Escritoriodearte.com > Artistas > Aldemir Martins

Aldemir Martins


aldemir-martins

OBRAS DO ARTISTA

 - Cangaceiro
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Cangaceiro

Técnica: nanquim sobre papel
Data: 1955
Medida: 66 x 48 cm
Comentários: ass. inf. dir.


Preço: Sob Consulta
 - Viúva
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Viúva

Técnica: nanquim sobre papel
Data: 1954
Medida: 70 x 50 cm
Comentários: ass. inf. centro
Esta obra faz parte de uma série feita pelo artista para a "III Bienal Internacional de São Paulo - 1955", na qual Aldemir Martins ganhou o Prêmio de melhor desenhista. Citado no livro da mostra.

Preço: Sob Consulta
 - Flores em Vaso Rústico
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Flores em Vaso Rústico

Técnica: acrílica e colagem sobre tela
Data: 1983
Medida: 85 x 110 cm
Comentários: ass. inf. dir.

Preço: Sob Consulta
 - Cangaceiro
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Cangaceiro

Técnica: nanquim e ecoline sobre papel
Data: 1970
Medida: 50 x 50 cm
Comentários: ass. verso

Preço: Sob Consulta
 - Mulher Rendeira
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Mulher Rendeira

Técnica: acrílica sobre tela
Data: 1965
Medida: 30 x 20 cm
Comentários: ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta
 - S/T
Solicitar Orçamento

Compartilhar

S/T

Técnica: óleo sobre tela
Data: 1961
Medida: 162 x 130 cm
Comentários: ass. inf. ao centro

Preço: Sob Consulta
 - Pássaro
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Pássaro

Técnica: nanquim e ecoline sobre papel
Data: 1961
Medida: 70 x 105 cm
Comentários: ass. ao centro


Preço: Sob Consulta
 - Mulher Rendeira
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Mulher Rendeira

Técnica: técnica mista sobre papel
Data: 1983
Medida: 35 x 25 cm
Comentários: ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta
 - Rendeira
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Rendeira

Técnica: tinta imprensa sobre tela
Data: 1961
Medida: 160 x 130 c
Comentários: ass. ao centro

Preço: Sob Consulta
 - Casal no Sertão
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Casal no Sertão

Técnica: nanquim sobre papel
Data: 1952
Medida: 60,5 x 46 c
Comentários: ass. inf. dir.

Preço: Sob Consulta
 - Casal no Sertão
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Casal no Sertão

Técnica: nanquim sobre papel
Data: 1952
Medida: 63,5 x 48 c
Comentários: ass. inf. dir

Preço: Sob Consulta
 - Macambira (Sertão)
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Macambira (Sertão)

Técnica: acrílica sobre juta
Data: 1986
Medida: 90 x 110 cm
Comentários: ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta
 - Galo
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Galo

Técnica: óleo sobre tela
Data: 1971
Medida: 26 x 22,5 c
Comentários: ass. inf. dir.

Preço: Sob Consulta
 - Mulher
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Mulher

Técnica: acrílica sobre tela
Data: 1970
Medida: 138x53 cm
Comentários: ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta
 - Galo
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Galo

Técnica: acrílica sobre tela
Data: 1968
Medida: 33 x 41 cm
Comentários: ass. inf. dir.

Preço: Sob Consulta
 - Peixe
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Peixe

Técnica: acrílica sobre tela
Data: 1968
Medida: 40 x 33 cm
Comentários: ass. inf. dir.Reproduzido em livro.

Preço: Sob Consulta
 - Caranguejo
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Caranguejo

Técnica: acrílica sobre tela
Data: s.d
Medida: 46 x 55 cm
Comentários: ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta
 - Flores
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Flores

Técnica: nanquim e aquarela sobre papel
Data: 1966
Medida: 52,5 x 34,5
Comentários: ass. ao centro

Preço: Sob Consulta
 - Melancias
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Melancias

Técnica: acrílico sobre tela
Data: 1978
Medida: 60 x 80 cm
Comentários: ass. inf. dir.

Preço: Sob Consulta
 - Fruteira
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Fruteira

Técnica: acrílico sobre tela
Data: 1998
Medida: 46x54,5 cm
Comentários: ass. inf. esq.

Preço: Sob Consulta
 - Galo Vermelho
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Galo Vermelho

Técnica: ecoline colorido sobre papel
Data: 1954
Medida: 70 x 52 cm
Comentários: ass. centro

Preço: Sob Consulta
 - Pera
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Pera

Técnica: Gravura
Data: s/d
Medida: 50 x 70 cm
Comentários: Exemplar P.I.

Preço: Sob Consulta
 - Mariana
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Mariana

Técnica: óleo sobre tela
Data: 1967
Medida: 100x80 cm
Comentários: ass. centro

Preço: Sob Consulta
 - Galo
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Galo

Técnica: Nanquim ecoline sobre papel
Data: 1953
Medida: 65x36 cm
Comentários: ass. inf. dir

Preço: Sob Consulta
 - Galo
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Galo

Técnica: nanquim e ecoline sobre papel
Data: 1979
Medida: 50 x 37 cm
Comentários: ass. inf. central


Preço: Sob Consulta
 - Sertão
Solicitar Orçamento

Compartilhar

Sertão

Técnica: óleo sobre madeira
Data: 1945
Medida: 54x68 cm
Comentários: ass. inf. esq.
Reproduzido livro do artista "Aldemir Martins por Aldemir Martins" à pág-56, Editora Best Point, 2005

Preço: Sob Consulta

Leilão de Artes Online

BIOGRAFIA

Aldemir Martins (Ingazeiras CE 1922 - São Paulo SP 2006)

Pintor, gravador, desenhista, ilustrador.

O artista plástico Aldemir Martins nasceu em Ingazeiras, no Vale do Cariri, Ceará em 8 de novembro de 1922. A sua vasta obra, importantíssima para o panorama das artes plásticas no Brasil, pela qualidade técnica e por interpretar o “ser” brasileiro, carrega a marca da paisagem e do homem do nordeste.

O talento do artista se mostrou desde os tempos de colégio, em que foi escolhido como orientador artístico da classe. Aldemir Martins serviu ao exército de 1941 a 1945, sempre desenvolvendo sua obra nas horas livres. Chegou até mesmo à curiosa patente de Cabo Pintor. Nesse tempo, freqüentou e estimulou o meio artístico no Ceará, chegando a participar da criação do Grupo ARTYS e da SCAP – Sociedade Cearense de Artistas Plásticos, junto com outros pintores, como Mário Barata, Antonio Bandeira e João Siqueira. 

Em 1945, mudou-se para o Rio de Janeiro e, em 1946, para São Paulo. De espírito inquieto, o gosto pela experiência de viajar e conhecer outras paragens é marca do pintor, apaixonado que é pelo interior do Brasil. Em 1960/61, Aldemir Martins morou em Roma, para logo retornar ao Brasil definitivamente. 

