nós, os figurativos, precisamos começar tudo de novo. Mas sem preocupações fotográficas, na forma e na cor´. Em 1980 abandona temporariamente a temática dos campos e das cidades e desenvolve uma série de pinturas abstratas geométricas a partir da figura do retângulo. (...) Em 1983, Aldir desenvolve uma série de retratos de artistas e críticos, nos quais começa um processo de releitura de toda sua obra anterior, colocando no plano de fundo, atrás da figura, uma de suas paisagens. (...) Em seguida Aldir pinta uma magnífica série intitulada Geo-Metria, que é uma síntese de sua pintura abstrata de 1980 e dos trabalhos anteriores inspirados na geometria da terra. (...)".
Enock Sacramento
ALDIR: perspectivas. Apresentação de Enock Sacramento. São Paulo: Dan Galeria, 1986.

"A cor é o conteúdo e a forma na pintura de Aldir. A geometria ajuda-o a construir a cor, enquanto sua temática, seja ela a Geometria da Terra (o campo) ou a Geometria da Urbe (os edifícios), são formas, meros pretextos e, às vezes, intertextos, para a arquitetura de sua linguagem iconográfica. Se é com a cor que Aldir traça sua geometria, o produto obtido é uma geometria da cor".
Alberto Beutenmüller
18 CONTEMPORÂNEOS. Apresentação de J. Peter Cohn. São Paulo: Dan Galeria, 1987.

Exposições Individuais

1963 - São Paulo SP - Individual, na Escola Paulista de Medicina  
1965 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Teatro de Arena 
1966 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Artécnica  
1970 - São Paulo SP - Aldir Mendes de Souza: pinturas, na Galeria Chelsea
1971 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Ibeu Copacabana  
1971 - São Caetano do Sul SP - Individual, na Fundação das Artes
1972 - Santos SP - Individual, no Centro Cultural Brasil Estados Unidos
1973 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte Ipanema  
1975 - São Paulo SP - Individual, na Seta Galeria de Arte  
1976 - Rio de Janeiro RJ - Aldir Mendes de Souza: 14 anos de cafezais 1963-1976, na Galerie de la Maison de France
1977 - Guarujá SP - Individual, no Casa Grande Hotel
1977 - Nova York (Estados Unidos) - Individual, na Brazilian Government Trade Bureau
1977 - Washington (Estados Unidos) - Individual, no Brazilian-American Cultural Institute
1978 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Arte Global  
1979 - Brasília DF - Individual, na Oscar Seraphico Galeria de Arte
1979 - Curitiba PR - Individual, no Museu de Arte do Paraná
1979 - Rio de Janeiro RJ - Aldir Mendes de Souza: pinturas, na Funarte. Galeria Sérgio Milliet 
1979 - São Paulo SP - Aldir Mendes de Souza: pinturas, na Projecta Galeria de Arte
1980 - São Paulo SP - Individual, na Itaugaleria 
1980 - São Paulo SP - Individual, na Projecta Galeria de Arte  
1981 - São Paulo SP - Individual, na Paulo Prado Galeria de Arte  
1982 - São Paulo SP - Individual, na  Arte Aplicada I - Galeria  
1982 - São Paulo SP - Individual, no MAB/Faap  
1983 - Belo Horizonte MG - Cidade X Campo
1983 - Marília SP - Cidade X Campo
1983 - Ribeirão Preto SP - Cidade X Campo
1983 - Curitiba PR - Cidade X Campo, na Biblioteca Pública do Paraná  
1983 - São José dos Campos SP - Cidade X Campo, no Tênis Clube São José dos Campos 
1983 - São Paulo SP - Individual, no MAB/Faap
1985 - Paris (França) - Aldir/Perspectivas, com patrocínio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, na Galeria Debret
1985 - Lisboa (Portugal) - Aldir/Perspectivas, com patrocínio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, na Sociedade Nacional de Belas Artes
1985 - Madri (Espanha) - Aldir/Perspectivas, com patrocínio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, na Casa do Brasil
1985 - Roma (Itália) - Aldir/Perspectivas, com patrocínio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil,  na Casa do Brasil
1985 - São Paulo SP - Geo/Metria, na Galeria Alberto Bonfiglioli
1986 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MNBA 
1986 - São Paulo SP - Aldir Mendes de Souza: perspectivas, na Dan Galeria de Arte
1988 - São Paulo SP - Aldir Mendes de Souza: pinturas, na Galeria Montesanti Roesler
1991 - Nápoles (Itália) - Individual, na Galeria Estúdio Espósito
1992 - Salerno (Itália) - Individual, na Galeria La Seggiola
1992 - São Paulo SP - Aldir Mendes de Souza: pinturas, no Paço das Artes
1993 - San Severo (Itália) - Individual, na Associazione Culturale Dedalos 
1993 - São Paulo SP - Individual, na USP/SIB 
1994 - Avellino (Itália) - Individual, no Centro Culturale L'Approdo
1994 - São Paulo SP - Individual, no MAB/Faap
1996 - Santos SP - Aldir Mendes de Souza: pinturas, na Pinacoteca Benedito Calixto
2001 - São Paulo SP - Pinturas para Pisar, na Pinacoteca do Estado
2003 - São Paulo SP - Aldir: 40 anos de pintura 1962-2002, no Masp. Galeria Prestes Maia
2003 - São Paulo SP - Aldir: obsessão pela cor, no Cultural Blue Life