O artista participou de diversas exposições, no país e no exterior, revelando produção artística intensa e fecunda. Sua técnica passeia por várias formas de expressão, compreendendo a pintura, gravura, desenho, cerâmica e escultura em diferentes suportes. Aldemir Martins não recusa a inovação e não limita sua obra, surpreendendo pela constante experimentação: o artista trabalhou com os mais diferentes tipos de superfície, de pequenas madeiras para caixas de charuto, papéis de carta, cartões, telas de linho, de juta e tecidos variados - algumas vezes sem preparação da base de tela - até fôrmas de pizza, sem contudo perder o forte registro que faz reconhecer a sua obra ao primeiro contato do olhar. 

Seus traços fortes e tons vibrantes imprimem vitalidade e força tais à sua produção que a fazem inconfundível e, mais do que isso, significativa para um povo que se percebe em suas pinturas e desenhos, sempre de forma a reelaborar suas representações. Aldemir Martins pode ser definido como um artista brasileiro por excelência. A natureza e a gente do Brasil são seus temas mais presentes, pintados e compreendidos através da intuição e da memória afetiva. Nos desenhos de cangaceiros, nos seus peixes, galos, cavalos, nas paisagens, frutas e até na sua série de gatos, transparece uma brasilidade sem culpa que extrapola o eixo temático e alcança as cores, as luzes, os traços e telas de uma cultura. 

Por isso mesmo, Aldemir é sem dúvida um dos artistas mais conhecidos e mais próximos do seu povo, transitando entre o meio artístico e o leigo e quebrando barreiras que não podem mesmo limitar um artista que é a própria expressão de uma coletividade. 

Faleceu em 05 de Fevereiro de 2006, aos 83 anos, no Hospital São Luís em São Paulo.

Comentário crítico

Aldemir Martins começa a desenhar ainda no Colégio Militar, que freqüenta desde 1934. Na década de 1940, trabalha como artista em Fortaleza, ao mesmo tempo que busca atualizar o então incipiente meio artístico da cidade. No princípio da carreira, em 1941, ajuda a criar o Centro Cultural de Belas Artes, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta. O grupo monta um espaço para exposições permanentes, organiza salões e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passa a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Aldemir Martins produz desenhos, xilogravuras, aquarelas, pinturas e colabora, a partir de 1943, como ilustrador na imprensa cearense.

Em 1945, segue para o Rio de Janeiro, com Antonio Bandeira, Roberto Feitosa e Inimá de Paula. Na cidade, participa de uma coletiva de artistas cearenses na Galeria Askanasy, organizada pelo pintor suíço Jean-Pierre Chabloz. Menos de um ano depois, muda-se para São Paulo, onde realiza sua primeira individual, em 1946, no Instituto dos Arquitetos do Brasil - IAB/SP; e retoma a carreira de ilustrador. Entre 1949 e 1951 freqüenta os cursos do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp, e se torna monitor da instituição. Lá estuda história da arte com Pietro Maria Bardi e gravura com Poty Lazzarotto. Durante o curso, produz o álbum de gravuras Cenas da Seca do Nordeste, com prefácio de Rachel de Queiroz. Os trabalhos mostram grande influência de Candido Portinari, tanto no tratamento do tema como no traço. Em 1951, faz desenhos de paus-de-arara, rendeiras e cangaceiros. Esse trabalho recebe o prêmio aquisição para desenho na 1ª Bienal Internacional de São Paulo.

Dois anos mais tarde, faz o cenário da peça Lampião, de Rachel de Queiroz. Em 1956, sua carreira atinge o ápice ao ser premiado como melhor desenhista internacional na 28ª Bienal de Veneza e expor em diversas partes do mundo. Na década de 1960, trabalha muito com arte aplicada a objetos comerciais. Em 1962, cria cenário para o 1º Festival da MPB, da TV Record, e elabora estampas para tecidos da Rhodia Têxtil. Faz ilustrações dos aparelhos de jantar da série Goyana de Cora. A partir da segunda metade dos anos de 1960, Martins faz esculturas de cerâmica e acrílico, além de jóias em ouro e prata. Em 1969, ilustra bilhetes de loteria. Seis anos mais tarde cria a imagem de abertura da telenovela Gabriela, da rede Globo. Em 1981, repete a experiência na abertura da telenovela Terras do Sem Fim. Nos anos 1980, ilustra jogos de mesa, camisetas e latas de sorvete da Kibon.

Críticas

"Não há limites claros para o exercício da criação de Aldemir Martins. Ele trabalhou em praticamente todos os segmentos existentes na sociedade brasileira. Aldemir, com maestria, exercitou nas técnicas tradicionais da pintura, desenho, gravura, cerâmica e escultura. E avançou, de acordo com o avanço dos meios de comunicação do país, nas áreas do desenho industrial, da ilustração e do trabalho eletrônico de séries televisivas. A sua abertura para uma das telenovelas de maior audiência do país, Gabriela, Cravo e Canela, realizada a partir de romance homônimo de Jorge Amado, é uma das experiências mais emocionantes da televisão brasileira, é uma das obras em que o artista junta, numa argamassa única, a sua qualidade expressiva de desenhista e pintor, o seu conhecimento das entranhas emocionais do país, a sua percepção da comunicação em massa e a utilização dos meios tecnológicos modernos. Nessa abertura, suíte preparatória, apresentação do tema, caracterização emocional da realidade e da motivação do telespectador, Aldemir Martins interfere diretamente no saber anônimo da população, oferece novos padrões de entendimento e produz uma abertura pioneira das possibilidades inerentes aos processos tecnológicos de comunicação. Talvez, dada a integridade da motivação e da iconografia pessoal, não haja realmente limites para o artista moderno. Outra afirmação de nossa época. É por isso que o artista pode fazer padronagem de tecidos, ilustração de objetos cotidianos, decoração de formas industriais, murais e, ao mesmo tempo, conservar íntegro e em expansão o seu universo particular, a sua iconografia pessoal e a empatia entre o seu saber e o saber de seu povo".
Jacob Klintowitz
MARTINS, Aldemir. Aldemir Martins: natureza a traços e cores. São Paulo: Valoarte, 1989.

"A grande descoberta da pintura moderna foi a conceituação da cor como expressão em si própria.
(...)
Em meio a tais parâmetros vive a pintura de Aldemir Martins, hoje mais preocupado com a cor que com a forma; cada vez mais construindo seus espaços a partir da energia colorística que o habita, sempre fiel à temática do Nordeste brasileiro, fiel à 'projeção da verdade do ser, como obra' de que nos fala Heidegger, ao definir a obra de arte.
Há certas afinidades com Gaucuin, que elegeu as ilhas dos mares do sul como tema. Aldemir, por oposição, elegeu o Nordeste seco, quase desértico, mas o recriou com cores selvagens, como se fora um fauve; e o analisa, como um cubista o faria, sem perder a subjetividade poética ao construir/desconstruir espaços na tela. A cor é tão mais importante, hoje, para o pintor Aldemir, que seus temas se repetem (...)."
Alberto Beuttenmüller
Martins, Aldemir. Aldemir Martins. São Paulo: Galeria de Arte André, 1991.

Curiosidades

Depois de Pelé, Rivelino é o jogador que mais parece interessar aos pintores brasileiros. Ele já foi retratado por Luís Jasmim, Cláudio Tozzi e, na época da Copa do México, por Aldemir Martins. Que, neste quadro, foge de seu estilo tradicional e consagrado, abandonando o branco-e-preto para se utilizar de cores vivas, como as da camisa da Seleção Brasileira. - Jorge Amado escreveu A bola e o goleiro e convidou seu amigo Aldemir para ilustrar o texto. O livro que resultou do trabalho a quatro mãos foi bem recebido e acabou sendo traduzido na Suíça. Lá, em 1991, recebeu o título de Bola Fura-Redes under Torhuter. Marco importante, pois pouco a pouco, estamos aumentando a exportação de literatura brasileira graças a qualidade do que produzimos. - Em 1958, foi criado pela CBL (Câmara Brasileira do Livro), o Prêmio Jabuti (com o intuito de incentivar autores e projetos editoriais) e também pela Cultrix a coleção Mestres do Desenho.

Bienais

Em 1953, Aldemir participa do IIIº Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, onde recebe o Certificado de Isenção do Júri e da IIª Bienal de São Paulo, onde recebe o Prêmio Aquisição Nadir Figueiredo. No ano seguinte, participa do IIIº Salão Paulista de Arte Moderna, recebendo o Prêmio de Aquisição.

Em 1954 realiza seu primeiro trabalho cenográfico para a peça Lampião, de Raquel de Queirós, encenada no teatro Leopoldo Fróes, em São Paulo, com os atores Sérgio Cardoso e Araçari de Oliveira no elenco. Lança o álbum de xilogravuras Cinco Carreiras de Cururu, com texto de Paulo Vanzolini, com tiragem de 150 volumes pela editora Grafix, São Paulo.

Em 1955 realiza exposição no Vº Salão Baiano de Artes Plásticas, em Salvador, Bahia, onde recebe a Medalha de Ouro. Neste ano recebeu novos prêmios, o primeiro por sua participação na IIIª Bienal de São Paulo, onde recebe o Prêmio de Desenho, e o segundo no IVº Salão de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, onde recebe a Pequena Medalha de Ouro. Nesta época Aldemir inicia a pintura de uma série de painéis. Pinta o painel do bar O Cangaceiro, no Rio de Janeiro, que se tornaria reduto da boemia carioca, frequentado por pintores, jornalistas e escritores da época, entre eles Dorival Caymmi e Ary Barroso. Em São Paulo, pinta um painel para a residência de Rudi Bonfiglioli, faz um painel de pastilhas para a Vidrotil, um painel para a Casa Beethoven, um para Companhia União de Refinadores, e um para a loja Adams.

No ano de 1956 recebe uma nova Medalha de Ouro no V Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro. Participa também de uma feira realizada pelo clube do qual foi um dos fundadores, Clube dos Artistas Plásticos e Amigos da Arte, a I Feira Anual de Artistas Plásticos de São Paulo. Em Veneza, recebe o prêmio Prezidente del Consigli dei Ministri da XXVIII Biennale di Venezia, atribuído ao Melhor Desenhista Internacional. Neste mesmo período, expõe gravuras no Circolo dei Principi, em Roma, juntamente com o gravador Lívio Abramo. Desenha o galo símbolo do Baile do Galo Vermelho, promovido pelo Hotel da Bahia, em Salvador. Como ilustrador, produz a capa do livro História do Modernismo Brasileiro Antecedentes da Semana de Arte Moderna, de Mário da Silva Brito, lançado pela Editora Saraiva. Faz uma gravura especialmente para o clube Amigos da Gravura do Rio de Janeiro. Ilustra Sonetos de Bocage, lançado pela Editora Saraiva. É incluído entre Os Melhores Paulistas do Ano, pela revista Manchete, da Bloch Editora. É escolhido para fazer parte do Conselho Consultivo da diretoria do MASP.

Em 1957 recebe 7º lugar na enquete popular feita pelo jornal Última Hora, de São Paulo, para O Homem do Ano, de 1956. Por sua participação no VI Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, recebe o Prêmio Viagem ao País. Recebe o Prêmio Melhor Desenhista Brasileiro na IV Bienal de São Paulo, dado pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Seu desenho Pássaro é escolhido para cartão de natal da revista belga Quadrum.

No ano de 1958 realiza uma série de exposições nos Estados Unidos, e é convidado a permanecer no país, por três meses, a convite do Departamento de Estado Americano, visita a Filadélfia, Chicago, Detroit, Boston e New York. Faz álbum de Silk Screem, com apresentação de Pietro Maria Bardi, com tiragem de 100 exemplares em edição bilíngüe, pela Galeria Bonina, Buenos Aires, Argentina. Nesta época é convidado para executar dois painéis para o Aeroporto de Congonhas, pintando-os sobre as paredes da ala Internacional. Anos depois esses painéis se deterioraram e, apesar de Aldemir ter se proposto a restaurá-los, de graça, terminaram destruídos e o Departamento de Aviação Civil mandou pintar as paredes onde estavam. Ainda no ano de 1958, recebe o Prêmio Jabotí na categoria Melhor Capa de Livro do Ano, atribuído pela Câmara Brasileira do Livro, pela capa de História do Modernismo Brasileiro Antecedentes da Semana de Arte Moderna. Neste ano também nasce sua filha, em 24 de novembro, Mariana Pabst Martins, fruto de sua união com Cora Pabst.

Em 1959, recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna e permanece por dois anos na Itália. Fez desenhos em nanquim que serviram para estampar objetos e tecidos de decoração.