Exposições Coletivas

1962 - São Paulo SP - Coletiva, na Biblioteca da Escola Paulista de Medicina
1962 - São Paulo SP - Salão do Trabalho, na Galeria de Arte das Folhas
1963 - São Paulo SP - Salão do Trabalho, na Galeria de Arte das Folhas
1964 - São Paulo SP - Coletiva, na Associação das Famílias Cristãs
1966 - Campinas SP - 1º Salão de Arte Moderna da Juventude de São Paulo, no MACC
1966 - Campinas SP - 2º Salão de Arte Contemporânea de Campinas
1966 - Salvador BA - 1ª Bienal Nacional de Artes Plásticas - prêmio estímulo
1966 - São Bernardo do Campo SP - 9º Salão de Arte de São Bernardo do Campo - 1º prêmio
1966 - São Paulo SP - 15º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - medalha de prata
1966 - São Paulo SP - 4 Pintores Jovens, no MAB/Faap
1966 - São Paulo SP - 6 Pintores, na Galeria Artécnica
1966 - São Paulo SP - Artistas Jovens, no MAB/Faap
1966 - São Paulo SP - Salão de Arte Universitária - 1º prêmio
1966 - São Paulo SP - Salão de Pesquisa Operacional, na Galeria de Arte das Folhas
1966 - São Paulo SP - Vanguarda Jovem, na Galeria de Arte do Teatro de Arena
1966 - Vitória ES - Salão de Arte Moderna de Vitória
1966 - Brasília DF - 3º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal
1967 - Campinas SP - 3º Salão de Arte Contemporânea de Campinas
1967 - São Caetano do Sul SP - 1º Salão de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul - medalha de prata
1967 - São Paulo SP - 16º Salão Paulista de Arte Moderna - medalha de prata
1967 - São Paulo SP - Vanguarda Jovem, na Galeria do Cine Belas Artes
1967 - São Paulo SP - 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1968 - Campinas SP - 4º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC - prêmio pesquisa
1968 - Campinas SP - Salão do Artista Jovem, no MACC - referência especial
1968 - Salvador BA - 2ª Bienal Nacional de Artes Plásticas, no MAM/BA
1968 - Santo André SP - 1º Salão de Arte Contemporânea de Santo André
1968 - Santos SP - Salão Oficial de Arte Contemporânea de Santos
1968 - São Bernardo do Campo SP - 11º Salão de Arte de São Bernardo do Campo
1968 - São Caetano do Sul SP - Salão de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul - prêmio aquisição
1968 - São Paulo SP - 17º Salão Paulista de Arte Moderna
1968 - São Paulo SP - Grupo 4, na Galeria do Cine Belas Artes
1968 - São Paulo SP - 2º Jovem Arte Contemporânea, no MAC/USP
1969 - Campinas SP - 5º Salão de Arte Contemporânea de Campinas
1969 - Curitiba PR - 26º Salão Paranaense, na Federação das Indústrias do Paraná - 1º prêmio
1969 - Piracicaba SP - 2º Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba
1969 - Porto Alegre RS - 2º Jovem Arte Contemporânea, no Margs
1969 - Santo André SP - 2º Salão de Arte Contemporânea de Santo André
1969 - Santos SP - Salão de Santos - prêmio aquisição
1969 - São Caetano do Sul SP - 3º Salão de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul
1969 - São José dos Campos SP - 1º Salão de Arte Contemporânea
1969 - São Paulo SP - 10ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1969 - São Paulo SP - 1º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Masp