Exposições Individuais

1946 - São Paulo SP - Individual, na sede do IAB
1954 - Nova York (Estados Unidos) - Individual, na Galeria Catherine Viviano
1957 - Buenos Aires (Argentina) - Individual, na Galeria Bonino
1959 - Salvador BA - Individual, no MAM/BA
1960 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino
1961 - Roma (Itália) - Individual, na Galeria Pogliani
1962 - Madri (Espanha) - Individual, na Sala Nébili
1962 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte São Luiz
1962 - Düsseldorf (Alemanha) - Individual, na Düsseldorf Kunsthalle Grabbeplatz
1962 - São Paulo SP - Individual, no Clube Atlético Paulistano
1962 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino
1963 - Salvador BA - Individual, na Galeria Querino
1963 - Roma (Itália) - Individual, na Litografia Editrice Romeiro
1964 - Lima (Peru) - Individual, no Instituto de Arte Contemporânea
1966 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino
1966 - Londres (Inglaterra) - Série Futebol, na Casa do Brasil
1967 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Astréia
1969 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Portinari
1970 - Blumenau SC - Individual, na Galeria Açu-Açu
1970 - Fortaleza CE - Individual, no Recanto de Ouro Preto
1970 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino
1972 - São Paulo SP - Paisagens de Aldemir, na A Galeria
1973 - Brasília DF - Aldemir Martins: pinturas, desenhos e gravuras, no Hotel Nacional
1974 - São Paulo SP - Músicos de Aldemir, na A Galeria
1977 - Fortaleza CE - Aldemir Martins: pinturas, desenhos e gravuras
1977 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Casa Blanca - Shopping Center da Gávea
1978 - São Paulo SP - Um Novo Aldemir, na Galeria de Arte Shopping News
1979 - São Paulo SP - Individual, na Itaugaleria
1979 - Recife PE - Individual, na Ranulpho Galeria de Arte
1979 - Fortaleza CE - Individual de inauguração da Sala Aldemir Martins, no Mauc
1979 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte
1980 - São Paulo SP - Homenagem a Primavera, na Galeria Augusto, Augusta
1981 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte
1981 - São Paulo SP - Individual, no Centro de Arte da Ordem/Sindicato dos Economistas de São Paulo
1981 - Estocolmo (Suécia) - Litografias, na Galeria Latina
1982 - São Paulo SP - Aldemir Martins: rascunhos e anotações, na Galeria Augusto, Augusta
1982 - Fortaleza CE - Individual, na Galeria Ignez Fiuza
1982 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Alberto Bonfiglioli
1983 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte
1984 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Alberto Bonfiglioli
1984 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Masson
1984 - Nova York (Estados Unidos) - Individual, na Amazon Art
1985 - Recife PE - Individual, na Ranulpho Galeria de Arte
1985 - Paris (França) - Individual, no Grand Palais de Paris
1985 - Salvador BA - Individual, no Escritório de Arte da Bahia
1985 - São Paulo SP - Espaço Ativo, na Galeria Augusto, Augusta
1987 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Galeria de Arte André
1987 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Intersul
1988 - São Paulo SP - Aldemir Martins, 40 Anos de Gravura, na Galeria Intersul
1988 - São Paulo SP - Individual, na Renot Art Dealer
1989 - Ribeirão Preto SP - Aldemir Martins. Gravuras, no Ribeirão Shopping
1989 - São Bernardo do Campo SP - Pinturas e Desenhos de Aldemir Martins, na Marusan Galeria de Arte
1989 - Paris (França) - O Nordeste de Aldemir Martins, no Espace Latino Americain
1990 - Salvador BA - Individual, na Época Galeria de Arte
1991 - Paris (França) - Primavera no Rio, na Galérie Debret
1991 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Galeria de Arte André
1991 - São Paulo SP - Aldemir Martins: gravuras, no Museu Banespa
1992 - São Paulo SP - Individual, no Museu de Arte de São Paulo
1992 - São Paulo SP - Individual, na Casa das Rosas
1992 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na A Galeria
1993 - Jacareí SP - Individual, na Fundação Cultural de Jacareí
1993 - São Paulo SP - Aldemir Martins em Pedra Cerâmica, na Ranulpho Galeria de Arte
1993 - São Paulo SP - Individual, no Masp
1994 - São Paulo SP - Pinturas Desenhos e Gravuras, na Casa das Artes Galeria
1994 - São Paulo SP - Aldemir Martins: desenhos e gravuras, no Museu Padre Anchieta
1995 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Galeria de Arte André
1995 - São Paulo SP - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Galeria de Arte André
1995 - Rio de Janeiro RJ - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Casa das Artes Galeria
1995 - Curitiba PR - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Realidade Galeria de Arte
1995 - Florianópolis SC - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Fratelli Rubbo Galeria de Arte
1995 - Foz do Iguaçu PR - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Ita Galeria de Arte
1995 - Recife PE - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, no Estudio A Galeria de Arte 
1995 - Recife PE - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Ranulpho Galeria de Arte
1995 - Porto Alegre RS - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Bublitz Decaedro Galeria de Arte
1995 - Campinas SP - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Galeria Croqui
1995 - Goiânia GO - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Época Galeria de Arte
1995 - Salvador BA - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Prova do Artista Galeria de Arte
1999 - Mauá SP - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Casa de Cultura e Museu Barão de Mauá
2000 - Fortaleza CE - Aldemir Martins: um olhar sobre o Brasil, na Casa D'Arte
2000 - Fortaleza CE - O Desenho de Aldemir Martins na Coleção de Cora Pabst, no Centro Cultural Dragão do Mar
2002 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Estação Brás do Metrô
2002 - São Paulo SP - Aldemir Martins: um pintor do Brasil, na Nova André Galeria
2003 - São Paulo SP - Individual, no Centro Empresarial de São Paulo
2003 - São Paulo SP - Aldemir Martins: 80 anos, no Centro Empresarial do Estado de São Paulo
2003 - São Paulo SP - Aldemir Martins: serigrafias, na Casa das Artes Galeria
2004 - São Paulo SP - Designer, na Nova André Galeria
2004 - São Paulo SP - Entre Giclées e Telas, na Canvas Galeria de Arte
2005 - São Paulo SP - Aldemir Martins por Aldemir Martins: sete décadas de sucessos artísticos 1945-2005, no Masp
2005 - Fortaleza CE - Para o mundo se tornar mais bonito, na Casa de Arte e Cultura Belchior
2005 - Rio de Janeiro RJ - O Viajante Amigo, no Centro Cultural Correios
2006 - São Paulo SP - O Viajante Amigo, no SESC Vila Mariana
2006 - Osasco SP - XXXIV Exposição: Homenagem a Aldemir Martins, na Unifieo

Exposições Coletivas

1942 - Ceará - 2º Salão Cearense
1943 - Ceará - 3º Salão Cearense
1943 - Fortaleza CE - 1º Salão de Abril
1944 - Ceará - Pintura de Guerra, organizada pela Scap
1945 - Rio de Janeiro RJ - 51º Salão Nacional de Belas Artes
1945 - Rio de Janeiro RJ - Grupo Cearense, na Galeria Askanasy
1947 - Checoslováquia - Coletiva de Desenhistas Brasileiros
1947 - São Paulo SP - 11º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo
1947 - São Paulo SP - 19 Pintores, na Galeria Prestes Maia
1947 - São Paulo SP - 19 Pintores, na União Cultural Brasil-Estados Unidos
1948 - Fortaleza CE - 4º Salão de Abril
1948 - São Paulo SP - Exposição com Mário Gruber e Enrico Camerini, na Galeria Domus
1950 - Salvador BA - 2º Salão Baiano de Artes Plásticas - medalha de bronze
1951 - São Paulo SP - 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon - Prêmio Olívia Guedes Penteado
1952 - Feira de Santana BA - 1ª Exposição de Arte Moderna de Feira de Santana, no Banco Econômico
1952 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão de Nacional de Arte Moderna
1952 - Rio de Janeiro RJ - Exposição de Artistas Brasileiros, no MAM/RJ
1952 - Santiago (Chile) - Exposición de Pinturas, Dibujos y Grabados Contemporáneos del Brasil
1953 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Arte Moderna - isenção de júri
1953 - São Paulo SP - 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP - Prêmio Nadir Figueiredo
1953 - Tóquio (Japão) - Brazilian Painters
1954 - Dallas (Estados Unidos) - South American Art Today, no Museum of Fine Arts
1954 - Fortaleza CE - 3º Salão dos Independentes
1954 - Genebra (Suíça) - Graveurs Brésiliens
1954 - Zurique (Suíça) - Graveurs Brésiliens, no Kunstgewerbemuseum
1954 - São Luís MA - 5º Salão de Artes Plásticas do Maranhão
1954 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - prêmio aquisição
1954 - São Paulo SP - 40 Artistas do Brasil, na Galeria de Arte São Luiz
1954 - São Paulo SP - Arte Contemporânea: exposição do acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no MAM/RJ
1955 - Atibaia SP - 1ª Exposição Oficial de Pintura de Atibaia
1955 - Salvador BA - 5º Salão Baiano de Belas Artes - Medalha de ouro
1955 - São Paulo SP - 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações - prêmio melhor desenhista
1955 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - pequena medalha de ouro
1955 - Suíça - Bienal Internacional de Desenho e Gravura de Lugano
1956 - Messina (Itália) -  Mostra dos Premiados na 27ª Bienal de Veneza, na Galeria Internationale D'Art Moderne
1956 - Roma (Itália) -  Exposição de gravuras com Lívio Abramo, no Circolo dei Principi
1956 - Roma (Itália) - Disegni di Aldemir Martins, Xilografie di Lívio Abramo
1956 - Veneza (Itália) - 27ª Bienal de Veneza - prêmio de desenho
1957 - Berna (Suíça) - Exposição de Gravuras com Lívio Abramo, na Embaixada do Brasil em Berna
1957 - Montevidéu (Uruguai) - Arte Moderna no Brasil
1957 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Arte Moderna - prêmio viagem ao país
1957 - Rio de Janeiro RJ - Exposição de Artistas Brasileiros
1957 - Buenos Aires (Argentina) - Exposição de Artistas Brasileiros
1957 - São Paulo SP - 4ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1957 - São Paulo SP - 6º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1958 - Nova York (Estados Unidos) - Festival Internacional de Arte, Festival Galleries
1958 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - prêmio viagem ao país
1959 - Amsterdã (Holanda) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Barcelona (Espanha) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Basiléia (Suíça) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Leverkusen (Alemanha) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Londres (Reino Unido) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Milão (Itália) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Munique (Alemanha) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa, no Kunsthaus. 
1959 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Arte Moderna - prêmio viagem ao estrangeiro
1959 - São Paulo SP - 5ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1959 - São Paulo SP - 40 Artistas do Brasil, na Galeria São Luís
1959 - Roma (Itália) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1959 - Viena (Áustria) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 - Hamburgo (Alemanha) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 - Jerusalém (Israel) - 12 Artistas Brasileiros, no Bezalel Museum Jerusalen
1960 - Lisboa (Portugal) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 - Madri (Espanha) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 - Paris (França) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1960 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva de inauguração, na Galeria Bonino
1960 - São Paulo SP - 1ª Exposição do Cartaz de Arte, no Masp
1960 - São Paulo SP - Coleção Leirner, Galeria de Arte das Folhas
1960 - São Paulo SP - Coletiva de Artistas Brasileiros e Americanos, no MAM/SP
1960 - São Paulo SP - Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas
1960 - Tel Aviv (Israel) - 12 Artistas Brasileiros
1960 - Utrecht (Holanda) - Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa
1961 - Roma (Itália) - Coletiva, na Galeria d'Arte della Casa do Brasil
1961 - São Paulo SP - 6ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1962 - Curitiba PR - Salão do Paraná, na Biblioteca Pública do Paraná
1962 - Kassel (Alemanha) - Brasilianische Kunstler der Gegenwart
1962 - Rabat (Marrocos) - Exposição de Artistas Brasileiros
1962 - Casablanca (Marrocos) - Exposição de Artistas Brasileiros
1962 - Tanger (Marrocos) - Exposição de Artistas Brasileiros
1962 - Santos SP - 9º Salão Oficial de Santos - grande medalha de prata
1962 - São Paulo SP - Seleção de Obras de Arte Brasileira da Coleção Ernesto Wolf, no MAM/SP
1962 - Washington (Estados Unidos) - Arte Brasileira em Washington
1963 - Rio de Janeiro RJ - O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
1963 - São Paulo SP - Coletiva, no IAB
1964 - Berlim (Alemanha) - Brazilian Art Today
1964 - Londres (Inglaterra) - Brazilian Art Today
1964 - Rio de Janeiro RJ - 2º O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
1964 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Pequeno Tamanho, na Galeria Bonino
1964 - Viena (Áustria) - Brazilian Art Today
1965 - Bonn (Alemanha) - Brasilianischi Kunst Heute
1965 - Nova York (Estados Unidos) - Brazilian Art Today. Coleção David Rockfeller, no The Chase Manhattan Bank
1966 - Campo Grande MS - 1ª Exposição dos Artistas Mato-Grossenses
1966 - Lausanne (Suíça) - 2º Salão Internacional da Galerie Pilotes de Lausanne
1967 - Amsterdã (Holanda) - Kunstenaars van nu uit Brazile, no Bols Taverne
1967 - Belo Horizonte MG - 21º Salão Municipal de Belas Artes
1967 - Ouro Preto MG - 1º Salão de Ouro Preto - sala especial
1967 - Rio de Janeiro RJ e Florianópolis SC - 5º Resumo de Arte do Jornal do Brasil, no MAM/RJ e no Masc
1967 - Vitória ES - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas
1968 - Paris (França) - Primi Premi per la Grafia alla Biennale Internazionale di Venezia de 1946 a 1966 Galena Rive Gauche
1968 - Roma (Itália) - Primi Premi per la Grafia alla Biennale Internazionale di Venezia de 1946 a 1966 Galena Rive Gauche
1968 - São Paulo SP - 19 Pintores, na Tema Galeria de Arte
1968 - São Paulo SP - Exposição Internacional de Gravura, na Faap
1968 - São Paulo SP - Primeira Feira Paulista de Opinião, no Teatro Ruth Escobar 
1968 - São Paulo SP - Retrospectiva Didática dos 19 Pintores, na Tema Galeria de Arte
1969 - Fortaleza CE - Coletiva, no Mini Museu Firmesa
1969 - São Paulo SP - 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1969 - São Paulo SP - Coletiva, no Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro
1970 - Fortaleza CE - 20º Salão Municipal de Abril
1970 - São Paulo SP - 2º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1970 - São Paulo SP - Coletiva, na A Hebraica
1970 - São Paulo SP - Futebol Arte, no Paço das Artes