1969 - São Paulo SP - 3º Jovem Pintura Contemporânea, no MAC/USP
1969 - São Paulo SP - E Agora, no Teatro Anchieta
1969 - São Paulo SP - 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1969 - São Paulo SP - Pintores do Brasil, no Paço das Artes
1970 - Belo Horizonte MG - 2º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte - prêmio aquisição
1970 - Piracicaba SP - 2º Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba
1970 - Rio de Janeiro RJ - 19º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ
1970 - Santo André SP - 3º Salão de Arte Contemporânea de Santo André, no Paço Municipal - prêmio aquisição
1970 - São Caetano do Sul SP - Salão de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul - menção honrosa
1970 - São Paulo SP - Pré-Bienal de São Paulo, na Fundação Bienal
1970 - São Paulo SP - 2º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Masp - menção honrosa
1970 - São Paulo SP - 4º Jovem Arte Contemporânea, no MAC/USP - prêmio aquisição
1970 - São Paulo SP - Exposição em Homenagem a Lasar Segall, na Galeria Atualidades da Hebraica.
1971 - Rio de Janeiro RJ - 20º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ
1971 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão de Arte da Eletrobrás, no MAM/RJ - menção honrosa
1971 - Santos SP - 1ª Bienal de Artes Plásticas - prêmio aquisição
1971 - São Caetano do Sul SP - 5º Salão de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul
1971 - São Paulo SP - 11ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1971 - São Paulo SP - 5º Jovem Arte Contemporânea, no MAC/USP
1972 - São Paulo SP - 1ª Bienal Nacional de São Paulo, na Fundação Bienal - prêmio pesquisa
1972 - São Paulo SP - 4º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1972 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Masp
1972 - São Paulo SP - 6º Jovem Arte Contemporânea, no MAC/USP
1972 - São Paulo SP - Mostra de Arte Sesquicentenário da Independência e Brasil Plástica - 72, na Fundação Bienal
1973 - Belo Horizonte MG - 5º Salão Nacional de Arte Contemporânea, no MAP
1973 - São Paulo SP - 12ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1974 - Rio de Janeiro RJ - Salão Estado do Rio de Janeiro
1974 - São Paulo SP - Café, Poluição, Bois e Bandidos, na Pêndulo Galeria de Arte
1974 - São Paulo SP - 5º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Masp
1976 - São Paulo SP - Bienal Nacional 76, na Fundação Bienal
1976 - São Paulo SP - 8º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1976 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Paço das Artes
1977 - São Paulo SP - 14ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal - Prêmio Aquisição Itamaraty
1978 - Belo Horizonte MG - 10º Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte - prêmio aquisição
1978 - Buenos Aires (Argentina) - 15 Jovens Artistas do Brasil, no Museo de Arte Moderno de Buenos Aires
1978 - Cidade do México (México) - 1ª Bienal Ibero-Americana de Pintura