1970 - São Paulo SP - Pinacoteca do Estado de São Paulo 1970, na Pinacoteca do Estado
1971 - Barcelona (Espanha) - 3ª Bienal Internacional del Deporte en las Bellas Artes
1971 - São Paulo SP - 11ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1972 - São Paulo SP - 2ª Exposição Internacional de Gravura, no MAM/SP
1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio
1973 - Atami - 1ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1973 - Brasília DF - 1ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1973 - Osaka (Japão) - 1ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1973 - Recife PE - Franciscana, a Figura de São Francisco Interpretada por 13 Artistas Nordestinos, na Ranulpho Galeria de Arte
1973 - São Paulo SP - 1ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1973 - Tóquio - 1ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1974 - Rio de Janeiro RJ - O Mar, na Galeria Ibeu Copacabana
1975 - Penápolis SP - 1º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1975 - Rio de Janeiro RJ - Arte e Pensamento Ecológico, no Palácio da Cultura
1975 - Rio de Janeiro RJ - Carybé e Aldemir Martins, na Mini Gallery
1975 - São Paulo SP - 13ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1975 - São Paulo SP - 2ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo
1975 - São Paulo SP - Arte e Pensamento Ecológico, na Câmara Municipal de São Paulo/Palácio Anchieta e na Cetesb
1976 - Penápolis SP - 2º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1976 - São Paulo SP - 10ª Arte e Pensamento Ecológico, no Viaduto Jacareí
1976 - São Paulo SP - 2º Mestres da Pintura Brasileira, na A Galeria
1976 - São Paulo SP - Coletiva, na Fundação Educacional de Penápolis
1976 - São Paulo SP - O Desenho Jovem dos Anos 40, na Pinacoteca do Estado
1977 - Atami (Japão) - 3ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1977 - Kyoto (Japão) - 3ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1977 - Rio de Janeiro RJ - 3ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1977 - São Paulo SP - 3ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1977 - Tóquio (Japão) - 3ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1978 - Penápolis SP - 3ª Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1978 - Rio de Janeiro RJ - 18º Arte e Pensamento Ecológico, na Biblioteca Euclides da Cunha
1978 - São Paulo SP - 16º Arte e Pensamento Ecológico, na Cetesb
1978 - São Paulo SP - 19 Pintores, no MAM/SP
1979 - São Paulo SP - Artistas Figurativos, na Itaúgaleria
1979 - São Paulo SP - 15ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1979 - São Paulo SP - 4ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1979 - São Paulo SP - 4ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1980 - Bonn (Alemanha) - Quatro Artistas Brasileiros, na Kultur-Forum Bonn Center
1980 - Lisboa (Portugal) - Quatro Artistas Brasileiros, no Museu Gulbenkian da Fundação Calouste Gulbenkian
1980 - Penápolis SP - 4º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na  Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1980 - Presidente Prudente SP - 3º Salão de Artes Plásticas de Presidente Prudente, no Palácio da Cultura Dr. Pedro Furquim
1980 - Porto (Portugal) - Quatro Artistas Brasileiros, na Junta Comercial
1980 - Santiago (Chile) - Coletiva, no Museu de Bellas Artes de Santiago
1980 - São Paulo SP - 48 Artistas, na Pinacoteca do Estado
1980 - São Paulo SP - 5ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1980 - São Paulo SP - Coletiva, no MAM/SP
1980 - São Paulo SP - Coletiva de Inauguração, na Galeria Grossmann
1981 - São Paulo SP - 5ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1981 - São Paulo SP - A Arte de Playboy, no Masp
1981 - Rio de Janeiro RJ - A Arte de Playboy, no Palace Hotel
1982 - Estocolmo (Suécia) - Feira de Arte de Estocolmo - sala especial
1982 - Lisboa (Portugal) - Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
1982 - Londres (Reino Unido) - Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Barbican Art Gallery
1982 - Penápolis SP - 5º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1982 - Rio de Janeiro RJ - Futebol: interpretações, na Galeria de Arte Banerj
1982 - Rio de Janeiro RJ - Universo do Futebol, no MAM/RJ
1982 - Salvador BA - A Arte Brasileira da Coleção Odorico Tavares, no Museu Carlos Costa Pinto
1982 - São Paulo SP - Do Modernismo à Bienal, no MAM/SP
1983 - Atami (Japão) - 6ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1983 - Kyoto (Japão) - 6ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1983 - Olinda PE - Exposição da Coleção Abelardo Rodrigues de Artes Plásticas, no MAC/PE
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, no Mnba
1983 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 - São Paulo SP - 14º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1983 - São Paulo SP - 6ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, no Masp
1983 - São Paulo SP - Arte na Rua
1983 - São Paulo SP - Palmeira, na Galeria Alberto Bonfiglioli
1983 - Tóquio (Japão) - 6ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1984 - Haia (Holanda) - A Cor e o Desenho do Brasil
1984 - Madri (Espanha) - A Cor e o Desenho do Brasil
1984 - Paris (França) - A Cor e o Desenho do Brasil
1984 - Lisboa (Portugal) - A Cor e o Desenho do Brasil
1984 - Roma (Itália) - A Cor e o Desenho do Brasil
1984 - Itu SP - 3ª Exposição de Arte. Várias Tendências, na Casa da Cultura
1984 - Ourinhos SP - Homenagem a Arte da Gravura no Brasil, na Itaugaleria
1984 - Ribeirão Preto SP - Gravadores Brasileiros Anos 50/60, na Galeria Campus USP - Banespa
1984 - Rio Claro SP - 2º Salão de Artes Plásticas de Rio Claro
1984 - Rio de Janeiro RJ - Pintura Brasileira Atuante, no Espaço Petrobrás
1984 - São Paulo SP - 15º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - A Cor e o Desenho do Brasil, no MAM/SP
1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1984 - Teresina PI - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas
1985 - Atami (Japão) - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1985 - Brasília DF - Pintura Brasileira Atuante, na Fundação Cultural do Distrito Federal
1985 - Fortaleza CE - Aldemir Martins, Floriano Teixeira, Pietrina Checcacci, Sérgio Lima e Sérvulo Esmeraldo, na Galeria Ignez Fiuza
1985 - Kyoto (Japão) - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1985 - Ottawa (Canadá) - Trois Peintres Brésiliens
1985 - Penápolis SP - 6º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
1985 - Rio de Janeiro RJ - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, na Fundação Brasil-Japão
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1985 - São Paulo SP - 100 Obras Itaú, no Masp
1985 - São Paulo SP - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, na Fundação Brasil-Japão
1985 - São Paulo SP - Aldemir Martins, Rapoport, Satyro, Scliar, Virgolino, na Ranulpho Galeria de Arte
1985 - São Paulo SP - As Mães e a Flor na Visão de 33 Pintores, na Ranulpho Galeria de Arte
1985 - Tóquio (Japão) - 7ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão
1986 - Belgrado (Iugoslávia) - Coletiva de Desenhos e Gravuras, no Diplomatic Club Belgrade
1986 - Londres (Inglaterra) - The 3th Internacional Art Contemporary Fair
1986 - Madri (Espanha) - Arco
1986 - São Paulo SP - 17º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1987 - Salvador BA - Doze Artistas Brasileiros, na Anarte Galeria
1987 - Salvador BA - Inauguração da Fundação Casa de Jorge Amado
1987 - São Paulo SP - As Bienais no Acervo do MAC: 1951 a 1985, no MAC/USP
1987 - São Paulo SP - O Ofício da Arte: pintura, no Sesc
1988 - Fortaleza CE - Comemoração de 30 Anos da Fundação da Scae, Sociedade de Artistas Plásticos de Fortaleza
1988 - Paris (França) - Exposição de Pinturas Ecológicas Fiac, no Grand Palais de Paris
1988 - Pequim (China) - 1ª Exposição Brasil-China, na Galeria de Belas Artes da China
1988 - Rio de Janeiro RJ - Hedonismo: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria Edifício Gilberto Chateaubriand
1988 - Salvador BA - Os Ilustradores de Jorge Amado, na Fundação Casa de Jorge Amado