1978 - São Paulo SP - 15 Jovens Artistas do Brasil, no MAB/Faap
1979 - Curitiba PR - 36º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra - prêmio aquisição CEF
1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1979 - São Paulo SP - 11º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MNBA
1982 - Cidade do México (México) - 3º Bienal Iberoamericana de Arte - 2º prêmio
1983 - Ribeirão Preto SP - 8º Salão de Arte de Ribeirão Preto - 1º prêmio
1983 - São Paulo SP - 14º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Arte na Rua 2
1984 - São Paulo SP - As Dimensões Urbana e Industrial na Pintura Figurativa Paulista, na Traço Galeria de Arte
1984 - São Paulo SP - 15º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1986 - Cidade do México (México) - 5ª Bienal Iberoamericana
1986 - Havana (Cuba) - 2ª Bienal Internacional de Havana
1986 - São Paulo SP - Antes e Agora: 8 pintores, na Fundação Cásper Líbero
1986 - São Paulo SP - Volpi Permanência e Matriz: 7 artistas de São Paulo, na Galeria Montesanti Roesler
1987 - Ribeirão Preto SP - Salão de Arte de Ribeirão Preto
1987 - São Paulo SP - 18 Contemporâneos, na Dan Galeria de Arte
1987 - São Paulo SP - 20º Exposição de Arte Contemporânea, na Chapel Art Show
1991 - Montana Alburini (Itália) - Alchimia del Colore
1991 - Rio de Janeiro RJ - Sincronias, no MNBA
1991 - Salerno (Itália) - Sincronias, na Galleria La Seggiola
1991 - São Paulo SP - O Que Faz Você Agora Geração 60?: jovem arte contemporânea dos anos 60 revisitada, no MAC/USP
1991 - São Paulo SP - Sincronias, no Masp
1992 - Roma (Itália) - Sincronias, no Instituto Italo-Latino Ameriacano
1993 - Bari (Itália) - Feira de Ultramare di Bare
1993 - Santos SP - 4º Bienal Nacional de Santos, no Centro Cultural Patrícia Galvão
1993 - São Paulo SP - Exposição Luso-Nipo-Brasileira, no MAB/Faap  
1994 - São Paulo SP - Bandeiras: 60 artistas homenageiam os 60 anos da USP, no MAC/USP 
1995 - Osasco SP - 2ª Mostra de Arte, na Fundação Instituto de Ensino para Osasco, no Centro Universitário Fieo
1996 - Osasco SP - 4ª Mostra de Arte, na Fundação Instituto de Ensino para Osasco, no Centro Universitário Fieo
1996 - São Paulo SP - Bandeiras, na Galeria de Arte do Sesi 
1997 - Brasília DF - Poetas do Espaço e da Cor, no MAB/DF
1997 - Rio de Janeiro RJ - Poetas do Espaço e da Cor, no MAM/RJ
1997 - São Paulo SP - Poetas do Espaço e da Cor, no Masp
1998 - Santo André SP - Ler Bonomi e Aldir Ontem e Hoje, no Salão de Exposições Paço Municipal
1999 - São Paulo SP - A Figura Feminina no Acervo do MAB, no MAB/Faap
2000 - São Paulo SP - A Figura Feminina no Acervo do MAB, no MAB/Faap
2001 - São Paulo SP - 7 Artistas da APAP, na Oficina Cultural Oswald de Andrade
2002 - São Paulo SP - 10º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Complexo Cultural Júlio Prestes
2003 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Brazilianart, na Almacén Galeria de Arte

Fonte: Itaú Cultural

Vídeos

VEJA TAMBÉM

Roberto Magalhães - Grito Fronte

Roberto Magalhães

Grito Fronte

Oscar Niemeyer - Sem Título

Oscar Niemeyer

Sem Título