1988 - Salvador BA - Os Ilustradores de Jorge Amado, na Fundação Casa de Jorge Amado
1988 - São Paulo SP - 15 Anos de Exposição de Belas Artes Brasil-Japão, na Fundação Mokiti Okada M.O.A.
1988 - São Paulo SP - Brasiliana: o homem e a terra, na Pinacoteca do Estado
1988 - São Paulo SP - Juréia, na Galeria Sadala
1988 - São Paulo SP - Os Muros de Maison Vogue, no Masp
1988 - São Paulo SP - Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Sesc/Pompéia
1989 - Copenhague (Dinamarca) - Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Museu Charlottenborg
1989 - São Paulo SP - As Mesas, na Ranulpho Galeria de Arte
1989 - São Paulo SP - Trinta e Três Maneiras de Ver o Mundo, na Ranulpho Galeria de Arte
1990 - Brasília DF - Pantanal: sete visões, na Visual Galeria de Arte
1990 - São Paulo SP - Frutas, Flores e Cores, na Ranulpho Galeria de Arte
1990 - São Paulo SP - Gatos Pintados, na Ranulpho Galeria de Arte
1991 - Curitiba PR - Museu Municipal de Arte: acervo, no Museu Municipal de Arte
1991 - Fortaleza CE - Scap: 50 anos, no Imperial Othon Palace Hotel
1991 - Paris (França) - Coletiva, no Grand Palais de Paris
1991 - São Paulo SP - A Música na Pintura, na Ranulpho Galeria de Arte
1991 - São Paulo SP - Chico e os Bichos, na Ranulpho Galeria de Arte
1991 - São Paulo SP - Registro Gráfico: litografias originais, na Kramer Galeria de Arte
1992 - Rio de Janeiro RJ - Eco Art, na Museu de Arte Moderna
1992 - Santo André SP - Litogravura: métodos e conceitos, no Paço Municipal
1992 - São Paulo SP - 7º Salão Brasileiro de Arte, na Fundação Mokiti Okada M.O.A.
1992 - São Paulo SP - O Olhar de Sérgio sobre a Arte Brasileira: desenhos e pinturas, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade
1993 - João Pessoa PB - Xilogravura: do cordel à galeria, na Funesc
1993 - Rio de Janeiro RJ - Arte Erótica, no MAM/RJ
1993 - Rio de Janeiro RJ - O Mac e as Bienais, no EAV/Parque Lage
1993 - Santo André SP - 21º Salão de Arte Contemporânea de Santo André, no Paço Municipal
1993 - São Paulo SP - 100 Obras-Primas da Coleção Mário de Andrade: pintura e escultura, no IEB/USP
1993 - São Paulo SP - Exposição Luso-Nipo-Brasileira, no MAB/Faap
1993 - São Paulo SP - Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956 - 1967, no MAM/SP
1994 - Rio de Janeiro RJ - Trincheiras: arte e política no Brasil, no MAM/SP
1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
1994 - São Paulo SP - Gravuras: sutilezas e mistérios, técnicas de impressão, na Pinacoteca do Estado
1994 - São Paulo SP - Poética da Resistência: aspectos da gravura brasileira, na Galeria de Arte do Sesi
1994 - São Paulo SP - Xilogravura: do cordel à galeria, na Companhia do Metropolitano de São Paulo
1994 - São Paulo SP - Xilogravura: do cordel à galeria, no Museu de Arte de São Paulo
1995 - São Paulo SP - Brasil-Japão Arte, na Fundação Mokiti Okada M.O.A.
1995 - São Paulo SP - Projeto Arte Atual Brasil, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte
1995 - São Paulo SP - Projeto Contato, na Galeria Sesc Paulista
1996 - Barra Mansa RJ - 12 Nomes da Pintura Brasileira, no Centro Universitário de Barra Mansa
1996 - Belo Horizonte MG - Impressões Itinerantes, no Palácio das Artes
1996 - Osasco SP - Expo FIEO, na Fieo
1996 - Penápolis SP - Arte Contemporânea Brasileira no Acervo da Funarpe, na Itaugaleria
1996 - São Paulo SP - Norfest 96, no D&D Shopping
1996 - São Paulo SP - Off Bienal, no MuBE
1997 - São Paulo SP - Exposição Coletiva de Natal, na Galeria de Arte André
1998 - Fortaleza CE - Jangada, no Museu do Ceará
1998 - Marselha (França) - Futebol Arte
1998 - Paris (França) - Futebol Arte
1998 - Rio de Janeiro RJ - Futebol Arte, na Fundação Casa França-Brasil
1998 - São Paulo SP - Coletiva de Primavera, na Galeria de Arte André
1998 - São Paulo SP - Futebol Arte, na Galeria Marta Traba
1998 - São Paulo SP - Impressões: a arte da gravura brasileira, no Espaço Cultural Banespa Paulista
1998 - São Paulo SP - O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ, no Masp
1998 - São Paulo SP - Os Colecionadores - Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, na Galeria de Arte do Sesi
1999 - Porto Alegre RS - Garagem de Arte: mostra inaugural, na Garagem de Arte 
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Gravura Moderna Brasileira. Acervo Museu Nacional de Belas Artes, no Mnba
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. São Paulo: gravura hoje, no Palácio Gustavo Capanema
1999 - São Paulo SP - Cotidiano/Arte.  O Consumo - Metamorfose do Consumo, no Itaú Cultural
1999 - São Paulo SP - Cotidiano/Arte.  O Consumo - Paratodos, no Itaú Cultural
1999 - São Paulo SP - Litografia: fidelidade e memória, no Espaço de Artes Unicid
2000 - Londrina PR - Coletiva do Milênio, na Galeria Bahiarte
2000 - São Paulo SP - Brasil Sobre Papel: matizes e vivências, no Espaço de Artes Unicid
2000 - São Paulo SP - Coletiva Sociarte, no Clube Atlético Monte Líbano. Espaço Cultural
2000 - São Paulo SP - Investigações. Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
2000 - São Paulo SP - Grandes Artistas Brasileiros, na Casa das festas
2001 - Brasília DF - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaugaleria
2001 - Juazeiro do Norte CE - 1ª Bienal de Arte do Cariri
2001 - Penápolis SP - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
2001 - Rio de Janeiro RJ - Aquarela Brasileira, no Centro Cultural Light
2001 - Santo André SP - 1ª Bienal de Gravura de Santo André
2001 - São Paulo SP - 4 Décadas, na Nova André Galeria
2001 - São Paulo SP - Arte Hoje, na Arvani Arte
2001 - São Paulo SP - Biografias Instantâneas, na Casa das Rosas
2001 - São Paulo SP - Coleção Aldo Franco, na Pinacoteca do Estado
2001 - São Paulo SP - Figuras e Faces, na A Galeria
2001 - São Paulo SP - Museu de Arte Brasileira: 40 anos, no Museu de Arte Brasileira
2001 - Uberlândia MG - Gravuras Brasileiras do Acervo do MUnA: anos 60, 70 e 80, no MUnA
2002 - Porto Alegre RS - Desenhos, Gravuras, Esculturas e Aquarelas, na Garagem de Arte 
2002 - São Paulo SP - Aldemir Martins, Jean Emile e Tuneu, na Augosto Augusta
2002 - São Paulo SP - Ópera Aberta: celebração, na Casa das Rosas
2003 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Brazilianart, na Almacén Galeria de Arte
2003 - São Paulo SP - 7 Visões, na Nova André Galeria
2003 - São Paulo SP - Arte & Artistas: exposição dos dezenove pintores, no Masp. Galeria Prestes Maia
2003 - São Paulo SP - Entre Aberto, na Gravura Brasileira
2003 - São Paulo SP - Israel e Palestina: dois estados para dois povos, no Sesc/Pompéia
2004 - Rio de Janeiro RJ - O Século de um Brasileiro: Coleção Roberto Marinho, no Paço Imperial
2004 - São Paulo SP - 450 X 45, na Nova André Galeria
2004 - São Paulo SP - As Bienais: um olhar sobre a produção brasileira 1951/2002, na Galeria Bergamin
2004 - São Paulo SP - Cinqüenta 50, no Museu de Arte Moderna
2004 - São Paulo SP - Coletiva de Artistas Contemporâneos, no Esporte Clube Sírio
2004 - São Paulo SP - Gabinete de Papel, no Centro Cultural São Paulo
2004 - São Paulo SP - Novas Aquisições: 1995-2003, no MAB/Faap
2005 - São Paulo SP - 30 Anos com Arte, no SESC Interlagos
2005 - São Paulo SP - Odorico Tavares: a minha casa baiana - sonhos e desejos de um colecionador, na Galeria de Arte do Sesi
2005 - São Paulo SP - Pequenas Grandes Obras, na Cultural Blue Life
2005 - Campo Grande MS - Formas Brasileiras, no MARCO
2005 - Curitiba PR - Odorico Tavares: a minha casa baiana - sonhos e desejos de um colecionador, no Museu Oscar Niemeyer
2005 - Fortaleza CE - Arte Brasileira: nas coleções públicas e privadas do Ceará, no Espaço Cultural Unifor
2006 - São Paulo SP - Clube de Gravura: 20 anos, no Museu de Arte Moderna
2006 - São Paulo SP - Viva Cultura Viva do Povo Brasileiro, no Museu Afro Brasil
2006 - Belém PA - Traços e Transições da Arte Contemporânea Brasileira, no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas
2006 - Florianópolis SC - Traços do Acervo Caixa, no Museu de Arte de Santa Catarina
2006 - Fortaleza CE - Futebol, Alegria do Povo, no Centro Cultural Oboé

Exposições Póstumas

2007 - Americana SP - ... limites..., na Casa de Cultura Hermann Müller
2007 - São Paulo SP - Aldemir Martins: 50 anos depois de Veneza, na Arte e Eventos
2008 - São Paulo SP - Aldemir, Luz! Cor!, na Nova André Galeria
2008 - São Paulo SP - A Arte que Banha o Nordeste, no Palácio dos Bandeirantes
2008 - São Paulo SP - Brasil Brasileiro, no Centro Cultural Banco do Brasil
2008 - São Paulo SP - Brasil: terra de contrastes, no Museu Afro Brasil
2009 - São Paulo SP - Olhar da Crítica: Arte Premiada da ABCA e o Acervo Artístico dos Palácios, no Palácio dos Bandeirantes
2009 - Milão (Itália) - Pequenas Grandes Obras - Arte Contemporânea Brasileira, no Instituto Brasile - Italia
2009 - Rio de Janeiro RJ - Brasil Brasileiro, no Centro Cultural Banco do Brasil
2010 - São Paulo SP - Anotações Visuais de Aldemir Martins, no Espaço Cultural Citibank
2010 - São Paulo SP - 41º Chapel Art Show, na Escola Maria Imaculada - Chapel School
2010 - São Paulo SP Artista Participante - 6ª sp-arte, na Fundação Bienal
2010 - Fortaleza CE - De Picasso a Gary Hill, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
2011 - Belém PA - Imagens que Povoam o Sonho : Elf 30 Anos, na Galeria Elf
2011 - Belo Horizonte MG - 1911-2011 - Arte Brasileira e Depois, na Coleção Itaú, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
2011 - Salvador BA - Coleção Marcos Moniz Barreto 15 Anos, na MCR Galeria de Arte
2012 - Fortaleza CE - Um nome no centro da coleção: Aldemir Martins e o acervo da Caixa, na Caixa Cultural
2012 - São Paulo SP - O Retorno da Coleção Tamagni: até as estrelas por caminhos difíceis, no Museu de Arte Moderna de São Paulo
2012 - Recife PE - Odorico Tavares : Sonhos e Desejos de um Colecionador - Instituto Ricardo Brennand
2013 - Fortaleza CE - Trajetórias - Arte Brasileira na Coleção Fundação Edson Queiroz - Unifor 40 Anos, no Espaço Cultural Unifor

Vídeos

VEJA TAMBÉM

Tunga - Três Mulheres

Tunga

Três Mulheres

Burle Marx - Muriqui II

Burle Marx

Muriqui II

Tran Tho - Fiandeira

Tran Tho

Fiandeira